Browsing Category

Autoestima

0 em Autoestima/ Destaque/ Moda/ Patrocinador no dia 12.06.2019

E o Dia dos Namorados para quem já é casado?

Estou casada há quase 9 anos, sendo que estamos juntos há 16. Basicamente cheguei naquela época onde faço as contas e noto que passei mais tempo da minha vida namorando do que solteira. Já passei muitos Dias dos Namorados trocando presente, fazendo cartinha e comemorando no restaurante um dia antes ou alguns dias depois porque odiamos o combo restaurantes lotados + menu fechado que a maioria adota para o dia. E depois de um tempo a gente foi parando de comemorar essa data.

Para muita gente, isso parece um indício que o romance acabou. De fato, uma das maiores cobranças de relacionamentos duradouros é a ideia de manter a chama acesa. 

Cara, como eu odeio esse discurso. Eu valorizo demais o romance. E acho que, apesar de muita gente associar a “chama acesa” com a vida sexual do casal, eu vejo além. Acho que, para um relacionamento duradouro continuar dando certo, a chama acesa tem que ser não só do tesão (que também é importante), mas também da admiração e do companheirismo. Voltando, só sei que odeio esse discurso. 

Odeio porque toda vez que ele é usado nessa data do varejo (aproveitando que estamos no Dia dos Namorados), percebo que a responsabilidade para não deixar o tal fogo acabar quase sempre é toda nossa. Principalmente quando falamos em relacionamentos entre homem e mulher. Somos bombardeadas com informações de como enlouquecer nossos homens na cama, dicas de roupas para usar e quais as melhores lingeries para deixá-los malucos. 

E aí, se nos deixarmos levar por essas mensagens, viramos alguém que não é a gente. Já perceberam? 

E olha só como as pessoas são completamente diferentes. Eu amo sutiãs sem bojo (pode ser de renda ou sem) e calcinhas tipo tanga, boneca e até mesmo fio dental. Elas podem até ser de renda, mas quanto mais básicas, melhor. Até tenho algumas peças coloridas, mas a maior parte do meu armário é branca e preta. Quanto mais natural e à vontade, mais sexy eu me sinto. 

Conjunto Dry Air marsala – calcinha | sutiã com aro
Calcinha básica algodão egípcio preta

Já a Jo curte uma lingerie mais incrível. Ela curte conjuntos sofisticados, de preferência com rendas, mas você nunca vai ver ela com calcinha fio dental, por exemplo. Ela gosta da montação e dos preparativos. De usar a lingerie para expressar algo. 

Body linha Nice
Conjunto linha Nice – calcinha básica | sutiã com aro

Não se enganem. Eu já fui a pessoa de ir na onda de comprar a lingerie sexy para aproveitar o dia dos Namorados. Ela era usada apenas nesse dia, e ignorada durante os outros 364 dias do ano simplesmente porque eu odiava. Ja caí na armadilha do champanhe com chocolate porque “é um presente sexy para uma noite especial”. Gastei o que não tinha e sabem o pior? Na época a gente nem bebia.

Se bobear já devo até ter usado um desses argumentos em algum publi de Dia dos Namorados. Afinal, sou blogueira há quase 10 anos, e não tem muito tempo que eu passei a questionar esse tipo de estratégia.

Dito isso, não é à toa que hoje eu vim aqui, em um publi de Dia dos Namorados da Marcyn, só para reafirmar: nesse dia, vista-se de você! 

Se a lingerie que você se sente mais linda é aquela que não tem nenhum detalhe especial, mas valoriza cada curva sua de uma maneira que você ama, vai fundo. Se você prefere uns detalhes diferentes ao invés de rendas, vai fundo. Se você gosta de cor, use cor. Se você curte a lingerie super sexy, aproveita mesmo! A Marcyn tem todas essas opções, para todos os gostos, para muitos corpos.

Caleçon Veneza preto | Caleçon Veneza pérola | Sutiã Veneza preto | Body Strappy Preto | Sutiã Meia Taça Nice Terracota | Calcinha fio dental Nice Terracota | Sutiã plus Nice Terracota | Calcinha Alta Nice Terracota | Top Brilho Alquimia | Calcinha Brilho Alquimia

Mas o vestir-se que eu falei acima não é só literal. Tem a ver com todas as suas escolhas. Se você está um relacionamento longo e acha que comemorar Dia dos Namorados é um jeito de celebrar o romance, comemore. Se vocês já perderam a paciência com essa data, fiquem em casa! Dizem que um casamento é uma eterna renovação de contratos. E, para mim, manter a chama acesa é estar sempre escolhendo renová-los.

Hoje, por exemplo, nosso momento de romantismo é achar um dia da semana onde conseguimos conciliar nossas agendas com a da babysitter para que a gente possa pegar um cineminha. Isso é uma coisa que sempre fazíamos quando éramos namorados, e que foi ficando difícil depois que tivemos filho.

E aí? Como você, que está casada há um tempo, comemora seu Dia dos Namorados?

1 em Autoestima/ Destaque/ Relacionamento no dia 12.06.2019

Ter ou não ter [email protected], uma versão mais atualizada

Se você tem mais de 30 anos, talvez pegue a referência. Em algum momento próximo do Dia dos Namorados, que atire a primeira pedra quem nunca recebeu via corrente de email ou Orkut um texto de Artur da Távola cujo título é “ter ou não ter namorado”.

>>>>>> Ele está aqui para quem nunca cruzou com essa pérola <<<<<<

Acho que esse texto não faz mais tanto sucesso com a nova geração. E apesar de eu ter memória afetiva por ele, queria propor uma nova versão aproveitando que hoje é Dia dos Namorados aí no Brasil. Porém longe da ambição de querer me comparar com o autor, claro.

