Browsing Tag

plus size

2 em Autoestima/ Moda no dia 03.01.2018

Gorda pode usar? Sim! Gorda pode tudo!

Meu primeiro texto como colunista oficial do Futi e não tenho nem palavras para agradecer a oportunidade e o convite da Jô e da Cá para participar desse blog que tenho tanto carinho. Sigo as meninas há anos, sempre me inspirando nas dicas postadas aqui, que com certeza me ajudaram a levantar minha autoestima, se tornando um grande portal de autoconhecimento pra mim. Pretendo sempre trazer pautas de moda plus size, relacionando como ela impacta diretamente em minha autoestima no dia a dia. Eu adoro me vestir bem, brincar com as tendências e valorizar cada cantinho do meu corpo. Quero muito trazer um pouco do que aprendi com minhas curvas para inspirar quem também quer se autoconhecer e se sentir bem consigo mesma na hora de se vestir.

Trago hoje uma pauta que recebo sempre no blog e redes sociais em forma de pergunta: o que gorda pode usar?

Sempre fomos ensinadas que temos que valorizar nosso corpo escondendo o que não gostamos tanto e deixando em evidência as partes que mais curtimos. Porém, quando se trata da moda plus size, todas as dicas desse universo para “valorização do corpo” se pautam em torno de esconder, diminuir visualmente, fechar, tampar. Esses e outros verbos estão presentes em revistas de moda, portais femininos na internet, TV e afins. Somos o tempo todo bombardeadas por tendências que não podemos usar. Comprimento midi? Achata. Cropped? Só pra magra. Listras horizontais? Nem pensar. Roupa justa? Nunca.

Todas essas regras chatas de moda acabam nos limitando, fazendo com que nós, gordas, sempre nos jogássemos no pretinho básico. Com o tempo fui percebendo que valorizar meu corpo vai muito além de aderir ao que a moda me impõe. Tem muito mais a ver com respeitar meu gosto pessoal, meu estilo e minha vontade para determinada ocasião. Foi ai que comecei a reinventar meu guarda-roupa, trazer mais informação de moda em tamanhos plus size para ele e agregar o que eu mais queria desde sempre: estilo próprio.

Não vou dizer que foi uma tarefa fácil. Ainda hoje sinto muita dificuldade em encontrar peças que vistam meu corpo e que não me façam parecer uma senhora de 70 anos. São pouquíssimas lojas físicas ou online que investem em uma moda plus jovem, autêntica e cheia de informação de moda atual. Por isso, procuro valorizar o trabalho feito por essas marcas que buscam inclusão no mercado da moda, assim como eu busco me sentir incluída.

Hoje tenho muito orgulho de sair na rua com braços de fora, com comprimento midi, com cropped, com peças justas ou largas. E se você não gosta de alguma dessas tendências, tudo bem também! Aquela moda limitante e chata pode cair por terra, quando a transformamos em um grande grito de liberdade para quem quer se vestir da forma como quiser, respeitando o estilo pessoal de cada um. Trouxe essa reflexão pra cá pra começar 2018 vendo a relação da moda com nosso corpo de uma forma diferente. Assim conseguiremos construir um ano diferente, com menos limitações e mais liberdade fashion.

3 em Autoestima/ Looks/ Moda/ Patrocinador no dia 04.10.2017

Marcyn + papo na piscina: Nossos looks da Pool Party!

E os looks do #paponapiscina? No início de setembro falamos das nossas sugestões da coleção de verão 2018 da Marcyn, mas hoje vamos mostrar as peças que de fato foram escolhidas, como foram as produções da festa.

Como dissemos no post contando tudo da festa, o look quase foi uma questão. Assim como na primeira pool party, primeira coisa que pensamos foi repetir o que tinha dado tão certo: biquini ou maiô com uma saída de praia aberta.

Marcyn comprou nosso barulho novamente, só que dessa vez, ao invés de vestir apenas nós duas, ela topou apresentar peças da coleção de verão 2018 para várias amigas nossas. A ideia nessa proposta aparentemente megalomaníaca é que a gente realmente queria mostrar na prática que a filosofia da marca, de incluir mulheres com todos os tipos de corpos, não é apenas da boca pra fora, não é uma jogada de marketing.

Como falamos aqui diversas vezes, a marca não brinca em serviço no quesito inclusão, e nessa coleção eles foram mais além. Dessa vez você consegue encontrar todas as estampas em modelagens mais convencionais e também em “shapes” pensados para mulheres plus size, com calcinhas maiores, sutiãs com mais sustentação e diferentes formatos e maiôs com decotes que realmente valorizam. Não existe um modelo bom pra todo mundo, por isso é importante ter diferentes opções para diferentes tipos de corpos, afinal todo mundo pode querer se olhar de uma forma amorosa e curtir seu corpo no verão, independente do IMC ou do número na balança. Todas as estampas dão vida a modelos de vários estilos para que todo mundo possa achar algo que gosta. Nunca vimos uma coleção tão linda da marca. 

