Browsing Category

Beleza

0 em Beleza/ Cabelo/ Destaque/ Patrocinador/ Sem categoria no dia 28.01.2019

Combinação de químicas: como tratar o cabelo com química em casa

Outro dia estava escrevendo um texto para o blog da Bio Extratus, o Naturalmente Bonita, e me peguei contando sobre meus tratamentos para o meu cabelo. Quem me conhece há mais tempo, sabe que eu aliso o cabelo, mas além do alisamento eu também descoloro os fios com luzes e uso a tinta de Bio Extratus Color. Obviamente um cabelo com combinação de químicas precisa de tratamento, por isso, tenho bons cuidados em casa. 

Sem a menor intenção, eu montei um cronograma que deu muito certo pra mim.

Por isso, hoje vou dividir com vocês um pouco sobre as linhas que uso pra tratar cabelo com combinação de químicas:

Essa é a combinação que achei ideal para o meu cronograma.

Para a rotina, sempre uso a linha Neutro, afinal, ela nunca pesa meu cabelo. Ela hidrata e nutre de forma bem equilibrada e funciona como minha linha coringa do dia a dia. Também gosto muito de recorrer à linha Botica Arnica e Menta pra quando preciso de um produto muito leve pros fios. 

Toda vez que meu cabelo precisa de um tratamento mais forte, eu uso a linha Pós-Química, que eu carinhosamente chamo de Abacate. Essa linha é para todo mundo que precisa de um produto que vai nutrir e ajudar a lidar com o cabelo mais seco por conta de coloração e/ou escovas alisantes. Pra mim essa é A linha pra tratar meu cabelo quando ele precisa. Meus produtos preferidos dela são: a manteiga e a máscara, ambas já protagonizaram posts meus e da Carla aqui no blog. 

Para finalizar, quase sempre opto pelo Spécialiste Resgate. Pra mim, ele é o melhor finalizador para cabelos química (e com combinação de químicas) que eu já usei. A linha é toda pensada pra resgatar a massa do fio, oferecendo um tratamento reconstrutor. Confesso que ando precisando testar essa linha toda de novo, mas o finalizador eu não consigo substituir. Pro meu fio, ele é simplesmente O MELHOR. 

Escolho qual a linha quero usar de acordo com a necessidade do meu fio. Montei assim meu cronograma pessoal pra cuidar desse cabelo quimicamente – e duplamente – danificado e tem dado super certo. Costumo parar quando lançam alguma linha nova, mas sempre que dá um espaço maior entre lançamentos (ou quando é um produto que a Carla ama e fala mais), eu volto a combinar esses produtos. 

Qual meu maior segredo de tratar o cabelo em casa? 

Esse cronograma feito meio que sem querer dá super certo para mim. Acredito que quem tem cabelo com química também pode curtir a combinação!

Mas no meio dele tem um produto que se destaca para todo mundo. O segredo (nem um pouco guardado) que eu costumo chamar de MELHOR cartão de visita da Bio Extratus: a manteiga de ABACATE. 

Acho que esse é o produto mais democrático que eu já vi!

O que o sachê Pós-Química tem de especial?

Alguns (dos muitos!) feedbacks que já recebemos! Com leitoras com os mais variados tipos de cabelo. Com combinação de químicas, com uma química e até mesmo com cabelos virgens.

Esse não é o produto mais famoso à toa. Tem uma razão pra isso e é sobre ela que quero falar aqui. A linha Pós-Química tem abacate, que é rico em vitamina E, ácidos graxos e aminoácidos. É um ingrediente antioxidante e hidrorreparador. Além dele, que sempre foi item indispensável de máscaras caseiras, o produto também tem jojoba. Pra quem não sabe, ela é considerada uma ceramida vegetal que normaliza a produção natural da oleosidade do couro cabeludo, sendo rapidamente absorvida e hidratando sem deixar residual oleoso. Outro elemento indispensável da linha é o óleo de palma, também conhecido como azeite de dendê. Ele tem alta concentração de vitaminas e é rico em ácidos graxos, como ômega 6 e 9.

