Browsing Category

Destaque

0 em Beleza/ Destaque/ Make-up no dia 11.02.2019

5 dicas pra escolher a maquiagem de carnaval!

Esse post não será um tutorial convencional de maquiagem de carnaval. Não acho que posso ensinar o que ainda estou aprendendo. No entanto, posso falar de algo que tenho aprendido na prática! Por isso, hoje vim contar quais produtos eu acho que são ótimas escolhas pra uma maquiagem de Carnaval. Seja bloco, festa ou camarote.

A maquiagem de carnaval tem uma licença poética que permite uma dose redobrada de ousadia sem julgamento. É hora de colocar o lúdico pra fora e fazer isso curtindo todo o processo. O único problema é que na hora que você chega no lugar da festa, tudo muda! Calor, sol e suor fazem parte da folia. Por isso, escolher os produtos certos pra sua maquiagem durar ajuda muito.

Aproveitei que queria falar disso e recorri à Mandy – do Starving – para pedir ajuda com o olho de glitter. Queria aprender a por muito brilho na maquiagem, ela me ensinou!

Pelas minhas experiências carnavalescas, acho que o principal é acertar na textura e acabamento dos produtos da pele & caprichar no olho.

1 – Primer Fix – um primer para glitter

Para ser sincera, a primeira vez que usei esse primer fixador de glitter foi agora, com a Mandy. Ela falou tão bem sobre ele, dizendo que usa sempre para ir nos blocos, e me convenci imediatamente.

Ela passou em mim e, além de ser fácil de passar, fixou super bem. Por ser transparente, ele deixou a cor do glitter bem fiel, ou seja, com um efeito prata.

Eu usei o dela, mas saí decidida que vou comprar um pra mim urgente! Antes do carnaval, é claro, pois o glitter é mais certo do que eu sair pra curtir!

2 – Base fluída – para uma maquiagem de carnaval com cobertura leve e natural!

Eu já detalhei aqui o que penso sobre essa base fluída! Apesar de ser apaixonada pela base HD, eu acredito que para enfrentar o calor dessa época do ano é preciso escolher a base com muita cautela. Vejo dois possíveis problemas que essa base ajuda a contornar: suor e transferência.

Se você vai curtir carnaval de rua, você vai suar. Assim sendo, uma base que não acumula e pesa pode ser muito mais confortável e esteticamente agradável. Uma pele suando com essa base transfere menos.

A cobertura dela pode ser bem leve se você aplicar poucas gotas, mas pode aumentar se você quiser dosar. Ela faz um resultado super natural que apesar de não ser o que eu uso na vida, é a opção perfeita para um evento como o carnaval.

1 – Primer Fix | 2 – Base Fluida | 3 – Blush Stick em bastão (cor 04)
4 – Iluminador stick (cor 01) | 5 – Batom líquido com glitter (cor Like a Moon)

3 – Stick para blush e contorno!

Se você está precisando de um blush ou contorno para usar no carnaval, mais uma vez, evite produtos que possam acumular ou pesar. Se eu vou suar prefiro usar o Stick 04 como blush ou contorno. Não importa se eu aplico direto na pele, no pincel ou na esponja. Sinto que esse produto aparece bem na maquiagem sem pesar. Ele não evidencia minhas espinhas e nem faz aquele reboco inevitável que acontece com uma make com várias camadas de produtos mais pesados.

Pra mim, dia de festança e calor é dia de blush mais cremoso. Ou seja, não deixa de ser perfeito para uma maquiagem de carnaval.

4 – Iluminador em Stick

Essa dica eu roubei da Carla. Ela é rainha das maquiagens mais naturais e não dispensa um iluminador. Tudo bem que eu também não, mas quis experimentar esse para ver o efeito e a durabilidade.

O motivo de eu ter gostado dele é o mesmo que eu citei quando falei do blush e do contorno em bastão. Ele não acumula nem pesa, o efeito é leve e natural, mas o brilho é super expressivo.

5 – O item mais versátil para uma maquiagem de carnaval? Um batom líquido com glitter!

Eu poderia botar esse batom com glitter na lista só porque ele é um batom com glitter. Mas acabei descobrindo que ele é tão versátil, tão versátil, que merece ser indicado em várias categorias.

A primeira vez que descobri que ele poderia ser usado de outras formas além de batom foi no Stories da @glamourbrasil. A maquiadora Vanessa Rozan fez uma maquiagem de carnaval e usou ele como sombra, e eu amei. Daí que Mandy resolveu testá-lo como base para o glitter, no lugar do fixador que eu usei lá no começo do post. Ela fez esse truque com o pincel nº 25 que é específico pra isso (ele é de silicone, perfeito para colocar pó solto ou glitter). Nós duas usamos o glitter 01 da Vult.

Ele grudou perfeitamente e, de quebra, ainda deu um tom rosado para o glitter. Diferente do meuu, que ficou bem prateado.

Esse produto é um perfeito 3 em 1 pro carnaval. Existem outras cores do batom metalizado, eu tenho duas e gosto muito.

