Browsing Tag

fotografia

2 em Autoconhecimento/ Comportamento/ Convidadas/ Reflexões no dia 21.08.2017

Sobre viver histórias

A cena aconteceu em Nova York, onde passei uns dias entre trabalho e férias. No Upper East Side, que foi minha casa por uma semana, na estação do metrô da 72st, um metrô bem novo e moderno com uns murais feitos de mosaico.

Uma certa manhã, enquanto descia a escada rolante, vi uma senhora tirando fotos dos mosaicos com sua câmera compacta. Eu, que já gosto de registrar tudo que vejo, fiz um foto com meu celular, mas vendo a cena não consegui ir embora e continuei observando.

A senhora sorriu pra mim e começamos a conversar (coisa que pra mim não é difícil rsrs). Me contou que se chamava Peggy Thompson, tinha 86 anos, que era de outra cidade mas estava fazendo turismo em NY, sua cidade favorita. Me apaixonei na hora pela Sra. Peggy e continuamos conversando. Foi aí que ela me contou mais um pouco sobre si. Me disse: “tenho câncer de mama e estou de férias da quimioterapia esta semana. Amo viajar e aproveitei pra vir aqui porque não sei se essa é a última viagem da minha vida.” Nessa hora a garganta entalou e os olhos marejaram.

Contei que era fotógrafa e pedi licença para fotografá-la. Ela também fez o meu “book” e ficamos ali, fotografando uma a outra. Depois que a sessão mútua terminou, falamos mais um pouco da vida e nos despedimos.

Fui embora emocionada. Por ela, por este encontro e porque realmente esse é o sentido da minha vida de viajante. Viver, conhecer gente, contar historias.

A senhora Peggy não é somente alguém que eu conversei por 15 minutos, ela virou uma pessoa que eu vou lembrar para sempre, nesses dias em que eu perambulava pelas ruas de Manhattan sentindo que o mundo me pertencia. Ela também é desses seres mágicos que te fazem ver a vida com poesia até o último segundo e que você agradece a oportunidade de cruzar com esse tipo de pessoa. Tomara que possamos viver uma vida plena curtindo tudo que ela nos oferece porque um dia acaba.

3 em Autoestima/ Destaque/ maternidade no dia 05.06.2017

O dia que eu fui a mãe perfeita do instagram

Tinha combinado de encontrar a fotógrafa às 17h. O objetivo da sessão era fazer algumas fotos de looks, mas eu também queria algumas com o Arthur, afinal, não é todo dia que você consegue fazer registros lindos com cenas do seu dia a dia, né? Mesmo assim, combinei com o marido, que disse que ia sair do trabalho às 17:30, para me encontrar e pegar o Arthur. Dessa forma não precisaria me preocupar com horários.

Às 14h Arthur dormiu e foi a minha brecha para maquiar. Botei minha melhor base, corretivo, sombra, rímel, contorno e batom, por fim me olhei no espelho e fiquei me encarando ali. UAU. Depois de semanas a fio usando BB cream, corretivo e, no máximo, um blush (ou seja, a make do dia a dia rápida pra quando você realmente não tem tanto tempo mas não quer sair com a cara lavada), aquela maquiagem mais completa realmente fez a diferença! Tanta diferença que eu me intimidei, achei que todo mundo ia olhar pra minha cara, achei que estava exagerada para o dia, obviamente esquecendo que aqui tem tanta gente com maquiagens, penteados e looks muito mais ousados que o meu que ninguém nem nota.

Maquiagem pronta, lá fui eu escolher as roupas. Coisa que eu deveria ter feito no dia anterior, se eu fosse uma pessoa mais organizada, ou se eu não tivesse tanto trabalho acumulado que só consegui parar para fazer depois que o Arthur foi dormir. Sorte a minha que nada era muito elaborado, não queria fotografar tendências ou mostrar alguma tentativa de ser mais ousada. Queria apenas ser eu, com minhas ~brusinhas novas.

