Browsing Category

Sem categoria

0 em Sem categoria no dia 17.10.2019

Para cachos e crespos, chegou a linha perfeita!

Em 2015, a Bio Extratus lançou a linha Botica Cachos. Liberada para as técnicas de low poo e no poo, muitas cacheadas, crespas e/ou adeptas dessas técnicas viraram fãs da linha. Eu sou uma dessas fãs, mesmo não sendo a pessoa mais disciplinada para seguir a rotina low poo (que foi a que eu mais gostei, afinal). A gelatina dessa linha é um dos produtos preferidos da minha vida. Mas não vim falar da linha Botica Cachos, e sim da novidade da vez: a linha Cachos & Crespos!

Cabelos com cachos mais fechados e cabelos crespos têm necessidades muito diferentes de cabelos ondulados ou lisos. Eles são naturalmente mais secos porque o óleo natural que o próprio corpo produz não chega até às pontas. Então, eles precisam de mais hidratação que outros tipos de cabelos. Além disso, eles precisam de definição e flexibilidade.

E a linha Cachos & Crespos veio para dar tudo isso.

Ela conta com dois óleos bem potentes para compor esse tratamento:

  • abissínia, que confere hidratação e nutrição intensa aos fios, além de ter propriedades regenerativas.
  • rícino: fortalecedor e profundamente hidratante, ele combate a quebra dos fios recuperando e encorpando os cabelos. E também sela as cutículas, garantindo mais brilho.

A linha conta com 5 produtos: shampoo, que promove limpeza suave; condicionador; banho de creme para reparação profunda; finalizador que garante maior definição; e o sachê de condicionamento imediato que se chama S.O.S Cachos & Crespos. Todos eles são liberados para Low Poo.

Eu ainda não conheço a linha, mas quis muito falar desse lançamento por aqui. Por isso, vou dar a palavra para algumas das embaixadoras de Bio Extratus que já experimentaram!

Maraisa – @blzinterior

A linha Cachos & Crespos tem uma combinação de óleos vegetais, que é amor verdadeiro e eterno. Em cabelo crespo eles se fazem necessários, porque o óleo produzido pela raiz não chega até as pontas devido à curvatura, não importa se são cachos muito fininhos ou formato de zigzag ou qualquer outra curva que ele forma. Cabelos crespos são bem frágeis, então precisa sempre fazer uma reposição lipídica. Esse mix de óleos que a linha Cachos & Crespos é sucesso por causa disso.

O shampoo não é agressivo, e eu considero isso perfeito porque o cabelo crespo é frágil e costuma ser bem fino. Então ele limpa sem deixar nenhum aspecto ressecado.

Por fim, preciso falar que o que mais gostei nessa linha foi a volumetria. Cabelos crespos costumam demandar muito mais produto que cabelos cacheados, por exemplo. E saber que a linha toda tem opções que vão de 50ml até 1 litro é ótimo para se adequar às necessidades de cada tipo de cabelo. E também para quem quiser comprar a embalagem maior e dividir o produto com a mãe, com a irmã, etc.

Joicy Eleni – @soutipo4

A linha Cachos & Crespos mal chegou e já entrou fácil para o meu time de favoritas.

Um dos meus produtos favoritos foi o shampoo, porque tem uma limpeza suave mas suuuper eficaz! Eu moro em uma cidade muito quente, o que faz com que meu cabelo suje com mais facilidade, então eu não sou adepta da técnica de low poo e confesso que tinha um certo medo de usar produtos mais leves e não ter um resultado tão eficaz na limpeza dos fios. Mas essa linha me surpreendeu bastante. Sabe aquele shampoo hidratante, que você sente o cabelo leve e soltinho mesmo antes da máscara!?

Além do shampoo, um outro produto que me surpreendeu foi o banho de creme, que tem uma textura mais consistente e funcionou tão bem quanto uma máscara na hora de desembaraçar o meu crespo. A linha inteira é incrível e perfeita para cabelos com curvatura. O cheiro é muito gostoso e no day after eu senti meu cabelo leve, modelado (de acordo com a minha finalização) e muito macio. Mesmo amando a linha completa, acredito que shampoo e banho de creme conseguiram ser meus favoritos do momento.

Ah! E além da linha Cachos & Crespos eu também já experimentei a Botica, o que me deu bons parâmetros de comparação.

A principal diferença que eu sinto entre as linhas é em relação à limpeza, acho que a Botica consegue ser mais leve, enquanto a Cachos e Crespos mais hidratante. Ambas são formas saudáveis de cuidar do fio com curvatura. Percebo que não existe uma melhor que a outra e sim a mais adequada ao seu estilo de vida, periodicidade que lava os fios, até exercícios que faz e que possam estimular a sujeira no couro cabeludo e, sem dúvidas, o ambiente ao qual seu cabelo está exposto com frequência. Pra mim, a Cachos & Crespos está sendo ideal!

Karen Porfiro – @karenporfiro

A linha é perfeita para cabelos cacheados e crespos porque traz muita nutrição.

