Browsing Tag

fabiana saba

0 em Autoestima/ Destaque no dia 17.05.2018

Um #paposobreautoestima em NY, com Fabi Saba & Nina Gabriella

Eu estou atrasada algumas semanas com esse post, eu sei. O tempo que levamos para organizar tudo é desproporcional ao tempo que demorou para fazer esse post. Só que o evento foi tão legal me deixou com sensações tão especiais que eu lembro como se tivesse acabado de sair de lá.

Na verdade, esse #paposobreautoestima não estava nos planos de eventos que pensamos para 2018, mas a Cris, que tem uma empresa de experiências personalizadas, quis aproveitar a estadia da nossa amiga Nina Gabriella na cidade (porque né, eu estava pensando na estadia dela só pra curtir mesmo haha) e me propôs fazer um evento do #paposobreautoestima junto com a Dig New York. Ela já tinha a ideia de lugar perfeito, parceiros e fotógrafa engatilhados. Como eu já estava combinando algo com a Fabi Saba há um tempão, por quê não aceitar? Em uma semana convidamos, organizamos e fizemos o evento, e eu nem acreditei!

Nina, eu, Fabi e Cris, a idealizadora do evento.

Nina, eu, Fabi e Cris, a idealizadora do evento.

Confesso que fiquei impressionada por termos conseguido juntar tanta gente – em torno de 25 mulheres – em tão pouco tempo! Algumas que eu já conhecia do último piquenique (que aliás, vai ter no começo de Julho, quem estiver aqui em NY já vai ficando de olho nas redes do Futi para mais informações!), uma que participa de vários eventos nossos no Brasil (Lhaylla, to falando contigo) outras que conhecia das redes sociais, algumas que conheci ali mesmo e amigas que foram prestigiar. <3

O lugar escolhido foi um ambiente na Galeria Melissa, que fica no Soho, e lembra muito uma casa. Com sofás, almofadas, poltronas, mesa de centro, parede de tijolos, estantes e livros, até mesmo uma bicicleta e parede de luzinhas (que eu levei porque sou dessas que acha que tudo com luzinhas fica mais bonito rs).

batepapo_photoVanessaCarvalho270418_BBB_3602 batepapo_photoVanessaCarvalho270418_BBB_3599

Foram mais ou menos 2 horas de bate papo e a ideia era justamente ser uma conversa informal, um bate papo entre amigas que estão ali para discutirem vários assuntos que englobam a palavra autoestima.  Não sei se vocês sabem, mas eu e a Jô amamos experimentar os mais variados formatos quando o assunto é nosso projeto, mulheres e suas histórias relacionadas a autoestima. Piqueniques e festas na piscina são só alguns dos que se repetiram, esse bate papo de sofá foi inspirador e me lembrou do quanto amamos fazer o bloco de carnaval com a Preta Gil e a BOA em 2o17. A verdade é que a gente ama investir em eventos diferentes e desafiadores, que toquem e acrescentem, e é isso que estamos tentando fazer em 2018. Aguardem as novidades.

Especificamente esse encontro foi bem diferente dos piqueniques e que eu também achei bem interessante de fazer. Pessoalmente, eu achei muito confortável. Não só por causa dos sofás, mas por causa da situação. rs Eu, que morro de vergonha de ser o centro das atenções em conversas e bate papos, foi uma delícia dividir o holofote com outras mulheres tão incríveis e que apoiam com tato amor o PAPO SOBRE AUTOESTIMA. Gosto de trazer todo mundo para conversar e, definitivamente, adoro situações onde posso ouvir e aprender, mais do que falar.

batepapo_photoVanessaCarvalho270418_BBB_3781 batepapo_photoVanessaCarvalho270418_BBB_3572 batepapo_photoVanessaCarvalho270418_BBB_3767 batepapo_photoVanessaCarvalho270418_BBB_3842 batepapo_photoVanessaCarvalho270418_BBB_3800

Estar com a Fabi, que é uma mulher que quanto mais eu conheço, eu aprendo, eu admiro e me inspiro, sempre é maravilhoso. Já falei aqui que quando a convidei para o piquenique no ano passado, fiz o convite ja tendo certeza que ela ia recusar? Imagina que a musa da minha adolescência (sim, eu via Interligado) iria aceitar meu convite? Pois ela aceitou, foi e acabei ganhando uma amiga. Há alguns meses que nós pensávamos em fazer algo juntas, e quando a Cris propôs o #dignyconvida papo sobre autoestima, nem pensei duas vezes em chamá-la.

Mas amei mesmo que a Nina estava com a gente, pois ela é uma pessoa que tem muito para somar. Quem a segue nas redes sociais vê quantas questões de corpo, cabelo, maquiagem e até mesmo moda que estão totalmente relacionadas com autoestima ela aborda. E nessa conversa, ela se abriu bastante sobre como ela é cobrada nas redes sociais, seja para emagrecer, seja para só postar fotos super maquiadas. Só que se tem uma palavra que define ela é autenticidade, e ela também conseguiu mostrar como conseguiu fazer com que as pessoas recebessem sua mensagem. Ah, e no final estavam todas fazendo a cabeça da Nina para ela se mudar logo para cá, eu to nesse time. haha

Mas nós só éramos influenciadoras que chamaram outras mulheres para discutirem suas experiências. E depois que todo mundo ficou mais à vontade, a conversa fluiu mais naturalmente como se fosse na casa da gente. Alguns dos muitos assuntos abordados precisavam aparecer aqui no Futi, e eu vou tentar entrar em contato com algumas das meninas presentes justamente para trazer o bate papo para cá. Falamos sobre corpo, sim, mas também abordamos TPM, sobre endometriose, sobre saúde mental (e o medo de dizer que toma algum remédio), maternidade e a pressão da perfeição em tempos de internet.

