Browsing Tag

dia dos namorados

2 em Autoestima/ Destaque/ Relacionamento no dia 12.06.2019

Ter ou não ter [email protected], uma versão mais atualizada

Se você tem mais de 30 anos, talvez pegue a referência. Em algum momento próximo do Dia dos Namorados, que atire a primeira pedra quem nunca recebeu via corrente de email ou Orkut um texto de Artur da Távola cujo título é “ter ou não ter namorado”.

>>>>>> Ele está aqui para quem nunca cruzou com essa pérola <<<<<<

Acho que esse texto não faz mais tanto sucesso com a nova geração. E apesar de eu ter memória afetiva por ele, queria propor uma nova versão aproveitando que hoje é Dia dos Namorados aí no Brasil. Porém longe da ambição de querer me comparar com o autor, claro.

Começando pelo título, que poderia mudar para [email protected] afinal, já cansamos dessa história heteronormativa, né? Estamos falando para todas! Pronto, agora podemos continuar…

Tenha [email protected] se você já entendeu a importância de ser sua melhor companhia.

Se você já sabe apreciar seus momentos com você mesma e entende que, mesmo acompanhada, eles são necessários e importantes.

Tenha [email protected] se você vai se sentir desejada e atraente aos olhos dele(a). Não pelo que você acha, mas pelo que ele(a) te diz e demonstra. Que beije com vontade, que ande de mãos dadas com orgulho, que te apresente [email protected] para que te conheçam e vejam a pessoa incrível que você é. Que tenha sua própria vida, mas que considere você e o relacionamento entre vocês uma das prioridades. Equilíbrio (ainda que meio torto, porque somos humanos) é necessário na vida.

Que entenda que individualidade é importante. Que ciúmes são inseguranças. Que não se olha redes sociais nem celular do outro – quanto mais pedir a senha – sem consentimento. Que te apoie e seja quem mais te incentiva. Que gosta de te ver crescer e melhorar, sem competir quem é melhor, ganha mais ou tem mais sucesso.

Que não meça esforços para te ajudar nas suas conquistas e as comemore genuinamente.

Que te deixa um bilhetinho carinhoso, manda mensagem dizendo “eu te amo” quando não se espera. Ou mesmo um “me avisa quando chegar”. Que transforme quase tudo em uma ocasião especial. Do restuarante legal, passando pela viagem até o pastel da feira.

Que chega junto quando é necessário. Seja para te dizer que você está errada, seja para te mostrar um novo ponto de vista ou para compartilhar uma experiência. Que divida a conta, pague tudo quando você não puder, mas que entenda que grana não faz ninguém melhor num relacionamento. Que te incentive a ter sua independência financeira, assim saberá que você está ali porque quer.

Tenha [email protected] se a sua vida for melhor com ele(a). Senão pode ficar sozinha mesmo que tá tudo bem. Uma vida bem vivida sozinha, em paz consigo mesma é mil vezes melhor que uma vida do lado de uma companhia meia boca.

7 em Destaque/ Relacionamento no dia 12.06.2018

Eu quero mais que um dia dos namorados

Dizem que canceriano é romântico, mas eu sempre digo que sou meio fajuta. Uma dessas provas é que eu não tenho a mínima paciência para Dia dos Namorados. Poderia dizer que a culpa é do meu relacionamento – que já passou por 15 datas dessas – mas a verdade é que eu sempre tive preguiça.

Poderia dizer que a culpa é dos restaurantes – sempre lotados, reservas esgotadas, com menu fechado e preços salgados. Mas não é, porque poucas vezes vi vantagem em jantar no dia 12 se a gente poderia jantar no dia 11 ou 13 e ter mais opções no cardápio, menos fila e menos stress. Para minha sorte, meus únicos dois namorados na vida compartilhavam dessa ideia.

No quesito presente, já tive dias de luta e dias de glória. Os dias de luta eu poderia facilmente encaixar o dia que me empenhei e gastei toda minha criatividade (que acho que não recuperei até hoje) fazendo uma caixa de presentes com coisas personalizadas e ganhei uma -brusinha-, que nem era do meu tamanho. Ou o dia que eu estava crente que iria receber de presente um anel de noivado e recebi….um jogo de toalhas (ok, a justificativa foi fofa, ele queria que eu tivesse minhas coisas na casa nova). Mas também tive meus dias de glória, como o dia que comemoramos em um hotel maravilhoso ou quando fui surpreendida por uma joia em um jantar de Dia dos Namorados que nada tinha de romântico, tanto que até levei a Joana para ir junto (acho que esse foi o dia de luta dele, né? rs).

Hoje eu diria que minha ideia perfeita para comemorar esse dia é ficar largada no sofá, os dois vendo filme e saboreando uma tacinha de vinho depois de botar o Arthur na cama (e meu presente é ele botar para dormir enquanto eu continuarei linda e largada no sofá). Pode parecer um presente trivial para se pedir em uma noite aparentemente comemorativa, mas confesso para vocês que hoje em dia não me passa na cabeça viver algo mais romântico que isso. Hmm, se bem que dormir de conchinha também é o ápice do meu romantismo, ainda mais se eu for a parte de fora da concha….

do maravilhoso instagram da @mayavorderstrasse

do maravilhoso instagram da @mayavorderstrasse – tradução: eu estou tão empolgada para o dia dos namorados. Mal posso esperar para discutir sobre o que vamos comer e depois desmaiar no sofá enquanto discutimos o que vamos ver na Netflix. 

