Browsing Tag

gastronomia

9 em Comportamento/ Gastronomia no dia 30.07.2015

Gastronomia SP: Chez Oscar e a decepção

Faz tempo que a gente não faz post sobre restaurantes por aqui, né? Na verdade, geralmente esse tema é mais da Jô do que meu. Ela é mais aventureira e eu sou do time que elege uns poucos lugares como preferidos e só vai neles. Ela experimenta pratos mais diferentes e eu prefiro fazer escolhas mais “seguras”. Então, no fim das contas, ela acaba tendo muito mais assunto para esse tema do que eu. rs

E infelizmente, hoje eu volto à essa categoria, mas não vai ser para elogiar. Não curto fazer esse tipo de post-reclamação, mas é que dessa vez foi fora do normal, ainda mais que foi em um restaurante que eu não só frequentava, como indicava para todo mundo. Mas deixa eu começar do começo.

Nessa última segunda feira, dia 27, minha mãe e minha vó estavam aqui em São Paulo e resolvemos sair para jantar. Ficamos na dúvida de onde ir, até que minha mãe sugeriu o Chez MIS, restaurante do mesmo grupo do Chez Oscar que eu apresentei pra ela e foi super aprovado. Só que o Chez MIS fecha às segundas, por isso, sugeri o da Oscar Freire, que estava aberto e eu sabia que tinha o cardápio bem parecido, ambiente legal e que não seria uma escolha errada. Como eu estava equivocada.

chezoscar1Essa é a bruschetta caprese antiga, com lascas de parmesão, que era maravilhosa e com pão normal! rs

Chegando lá, começamos pedindo uma bruschetta caprese (R$44 por duas bruschettas pequenas, achei absurdamente cara) e sem perguntarmos, recebemos a explicação do garçom que agora esse prato era feito com pão feito na casa. Ok, ué, que bom então! rs Bem…que bom não, porque eu nunca vi pão mais duro na minha vida. Cortar uma bruschetta cheia de tomates picadinhos virou uma tarefa hercúlea, com direito a tomatinhos voando pela mesa. Faca? Não, traz uma serra elétrica, por favor? Mas até aí tudo bem, era uma segunda feira meio vazia, o pão poderia não estar no auge do seu frescor, né? Acontece.

Depois de muito esforço, acabamos as bruschettas e veio uma garçonete limpar a mesa cheia de tomates. Daí ela pegou um dos guardanapos de papel que usamos, juntou os tomatinhos e….empurrou tudo para o chão! Sério, eu nunca vi isso na minha vida, até pé sujo tem uma política de limpeza mais higiênica que aquilo. Ela foi embora e deixou nós 4 pasmos, olhando para os tomatinhos que agora jaziam tristes no chão.

chezoscar3Um dos pratos maravilhosos que saíram do cardápio do Chez Oscar: o risoto de lula baby (e tinha a opção integral). Vi no site que ainda tem no Chez MIS, mas não sei dizer se chegando lá vai estar no menu.

Pegamos o cardápio para darmos uma olhada no prato principal e, para a minha surpresa, ele tinha sofrido uma reformulação das brabas e vários pratos maravilhosos saíram. Aliás, reformulações de cardápio são sempre bem vindas, mas o que eu vi foi um menu decepado. Conversei com o garçom super simpático que veio nos atender e ele explicou que trocou o chef e essa pessoa nova vem de uma outra escola, mais rígida que o anterior e provavelmente o cardápio seria reduzido mais um pouco em breve (!!!).

Confesso que fiquei chateada porque todas as minhas opções foram embora (beijo, risoto de lula baby maravilhoso) e, por isso, acabei pedindo o bife à milanesa, o único prato que eu já conhecia, junto com o nhoque rústico, que ainda estava por lá. O acompanhamento do bife é purê de batatas, mas perguntei se podia trocar por outro. A resposta: “só dá para trocar por batata frita, qualquer outro acompanhamento tem que ser pago à parte”. Detalhe: o acompanhamento que eu queria custava em torno de R$20, o prato R$59. Quando um bife à milanesa com acompanhamento – para uma pessoa – custa quase ou mais de R$80?? Pedi com batata frita, né…não tive muita saída. O Bernardo deu um pouco mais de sorte, já que o risoto de cogumelos que ele costumava pedir ainda constava no menu – só que como o chef mudou tudo, agora não existe mais a opção de arroz integral (que para ele, que é diabético, sempre foi a opção perfeita).

chezoscar2O nhoque rústico recheado de muçarela com creme de parmesão e farofa de pão
é um dos carros chefe dos dois Chez e foi o pedido da minha avó.