Às 16:30 a fotógrafa me avisa que já estava por aqui. Acordo o Arthur, escolho um look mais fofinho para ele já imaginando aquelas fotos estilo instagram de mãe perfeita. Vocês conhecem esse tipo? São aquelas fotos cujas crianças são educadas, gostam de tirar foto, as roupas dificilmente estão amassadas ou sujas, a mãe está com aquela cara plácida e serena, bem maquiada, com cabelo e roupas perfeitas e até quando a foto é de algum momento de bagunça, ela parece calculada. Vendo o instagram dessas mães, maternidade parece algo fácil e divertido, e geralmente você se sente bem mal quando se descabela porque seu filho resolveu jogar a comida toda no chão enquanto você não estava olhando.

Às 17, lá estávamos nós, lindos e arrumados, prontos para a sessão de fotos. Primeira parada: um carrinho de sorvete que encontramos no meio do caminho. “Acho que fica legal uma foto tomando sorvete, né? É! Então vamos comprar um!” Arthur ama sorvete, então essa parte nem foi difícil. Comecei a me sentir confiante no papel da mãe-perfeita-do-instagram.

Segunda parada, uma esquina charmosa. “Vai, Carla, atravessa a rua com o Arthur no colo, não olha pra câmera!” Enquanto eu tento atravessar, a pessoinha que estou segurando dá sinais que não está muito afim de ficar ali. “Então vamos sentar” – mas seu Arthur quer fazer tudo, menos ficar sentado. E lá vou eu atrás dele, já um pouco descabelada, meio tensa e toda vez que tento segurá-lo, ele se contorce abrindo o berreiro. Ok, acho que vou ter que repensar minha confiança no papel.

Terceira parada, loja de discos que, por sorte, tinha um banheiro bem grande que foi ótimo para trocar de roupa. Como a gente percebeu que Arthur não estava querendo colaborar muito, resolvi apelar para a distração máxima: “toma filho, pega meu Iphone, tá aqui sua conta na Netflix”. E enquanto eu tirava uma foto ou outra, lá estava o carrinho, do lado da fotógrafa com um Arthur completamente absorto em Word Party (porque Galinha Pintadinha já não surte mais o efeito 100% hipnotizador de antes, e também porque ele agora sabe tirar e escolher o que quer assistir rs). “Vamos tentar fazer umas fotos de nós dois mexendo nos discos? – Vamos!”. Claro que não deu muito certo. “Será que ele não fica parado para a gente tentar uma foto de vocês dois? – Vamos tentar!” Obviamente não deu certo também, já que ele não parava quieto, correndo entre os corredores e eu comecei a ficar com medo real de perder meu filho no meio da loja de disco.

Antes de sair da loja, mais uma troca de look para aproveitar o banheiro. Quando fui olhar meu celular, vi a mensagem do meu marido: “estou preso aqui no trabalho, não vou conseguir chegar”. Só vi o que ele mandou às 19h, realmente tinha esquecido da hora e nem me toquei que já tinha passado e muito do horário que ele me encontraria. Aí comecei a me preocupar. Meu Deus, vou atrasar jantar, banho, tudo, né? Vamos correndo para o último lugar, o parque!

Chegamos no parque, Arthur ficou louco. Não tinha mais Iphone que resolvesse, ele queria sair do carrinho pra andar, afinal, toda vez que vamos no parque eu deixo ele solto, claro que ele queria sua liberdade. E eu, que já estava tensa com os horários, querendo terminar logo para não desregular toda a rotina, tive que tentar fazer tudo correndo.

Poso para uma foto da cintura pra cima porque no meu pé está Arthur brincando com a areia, aí agacho para brincar com ele e tentar algumas fotos fofas, mas ele não estava querendo posar para nada, então, tive que interagir e fazer a tal cara plácida e serena quando, na verdade, ele queria enfiar areia na minha boca. E no fim lá estou eu, correndo pra casa com a maquiagem ainda intacta, bem arrumada mas um pouco suada e bem cansada, com uma criança que já está reclamando de fome, sono e um pouco de raiva por eu ter tirado ele da brincadeira.

Chego em casa, dou o jantar ainda arrumada, tiro a blusa pra dar banho nele e não molhar meu look, arrumo ele pra dormir, dou a mamadeira e quando fecho a porta do quarto não tem mais maquiagem, não tem mais cabelo bonito, o estômago está roncando e eu estou a verdadeira Gata Borralheira depois do baile.