Não quero Dia dos Namorados para postar no instagram, não. Não quero juras públicas de amor, nem fazer, nem receber. Do nosso amor, a gente é que sabe. Conhecem essa frase? Cada vez mais sinto menos vontade de expor o nosso relacionamento por aí, até porque ocupar o lugar de casal perfeito (coisa que é comum de se achar quando dizemos que estamos juntos há 15 anos) cansa. Não somos, nem temos essa intenção de ser. Se as nossas imperfeições se complementarem, isso já é mais do que o suficiente.

Meu conceito atual de romantismo é conseguir valorizar as concessões e os esforços feitos, celebrar o companheirismo dos momentos mais complicados aos mais bobos e, principalmente, valorizar a beleza que é viver um amor onde ambas as partes tentam diariamente manter a essência do namoro, mesmo que o cenário recente englobe casamento e filhos.

Nem sempre é fácil. Tem dias que a rotina nos engole e leva a melhor. Tem dias que nós conseguimos resgatar sentimentos que achávamos que tinham ficado para trás. Tem dias que morar junto cansa – com filho, então, cansa 15 vezes mais – e tem dias que tudo que queremos é comemorar mais um ano de relacionamento. E esse é o nosso Dia dos Namorados.

Nesse dia não tem discussão de quem vai arrumar a casa ou quem vai botar o filho para dormir, não tem cansaço mental depois de um dia de trabalho intenso, só tem a vontade de lembrar que independente do estado civil ou da aliança no dedo, a vontade de ser eterno namorado ainda está ali. Não precisa de presente, de jantar em restaurante, não precisa impressionar. Talvez um sexo mais especial e com mais atenção, apesar de eu ser da teoria que quando o clima é esse, o sexo melhor flui naturalmente. E posso falar? Melhor assim. Sem data, sem pressão, sem aquele sentimento de obrigação de mostrar uma vida perfeita, apenas aproveitando o que está acontecendo aqui e agora. Mesmo que o aqui e agora seja dois adultos babando no sofá com um filme visto pela metade. 

0 em Destaque/ Moda/ Patrocinador no dia 29.05.2018

Mais renda e mais amor, por favor <3

No Dia dos Namorados do ano passado, contei aqui no blog sobre o dia que fui surpreendida por uma gaveta de lingeries. No caso, foi a gaveta da minha amiga. Hoje vou contar da minha.

Ao contrário dessa minha amiga, eu nunca fui uma pessoa de usar a lingerie para sensualizar. Minha gaveta era uma infinidade de peças brancas, pretas e beges, com muitos modelos de calcinhas lisas de algodão e outros de sutiãs lisos sem bojo. Básicos até dizer chega, mas que cumpriam sua função com todo o conforto. Só que conforme eu fui crescendo, vi que queria mais.

Foi aí que aos poucos fui entrando no mundo das rendas e dos fios dentais. Não acho que tenha sido coincidência que isso tenha acontecido quando eu estava naquela fase de sair da adolescência para entrar na vida adulta. Foi quando eu me senti mais preparada para explorar um pouco mais a minha sensualidade. Mesmo assim, nunca fui de usar lingeries super sexy e cheias de firulas. Renda sim, fio dental sim, mas com conforto acima de tudo, por favor. Ah, e para quem acha que eu ainda não tenho uma boa parcela de lingeries básicas, estão enganadas. Elas ainda ocupam pelo menos 60% da minha gaveta rs

Agora que você sabem desse meu gosto super pessoal, provavelmente vão entender quando eu falo que eu costumo passar longe de opções para o Dia dos Namorados. Geralmente é nessa data do ano que vemos os mais variados tipos de modelos que abusam da sensualidade e esquecem do conforto, como se a gente fosse usar as peças apenas no dia 12 de junho e acabou.

Pois eu gosto daquelas peças que você usa em um dia especial e depois usa mais ainda no dia a dia. Quando eu vi a campanha Mais Renda, para o Dia dos Namorados da Marcyn, vi que eles pensaram justamente nisso: peças que valorizam a sensualidade natural da mulher e que podem ser usadas com os mais variados propósitos. E ver a Nath e o Abner, marido dela, estampando a campanha me deu aquele quentinho no coração que a gente sente quando vê as amigas fazendo trabalhos lindos.

Deu para ver nessa sessão de fotos que o mote da campanha não foi paixão, luxúria e ser sexy só na ocasião, né? Tem muito mais a ver com celebrar um amor tranquilo e companheiro, que te deixe confortável para ser quem é ao mesmo tempo que te permite explorar toda a sensualidade que é naturalmente sua. 

Com cores como marinho, vermelho alaranjado, preto e berinjela, a coleção sai do clichê tanto na escolha cromática quanto nas modelagens. O modelo de sutiã triangular, sem aro e bojo, é o meu preferido da vida! A renda aparece em detalhes sensuais e as modelagens são as mais confortáveis, ou seja, é a tal combinação perfeita que eu estava falando ali em cima.

maisrenda-marcyn-dia-dos-namoradosSutiã vermelho | Body preto | Sutiã marinho
Calcinha berinjela | Calcinha preta | Calcinha vermelha

Aquela combinação que funciona tanto no dia a dia ou em ocasiões especiais. Aquela que não precisa de ninguém para te fazer sentir linda e sexy (mas se tiver, que bom!). Aquela campanha que se chama Mais Renda, mas na verdade traz mais amor mesmo, inclusive o próprio. <3