Joana – Maiô preto e branco – tamanho GG

“Eu morri de amores por esse maiô, ele era minha primeira opção para a pool party, achei chique, confortável e ideal para combinar com tudo. Sabe a sensação que me deu? De que ele seria o “meu pretinho não tão básico” do verão. Se eu precisar estar chique numa festa na piscina, melhor o fazer com aquele modelo que te deixa gata, segura, elegante e ao mesmo tempo moderna. Foi assim que eu me senti com esse maiô que é sofisticado, veste bem, abraça o corpo e funciona perfeitamente para quem quer curtir o verão sem medo. Quando me vi pronta tive certeza de que acertei na produção e de que era essa a peça que me faria dizer: Seja bem vinda, primavera, vamos nos preparar para curtir esse verão feliz, com curvas e dobrinhas.”

Carla – Maiô 2 em 1 estampa Vitral – tamanho 48

“Esse maiô na verdade é da Joana, que eu peguei emprestado depois que a minha primeira opção para a pool party, essa hot pants com estampa geométrica, não ficou tão legal com a saída de praia. Eu já tinha achado a ideia dele ter uma saia/faixa acoplada super interessante porque deixa ele versátil e prático, mas nem tinha pensado em experimentar. Até que, quando me vi sem saber o que fazer, fui pra casa da Jo e resolvi tentar. Eu amei a modelagem e apesar de ser mais decotado que meu costume, é um decote que segura bem os seios, mesmo sendo um número maior do que o meu. Outra coisa interessante é que minha primeira ideia foi usar a faixa/saia apenas como detalhe no maiô, mas o João (do “olá meninas – e João”) viu com a saia e achou que podia ficar interessante também. Acabei curtindo tanto quanto e adorei a ideia de parecer um vestido com uma segunda peça aberta por cima. Já virei fã dessa modelagem e espero que eles continuem com ela nas próximas coleções!

Maraisa – Biquini Hot Pants Bamboo – tamanho P

insta: @blzinterior

“Para a pool party fui na plenitude de um biquini hot pant porque amo o modelo! Esse é da Marcyn e vou dizer que achei a estampa bem Maraisa. HAHAHAHAHAH ALOKA SE ACHANDO ADJETIVO! Ai desculpa gente! Mas me senti tão linda com ele, com o corpo tão legal, toda sensuélen e dona de mim. Isso que a gente busca no #paposobreautoestima, né?”

Aline – Biquini top cropped penachos – tamanho P

insta: @alinerajao

“O modelo e a estampa são super femininos, me senti super linda e confiante. Sabe aquela peça que te faz sentir musa? Fico com vergonha de admitir, mas foi exatamente isso que aconteceu. Eu amei esse biquíni, estou adorando os diferentes modelos da marca que venho usando.”

Ana Luiza – Maiô Lírios – tamanho 50

insta: @cindereladementira

“Sempre ouvi dizer que gorda não pode usar estampa de fundo branco. Acho um absurdo a moda que devia nos libertar ser tão limitada em alguns conceitos. Quando vi esse modelo de maiô floral no catálogo da Marcyn fiquei muito encantada! Como plus size é muito gratificante ver uma marca tão engajada em assuntos relacionados à autoestima feminina, que se preocupa em valorizar a silhueta da mulher. Já virei cliente fiel e estou desejando outras peças!”

Mayara – Maiô penachos 

insta: @blogmayaracardoso

Além da estampa super alegre que eu escolhi para combinar com o dia do #paponapiscina, o maiô da Marcyn vestiu super bem no meu corpo e me deixou a vontade pra dançar sem ficar nada me apertando.

Carol – Maiô preto – Tamanho 46

“Além de super confortável, o maiô me conquistou pelo estilo poderoso (o detalhe dourado é tudo!!!), que faz você se sentir linda! Combina com várias personalidades e pode ser usado na composição de diferentes looks, tanto numa pegada praia/piscina como numa ocasião mais chique e formalzinha!!!”

Nathalie – biquini tomara que caia – tamanho M

insta: @nathaliebarros

“Eu achei meu biquini lindo e confortável, mesmo não tendo sido daqueles maiores que cobriam tudo me senti bem, ele encaixou perfeitamente no meu corpo, caiu como uma luva. Não sobrou nada fora do lugar e pareceu que foi feito pra mim. O melhor é que amei a pigmentação do azul marinho e a qualidade do tecido, fiquei o dia inteiro vestida com ele e me senti super bem.”

Livia Forte – maiô tomara que caia bordado – tamanho GG

insta @liviafforte

“Eu não poderia ter feito escolha melhor. Usei com uma saia longa preta e me senti confortável durante um dia cheio de atividades de todo tipo. O bojo dá um contorno lindo e deixa a gente segura até mesmo se quiser tirar a alcinha, além de ter uma estampa incrível. Vai comigo para muitos ligares ainda, além da piscina.”

