Browsing Tag

história

8 em Beleza/ pele no dia 28.05.2014

O perfume, sua história e minha história com ele!

Quem já leu o nosso #bookdodia do “O segredo do Chanel número 5”  sabe que nós amamos o assunto perfume. Quem ama a história da moda misturada a história do mundo moderno pode e deve se interessar pela história do perfume no mundo contemporâneo!

Essa semana o Futi foi convidado para conhecer a fábrica de O Boticário em Curitiba, e entre uma programação e outra, nós tivemos uma verdadeira aula sobre perfume, sobre sua história e não só aprendemos como cada fragrância é única, como também nos ensinaram o processo!

lilly-boticarioNo “berçário” dos lírios, elemento fundamental do perfume Lilly!

Claro que não conseguirei passar nem um décimo do que eu aprendi nesses dias, por isso, resolvi pegar algumas dicas de bibliografia para quem se interessa pelo assunto. O Perfume, romance policial que vai à fundo na história da perfumaria para contar a história é uma super opção. Para acompanhar uma cronologia vale a pena ler o “Brasilessência, a cultura do perfume“.

A verdade é que durante a História, as essências acompanham grandes mulheres, desde os tempos de Cleóprata as fragrâncias e os banhos com cheiros já eram importantes. Sem contar a queima de incensos, madeiras e outras ervas aromáticas que já iniciava a história do perfume e começaram a ser usados para a adoração dos Deuses e depois foi dando lugar ao profano relacionado à desejo, algo mais “sexy”.

A perfumaria moderna nasceu no Renascimento Florentino, na Itália, não na França como todo mundo imagina. A realeza começou a usar perfume e, posteriormente, a industrialização permitiu que no século XIX o hábito de se perfumar começasse a chegar para todos.

Nessa palestra incrível, nós viajamos por todos os perfumes mais famosos dos anos 60, 70, 80, 90 até hoje. Sentimos várias dessas fragrâncias que nos permitiram viajar no tempo e nas nossas histórias. Fiquei tão empolgada que quis trazer um pouco da palestra aqui para o blog!

Depois dessa imersão na história do perfume, nós acabamos vendo e revendo os perfumes de O Boticário. Foi quase uma sessão nostalgia, já que algumas das 104 fragrâncias fazem parte da minha história e essas eu vou compartilhar com vocês.

perfumes-historia

Minha história de cheiros cruza muito com algumas fragrâncias da marca. O primeiro perfume que me lembro de ter era o “perfume do boto cor de rosa”, quando eu ainda era bem criança. Além dele eu usava a espuma de banho (com embalagem de boto). Depois passei para o Aqua Fresca, primeiro perfume de “mocinha” que eu usei! 

Depois desses dois eu passei para o Thaty, queridinho das minhas épocas de escola e das pré adolescentes. Depois disso, passei muitos anos usando perfumes importados mas ano passado, voltei a eleger uma outra fragrância nacional como queridinha, o Make B., eu diria que é um clássico moderno que eu acho que vale muito a pena experimentar.

A verdade é muitos perfumes fazem parte da nossa história, sejam eles nacionais, importados e afins, cada um representa um ano, uma época ou uma fase. É muito especial passear por tudo isso e mais ainda ver o quanto uma empresa tão importante no mercado nacional investe para ter uma fábrica e profissionais de ponta por aqui.

Fiquei com muita vontade de saber quais são os cheiros de vocês! Aposto que nós todas usamos vários perfumes em comum, né? 

Beijos

PS da Carla: Sei que a Jô pediu para que vocês compartilhassem seus perfumes, e não eu, mas não resisti porque choquei com a lista dela, é muito parecida com a minha! Principalmente a parte de quando a gente era mais nova, passei por todos: Thaty, Tartine et Chocolat, Issey Miyake, Ralph Lauren (incluo nessa quatro clássicos da adolescência, o feminino da Tommy Hilfiger, Cool Water da Davidoff e o CK One e CK Be da Calvin Klein!). Hoje a gente procura fragrâncias que nos diferenciem, mas na adolescência a gente queria usar o mesmo perfume que todo mundo usava, né?