Apesar de tudo, a comida estava boa como sempre, mas já estávamos tão chocados com tantas mudanças e acontecimentos estranhos que nem conseguimos aproveitar tanto. Quando acabamos, a mesma técnica de limpar mesas, e dessa vez, pedaços de rúcula (do prato da minha mãe) e farofa de pão (da minha vó) se juntaram aos tomatinhos no chão.

Como se já não tivesse material o suficiente para uma legítima noite do terror, quando recebemos a conta, mais uma surpresa. A caipirinha da minha mãe custava “apenas” R$37. E não, não era uma vodka dessas mais sofisticadas, era de Absolut, que é uma das mais baratas das internacionais. A surpresa até poderia ser evitada se a gente olhasse a carta de drinks antes, mas ela sempre toma caipirinha nos restaurantes e costuma pedir direto – e até hoje nunca rolou um susto como esses. Sem contar que eu já pedi inúmeras vezes essa bebida tanto no Chez Oscar quanto no Chez MIS e nunca levei um susto na conta final.

Saí completamente decepcionada e triste. A última vez que fui lá foi em Fevereiro e tive uma noite ótima, super agradável, onde comi bem, bebi bem, fui super bem atendida e saí satisfeitíssima, sem me sentir roubada. Não sei o que houve para qualidade ter caído tanto e o preço ter disparado.

chezoscar4A penúltima vez que eu fui, em Fevereiro, depois de uma noite ótima!

Sempre fico mal quando vejo um lugar que eu gosto mudar para pior, e no fundo, eu espero que tenha sido apenas uma noite ruim, mas e a coragem de voltar outro dia e gastar uma fortuna para ter uma experiência parecida? Não vejo problemas em pagar caro e certos lugares, mas o que não dá é para sentir que o custo benefício não compensou. O trauma foi tanto que até no Chez MIS – que sempre foi o meu preferio – eu estou com um certo medinho de ir! :/

Beijos

Créditos: todas as fotos – tirando a última – foram retiradas do instagram do Grupo Chez (@grupochez), porque eu costumo ir à noite em ambos os restaurantes e nunca consegui fazer fotos muito boas dos pratos!
1 em (f)uti indica/ Comportamento/ Gastronomia no dia 08.02.2015

Futi indica: blog Deep Fried Chicks

Sendo muito modesta (#sqn), eu só tenho amigas muito talentosas. Dia sim, dia também alguma delas faz algo novo que eu acabo curtindo e quase sempre, me vejo com vontade de dividir os projetos delas com vocês.

DFC

Esse é o caso de hoje, minhas amigas Nina Ribeiro, aquela do She Calls Me Mary e Liv Brandão, do Go To Heaven, criaram um novo blog. Elas levaram para a web o que já faziam naturalmente no dia-a-dia, entre whatsapp e Foursquare, elas passaram a compartilhar suas melhores dicas de restaurantes em um só site: o Deep Fried Chicks.

Antes todas nós trocávamos figurinhas no chat, agora conseguimos acompanhar as dicas com maiores detalhes – consequentemente com mais água na boca – no blog delas. Eu já estou ansiosa pelo que elas vão contar dos restaurantes e bares.

O problema? Quem faz (ou está de) dieta fica com a fome maior do mundo. Eu espero um dia que estou super satisfeita para navegar por lá e acrescentar o que desejo na minha lista de lugares para ir no futuro. As vezes vejo uma dica de lugar que também amo e isso também é uma delícia, tem até dica de lugares que também contamos por aqui, mas com novos pontos de vista e pratos diferentes.

Se você é daquelas que tenta ficar mais regrada durante a semana e procura bons lugares onde as calorias valham a pena, você vai gostar do Deep Fried Chicks.

Quem já gostou das nossas dicas de restaurantes, tanto no eixo Rio e São Paulo, quanto no trip tips, pode ler esse blog com toda a confiança do mundo. Nós sempre trocamos dicas e as meninas têm a mesma paixão por comer que eu tenho.

comidas

Outra coisa legal é que o blog não procura ter mil correspondentes dando dicas por todo o mundo. Ele é super pessoal e completamente focado nas experiências das meninas, então aos poucos vocês vão sentir um pouco mais do que a Nina e a Liv gostam, se identificam e dividem por lá.