Confesso que saí de lá muito realizada. Quando cheguei aqui em NY há quase 2 anos eu estava bem perdida, muitas vezes meio desmotivada porque não conseguia dar conta do trabalho com a maternidade em tempo integral e acabava me sentindo de fora por ter tanta coisa acontecendo no Brasil e eu não conseguir participar.  Ter feito esse movimento de aceitar o evento no impulso e ver que dá para ter muito #paposobreautoestima aqui em Nova York também me inspirou, me motivou e me fez achar parte da Carla que estava adormecida.

batepapo_photoVanessaCarvalho270418_BBB_3829 batepapo_photoVanessaCarvalho270418_BBB_3566 batepapo_photoVanessaCarvalho270418_BBB_3542

Como divido tanta coisa pessoal, não tinha como não dividir esse dia que foi uma verdadeira realização profissional, mas também pessoal. Muito obrigada para todas que foram, participaram e fizeram aquela noite de sexta feira ser tão sensacional.

Agradecimentos muito, muito especiais à Cris, que além das experiências personalizados e super fora da caixinha que ela faz com a Dig NY, também é uma organizadora de eventos maravilhosa (que não deixa de ser uma experiência bem personalizada, né? rs). À Melissa, que ofereceu o espaço mais delicioso e especial de NY (já quero fazer mais coisas lá!), ao Café Patoro, que ofereceu sanduíches de pão de queijo de comer rezando (pão de queijo com goiabada e queijo, como errar nessa combinação??) e à Vanessa Carvalho, fotógrafa responsável por essas fotos que ilustram o post!

Esse evento só me deixou mais ansiosa e animada para o piquenique que farei aqui em NY!

0 em #paposobremulheres/ Comportamento no dia 17.03.2018

Papo Sobre Mulheres: Sororidade na internet

Quando as meninas me pediram para escrever aqui eu pensei comigo mesma, ai ai…Não é o meu forte, eu gosto mesmo é de falar em vídeo, no palco, enfim…escrever não é mesmo a minha praia. Mas depois que eu li o que as outras meninas tinham escrito aqui no blog, eu aprendi, cresci, e mais uma vez percebi que não é como eu escrevo, e sim sobre dividir algo meu para que alguém lendo possa se identificar e possa dizer: não estou sozinha! E é sobre isso que quero falar, essa sororidade linda que encontrei na internet e que mudou minha vida.

Não cresci com mídia social, nem na época em que eu trabalhava na televisão. Sou da época da cartinha e recebi várias que me apoiavam e me elevaram em uma época tão gostosa da minha vida. Quando deixei tudo para trás e vim para Nova York atrás da minha história, deixei de lado tudo isso de como as pessoas reagiam à mim e o que elas pensavam. Porém um dia, 4 meses depois de ter minha primeira filha, eis que assistindo uma entrevista em um blog de moda vejo alguém comentar “a Fabiana Saba ficou uma gorda e foi morar na America”. Ainda sensível do começo da maternidade e insegura comigo mesma, deixei aquilo me abalar, mas era só o começo. Descobri que na internet todo mundo podia dar sua opinião, o que é uma coisa maravilhosa, mas tem muita gente que confunde mal educação e falta de empatia com sinceridade.

Durante alguns anos tive problemas com minha autoestima. Depois de duas filhas e ganhar muito peso nos olhos das pessoas do mundo fashion, ouvi besteira de quem deveria ter ignorado, acreditei que não deveria usar mais certas roupas, biquinis, que deveria me esconder, fingindo ser aquele meu novo estilo. Por vezes deixei de entrar na piscina com minhas filhas com medo de me expor perto de alguns “amigos”, deixei de curtir uma noite com o marido porque nada cabia então não ia mais sair, enfim, minha briga com o espelho se espalhou para o meu dia a dia. Essa falta de amor próprio nos tira não só a nossa verdadeira beleza, mas também nossa força e nos deixa exaustas.

Foi então, no meio dos comentários maldosos (sim, muitas pessoas vinham nas minhas páginas com comentários indignados por eu ter “me largado” e engordado tanto) que eu comecei a encontrar mulheres maravilhosas e corajosas que se expunham para ajudar outras mulheres a se encontrarem. Mulheres que contavam suas histórias, que dividiam suas dores sobre peso, maternidade real e tantas outras coisas com o simples intuito de ajudar outras mulheres! Soube então que não era a internet que estava errada, era eu que não tinha ainda achado tantos anjos que estão espalhados por ela. Parei de seguir quem me fazia mal – dessa vez sem julgar, simplesmente porque não agregava mais – e comecei a ouvir e ler o que tantas outras mulheres tinham a dizer.

Nas suas histórias, eu me encontrei. Fiz as pazes com a menina no espelho e finalmente enxerguei sua beleza, ri e chorei com minhas novas irmãs. E não eram so as blogueiras, mas também as mulheres que me deixavam comentários compartilhando suas próprias jornadas. Assim, vi que a empatia vinda de um grupo diverso de mulheres – magras, gordas, trans, lésbicas, negras, brancas, asiáticas – era o segredo da nossa união, pois também nas nossas diferenças podemos crescer juntas – basta ouvir com coração aberto e sem julgamentos.

Depois da minha mudança, eu decidi que queria fazer parte desse grupo e até, quem sabe, inspirar alguém ou chamar para me acompanhar no caminho do auto descobrimento. Ainda estou caminhando, mas me sinto forte e amparada por essas mulheres que seguem comigo, que lutam, que querem como eu chegar na paz de se amar, mas não sozinhas, sempre juntas. Quero deixar aqui marcada a minha gratidão e quis aproveitar o espaço para sugerir alguns desses perfis, e pedir para que vocês façam o mesmo no comentário, pode ser?