Browsing Category

Argentina

7 em Argentina/ Viagem no dia 15.12.2016

Hotel: brincando de ser princesa no Alvear Palace em Buenos Aires

Há praticamente 10 anos eu fui a Buenos Aires e me lembro de passar pela frente do Alvear Palace Hotel e comentar: um dia eu volto e vou ficar nesse hotel. A decoração, o serviço, as fotos e tudo que cercava o universo Alvear já enchia meus olhos lá em 2007.

É dezembro de 2016 e embarquei para Buenos Aires. A primeira parada? O Alvear.

alvear-quarto

Confesso que minhas expectativas em me hospedar no hotel eram altas, para ser mais honesta altíssimas. Por mais errado que possa ser, eu fui esperando muito da decoração, do quarto, do banheiro, do serviço e do café da manhã. Mesmo com tudo isso de expectativa, a experiência foi única e muito mais especial eu podia imaginar.

Minha mãe me disse de cara: esse é o hotel de cidade mais lindo em que já fiquei. O estilo é clássico, tradicional, luxuoso e faz você viajar no tempo. Dizem que ele é a versão Argentina do Copacabana Palace. Sendo muito honesta, do que já vi dos quartos do Copa, o Alvear e sua decoração interna são ainda mais especiais.

alvear-4

Me impressionei com coisas que valorizo muito: o serviço impecável, o sorriso no rosto dos funcionários, o lençol maravilhoso, a cama sensacional (e enorme), todo mundo falava inglês, o quarto espetacular (foi o mais “princesudo” da minha vida) e o café da manhã de comer ajoelhada, servido num salão com dois ambientes lindos – um mais fechado num estilo mais clássico e a outro típico salão de baile de desenho da Disney.

Me senti dividida entre em um filme de princesa e uma comédia romântica em que o casal acaba feliz para sempre em um hotel que você nem acredita que pode ser real. Oscilei entre muitas coisas, mas junto com a ida à final de jogo de Polo, acredito que a sensação que dominou foi a de ser Julia Roberts em Uma Linda Mulher.

joana-cannabravaVoltando ao Alvear Palace. O hotel fica na Recoleta, na avenida Alvear e é sem dúvida nenhuma o hotel mais bem localizado da cidade. Meu primo, que mora lá e entende muito da cidade, me disse que esse é o hotel mais importante e cobiçado de Buenos Aires. Agora acredito plenamente nele. Quem procura algo luxuoso e clássico não vai se arrepender de se hospedar no Alvear.

Se alguém me pedisse para planejar uma lua de mel na América do Sul eu certamente sugeriria: Alvear Palace em Buenos Aires junto com uma visita ao Llao Llao em Bariloche (agora tenho que ir lá conhecer, o post da Carol me ganhou). Talvez eu acrescentasse uma paradinha em Mendoza também, dependendo da época. Sinto que a Argentina é uma boa pedida para casais que querem se curtir, comer bem e tomar bom vinho.

Como contei nesse post aqui, eu voltei completamente apaixonada por Buenos Aires depois dessa última visita. Uma parcela de todo esse amor se deve as experiências muito gostosas que eu tive no Alvear. Esse hotel foi certamente muito importante para que eu tivesse uma vivência menos turística e mais de “estilo de vida” na cidade, que como contei no outro post, roubou meu coração.

O quarto & o banheiro

O quarto em que ficamos foi a suíte de luxo. Fomos recebidas com frutas, chocolates e todos os “amenities” da Hermès. Tínhamos uma antessala linda, uma cama enorme, muitas tomadas (big deal pra blogueira) e uma iluminação que deixava o ambiente ainda mais acolhedor. Ah, as toalhas e roupão eram uma delícia e o chinelinho era dos melhores.

alvear-palace-hotel-quarto-2 alvear-palace-hotel-quarto-1 alvear-palace-hotel-quarto-3

alvear-quarto

armario-2O espaço interno do quarto e do banheiro eram excelentes.  Acho que a única coisa não-muito-sensacional do quarto era o secador de cabelo, mas isso não me incomodou.

banheiro-4

alvear-palace-hotel-banheiro-2 alvear-palace-hotel-banheiro-3 alvear-palace-hotel-banheiro

Os detalhes dourados, as flores e o lustre compunham o cenário de filme que tanto falei. Eu viajei dentro da viagem!