No dia seguinte, recebi as primeiras fotos e constatei: lá estava a mãe perfeita, maquiada, sem um fio fora do lugar, com o filho bem arrumado, sorrindo pra câmeras e sendo fofo, e essa mãe era EU. Por um segundo esqueci a trabalheira que deu e me permiti admirar aquela pessoa. Saber que eu poderia virar a “mãe-perfeita-do-instaram” foi  mais importante do que eu imaginava. Por incrível que pareça, além de me sentir linda, me senti poderosa, capaz e estimulada, como há muito tempo eu não sentia. Não quero que ela apareça sempre porque desgasta muito manter essa persona, mas não nego fiquei com vontade de vê-la mais vezes. :)

PS: A fotógrafa em questão é a Adriana Carolina, que soube registrar de forma maravilhosa o momento da mãe perfeita.

1 em #futiindica/ Comportamento/ Destaque/ Estados Unidos/ NYC/ Viagem no dia 08.03.2017

Sendo linda em Nova York sob as lentes da Martha Sachser

Em 2015, quando fomos juntas para Paris, nós fechamos com um fotógrafo para nos ajudar com as entregas de um cliente de moda. No fim das contas, o que era para ser um dia de trabalho acabou eternizado em fotos pra lá de especiais tendo como cenário uma das cidades que mais amamos no mundo.

Depois desse dia nós passamos a dar muito valor a um segmento que nunca tínhamos dado tanta atenção: ensaios fotográficos em cidades turísticas.

Não importa se você está viajando sozinha ou acompanhada, no fim todo mundo mostra as fotos de viagem falando as mesmas coisas: “ah, essa não ficou tão legal porque a pessoa não sabia tirar foto” ou “pois é, só fiz selfie nessa viagem porque fiquei com vergonha de pedir para tirarem pra mim”. E tem lugares que a gente se contenta com fotos mal tiradas e selfies intermináveis com o ponto turístico lá no fundo, mas tem outros cantos do mundo que voltamos arrependidas por não termos registros melhores, não é?

Por exemplo, a minha lua de mel. Hoje olho as fotos que tiramos e apesar de amar relembrar os momentos, fico com pena de ter registros tão turísticos e tão pouco comemorativos. Se na época eu soubesse que existia um fotógrafo com esse tipo de trabalho, eu teria contratado sem nem pestanejar.

Quando a Jô veio para cá em 2016, a história era quase igual à de 2015. Outro cliente de moda, outra necessidade de fotos incríveis, a única diferença é que saiu Paris, entrou Nova York como pano de fundo. Nem tivemos dúvidas na hora de bater o martelo, queríamos alguém com esse olhar de ensaio fotográfico usando o cenário novaiorquino a nosso favor. Foi aí que encontramos a Martha Sachser.

A Martha é conhecida pelo seu blog NY & About, que reúne muitas dicas ótimas daqui (ela tem um livro com sugestão de roteiro na cidade também!) mas além de blogueira ela é uma fotógrafa com olhar muito especial.

Eu sou apaixonada pelas fotos de casais, mas não dá para negar que a Martha também arrasa nas fotos de moda. Ela já fotografou várias blogueiras conhecidas como a Lu, a Priscila, a Bruna, a gente ahahaha Eu amo como o olhar dela é delicado e atento, de gente que conhece bem a cidade e sabe usar seus cantinhos a favor da pessoa fotografada. Isso porque não falei da paciência e da boa vontade (e haja paciência para acompanhar blogueira que precisa fotografar look, viu..é cada foto que a gente repete 500 vezes hahah).

Passamos uma tarde toda com ela e os registros desse dia ficaram tão lindos que volta e meia ainda aparecem em alguma rede social. E foi mais especial ainda porque depois do trabalho feito, conseguimos aproveitar para fazer umas fotos celebrando nossa amizade, nossa união com o Arthur, nosso momento de felicidade e o privilégio de estarmos juntas em outra cidade que amamos tanto. Acho que deu para transparecer o quanto estávamos felizes, né?

Quem estiver de passagens compradas (ou quase hehe) para NY e estiver pensando em eternizar essa viagem com fotos lindas, não pode deixar de dar uma olhada no trabalho da Martha através do Ny & About ou do seu instagram.