Browsing Tag

carlos ruiz zafon

1 em Book do dia/ Comportamento/ Destaque no dia 15.06.2018

Book do dia: O Jogo do Anjo, de Carlos Ruiz Zafón

Que vergonha de mim. Não por estar demorando horrores para terminar meus livros, isso eu já superei e entendi que minha vida atual não me permite passar noites em claro porque não consigo parar de ler ou passar tardes inteiras saboreando uma boa leitura. Que vergonha porque só hoje me dei conta que tem quase 5 anos que eu li o primeiro livro de Carlos Ruiz Zafón, A Sombra do Vento, consagrei esse autor como um dos meus preferidos da atualidade e…..

simplesmente não comprei mais nenhum livro dele.

Acho que já contei aqui que, por causa dessa tag de BDD, eu não gosto de ler trilogias seguidas porque vou me sentir na obrigação de resenhar todos os livros seguidos e pode ser que essa tag fique um pouco chata por um tempo. Acho que a única vez que fiz isso aqui foi com a série de livros da Elena Ferrante (e mesmo assim não consegui fazer a resenha do último porque jurei que já tinha muita Elena para pouco tempo rs). Uma espécie de mania minha, eu sei. E por causa disso, fiquei postergando comprar outros livros do Zafón. De repente, quando percebi, quase 5 anos se passaram, eu tinha parado em “A Sombra do Vento” e continuava parada lá.

Pois bem, há uns meses acabei comprando a parte 2 da trilogia Cemitério dos Livros Esquecidos. E apesar de ser uma trilogia, todos os livros da série são independentes. O que de certa forma é bom, pois nenhum deixa pontas soltas que te obrigam a começar a próxima leitura imediatamente.

jogo-do-anjo-carlos-ruiz-zafon

Sinopse: Aos 28 anos, desiludido no amor e na vida profissional e gravemente doente, o escritor David vive sozinho num casarão em ruínas. É quando surge em sua vida Andreas Corelli, um estrangeiro que se diz editor de livros. Sua origem exata é um mistério, mas sua fala é suave e sedutora. Ele promete a David muito dinheiro e sua simples aparição parece devolver a saúde ao escritor. Contudo, o que ele pede em troca não é pouco. E o preço real dessa encomenda é o que David precisará descobrir. Em O Jogo do Anjo, o catalão Carlos Ruiz Zafón explora novamente a Barcelona do início do século XX, cenário de seu grande êxito internacional A Sombra do Vento, que vendeu mais de 10 milhões de exemplares em todo o mundo. 

Não tenho dúvidas que Zafón é um autor maravilhoso. Ele descreve cenários e situações com tantos detalhes que é quase uma experiência sinestésica. O cenário em “O Jogo do Anjo”, por exemplo, é decadente, escuro, com cheiro de pó e mofo. Você sente medo, angústia e em alguns momentos eu não consegui ler no escuro, por exemplo. O estilo narrativo dele é muito bacana para quem gosta de uma leitura mais poética e envolvente. Quem gosta de livros mais rápidos, talvez ache esse estilo um pouco cansativo.

Porém, ao contrário de “A Sombra do Vento”, “O Jogo do Anjo” não me pegou logo de cara e eu tive que insistir um pouco para pegar no tranco da leitura. Não sei se é por causa de David, o protagonista que demora para mostrar uma faceta mais agradável, não sei se é porque o livro demora para dizer a que veio. Só sei que precisei de um personagem para começar a me interessar mesmo: Isabela. Calma, não vou dar spoilers, mas essa mulher, que nem aparece na sinopse, é o ponto de equilibrio que faz a engrenagem do livro funcionar.

“Não está com uma cara boa – sentenciou.
Indigestão – repliquei.
De quê?
De realidade.”
O jogo do Anjo, Carlos Ruiz Zafón

Depois disso, pode esperar fantasia, mistérios e desesperanças com toques de realidade, poesia e até mesmo humor. Só sei que deixo aqui meu comprometimento público de que não vou esperar mais cinco anos para terminar essa trilogia – nem para ler outra obra de Carlos Ruiz Zafón. Me cobrem, por favor. :)

– link dos afiliados para quem se interessou: O Jogo do Anjo, na Saraiva (versão e-book e livro físico) | O Jogo do Anjo, nas Lojas Americanas

7 em Book do dia/ Comportamento/ Cultura no dia 07.08.2013

Book do dia: A Sombra do Vento, de Carlos Ruiz Zafón

Em junho, a Lorena indicou esse livro aqui nos comentários (amo receber indicações, por favor, podem mandar!). Comprei e deixei ele na lista de espera porque ainda tinha outros 2 na frente. Comecei há uns 15 dias atrás e não demorou nem 5 páginas para o livro me fisgar por completo.

resenha-sombra-do-vento-carlos-ruiz-zafon

A sinopse é essa, curtinha mas que dá um bom gosto do que vem pela frente: ‘A sombra do vento’ é uma narrativa escrita em uma prosa ora poética, ora irônica. Tudo começa em Barcelona, em 1945. Daniel Sempere está completando 11 anos. Ao ver o filho triste por não conseguir mais se lembrar do rosto da mãe já morta, seu pai lhe dá um presente inesquecível – em uma madrugada fantasmagórica, leva-o a um misterioso lugar no coração do centro histórico da cidade, o Cemitério dos Livros Esquecidos. O lugar é uma biblioteca secreta e labiríntica que funciona como depósito para obras abandonadas pelo mundo, à espera de que alguém as descubra. É lá que Daniel encontra um exemplar de ‘A Sombra do Vento’, do também barcelonês Julián Carax. O livro desperta no jovem e sensível Daniel um enorme fascínio por aquele autor desconhecido e sua obra, que ele descobre ser vasta. Obcecado, Daniel começa então uma busca pelos outros livros de Carax e, para sua surpresa, descobre que alguém vem queimando sistematicamente todos os exemplares de todos os livros que o autor já escreveu.

Confesso que essa foi a primeira vez que eu senti falta de ter o livro físico. Como eu leio no Ipad, eu acabo não sabendo qual é a grossura do livro e agora, o Iba está com um layout novo que não diz em que página você está, diz quantos por cento você leu. Dessa vez, parecia que quanto mais eu lia, mais páginas surgiam. De certa forma foi até bom, porque eu realmente fico triste quando vejo que um livro que eu gosto está chegando ao fim. hahahaha

Bem, já deu pra ver que eu gostei do livro, né? Apesar de Zafón ser tudo menos sucinto, eu achei o livro uma delícia! Os personagens são bem definidos e a narração é feita de um jeito que dá pra imaginar perfeitamente os ambientes, as pessoas e suas reações e, de quebra, ainda dá pra sentir um pouco do ar de Barcelona, por mais que o livro se passe em 1945.

Sinceramente, não tenho muito mais o que falar além de indicar de olhos fechados. Aliás, botei a foto do livro outro dia no insta e me surpreendi com a quantidade de gente que comentou falando bem! Vou deixar os comentários aqui pra quem ainda estiver na dúvida:

sombra-do-vento-resenha

A boa notícia é que é uma trilogia, ou seja, não precisarei ficar com gostinho de quero mais!

Lorena, obrigada eternamente por ter me apresentado a esse livro! :)

E quem ler, depois me conta o que achou!

Beijos

Carla