Café da manhã

Você tem que viver para experimentar!  O café da manhã foi mesmo tudo que eu esperava, com churros com doce de leite, frutas, pães, queijos e ovos. O cenário, a comida, as mesas e o atendimento fizeram dessa experiência algo que queríamos viver com calma (depois das várias fotos que eu fazia para mostrar aqui pra vocês). Dizem que o chá da tarde é muito especial também, mas infelizmente não consegui provar dessa vez.

alvear-palace-cafe-da-manha-2 alvear-palace-cafe-da-manha-3

cafe-da-manha-3 cafe-da-manha churros

alvear-palace-cafe-da-manha

alvear-2

Pra mim os destaques ficam para: as pêras em calda, o potinho de doce de leite da Patagônia e para a müsle conseguiu ser melhor que a do The Connaught de Londres, que era minha preferida da vida até então.

doce-de-leite

musle

<3 preferidos!

Áreas comuns: piscina, rooftop, lobby, academia e spa

A academia me impressionou muito pela modernidade, com espaço para exercícios tradicionais, de pilates e afins. O SPA pareceu lindo por fora mas não cheguei a marcar nada por lá.  Ambos ficavam no subsolo do hotel, visitei mais para contar pra vocês, porque como fiquei pouco tempo não consegui curtir todas as experiências.

alvear-palace-gyn

A piscina e o rooftop para pegar sol são daquelas coisas que você precisa colocar na lista de must do. É tudo tão lindo gostoso lá em cima, eu fiquei encantada. Não estava esperando algo moderninho num ambiente tão clássico, mas casou perfeitamente com a tradicionalidade do hotel.

piscina

rooftop-alvear alvear-palace-view alvear-palace rooftopalvear-2

alvear-palace-hotel-vista

O lobby é lindo de morrer! Tinha uma árvore de Natal enorme montada por ali e isso qualquer um que entrar para o chá da tarde pode confirmar. rs

natal-alvear

Toda nossa experiência no hotel foi uma delícia, eu e a minha mãe ficamos super encantadas. A maioria dos programas que fizemos era a uma distância de curta caminhada, desde o Malba e o Belas Artes, até o jantar da primeira noite, que foi no Fervor, um restaurante delicioso perto do hotel. Sério, muito perto e muito maravilhoso, mas sobre essas experiências vou falar depois.

Eu recomendo a localização, recomendo caminhar pela Recoleta e por Palermo, ir aos museus e aproveitar a os dias como um típico porteño. Acredito que o melhor de Buenos Aires está menos no eixo turístico e mais nas experiências simples de andar, ver uma exposição e ir a um parque ou restaurante.

Vou compartilhar com vocês aqui tudo que eu fiz logo logo. Todos os posts da Argentina estarão aqui, na tag do país.

joana-cannabrava

Eu sou apenas mais uma das apaixonadas por Buenos Aires. Não vejo a hora de voltar pra cidade, tomar o chá da tarde no Alvear e curtir tudo que mais que Buenos tem a oferecer. <3

banner-snap

Posts que podem te interessar também:

Toda uma nova Buenos Aires para mim
Llao Llao hotel na Patagônia Argentina
Experiências em Bariloche 

9 em Argentina/ Comportamento/ Viagem no dia 14.12.2016

Toda uma nova Buenos Aires pra mim!

parque-das-nacoes

As vezes acredito piamente que as melhores coisas acontecem quando não estamos esperando. Enquanto eu buscava conexão e inspiração no meu último retiro espiritual me frustrei com a quebra de expectativa. Conforme contei aqui foi difícil na hora, mas aceitei e deixei pra lá. No entanto durante a viagem a Buenos Aires o impensado aconteceu, eu me surpreendi.

Dessa vez eu não esperava muita coisa: só queria matar a saudade da parte da família e curtir os bons hotéis nos quais eu ia ficar. Sem nenhum grande propósito além de relaxar, esvaziar a cabeça e mudar de ares.

joana-cannabrava-3

Comprei uma passagem no impulso, sem pensar. Sem planos e sem expectativas. Nessa hora o UNIVERSO agiu e convergiu para a criação de uma viagem deliciosa, maravilhosa e cheia de presentes incríveis.

Confesso com um pouco de vergonha que embarquei esperando uma cidade mais turistona, caricata e com uns toques de decadência. Uma versão piorada daquela que experimentei quase 10 anos antes. Lêdo engano, de novo!