Nós duas achamos que as meninas ficaram lindas com esses modelos, que coloriram nossa festa dentro do estilo de cada uma.

Fazia tempo que a gente não se empolgava tanto com uma linha de moda praia, mas deu pra entender os motivos? Quando a gente acha peças que vestem bem e valorizam cada detalhe dele – não importa seu tamanho – dá vontade mesmo de sair gritando pro mundo, querendo vestir as amigas todas, contar para quem quiser ouvir.

Desde que o #paposobreautoestima começou, nós cruzamos diariamente com relatos de mulheres de todos os tipos que nos contam suas dificuldades em ambientes de praia ou piscina justamente porque nem sempre expor o corpo é fácil. A gente entende isso porque nós sempre encaramos essa parte como um momento mais delicado, tanto que demoramos muito (e precisamos dar os créditos para o projeto e toda troca que também ajudou para que nos libertássemos) para perdermos o medo de postar fotos de biquini ou maiô, foi justamente por isso que o #paponapiscina nasceu, pra lutarmos juntas por um verão sem padrões, em que todos os corpos podem aproveitar sem medo de julgamento a estação mais quentinha do ano.

Se sentir livre para postar fotos do nosso corpo não era uma questão apenas pelo medo de não termos o corpo estilo barriga trincada ou bunda empinada sem uma gordura aparente que costuma ser o considerado bonito nas redes sociais. A gente também demorou para achar essas peças que realmente nos valorizam e nos fazem sentir confortáveis com tão pouca roupa.

A parceria com a Marcyn dá gosto por isso, nos sentimos tão seguras com as peças que escolhemos para nossos corpos que fica fácil postar bem mais do que o esperado pela marca, porque a gente se sente confiante, bem e bonita, quando a roupa abraça seu corpo é bem natural enxergar o que temos de mais bonito.

Quem quiser dar uma olhada nos outros modelos da coleção de verão 2018 de moda praia da Marcyn, pode conferir aqui no site. E leitoras do Futi têm 15% de desconto usando o código 15FUTI. :) Esperamos que vocês possam ter essa mesma sensação de liberdade que estamos experimentando!

Para ganhar 15% de desconto use o código 15FUTI

 

0 em Autoestima/ Moda no dia 24.08.2017

Ombro a ombro não serve pra mim? Quem disse?

Já contei aqui no Futi o quão libertador foi sair da minha zona de conforto fashion e usar cropped. O que era pra ser só um look simples para o blog se tornou a chave para que eu refletisse mais sobre minha relação com minhas peças de roupa, desde as mais simples até as ousadas. Modifiquei bastante o meu olhar pra moda a partir do momento em que comecei a me enxergar com um olhar mais carinhoso. Lembro que há uns 5 anos atrás, com -20kg, me sentia muito mal em usar certas tendências, especialmente por acompanhar canais de moda que diziam justamente o quanto eu era inadequada e devia esconder partes do meu corpo.

O tempo foi passando e percebi o quanto minha autoestima ficava devastada com tanto ódio destilado na TV, revistas, jornais e blogs sobre o corpo que eu tinha. Comecei a ignorar um pouco desses conceitos prontos e me ver com um olhar mais amável. Comecei a enxergar que antes de ser gorda, eu sou mulher. Vi meus braços, pernas, barriga, como um conjunto do que eu sou, independente de estarem gordos ou não. Toda essa mudança interna foi transmitida 100% para meus looks, que cada vez mais estão com a minha cara. Parei de enxergar peças de roupas como aliada para esconder meu corpo e comecei a vê-las como uma aliada para valorizar o que tenho de melhor. 

Um bom exemplo recente disso foi um vestido que estava namorando há tempos na vitrine da loja. Listrado, tecido de camisa, ombro ciganinha. Tudo que sempre me disseram para não usar em uma única peça. Resolvi me dar uma chance de experimentar e me ver vestida naquele modelo tão lindo. Foi amor à primeira vista! Me senti bem quando, ainda na loja, vesti o modelo. Senti que minha personalidade combinou bastante com aquela versão de ombros à mostra, que traz um charme e uma sensualidade na medida certa. Fiquei tão feliz de mais uma vez me libertar de uma regra chata de moda que corri para o caixa para comprá-lo. E adivinhem só? Hoje não quero mais tirá-lo do corpo.

Se sentir livre para se vestir da forma como quiser é essencial para manter nossa autoestima alta. Poder ousar e se jogar nas tendências que curte sem pensar em esconder seu corpo é uma delícia. Aproveitem para fazer o mesmo. Não se acanhe de testar novas combinações e novos modelos de peças em seu dia a dia. Depois me contem se curtiram a experiência.