Nem preciso dizer que a manteiga de abacate é um tratamento de choque, né? Com toda a qualidade Bio Extratus, esse sachê trata os cabelos, restaurando e nutrindo profundamente os fios. Por ser um tratamento intenso, a frequência ideal para mim costuma ser quinzenal para o resultado ser tão maravilhoso. O produto faz um filme protegendo a camada externa da fibra capilar, e deixa o cabelo muito macio. Sem dúvida dá pra notar na hora um condicionamento imediato, o produto age em menos de 60 segundos. Podendo ser utilizado, inclusive, logo depois da química.

Como usar a manteiga de abacate?

Após lavar os cabelos com shampoo, aplico a Manteiga de Abacate da altura da orelha pra baixo. Depois pego o excesso e vou massageando da raiz até as pontas. Enxaguo e pronto, o cabelo fica muito macio, tratado e seca com uma textura maravilhosa. Quem tem pouco cabelo pode fracionar a dose, eu costumo usar uma ou no máximo duas vezes. 

Sem dúvida esse produto é o segredo – nada bem guardado – que eu uso para tratar meu cabelo em casa.

Ter cabelo com química demanda mesmo cuidados na rotina. Com combinação de químicas, então, mais ainda. Esses são alguns produtos que me ajudam a manter a descoloração, a tinta e o alisamento em dia, sem alterar a saúde dos fios do meu cabelo. 

Espero que tenham gostado.

Beijos

Você gostou dessa linha? Leia os outros posts sobre ela no blog:

2 em Beleza/ Make-up/ Patrocinador/ pele no dia 25.01.2019

Pó compacto: Maquiagem, pele, durabilidade e oleosidade

Se você tem pele oleosa e briga com brilho e durabilidade de maquiagem, já deve ter pensado em usar pó translúcido, certo? Se esse item é uma demanda pra você, chega aí!

Como vocês sabem, eu vivo em paz com minha pele oleosa e acne eventual. Sempre cuido de pertinho do que passo no rosto e busco alguns produtos pra me ajudar a conter a oleosidade da testa. Eu sei que apesar de ser normal e inerente de muitos seres humanos, é algo que me incomoda um pouco. Por isso, acabo tendo uma demanda por produtos que me ajudem a deixar a pele mais opaca. Não só para ficar com o mínimo de oleosidade possível, mas pra não acumular mais sujeira e ter mais espinhas.

Você está nesse mesmo barco do brilho e oleosidade? Ou apenas deseja selar bem o corretivo ou apenas curte produtos pra finalizar maquiagem? Acho que o post de hoje vai conversar com você.

Tudo começou há uns dois anos, quando uma amiga me apresentou o pó compacto translúcido da Vult. Até aquele dia não lembro se já havia usado algum produto da marca, creio que não. Como essa minha amiga é minha guru de maquiagem, eu sabia que seria coisa boa. E não só amei, como troquei com ela. Dei meu Lip Gloss da Dior em troca do pó compacto translúcido. 

Ele é tão bom, mas tão bom, que é o líder de mercado do país.

Vocês podem imaginar que nesse país enorme, esse é o pó compacto mais vendido segundo a pesquisa da Nielsen?  

Acho que esse dado deixa claro que eu não sou a única a ser apaixonada por esse produto. Ele tem uma textura bem fininha, que deixa o acabamento da maquiagem bem natural, sem pesar. Eu uso pra selar a maquiagem na zona T (da testa e nariz, que são bem oleosas) e no corretivo. Ele também é super fina e não ressalta as linhas da pele.

Quando o assunto é pó compacto translúcido, esse é uma opção SENSACIONAL pra cuidar da maquiagem, do brilho e da durabilidade da pele. Ele não é o preferido à toa.

No release enviado pela marca, ele é definido assim:

“O Pó Compacto Vult é ideal para finalizar a maquiagem da pele, promove acabamento aveludado e remove o brilho do rosto. Possui pigmentos minerais micronizados que proporcionam efeito naturalmente bonito. Enriquecido com Vitamina E, é livre de fragrância.
Sua embalagem exclusiva possui duplo compartimento para guardar a esponja e que oferece espelho embutido para retoques.”