Em 2007 fiz tudo que tinha na “lista pra se fazer” na capital Argentina, com direito a compras e turismo. Dentro daquele contexto gostei bastante, mas no ano seguinte fiz meu mochilão e no meio de tantas novas referências do mundo, coloquei Buenos Aires na lista de lugares aos quais eu não precisaria voltar. Bem legal, quase óbvia e resolvida turisticamente falando pra mim.

Ai veio o pulo do gato: turisticamente falando ela estava mesmo bem resolvida na minha cabeça, mas eu não havia dado uma chance diferente pra cidade. Uma chance de experimentar as sensações. Eu não tinha lançado um olhar de aproveitar o lugar como um local. Sem listas, sem mapas, sem regras ou planos.

buenos-aires-2

Tantos anos depois eu resolvi voltar. Não pela cidade, mas pela família do meu primo que mora lá e pelo desejo incontrolável de realizar o sonho de ficar no Alvear Palace, que vai merecer um post todinho sobre ele.

joana-cannabrava

Feliz da vida no meu quarto do Alvear Palace

Tinha certeza que agora estaria fazendo posts de resenhas bem cuidadas de hotel ou restaurantes, mas não podia imaginar que estaria fazendo um post para contar que me apaixonei por Buenos Aires!

Essa paixão avassaladora já me faz querer voltar todo ano. A minha versão atual viveu 3 dias e meio de magia na cidade. Foram muitas risadas, boa comida, vinhos incríveis, hotel de princesa, quilômetros pedalados, quadros inesquecíveis, saladas deliciosas, cavalos de cinema e muita alegria, mas muita mesmo.

Eu voltei renovada, inspirada e alimentada (na alma, no corpo e no coração). Meu amor por mim, pela vida e por viajar aumentou vertiginosamente. Eu gostei mais dessa experiência do que muitas outras viagens mais elaboradas que já fiz pela vida. Nunca pensei que diria isso.

Nada é perfeito por completo, mas essa foi muito perto disso.

Amei me hospedar na Recoleta, a arquitetura me saltou aos olhos nos detalhes, o hotel me importou para um filme daqueles que vi duzentas vezes na sessão da tarde, os museus me levaram a uma Paris antiga por um segundo e o tempo, meu Deus, o tempo me fez sorrir e agradecer muito, muitas vezes.

As pessoas eram bonitas, os homens estilosos sem medo, o lifestyle saudável, os corredores do parque oscilavam entre sarados sem camisa e pessoas com gordurinhas igualmente a mostra. Me encantou a mobilidade urbana e as bicicletas, até mesmo a ausência de carros nas ruas devido ao feriado prolongado que pegamos. Fiquei fascinada até mesmo pela noite que só chegava depois das oito horas.

malba-3

Na coleção de arte brasileira da família Fadel no Malba

De um segundo para o outro tinha AMOR.

Logo que chegamos fomos ao Malba,  mas foi caminhando para o parque que aconteceu. Bateu um vento frio, o céu estava azul e o verde era presente em todo lugar. Minha mãe e Sabrina ficaram pra trás, eu apertei o passo. Quando me vi perdida num gramado olhei pro céu e me dei conta: estava perdidamente apaixonada pela cidade. Pedindo a Deus para aproveitar cada segundo daquela nova experiência. No fim da tarde do dia 8 de dezembro meu status de relacionamento com a cidade mudou para “começou um relacionamento sério” com Buenos Aires.

Me apaixonei como se fosse a primeira vez. Dessa vez não teria casa rosada, caminito, estádio de futebol, passeios no centro, city tour ou compras. Nesses quase 4 dias eu queria curtir cultura, sol, parque, jardim, família e bons restaurantes. Eu queria aproveitar a Recoleta e o Palermo. Sem planos ou obrigações, em função do que desse vontade. Sem controle, sem compromisso.