Na minha opinião, traz mais nutrição que qualquer outra linha da Bio Extratus. Os óleos usados na Cachos & Crespos são mais finos e, por isso, penetram muito bem no meu cabelo, que é muito fino e muito poroso.

A linha é leve e bem emoliente, fazendo com que os fios desembaraçem fácil e os cachos fiquem bem desenhados. O shampoo é feito para a low poo e é bem leve, mas ele limpa muito bem o couro cabeludo e a raiz. Logo depois, tem todos os produtos altamente nutritivos. Uma coisa que eu acho que vale a pena falar é das embalagens de 1l e finalizador de 500ml. Cabelo cacheado e crespo costuma consumir muito mais produto, e a linha Cachos & Crespos tem 2 vantagens: a opção de embalagens maiores (principalmente de finalizador!) e o fato de não precisar de tanto produto para conseguir modelar os cachos.

Acho que essa linha veio para complementar muito bem as outras que a Bio já têm!

Luciellen Assis – @luciellenassis

Meu produto preferido até o momento é a manteiga de 60 segundos, a S.O.S Cachos & Crespos.

Além de ter um cheiro maravilhoso, ela tem como ativos o óleo de abissínia e de rícino, é liberada para low poo, trata o cabelo em 60 segundinhos e ainda por cima é VEGANA! Ela desembaraçou meu cabelo muito fácil e deixou bem macio. Outra coisa que eu gostei bastante foi do shampoo, ele limpou bem e não fez meu cabelo ressecar. Eu to me dando muito bem com essa linha, diria que ela já virou uma das minhas favoritas.

Eu e Jô íamos mexer os pauzinhos para que eu pudesse receber esses produtos. Eu me dou muito bem com a linha Botica Cachos e jurava que poderia me dar bem com essa também, mas já fui avisada que é bem provável que meu cabelo pese demais. Mas como deu pra ver, consegui reunir 4 opiniões diferentes de todas as embaixadoras cacheadas e crespas da Bio Extratus, justamente para dar o feedback mais completo pra vocês! Quem usar, depois me conta?

0 em Saúde/ Sem categoria no dia 30.09.2019

Você já pensou nos riscos da roupa apertada?

Invariavelmente eu escuto de diversas mulheres que a grande motivação que as levam querer emagrecer é para caber em uma roupa. Voltar a caber em uma roupa apertada, em uma peça antiga ou mesmo vestir um look do qual elas não querem se desfazer é um argumento muito repetido nos consultórios mundo a fora. Visando emagrecer para “voltar a caber em uma roupa apertada”, mulheres comuns se dividem em muitas estratégias, nem sempre muito saudáveis, para emagrecer. O problema começa quando escolhas que não são boas são feitas para entrar num ciclo complicado que envolvem 3 variáveis: dieta x roupa x corpo.

Que atire a primeira pedra quem nunca usou uma roupa apertada na vida porque não conseguiu se desfazer dela. Por mais que todas tenhamos passado por isso tendo a me questionar o quanto isso é saudável, não acho esse hábito bom para a saúde. Nesse contexto me peguei refletindo sobre o lance da roupa e do tamanho que acreditamos ser e ter. Já falamos disso aqui, dessa vez me peguei pensando mais especificamente no impacto e nos riscos da roupa apertada.

A roupa apertada para alguns pode ser um termômetro, para outros um risco ao amor próprio. Encolher a barriga e ficar sem respirar direito para a calça fechar. Usar cintas ou modeladoras para a roupa “não marcar” ou até mesmo para diminuir um tamanho. Ou até mesmo passar o dia desconfortável por causa de tanto aperto.. Roupas que apertam são uma forma de machucar ou agredir nosso corpo? Acho que sim.

Será que as nossas prioridades não estão invertidas?

Por que estamos fazendo isso com nossos corpos? Por que estamos agredindo nossos corpos dessa forma? Não estou questionando a moda como adorno ou forma de expressão, mas sim o impacto das roupas apertadas que tão comumente fazem parte da rotina de uma mulher.

Por que não podemos entender que nossos corpos vão mudar ao longo da nossa vida?

Estamos em constante processo de evolução. A firmeza da pele muda ao longo dos anos, o formato do corpo também. Há um ganho de peso comum a idade, o nosso metabolismo que muda.

Me pergunto se estamos acolhendo esses processos naturais do nosso corpo. Aceitar que certas roupas da juventude não irão caber num corpo mais velho não deveria ser um processo natural de amadurecimento?

E não. Não estou falando que temos que nos acomodar então com essas mudanças e largar o corpo de mão, nada disso. O que proponho aqui é que temos que entender que o nosso corpo vai mudar. O número da roupa também e isso não é nenhum fracasso. Quanto mais insistirmos em usar roupas apertadas mais críticas, julgamentos e xingamentos com nosso corpo nós fazemos. Focar toda nossa atenção na parte do nosso corpo que está sendo massacrada a servir a uma roupa só nos leva a pensar que aquele tamanho não nos serve e facilmente entramos num ciclo de frustração.