As dicas para as maquiagens de glitter são realmente bem valiosas para o carnaval. Já as de pele valem para o ano todo. A maquiagem mais leve, natural e fluída ajuda quando nossos compromissos envolvem dias ensolarados ou de muito calor. Uma forma de fazer um visual bonito e mais leve, é apostar em produtos como esses que falei aqui. O verão sempre me lembra do porquê de também gostar dos efeitos de uma pele mais natural.

Quem tiver mais dica pra maquiagem de carnaval, pode chegar. Ainda dá tempo de providenciar o que falta para deixar a maquiagem de todos os dias mais confortável possível.

Beijos

0 em Autoconhecimento/ Autoestima/ Destaque no dia 07.02.2019

Palavras têm poder. Você já pensou no peso das suas?

As palavras tem poder. E por mais que pareça óbvio, nem sempre isso fica tão claro assim. Quando digo isso, não quero falar apenas da escolha de palavras positivas para atrair coisas boas ou desejar outras tantas. As palavras também podem acabar com a autoestima das pessoas. Elas têm o poder de impactar alguém positiva e negativamente, deixando marcas. E esse poder não tem força apenas momentaneamente.

Já que palavras têm poder, devemos ser mais responsáveis com as palavras que escolhemos.

Pense em casos de pessoas que carregaram medo, culpa, outras angústias e inseguranças. Provavelmente em algum momento, alguém disse algo para elas que causou isso. Algo que construiu essa crença limitante. Palavras deixam legados. Em crianças e adolescentes, elas podem deixar marcas pesadas.

Frequentemente vemos casos, seja na vida ou no grupo do Papo no Facebook, em que pessoas ficaram emocionalmente abaladas com o que para o outro foi apenas um comentário. Muitas vezes algo falado sem intenção de maldade. Apenas por falta de tato ou por falta de consciência. Só que não controlamos como o outro recebe essa informação, e isso pode ter, sim, um impacto mais profundo. Afim de evitar isso, precisamos lembrar que palavras têm poder. E que podemos dosar e rever se nossos comentários têm doses de preconceito, crueldade ou carregam algum estigma que pode fazer mal à outra pessoa.

Buscando uma escolha mais responsável e produtiva no que falamos é que a empatia se faz tão importante!

Não podemos controlar o impacto que as nossas palavras terão sobre a vida da outra pessoa que vai ouvir. Por isso, se botar no lugar do outro é tão importante.

É egoísta demais pensar que “eu sou responsável pelo que eu falo, não pelo que o outro entende”. Um argumento como esse nos isenta de pensar com responsabilidade no peso que nosso julgamento tem sobre a vida do outro. Justamente porque o outro é um ser humano, e tem suas falhas, assim como eu e você! O outro pode ser impactado de uma maneira péssima porque alguém, no auge do próprio egocentrismo, não pensou em como a outra pessoa iria se sentir ao ouvir o que foi dito.

Isso não significa que você não possa ser sincero e honesto com as pessoas que você ama. Muito menos que não possa alertar alguém que esteja fazendo que não seja tão legal. Eu sou daquelas que acredita que amizade verdadeira é aquela que puxa a sua orelha quando necessário. Porém, é possível dizer coisas duras sabendo que minhas palavras têm poder. Dessa forma, consigo encontrar um jeito que não magoe ou que prejudique a autoestima do outro.

“Ah, mas se eu viver tendo cuidado com fulana, ela nunca vai amadurecer. O mundo não é assim”.

Realmente não é, mas você pode ser! Você pode ser quem vai começar a mostrar às pessoas ao seu redor que podemos ser mais amorosos, cautelosos e gentis com quem gostamos e convivemos. Pessoas diferentes respondem a estímulos diferentes, nem todo mundo reage de forma positiva e produtiva à comentários cruéis.

Tenha sempre em mente que as palavras têm poder. Mesmo quando parecem brandas, mesmo quando parece que não é grave. Nós não estamos na pele do outro para saber a dimensão que isso pode ter. Por isso, e justamente por isso, é importante que sejamos sempre empáticos e façamos o possível para se colocar no lugar do outro.

Traga pra você: seria útil e proveitoso receber esse conselho? Ótimo, dê o conselho sem diminuir o esforço do outro, escolha bem as palavras. Você se magoaria com as palavras que está usando? Se sim, reformule a frase. Ao repensar, viu que era apenas um julgamento por você pensar diferente do outro? Repense se vale a pena impor sua verdade, dado que seus valores são diferentes!

Dar o verdadeiro peso para o legado das nossas palavras é também um ato de auto responsabilidade.

Quanto mais refletimos sobre o que realmente queremos dizer, menos julgamos o outro a partir do nosso umbigo. Projetamos menos de nós nele e assim podemos aprender mais com essa troca.

Esse cuidado pode mudar completamente a nossa forma de se expressar e, consequentemente, melhorar significativamente a qualidade das nossas relações.