Tinha os hotéis incríveis para curtir, piscinas para nadar, tempo para relaxar e aproveitar a companhia da minha mãe, que hoje já tem outro ritmo, um pouco diferente do meu. Minhas demandas eram simples e práticas, minhas expectativas eram baixas (tirando a do primeiro hotel, que era a altura do que sonhei que seria ou melhor). Tudo, absolutamente tudo, superou toda e qualquer expectativa que eu tinha.

buenos-aires-3

Desde a exposição de arte brasileira no Malba, a coleção sensacional do Museu de Belas Artes. Desde os parques do Palermo (que são tantos, não consegui ver tudo) ao passeio de bicicleta no Puerto Madeiro. Desde os restaurantes as carnes e vinhos.

museu-de-belas-artes

No museu de belas artes da cidade, com um Manet

Ver os argentinos correndo nos parques, pedalando por todo lugar ou torcendo na final de polo onde o La Dolfina ganhou de novo, me deixou feliz. Ver gente bonita, bem vestida e simpática me inspirou.

Até improvisar no meu espanhol foi divertido dessa vez. Normalmente isso é uma coisa que me deixa bem tensa. No entanto dei risadas dos erros e da necessidade de ir para o inglês sempre que dava. Eu sempre travo no portunhol, mas dessa vez podia, podia tudo.

joana-em-buenos-aires

Em Puerto Madeiro

Nunca havia andado tanto de bicicleta sem ser presa na academia, nunca havia usado a mesma como meio de transporte. Nunca tinha ido a um jogo de pólo, quem diria ir a final de um dos campeonatos mais importantes do mundo.

Em um dos parques do bairro de Palermo

Em um dos parques do bairro de Palermo

Parecia um filme onde eu era a protagonista, nele o grande amor era o amor próprio e a locação era muito linda, fosse o hotel de princesa, o parque ou o museu. Era um infinito de possibilidades de novas referências, ora com um vento fresco, ora num calor de trinta e cinco graus.

Esses dias na Argentina me lembraram do real motivo de eu amar viajar e conhecer o mundo, novas culturas e novos lugares. Me lembrou do porquê eu sou apaixonada por história da arte, me inspirou a cuidar de mim, da minha longevidade, a me curtir e me olhar numa perspectiva nova, só pra mim, com mais acolhimento e mais amor.

a-flor

Teve experiência gastronômica que emocionou, banho de piscina que relaxou, meditação no sol que inspirou e quebra de limites e paradigmas que impressionou.

Fazer coisas novas pela primeira vez me lembrou que nunca é tarde para mudar ou para começar de novo.

Me senti incrível numa “brand new Buenos Aires for me”. Por isso podemos esperar que essa viagem vai render mais alguns posts em dezembro.

Beijos

banner-snap

1 em Argentina/ convite/ Viagem no dia 24.10.2016

Llao Llao Hotel: passeios por Bariloche

Olá pessoal,

Estou aqui novamente para contar como foram os passeios que o pessoal do Llao Llao hotelcom o super parceiro Latam Airlines, prepararam pra gente nessa aventura pela Patagônia Argentina.

Para quem não leu o primeiro post contando sobre a minha experiência no hotel, ele está aqui.

Primeiro dia 

_dsf7025

 No nosso primeiro dia de passeio por Bariloche fomos de barco pelo El Brazo Tristeza, navegando uns 40 minutos chegamos a uma trilha. Andamos um pouco até chegar em uma das cachoeiras do local e durante o caminho o nosso guia foi contando histórias e curiosidades sobre o lugar, como o caso do fungo llao llao, que tem muito naquela região e que deu origem ao nome do hotel!

Não há dúvidas da beleza do local! Na volta tivemos um rápido almoço no próprio barco com um capitão/guia super simpático, que fez questão de guardar o nome de todo mundo que estava no passeio.

_dsf7030_dsf7053
Explicando por onde a íamos passar.

Explicando por onde a íamos passar.

_dsf7124

Na volta a mesa pronta para o almoço._dsf7067Chegando na trilha para a cachoeira._dsf7077_dsf7123_dsf7102

Uma das coisas mais legais em viagem é a troca que fazemos com as pessoas. Às vezes por meio de uma conversa, ou então apenas por pequenos gestos como um sorriso ou um olhar. Esse senhor que comandou o passeio do barco e nos guiou pela trilha foi muito atencioso, me chamou muita atenção o cuidado que ele tinha com cada um.

_dsf7059

Segundo dia 

Começamos subindo de teleférico para o Cerro Campanario. Ficamos um bom tempo admirando e curtindo o visual lá do alto. Tiramos fotos, gravamos videos.  E no fim, fomos para o café que tem lá em cima, bem bonitinho e perfeito para “descansar” do frio e do vento.