Já que estou aqui, vou aproveitar para contar os meus preferidos atualmente, que são apenas 3: Coco Mademoiselle da Chanel, La Petite Robe Noire da Guerlain e o Lilly do Boticário!

5 em Colaboradores no dia 16.10.2010

(f)utilidades, Louboutin Girls e a história da moda: Trench Coats

A primavera chegou com muita chuva e frio quase que em todo o país, não é? Por isso pensei em conversarmos hoje sobre uma peça tipicamente de outra estação(a da chuva e do frio), o trench coat. Não muito popular por aqui como é na Europa e nos Estados Unidos mas mesmo assim admirado nesses trópicos tropicais essa peça é útil e elegante, não é verdade?
Tudo começou lá em 1856 quando ao observar o sobretudo usado por pastores do campo, o fundador da Burberry percebeu que a peça poderia ser adaptada e usada no rigoroso inverno inglês.
Logo depois, a peça foi adotada pelos militares na primeira guerra mundial e desde então se tornou obrigatório quando o assunto é o militarismo.
Funcional, o trench coat Burberry é feito de gabardina, tecido ipermeável, tem abotoamento transpassado e uma faixa nos punhos. Quando voltaram pra casa, os soldados continuaram a usá-lo fazendo com que a peça se torna-se uma das mais clássicas entre os britânicos.
Novamente coube ao cinema imortalizar a vestimenta em personagens eternos como Humphrey Bogart em Casablanca, Audrey Hepburn e Gregory Peck em Bonequinha de Luxo, Merryl Streep em Kramer vs. Kramer etre outros.
Hoje, várias cópias e versões depois, o trench coat ainda tem a mesma força e o poder do início.
Beijos!

5 em Colaboradores no dia 11.09.2010

(f)utilidades, Louboutin Girls e a História da Moda

Como estamos muito sincronizadas, a Bel resolveu contar pra gente um pouco mais sobre a história das estampas liberty pra complementar aquele post sobre elas, lembram?

A primavera é liberty!

A primavera está chegando e a estampa Liberty rende uma boa história para a nossa coluna, não acham? Fiz uma pesquisa sobre a estampa do verão 2011 e achei uma história interessante que não poderia deixar de dividir aqui na nossa coluna de história da moda. Está curiosa?

Tudo começou com a visão estratégica de um britânico chamado Artur Lasenby Liberty que era importador de artigos de decoração. Trazia tecidos da Índia, da China, do Japão e da Caxemira para Londres, onde tinha uma loja.

Ele começou a perceber que os tecidos já não tinham a mesma qualidade que outrora e resolveu investir em comprar apenas a matéria prima (seda, algodão…) e imprimir os desenhos à mão, a estampa de flores miúdas conhecida por Liberty.

E pra quem achava que a padronagem recebeu esse nome por causa de uma flor está enganada! Ela recebeu o nome de seu “criador”, o sir Liberty.

O sucesso foi imediato e a loja se tornou uma das mais importantes da moda britânica sempre usada por diversas marcas nacionais e internacionais principalmente em coleções de verão. A maison Cacharel, por exemplo, desenhou uma coleção inteira com os florais tão famosos ajudando a tornar o liberty famoso nos anos 70.

A Liberty continua com força total! Ao todo são mais de 500 tipos de padronagens comercializadas em todo o mundo algumas reeditadas outras criadas a cada temporada.

Atualmente a Nike lançou um tênis edição limitada com várias peçdaços de tecido da padronagem. A M.A.C. e a Target apostaram em parcerias super divulgadas na web e fora dela e várias marcas levaram a liberty para suas últimas coleções como Isabela Capeto, Simone Nunes e Richards.