O blog tem de 3 a 4 posts por semana, o foco é o Rio de Janeiro, mas valerão dicas de todos os lugares do Brasil e do mundo. Sempre nos pontos de vista da Nina ou da Livia. Outro detalhe legal é que as duas escrevem muito bem, então, o que poderia ser uma delicia apenas para abrir o apetite, acaba sendo gostoso pela fluidez do texto. 

Espero que vocês possam conhecer um pouco mais dessas minhas duas amigas através do blog. Eu e o namorado já estamos de olho e separando tudo! E quem amar esse tipo de dica, fica de olho que a Liv está com uma coluna de gastronomia carioca no Modices.

Quis compartilhar o site por aqui e acredito que a maioria dos cariocas (principalmente) vai adorar.

Beijos

4 em Brasil/ Gastronomia/ Viagem no dia 06.06.2014

Trip Tips: Gastronomia & Hotel em Curitiba, Paraná.

Como todo mundo aqui já está cansada(o) de saber, semana passada fiz minha primeira viagem à Curitiba, para conhecer a fábrica d’O Boticário (tem post aqui), fazer workshop de perfume, bater papo sobre as linhas de make e muito mais. Nesse muito mais, podemos incluir almoços e jantares em restaurantes deliciosos.

Vin Bistro

Começamos com o almoço de #vinoterapia, evento para lançar a linha nova de Nativa SPA, e que aconteceu em um restaurante delicioso, o “Vin Bistro“. O Boticário selecionou um menu especial, então, nós provamos o couvert (que era desses maravilhosos, com pastinhas muito gostosas), comemos uma salada muito boa, de folhas variadas, brie assado e uvas (ao invés de peras, que é do menu normal).

De prato principal, eu escolhi uma pescada fresca com risoto de amêndoas e uvas thompson frescas que estava divina e, por fim, a sobremesa foi uma cheese cake muito boa. As misturas de sabores desse restaurante estavam justamente como eu gosto, o dia que eu voltar à Curitiba, com certeza vou querer voltar lá.

prato-3

prato-2

minha pescada & a sobremesa do Vin Bistro

Barolo Trattoria

A segunda noite que tivemos foi livre! Queríamos um lugar gostoso para comer uma boa massa e tomar um bom vinho e minha prima, que morou uns anos em Curitiba, nos indicou o Barolo. A dica dela foi perfeita para o que estávamos procurando!

Nós dividimos alguns pratos e escolhemos o mais famoso, conchiglia di gamberi (concha de camarão) e o surpreendente ravioli de maçã com molho gorgonzola  (que foi nosso favorito, mesmo o outro estando uma delicia). O vinho que a Cony escolheu foi sensacional e no instagram, muita gente disse que amava o restaurante!

barolo

Cuore di Cacao

No terceiro dia, passamos a manhã em uma chocolateria maravilhosa! Vale muito à pena adquirir as calorias do chocolate quente que eles servem, assim como vale provar os chocolatinhos. Aliás, eles fazem todo tipo de coisa com chocolate, vale conhecer.

A lojinha é tentadora, acho uma boa forma de levar presentinhos do Sul. :)

cuore-di-cacao

Vindouro Bistrô

Por fim, o restaurante do jantar de encerramento. Eu gostei muito, achei sofisticado, saboroso e bonito, a apresentação dos pratos é linda, uma boa opção para um jantar romântico.

prato-1 sobremesa-1

O prato que eu escolhi & a sobremesa do Vindouro

Eu adorei os 4 lugares em que fomos, no entanto, se eu tivesse pouco tempo na cidade, ficaria dividida em repetir um dos dois primeiros ou conhecer outros famosos de Curitiba. Lá existem muitas casas de carne, fondue e outras especialidades que a gente ama curtir no frio…

Na próxima, virei com mais dicas de turismo de lá! Como estávamos completamente imersas no mundo do Boti, só nos restou um “trip tips de comida”! rs

Ah! Quase esqueci, super indico o hotel em que ficamos, o O Slaviero Conceptual Full Jazz. Todo temático de jazz, quartos com muito espaço, ótimo café da manhã e atendimento maravilhoso. O hotel fica no Batel, bairro onde ficam 90% dos restaurantes legais da cidade. Ficamos lá à convite de O Boticário, mas eu repetiria a dose.

quarto

Essas são minhas poucas – mas boas! – dicas de Curitiba, quem quiser complementar com mais sugestões de lugares e restaurantes legais por lá, pode comentar!

Beijos

Jô