_dsf7271
_dsf7304

_dsf7283_dsf7275

As belezas naturais são de tirar o fôlego! Muita gente não sabe desse lado da Argentina e acha que Bariloche só existe por causa dos esportes na neve – está claro que não é o caso, né? Os passeios na Patagônia são muito versáteis, para os mais variados tipos de viajantes. As paisagens e o clima também são legais pra casais buscando romance nas montanhas, e o melhor, bem pertinho do Brasil!

Em seguida fomos conhecer a nova micro cervejaria Patagonia. Fizemos um tour conhecendo todo o processo de produção das cervejas, seguido de um menu degustação MARAVILHOSO!!!

Entrada da Cervejaria

Entrada da Cervejaria

Fazendo amigos

Fazendo amigos

_dsf7441

Sala de fermentação

Sala de fermentação

Cervejeiro falando sobre o processo quando as cervejas vão para o barril

Cervejeiro falando sobre o processo das cervejas quando vão para o barril

_dsf7450_dsf7454

Cada prato acompanhou uma cerveja diferente. Experimentamos tudo, enquanto um dos guias do restaurante nos explicava os motivos das combinações entre as comidas e a cerveja escolhida para acompanhar.

Yummy

Yummy

_dsf7482

Minha preferida, Doble IPA

Minha preferida, Doble IPA

_dsf7435_dsf7490

O lugar onde fica a nova cervejaria foi um dos pontos altos desse dia (que como vocês viram, contou com muitos pontos altos, literais ou não! hehe). Ele fica dentro do circuito Chico, que é um caminho com vários mirantes para observar a linda paisagem de Bariloche. E tinha uma varanda com vista incrível e relaxante para o lago Moreno.

Será que tava bom? Cerveja boa + comida boa + varanda com vista de cinema = Perfeição!!!

Caminho Chico, um dos mirantes

Em um dos pontos do circuito Chico. Hotel Llao Llao ao fundo

Caminho Chico, um dos mirantes

Em um dos pontos do circuito Chico.

À noite fomos ao charmoso restaurante @Cassisrestaurant, de comida centro europeia moderna. O restaurante fica afastado, em um lugar super gostoso. Aliás, é bom alugar um carro quando for para Bariloche, os passeios e restaurantes são longes um do outro. E mesmo que você vá para curtir o hotel, é legal tirar alguns dias para explorar a cidade, tem muitos passeios, trilhas e bons restaurantes.

Bom, voltando ao Cassis…

Logo na entrada já fomos recebidos pelo dono, o Wolf. Ele, super educado e simpático, contou que o restaurante já foi muito frequentado por brasileiros.

 _dsf7509_dsf7515

O restaurante é super agradável, um ambiente para ir com a família e com o namorado/marido também. Vende alguns produtos fabricados por eles, vários feito com Cassis, a fruta que deu origem ao nome do lugar.

_dsf7527
_dsf7519
_dsf7522

Os pratos são desenvolvidos pela chef de cozinha Marina Muller, também dona do lugar. Vale super a pena experimentar o menu completo! Eu queria muito experimentar algum prato com o cordeiro feito lá, então foi uma super coincidência. Além disso, a recepção calorosa do dono e os cuidados que ele tem com os clientes fez toda a diferença. Dizem que durante o dia o lugar também tem uma vista incrível.

Prato principal, Strudel de Cordeiro

Prato principal, Strudel de Cordeiro

Sobremesa, uma quenelle de sorvete com tortinha da fruta que dá nome à casa.

Sobremesa, uma quenelle de sorvete com tortinha da fruta que dá nome à casa.

E assim terminou nossa última noite! Comemos, rimos e falamos muito, foi tudo delicioso! Voltamos para o hotel, arrumei minha mala, preparei meu último banho de banheira com a vista perfeita e no dia seguinte, já estava voltando pra casa. Foi rápido, mas foi intenso! Eu não esperava que fosse ser uma viagem tão linda, foi surpreendente!

Não deixe de ler o post sobre o Hotel!

Instas para você seguir:

@Llaollaohotel – para ver as fotos, ficar morrendo de vontade de ir e começar a planejar a próxima viagem.

@latamairlines – para ficar de olho em outros destinos, tem muitas dicas!

@CarolineBarrionuevo – para quem quiser acompanhar meu trabalho e minhas aventuras! :)

Beijos e até a próxima,

carol-banner