E por que isso não é legal? A resposta é bem simples: Quanto mais eu acolho e sou gentil com meu corpo, mais estratégias efetivamente saudáveis eu faço em relação a ele. Cuidar do nosso corpo com amor e respeito é muito mais sustentável do que fazer planos mirabolantes por odiar esse corpo. Por fim, comprar uma roupa um pouco maior para não agredir meu corpo pode ser uma forma de passar por esse processo, bem como pensar em melhorar a minha relação com ele e com a comida que eu como. Me propor a melhorar a minha relação com a minha comida me livra do aprisionamento que são as dietas e invisto efetivamente em uma alimentação saudável. Passível de mantermos de maneira equilibrada ao longo da vida.

Acho que as vezes a gente esquece que na verdade as roupas existem para servir nosso corpo. Não o contrário. Nosso corpo não é uma massinha de modelar que pode ser transformado para servir a uma peça de roupa, a um estilo de look ou a uma tendência de moda. Nosso corpo é vivo e ele muda, precisamos reconhecer isso e trazer um pouco de paz pra essa relação.

1 em #paposobremulheres/ Comportamento/ Sem categoria no dia 23.09.2019

Pop Plus, pertencimento e uma troca sobre roupas plus size!

Olá! Me chamo Renata Brasil e fui convidada pelas meninas para dar dicas de lojas plus size aqui no blog. De início, fiquei pensando o que eu tinha de especial para fazer isso. Sim, sempre com aquela tendência de achar que não somos boas o suficiente, não é mesmo? E concluí que meu “credenciamento” vinha exatamente do que eu não tenho de especial. 

Assim como muitas de vocês, sou gorda desde a puberdade. Trabalho com contracheque mensal e sempre amei moda. Sei como é sair de lojas chorando porque nada entra. Sei como é se sentir obrigada a comprar a roupa que cabe por falta de opção. Como é querer uma peça específica e não encontrar.

Por isso, eu vim hoje trazer uma boa notícia. Estive na última edição do Pop Plus, o maior bazar de moda plus size da América Latina. E fiquei completamente surpresa com o tamanho do evento e a variedade de opções.

foto: insta @popplusbr

A intenção aqui não é indicar o Pop Plus em si, porque sei que muita gente não tem a possibilidade de frequentar por mil motivos. Mas se você tiver essa oportunidade, vá a algum, esse ou outro, sendo gorda ou sendo magra. Nada substitui a sensação de ver mulheres empoderadas e fora do padrão por todos os lados! Todas lindas, simpáticas, bem vestidas. Um clima gostoso de amizade e, principalmente, de PERTENCIMENTO! Quantas amizades eu já fiz, quanto conhecimento já troquei. 

Os eventos no Pop Plus são tão legais que, entre compras e conversas, dessa vez eu passei um total de oito horas do final de semana lá dentro. Fui sábado, não aguentei, e voltei no domingo. Esses bazares não contam só com moda; contam também com atrações. Pessoas gordas dançando, fazendo pole dance, apresentando rodas de conversa sobre situações que você e eu passamos.

Além dos debates, tem shows de dança, DJ, exposições e muito mais!

Voltando à variedade, no Pop Plus eu vi coisas difíceis de encontrar até mesmo em tamanho regular. Pijamas fofos que parecem diretamente saídos de fotos do Pinterest. Meias ¾ de lurex ou oncinha. Marca que trabalha somente com materiais biodegradáveis e consegue produzir todo tipo de peça. Enfim, uma infinidade de novidades. Fora aqueles itens difíceis para nós gordas especificamente, como anéis para dedos mais grossos, sapatos mais largos, cintos de tamanho maior, lingeries sensuais, biquinis, moda fitness. Tudo de muito bom gosto e com preços acessíveis. 

Aliás, encontrei desde tecidos nobres e recortes inusitados, até roupas mais básicas e baratas.

Muita coisa masculina também. Streetwear, acompanhando tendências como o tie dye, que está por todos os lados nas coleções de primavera-verão. Fiquei pensando no início desses bazares, que eu frequento há anos. Lembro quando, mesmo diante de várias marcas reunidas, tudo me parecia muito igual. Tecidos baratos, como viscolycra e poliéster. Peças mal modeladas, estampas com uma temática muito infantil ou senhoril. Tudo que fugia um pouco dessas tendências já se tornava muito mais caro. Que mudança! E sabem qual é a melhor parte? Muitas dessas marcas têm todos os tamanhos, para todas as pessoas. Claro, naturalmente esse é o ideal, que cheguemos ao ponto de não precisar mais discriminar nichos de moda.

Eu não pretendo afirmar aqui que está fácil.

Que agora qualquer hora que a gente quiser um mero short jeans basta correr no shopping mais próximo. Estamos muito distantes dessa realidade, mas a boa notícia é que a evolução da moda plus size é um caminho sem volta. Felizmente, esse é um ramo que vem em constante crescimento já há alguns anos, ignorando crises econômicas. Como disse uma amiga muito querida, atura ou surta!

Então eu vim trazer dicas, porque sei que, apesar do crescimento, às vezes é difícil saber procurar. Quais peças vocês têm dificuldades de encontrar? O que vocês gostariam de saber?