Browsing Tag

rede social

1 em Autoconhecimento no dia 03.09.2018

Porque você segue quem você segue?

Se você conseguir responder essa pergunta com todos os motivos que te levam a seguir alguém provavelmente você fará um tremendo exercício de autoconhecimento. É preciso conhecer suas motivações – conscientes e inconscientes – para poder responder essa pergunta. Algumas pessoas serão objeto de inspiração, outras de inveja, outras de saudades, outras de amor e todas elas refletem um pouco de tudo que temos dentro de nós, mas precisamos ficar atentas para não cairmos em uma armadilha.

Você se lembra o primeiro dia em que você entrou no Instagram? Eu não, mas sei que certamente neste dia tanto eu quanto vocês saíram seguindo pessoas. Alguns escolheram seguir poucas e próximas, outros resolveram sair seguindo o máximo de pessoas possível. Porém, independente do seu critério, todo mundo em algum momento seguiu alguém sem ter uma razão específica, ou até com uma razão, mas um motivo diferente do que se imagina racionalmente.

insta

No Futi, a Carla e a Jo fazem a gente pensar muito no discurso de quem seguimos para não acabarmos nos autosabotando com mensagens que não ajudam em nada no processo de desenvolver e manter nossa autoestima num bom lugar. Mas agora, quero te convidar a pensar no que te leva a seguir todo mundo que você segue. Vou explicar porque.

Todo mundo, em alguma escala, segue alguém por querer sonhar um pouco. É a garota que vive na ponte aérea, a que tem o marido dos sonhos, ou a casa dos sonhos, ou o emprego dos sonhos. Dos seus sonhos, no caso. Essas pessoas podem nos dar uma perspectiva de como é ter aquela vida, servir como válvula de escape num dia estressante. Porém, muitas vezes a gente acha mesmo é que aquela pessoa tem uma vida perfeita e na verdade, ela pode até ser mesmo – mas não é do jeito que você acredita que seja.

É nessa hora que mora o perigo, porque criamos um discurso sobre aquela pessoa na nossa mente, e tomamos aquilo como verdade. E claro, começamos a comparar. E a gente já entendeu que a comparação é praticamente a base dos problemas de autoestima. É quando você acha que o seu boy não é tão legal assim, seu emprego não é tão bacana, sua casa não é bonita o suficiente e por aí vai.

Por isso eu falo tanto sobre a responsabilidade que temos por quem a gente segue, e que esse poder está na nossa mão. A culpa nesse caso não é de quem está ali mostrando sua vida, muitas vezes a pessoa nem quer passar essa ideia de perfeição, somos nós que construímos isso ao redor dela e criamos uma projeção, muitas vezes através da comparação alimentando um obstáculo maior para a nossa própria sensação de satisfação com nós mesmas e nossa vida. A vida do outro tem pouco a ver com a nossa e o processo de consciência ajuda nisso!

Fica aqui, então, o convite para reflexão: observe bem as pessoas que você segue e pense no real motivo que faz com que você as siga. Pode ser que você descubra mais sobre você mesma! Pode ser também que sua lista mude um bocado.

2 em Comportamento/ Variadas (f)utilidades no dia 09.11.2015

(f)uti indica: Tsu, um possível tsunami nas redes sociais

Hoje vou falar de uma rede social que me deixou muito curiosa, com um conceito tão interessante quanto o do Periscope. Desde abril nada desviou tanto meu olhar quanto o Tsu que, como o nome já diz, tem tudo para ser um grande tsunami na internet. E vocês aí preocupadas comigo durante o furacão do México, hein? rs #piadainfame

Por que eu acho isso? Simples. Ele é a primeira rede que eu vejo que está disposta a gerar receita para todos os usuários. Dividir os lucros com todo mundo, pagando pelo conteúdo gerado por você, por mim ou quem mais estiver disposto a compartilhar algo 100% autoral.

Pagina-de-viagem

Outra coisa que chamou minha atenção foi o fato de o facebook está bloqueando qualquer link do TSU. Sério isso, Mark? Tá com tanto medo da rede a ponto de não deixar que a gente fale dela no Facebook? Eu chamo isso de tiro no pé, afina,l agora a gente ganha mais motivo para falar do assunto.

Imagem-post-Facebook

Todo mundo sabe que não podemos dar importância demais para a concorrência, pelo menos não publicamente!

Deixemos o despeito de Mark Zuckerberg de lado e vamos falar sobre essa coisa de monetizar o usuário pelo conteúdo gerado. Em 2015 isso ainda pode soar muito absurdo, mas no futuro eu acredito que isso será padrão, acho que só precisa afinar um modelo de negócio correto para que isso funcione.

Como as coisas acontecem hoje? Os gênios da web criam um aplicativo ou rede social que a gente ama, nos viciam nisso, vendem para o Mark e ele ferra tudo. rs Mentira, piadas à parte… Depois que a rede tem uma boa base de usuários gerando conteúdo, a mesma começa a usar as informações que disponibilizamos organicamente para vender e direcionar inserções de publicidade, e essa forma, monetizam o negócio. Normalmente isso é feito de forma lenta, com cuidado, tentando não estragar tudo. Se virar só propaganda o usuário vai embora e não volta nunca mais. Nesse formato a rede começa a ganhar dinheiro, enquanto a gente alimenta com conteúdo e mais informações sobre nós, é claro.

Olhando desse jeito vejo um super sentido em dividir os ganhos com o usuário, incentivando que o mesmo gere mais e mais conteúdo pertinente naquele site. Ok, aqui entra o maior risco que vejo nessa ideia, já que o conteúdo que hoje é orgânico pode ficar meio forçado.

Vocês já pararam para pensar sobre isso? No Facebook nós (e diversas outras empresas que possuem fanpages), damos uma grana para o Mark para conseguirmos alcançar vocês, nossas leitoras. Mas só fazemos isso porque vocês usam muito essa rede social, geram muito conteúdo e dão aquela “interessância” que faz com que o Facebook ainda valha a pena. O conteúdo é gerado por todo mundo, mas a receita fica só com ele.

O Tsu pode estar chegando para revolucionar toda essa forma de pensar o negócio na internet. Não sei se esse Tsunami vai ficar na previsão do tempo ou vai mesmo acontecer de fato, mas com certeza já deve ter muita gente hoje conversando sobre como viabilizar esse modelo de negócio, que a meu ver tem tudo para dar certo.

Se você ficou curiosa ou curioso, pode ler mais sobre o Tsu nessa matéria do Meio Bit.

Como a gente trabalha com internet, já fomos lá e salvamos o nome do futilidades. Agora é dar uma estudada na coisa e começar a gerar conteúdo. Vai que dá certo! :) Em tempos de crise, ninguém está podendo abrir mão de ganhar uns dólares, né?

Já encontramos alguns usuários bem legais para seguirmos, agora só precisamos começar a fazer amigos na rede.

pagina-de-moda

Quer entrar e tentar ganhar uns dólares também? É preciso de convite (sds Orkut), mas se vocês entrarem no link do futi já podem clicar em “join” e se inscrever. Depois é só mandar seu link para seus amigos e os mesmos poderão entrar e assim sucessivamente.

Se quiser seguir a gente pode vir que vamos curtir. Já estamos de olho numas páginas gringas que parecem ser interessantes e os números já se mostram grandes nas publicações em inglês.

Agora é ver se a coisa pega por aqui, Brasileiro é tão bom nisso de rede social que eu não duvido de nada. A gente espera que essa ideia ande pra frente, afinal, ninguém aguenta mais a diminuição de alcance recorrente do Facebook só para poder tirar uns dólares do nosso bolso!

Beijos