papo sobre Autoestima

produtos que Amamos

inspire-se nessas Viagens

0 em Autoestima/ Beleza/ Cabelo/ Destaque/ Parceria no dia 21.02.2020

Transição para os cabelos brancos!

Hoje posso dizer com certeza que das coisas mais importantes que aprendi na vida foi como lidar com as mudanças na minha vida. Nós vivemos mudanças desde que nascemos e ao longo da nossa jornada, elas ajudam a definir quem somos. Mudamos ao crescer, ao aprender a andar, ler, falar e quanto mais o tempo passa, mais as mudanças se tornam significativas e saber lidar com elas faz diferença.

O tempo passa e nosso corpo e nossa imagem mudam. Enquanto mulheres inseridas nessa sociedade, isso acaba tendo um peso maior. Nossa aparência é algo que acaba nos afetando e afligindo facilmente. Apesar das mudanças constantes serem absolutamente naturais, nosso corpo é vivo e nem todo mundo lida bem com isso.

Nos ensinaram a associar a aparência à realização. Passamos a acreditar que se formos magros, seremos felizes automaticamente. Se tivermos aquele cabelo de determinada cor nos validarão na hora. Essas associações automáticas não passam de crenças que criam expectativa e ilusões na nossa cabeça em busca de padrões cada vez mais inatingíveis.

E pra que isso? Podemos escolher outros caminhos!

Nos ensinaram a querer mudar tanta coisa em nossa aparência que propostas de transformação acabam sendo das mais atraentes. Além de serem as que mais nos expõem à julgamentos, abrindo uma porta para uma certa crueldade conosco. Precisamos parar pra pensar e ver conscientes de tantas pressões, o que cada uma de nós quer fazer.

Pronto, agora vou sair do coletivo e falar de mim. Como não é mais segredo para ninguém, abandonei as tinturas de cabelo e estou na transição para uma cabeleira completamente grisalha. E esta tem sido uma fase interessante de autoconhecimento. Já não me reconheço mais nas fotos antigas de cabelos pintados, mas ao mesmo tempo estava no meio da minha transição. Nesse processo tenho sido mais amorosa e compreensiva comigo mesma, tá sendo incrível viver isso.

Desde maio de 2019 não uso mais coloração nos cabelos. E em junho do ano passado descolori a parte que ainda estava bem escura na tentativa de aproximar os dois tons: raiz grisalha e comprimento com coloração. Minha ideia era assim amenizar o impacto da transição. Infelizmente há quem considere desleixo a raiz grisalha crescendo, dai quis organizar isso.

Nesse primeiro momento, ainda em 2019, fiquei loura. Senti o primeiro baque pois não fazia ideia de como cuidar de cabelo descolorido. Foram muitos produtos e conselhos de quem usa madeixas louras para aprender a lidar com esta nova  realidade. Junte à isto a textura completamente diferente e livre da parte grisalha dos cabelos e você terá um visual muito complexo. Impossível de definir em poucas palavras.

ANTES DE QUALQUER MUDANÇA

Mas eu estava determinada a abraçar esta minha nova fase. No entanto nem sempre era fácil, numa conversa (meio desabafo) com Joana, expus minhas considerações à respeito das diferentes texturas e cores de cabelo que eu tinha naquele momento e da minha ignorância sobre como lidar com isso. Nessa hora ela teve a ideia que nos trouxe pra esse post: procurar uma profissional especialista em químicas e coloração pra nos ajudar a fazer a transição para os cabelos brancos.

VAMOS COMIGO NO PROCESSO?

Ela me levou para a Jussara Fernandes, do salão Ju Fernandes em Ipanema aqui no Rio. Ela cuidados cabelos da Jô com muita propriedade e conhece cabelos como ninguém. E para melhorar, ela está fazendo a transição de dezenas de mulheres em busca da melhor versão possível para os cabelos grisalhos naturais.

Chegando lá a equipe da Ju fez uma análise criteriosa do meu cabelo e estabeleceu o que ela considerou a melhor estratégia para igualar ainda mais os fios e suas diferentes texturas e cores.

DEPOIS DA PRIMEIRA DAS DUAS IDAS AO SALAO DA JU

Jussara optou por uma química suave somente próximo das raízes, para igualar o cabelo que tinha uma textura ao redor da cabeça e outra completamente diferente no restante. Foi um tratamento bem rapidinho, sem formol nem nada destas substâncias agressivas, que deixou meu cabelo muito macio, brilhante e o principal – muito mais uniforme. Agora tenho o mesmo tipo de fios por toda a cabeça, e acreditem, isso é maravilhoso, um alívio na verdade!

Textura resolvida, fizemos um corte curto desfiado, que já eliminou grande parte do cabelo descolorido, deixando meu cabelo elegante, muito mais grisalho e muito moderno, e me senti linda e muito feliz, sem qualquer vestígio do estigma da vovó. A Ju também cuidou de uniformizar um pouco a cor da parte onde ainda se vê o cabelo descolorido, deixando tudo mais harmônico e bonito. Sério, esta mulher é maravilhosa, e todo mundo deveria conhece-la!!! 

Vocês não tem ideia do quanto eu estou grata de ter encontrado uma profissional que entende mesmo de fios para me ajudar nesta minha transformação!

DEPOIS DA SEGUNDA VISITA AO SALAO

Cabelos grisalhos são parte de nossa história, são como um registro de que somos sobreviventes em nossos ecossistemas. Deveríamos ser elogiadas por eles, nunca julgadas ou rotuladas como “velhas”. Somos a prova de que guerreiras podem sim sobreviver às batalhas, e a gente deveria comemorar o surgimento deles, mas ao invés disso nos sentimos envergonhadas, diminuídas pela pseudo constatação do fato de que o tempo está passando para nós, e que estaríamos chegando ao final do caminho, quando não é nada disso!

Sou (muito) grisalha desde os 30 anos de idade. Na verdade meus primeiros fios brancos surgiram aos vinte e poucos anos. Hoje sabemos que o embranquecimento dos fios pode estar relacionado ao estresse a que somos expostos, e nossa, como me estressei nessa minha caminhada.

Hoje tenho uma belíssima juba prateada, que me deixa orgulhosa por ver nesta cabeleira as batalhas vencidas, todos os meus sucessos, todos os meus fracassos, que na verdade foram enormes  fontes de aprendizado. Nem sempre me senti assim, tanto é que foram quase 30 anos de tinturas semanais. Porém percebi que não via iguais por aí, e isto fez toda a diferença neste meu novo momento – ver que existem mulheres maravilhosas, no auge de suas capacidades produtivas, lindas, jovens de corpo e de alma e grisalhas!

Espero sinceramente que com este meu depoimento, possamos diminuir um pouco nosso preconceito em relação à mulheres grisalhas, e que passemos a enxergá-las como de fato elas são: mulheres lindas, sábias, guerreiras e sobreviventes, sem qualquer estigma de velhice ou de incapacidade.

Mulheres que resolveram abraçar mais esta transformação dos seus corpos com leveza, com benevolência e com auto amor. Porque é assim que me sinto neste momento: muito mais generosa e feliz comigo mesma!

O retorno da turma do insta do @paposobreautoestima

Espero que vocês tenham gostado!

Beijos

Rosana

[ contato do São Ju Fernandes – telefones: 2513-2708 / 2522-4446 | instagram @salaojufernandes ]