Browsing Tag

experiências

1 em Comportamento/ Experiência no dia 09.03.2017

Materializando sonhos: a importância de falar em voz alta

Não é de hoje que minha terapeuta me alerta pra a importância de dizer para o universo, DEUS ou poder superior de cada um, aquilo que a gente deseja. Como se não bastasse ela me lembrando disso, conheço muitas pessoas que realizam sonhos e mantém sempre uma LISTA de desejos à vista. Essas pessoas são do tipo que conquistam aquilo que almejam, ou seja, eu vejo à minha volta que quem sabe o que quer, fala isso em voz alta ou mesmo escreve – e realizam.

Eu faço o máximo possível para jogar pro universo minhas intenções nas minhas orações, meditações ou momentos de recolhimento, seja de manhã, no banho ou antes de dormir. Só que de uns tempos pra cá, ando colocando mais fé na história de deixar claro pro Universo o que eu desejo.

Nem sempre, ou quase nunca, as coisas acontecem da maneira como eu mentalizei; mas de um jeito inesperado e inusitado, elas acabam acontecendo.

Faço isso desde 2015, e é tão doido que eu peço pra Deus pro boy lixo sumir e ele some, peço pra que pessoas que não estão na mesma vibração que eu se afastem e elas se afastam. Tudo acontece comigo de forma bem literal, inclusive tenho que ter muito cuidado com o que peço, porque em geral vem. Acho inclusive que esse o motivo de eu ainda não ter pedido um grande amor, porque na hora que eu pedir ele pode vir e agora acho que não estou pronta.

Só que hoje não vou falar de assuntos de coração, o tema de hoje tem mais a ver com o meu carnaval mesmo!

Eu sabia que ele ia ter uma agenda legal e alguns eventos bem interessantes, mas lembro de ter comentado em voz alta com uma amiga que queria realizar dois sonhos muito improváveis pra 2017 (e zero impossíveis pra 2018): desfilar numa ala incrível de uma escola do grupo especial e participar do bloco da Preta, no trio principal.

Sim, esse último parece doido e muito específico, mas eu cismei que para nosso #paposobreautoestima era um movimento bem importante e fiquei alguns dias pensando como poderia falar com a BOA para tentar me ajudar nessa empreitada, dado que a Antarctica é a patrocinadora oficial do carnaval de rua do Rio.

Fiquei com isso em mente mas teve tanta coisa para fazer nesse Carnaval que acabei não comentando com nenhum dos meus contatos dentro da marca e com ninguém que organizou com a gente a ação COISA BOA GERA COISA BOA.

Quando me ligaram pra fechar os pontos de como seria a parceria, veio a surpresa. Quarta feira de cinzas, no baixo Gávea, a Antarctica faria o bloco Na Lata em homenagem aos catadores de latinha que trabalharam nesse carnaval e teria uma convidada surpresa no trio elétrico, adivinhem quem? Sim, ela, Preta Gil! E o melhor: fomos convidadas para subir no trio! Chamei leitoras, chamamos amigas e quando vi, estava lá em cima, falando com a Preta.

Quando me vi desfilando na Sapucaí pelo programa de recompensas da MARIOTT eu já estava suficientemente emocionada com as surpresas materializadas do universo, agora imagina quando eu estava ali, gravando stories ao lado da Preta em cima do trio?

Foi mágico, joguei pro universo as duas vontades muito despretensiosamente e o que aconteceu? Tudo! E mais um pouco, porque meu carnaval na verdade não acabou na quarta feira de cinzas! rs

=

No sábado depois do Carnaval, a SEMPRE LIVRE fechou meus dias de festa com chave de diamante e me levou para subir em outro trio que eu nunca poderia imaginar: o da Anitta, que também foi rainha no Rio. Eu me joguei, cantei, dancei, me diverti horrores, muito mais do que poderia imaginar!

Coisa boa gera coisa boa mesmo, a ANTARCTICA não podia ter tido lema melhor pro meu carnaval, que foi cheio de trabalho, montação e alegria!

Eu joguei no ar em voz alta essas duas coisas que sonhava fazer muito improváveis esses dias e pronto, sem mais nem menos. Eram duas coisas que eu queria muito fazer e que não tinha NENHUMA perspectiva de acontecer. Nem sei como agradecer à BOA e ao @vida_carioca por tudo isso. ❤️

A vida é muito curiosa, a gente atrai o que vibra e o universo conspira quando a gente sabe o que quer! É impressionante. Cada dia que passa acredito que verbalizar pro universo nossos sonhos, vontades e desejos tem uma importância ímpar! A gratidão abre portas que a gente nunca sonhou, os desejos do coração também.

Nessa hora fico pensando que eu podia ter pedido também pra conhecer um boy incrível né? Hahaha Brincadeira, não estamos operando com tempo pra isso direito!