Trabalhar a nossa autoestima de uma forma generosa é entendermos que temos responsabilidade com o processo de desenvolvimento da autoestima do outro. Então, que tal não prejudicarmos a autoestima de quem a gente ama? Que tal assumirmos que nossas palavras têm poder e entender o que podemos fazer para sermos melhores?

Veja também:

0 em Autoestima/ Destaque/ entretenimento/ séries no dia 06.02.2019

Andi Mack, um seriado adolescente para discutir sobre autoestima

Andi Mack é uma série familiar e de comédia do Disney Channel, que eu nunca tinha ouvido falar até pouco tempo atrás. A primeira temporada entrou no Netflix aqui no Brasil, eu resolvi assistir. Mesmo sendo uma série para famílias eu confesso que quis assistir. Cada dia mais estou interessada em séries e filmes que reforcem a autoestima das adolescentes e pré adolescentes. E esse é exatamente o caso, então agora vou indicar!

Nas minhas férias devorei os 13 episódios da primeira temporada que subiram no Netflix. O seriado conta a história de Andi, que ao fazer 13 anos lida com a revelação do maior segredo de sua vida. A partir daí, ela precisa encarar uma transformação que muda sua vida de forma prática. Principalmente no que diz respeito à sua percepção de si mesma, com muitas transformações emocionais.

Se você tem uma pré- adolescente em casa com problemas de autoestima, eu realmente recomendo assistir Andi Mack. De preferência, juntas!

Fica claro que o peso que colocamos na beleza (principalmente dentro do padrão) é exagerado. Além disso, ela conta alguns dramas bacanas quanto ao papel do jovem na turma do colégio. Também redesenha valores de forma bem clara, que dão abertura para conversas e ensinamentos.

Agora começa o Spoiler suave!

A série mostra preconceitos nascendo e barreiras emocionais atrapalhando relações familiares, como na vida real. No entanto, tem um ponto na primeira temporada que eu achei bem fraco: o papel da mãe. Não digo da mãe que criou Andi – e que, na minha opinião, exagerou na rigidez. Falo no papel da mãe biológica, que ao reassumir esse papel na vida da menina não se coloca como mãe.

Pra mim, a falta de responsabilidade da mãe biológica acaba sendo romantizada em alguns momentos. Só não dá muitos problemas por dois motivos: Primeiro é uma série, então o efeito lúdico dá uma licença poética. Certamente os desfechos seriam outros se não fosse uma história de ficção.
Segundo, Andi Mack é super atenta, boa pessoa e responsável.

Na terapia acabo entendendo a importância da mãe se colocar no lugar de mãe e do filho se colocar no lugar de filho. A dinâmica de preservar os papéis originais me parece de extrema importância pra saúde mental das pessoas. Assim sendo, essa seria a minha única crítica a essa série que aborda tantos temas legais.

Diálogo, cabelo cacheado, quebra de estereótipo de beleza. Namoro, beijo, amizade e tantos outros assuntos tão importantes de tratar com adolescentes.

Vejo que a busca por se entender como individuo e perceber seu novo lugar na sua família dá a Andi Mack muitas oportunidades de nos ensinar.

Enquanto ela aprende sobre sua beleza, nós aprendemos sobre as inseguranças de uma adolescente. Ela descobre ao longo da série que muitas das crenças que carrega são padrões repetidos, que nem sempre são verdadeiros. Quando ela começa a desconstruir verdades socialmente ensinadas, ela começa a ver seu valor. De quebra, mostra pra gente como mudar de postura pode transformar a adolescência em algo muito melhor.

Queria eu ter entendido o real sentido da autoestima quando tinha 13 anos. Queria eu ter notado que existiam belezas além do padrão. Queria eu ter notado que todos os corpos podiam usar todas as roupas, dançar ou mesmo andar de mãos dadas com o menino mais legal da sala.

Acho que as crenças limitantes que fui aprendendo quando adolescente se perpetuaram por muito tempo, me paralisando. Enquanto eu podia estar curtindo, estava rezando pra ser diferente, me conformando que eu nunca teria oportunidades. Eu estava me odiando quando podia estar aprendendo a me amar. Por isso toda série ou livro que acharmos que reforça a autoestima e a segurança de adolescentes, será post aqui. Andy Mack é mais um desses.

O #paposobreautoestima a é sobre reversão de danos para mulheres de 30 anos, mas pode ser sobre prevenção de baixa autoestima para adolescentes.

Então, sejamos mães melhores, e vamos estudar e refletir como ajudar no processo de empoderamento das meninas do futuro. Para que a gente consiga ensinar sobre a verdadeira autoestima e toda a força que ela nos dá.

Acho que se eu tivesse uma filha de 10 anos agora, certamente estaria assistindo essa série com ela. Explicando todos os meus valores no meio do caminho. Aproveitaria esse tipo de conteúdo pra deixar um legado de amor próprio.

Você tem mais alguma série, livro ou filme pra me recomendar? Quero assistir tudo que eu puder para entender como o entretenimento produzido hoje pode quebrar paradigmas amanhã!