Começando pelo título, que poderia mudar para [email protected] afinal, já cansamos dessa história heteronormativa, né? Estamos falando para todas! Pronto, agora podemos continuar…

Tenha [email protected] se você já entendeu a importância de ser sua melhor companhia.

Se você já sabe apreciar seus momentos com você mesma e entende que, mesmo acompanhada, eles são necessários e importantes.

Tenha [email protected] se você vai se sentir desejada e atraente aos olhos dele(a). Não pelo que você acha, mas pelo que ele(a) te diz e demonstra. Que beije com vontade, que ande de mãos dadas com orgulho, que te apresente [email protected] para que te conheçam e vejam a pessoa incrível que você é. Que tenha sua própria vida, mas que considere você e o relacionamento entre vocês uma das prioridades. Equilíbrio (ainda que meio torto, porque somos humanos) é necessário na vida.

Que entenda que individualidade é importante. Que ciúmes são inseguranças. Que não se olha redes sociais nem celular do outro – quanto mais pedir a senha – sem consentimento. Que te apoie e seja quem mais te incentiva. Que gosta de te ver crescer e melhorar, sem competir quem é melhor, ganha mais ou tem mais sucesso.

Que não meça esforços para te ajudar nas suas conquistas e as comemore genuinamente.

Que te deixa um bilhetinho carinhoso, manda mensagem dizendo “eu te amo” quando não se espera. Ou mesmo um “me avisa quando chegar”. Que transforme quase tudo em uma ocasião especial. Do restuarante legal, passando pela viagem até o pastel da feira.

Que chega junto quando é necessário. Seja para te dizer que você está errada, seja para te mostrar um novo ponto de vista ou para compartilhar uma experiência. Que divida a conta, pague tudo quando você não puder, mas que entenda que grana não faz ninguém melhor num relacionamento. Que te incentive a ter sua independência financeira, assim saberá que você está ali porque quer.

Tenha [email protected] se a sua vida for melhor com ele(a). Senão pode ficar sozinha mesmo que tá tudo bem. Uma vida bem vivida sozinha, em paz consigo mesma é mil vezes melhor que uma vida do lado de uma companhia meia boca.

0 em Autoestima/ Relacionamento no dia 10.06.2019

Não vamos subestimar o amor do outro

A maior parte de textos sobre relacionamentos é sobre como lidar com nossos sentimentos e frustrações. Fazendo um mea culpa, aqui no Papo quase todos estão sob essa ótica da empatia e da auto responsabilidade. Mas nunca falamos da situação onde somos nós que estamos pisando na bola. Chegou a hora de nos responsabilizarmos por isso também.

Quer ver um jeito de pisar na bola super sútil, que a gente muitas vezes nem percebe? Quando resolvemos subestimar o amor do outro.

ilustra: @emba_dibujos

Muitas vezes parece atitude de gente que tem excesso de confiança. De quem tem certeza de que a outra pessoa estará sempre ali, não importa o que a gente faça. Mas subestimar o amor do outro pode acontecer em pequenas coisas. Uma brincadeira, uma atitude, um gesto.

Vou dar um exemplo: cíumes. A gente sabe bem que, na maioria dos casos, sentir cíumes está mais relacionado à nossa falta de segurança em nós mesmas do que em motivos concretos. Claro que terão casos que o cíume vai ser 100% justificável. Mas muitas vezes ele acontece porque acreditamos que podemos ser trocadas a qualquer instante. Achamos que não temos tanto valor assim, que não somos tão interessantes. Nos comparamos com outras mulheres e nos sentimos inferiores. Mas já parou pra pensar como o seu ciúme pode ser visto quando não existe motivos para isso?

A outra pessoa pode estar achando que o que ela faz não é suficiente para demostrar o amor dela. Pode ser verdade? Pode. Mas seria essa a melhor forma de deixar isso claro? E se o outro faz tudo para te deixar segura e ainda assim não adianta? Como será que ele se sente? É possível que ele acredite que o seu melhor não seja o bastante. E olha aí uma falha de comunicação atrapalhando uma relação onde o amor existe.

Saber identificar as linguagens do amor é um primeiro passo para que a comunicação aconteça de forma mais eficiente. Muitas vezes, a forma de demonstrar amor do(a) seu (sua) parceiro(a) é diferente da sua. E a forma de receber também.

Se não existe conversa em relação a isso, e se não existe a compreensão, certamente irá acontecer de um dos lados subestimar o amor do outro.

>>>>>> Nota do Papo: Se você quiser saber mais sobre essa diferença de linguagens, indicamos o livro As Cinco Linguagens do Amor. Também indicamos ouvir o podcast do Mamilos chamado Sexoterapia, afinal, sexo também é uma forma de mostrar amor <<<<<<

Tem aquela frase que diz que “aceitamos o amor que acreditamos merecer”. Justamente por isso, acho que é importante cuidarmos do nosso senso de responsabilidade, e da nossa autoestima. São eles que irão afetar os nossos relacionamentos. E muitas vezes, é essa pessoa que nos acompanha na jornada que vai estar ali para dividir com a gente a vida. Quem vai ser a mão estendida quando precisamos. E imagina colocar tudo a perder porque não soubemos nos resolver primeiro dentro da gente?

Nem mesmo o maior dos amores tolera precisar se provar a todo tempo. Nem mesmo o(a) parceiro(a) mais amoroso(a) vai te dizer o tempo todo que você merece esse amor que estão te oferecendo. Escolha viver um relacionamento de troca e aceitação, começando por saber que você merece o amor que recebe.