Então vamos praticar mais isso? Vamos verbalizar pro universo o que a gente deseja?

Beijos

5 em Comportamento/ Experiência no dia 27.08.2014

As dores e as delícias de trabalhar em home office

Quando me mudei para São Paulo, há quatro anos e meio, cheguei sem saber se o que me esperava no quesito trabalho. Estava começando a minha pós, o futi ainda era um baby blog e vim para cá ainda vinculada com meu antigo emprego do Rio, só que como freela.

Nesse tempo em que eu fiquei exclusivamente como freelancer eu acabei arrumando um outro cliente além do blog (que está comigo até hoje) e, quando me vi, já estava trabalhando no esquema home office.

trabalhando em home office
Super desregrada, claro, afinal eu nunca tinha feito isso antes na vida. Apesar de eu amar essa história de não precisar sair de casa, o resultado inicial foi catastrófico. Eu trabalhava de pijama, eu esquecia de fazer as refeições (e acabava comendo qualquer besteira na hora que a fome batia), eu me distraía facilmente, o blog começou a ser chamado para eventos e eu me enrolava toda para cumprir os prazos, eu virava a noite e quando eu focava no cliente eu esquecia do blog e vice-versa.

Depois de um ano nesse oba-oba, resolvi tomar vergonha na cara e me organizar. Vamos dizer que eu melhorei 70%, mas para mim isso já é um avanço e tanto! As dicas que funcionaram para mim foram:

– Nada de trabalhar de pijama: As vezes é irresístivel, eu admito, mas me sinto melhor e mais produtiva quando eu estou vestida de uma maneira mais adequada. Meu maior obstáculo para isso era sair da cama e sentar direto no computador, e resolvi essa questão mudando meu horário da academia. Vou pela manhã, volto para casa, tomo banho, me visto e começo a trabalhar “decente” hehe.

– Arrume um canto para chamar de home office: Pode ser um pedacinho da mesa de jantar, uma escrivaninha ou um quarto arrumado só para isso. É bem provável que um dia ou outro você resolva ficar no sofá ou até mesmo na sua cama, mas saber que você tem um lugar que dá para focar é essencial!

– Organize seu tempo: Para mim, essa continua sendo a parte mais difícil de seguir, porque eu sempre fui desorganizada com meu tempo, mas eu sei que é a dica de ouro. Estabelecer uma rotina é fundamental e ver com antecedência todos os compromissos que você vai ter é a melhor forma de não deixar acumular trabalho ou fazer tudo em cima da hora. Nunca pensei que diria isso, mas a minha agenda virou minha melhor amiga!

– Não esqueça das refeições: Todo mundo sabe que é importante comer de 3 em 3 horas, mas para mim, elas são mais importantes do que isso porque acabam virando o meu momento off work. É quando eu paro o que estou fazendo e me concentro em outras coisas.

– Tente fazer com que a madrugada não vire rotina: É claro que pode acontecer de ter que trabalhar em horários atípicos. Um dia que não foi muito produtivo (principalmente se você trabalha com criatividade), um imprevisto, um atraso que foi além do esperado. Tudo isso acontece de vez em quando e a gente se vê obrigada a mudar nossa rotina e passar uma boa parte da noite em claro. Ok se for um dia aqui outro lá, mas se você trabalha para um cliente (e que costuma ter um horário normal!), não acho uma boa que a madrugada vire rotina!

– Se o trabalho empacou, descanse! – Não é algo para fazer com frequência (senão até briga com o tópico acima! rs), mas é uma das vantagens de se ter um horário mais flexível. Muitas vezes eu já me frustrei por ter perdido horas e horas em frente ao computador porque o trabalho simplesmente não estava fluindo. Quando vi, tinha gasto um tempo precioso vendo besteiras que não ajudavam em nada. Hoje, quando eu vejo que não adianta insistir, eu resolvo ver uma série (40 minutinhos de distração), fazer a unha, sair de casa e dar uma andada, etc. Dificilmente não funciona – e já reparei que eu gasto menos tempo para voltar ao trabalho do que quando eu gastava horas e horas improdutivas em frente ao computador!

Mas Carla, se eu seguir cada passo, vou conseguir trabalhar perfeitamente em home office?

Sinto informar, mas não sei. Cada pessoa é diferente da outra, mas posso dizer que o meu caso não é dos mais animadores. Mesmo sabendo disso tudo, volta e meia eu me pego super enrolada e com deadlines apertados, mas isso acontece porque eu sempre fui uma pessoa bem desorganizada e agora que estou apanhando é que estou aprendendo.

Só sei que a cada dia que passa, eu acho a minha escolha de ter optado por um home office cada vez mais acertada!!

Alguém também trabalha de casa? Quais dicas mudaram sua forma de trabalhar?

Beijos!

Carla