Joana, mas o que você procura num pó translúcido?

Eu procuro isso tudo que o release promete (e cumpre!). Mas uma outra coisa que eu faço com ele é o retoque. Normalmente os únicos produtos que eu uso pra retocar maquiagem na rua são: pó translúcido e batom. No mais não costumo retocar nada. Ele vem com uma esponjinha que é perfeito para isso. Eu, inclusive, conheço gente que tem esse produto em casa e na bolsa, pra não correr o risco de ficar sem.

Quando eu começo a suar ou já estou muito tempo de maquiagem, eu só tiro ele da bolsa. Pressiono a esponja levemente sobre o rosto com movimentos suaves, até obter o efeito desejado. Sem arrastar, sempre com batidinhas pra não desfazer nada na maquiagem. Em casa eu prefiro finalizar com pincel, o que confere um efeito mais leve e natural.

Antes e depois de um exemplo comum onde aplico com batidinhas na zona T.

Esse é um produto que eu não me imagino sem no verão. Em dias que quero o resultado mais leve do mundo, costumo passar bem pouco ou apenas levo pra retocar. Mas de uma forma geral, usar um pouquinho desse pó compacto é um hábito de rotina. Seja para selar o corretivo ou diminuir o brilho. Em casa, na rua ou viajando, esse é um dos poucos produtos que não acho que pesam demais a pele ao longo dos retoques.

O pó compacto da Vult é barato (na internet tem entre R$20 e R$28), vem com esponja e espelho. No meu caso, o translúcido funciona super bem, mas existem outras cores disponíveis.

A Vult está conosco no #paposobreautoestima, mas a gente escolhe a dedo quais produtos aparecerão por aqui.

Optamos por falar daqueles que já estamos usando há um tempo, amando muito e notando que vale a pena cada real investido. A Vult e seu slogan “você do seu jeito” tem tudo a ver com o que a gente conversa por aqui. Ninguém quer que nenhuma mulher se torne refém de maquiagem, mas se a gente começar a ter um olhar mais livre sobre ela, iremos poder nos expressar cada vez com mais alegria, cores e ousadia. Externando de acordo com a nossa vontade, um pouco mais da nossa personalidade.

Liberdade não é você ser obrigada a parar de usar algo, é você poder escolher como e quando vai usar. Para atender suas demandas cada vez mais pessoais. Tem sido libertador usar a maquiagem de forma mais livre, acolhendo cada vez mais quem nós somos, do jeito que somos!

Se você procura por base para pele oleosa, primer fluído, ou por nossos produtos preferidos, também vale ler esses outros posts aqui:

Pele oleosa, maquiagem & minhas bases!

Melhores do ano: Primer fluido da Vult!

10 produtos de beleza da Vult que valem a pena experimentar!

0 em Convidadas/ corpo/ crônicas no dia 25.01.2019

A gordofobia nada invisível na minha família

Pertenço a uma família que as curvas predominam. Sorrisos e quadris largos. Gargalhadas altas, muita força e garra para lutar e chegar aonde quer. Paralelo a isso, um desejo absurdo de não ser o que realmente é. São anos tentando se encaixar em padrões injustos e cruéis de magreza.

E cada passo revela a gordofobia presente ali.

O bonito está no outro, provavelmente naquela moça alta e magra ali, não em mim. Dia desses ouvi alguém falando para minha filha:

– Come tudo para ficar alta e esbelta como a Crecilda! – Nome fictício para a única prima magra da família, que naturalmente deve ter puxado o biotipo da família do pai.

Bateu uma revolta! Medo de que ela acredite que ser bonita é estar dentro de um padrão X ou Y. Porque ela não pode ser bonita como a mãe? Só porque a mãe é gorda e bem resolvida com isso?

Gorda também é feliz, tem vida sexual, sucesso profissional, namora, casa, tem parto normal, amamenta, dança, usa biquíni no verão, se diverte, é bonita.

Dá para ser tudo que quiser na vida, sem arredar um passo de ser quem você realmente é. Ou sem diminuir um manequim.

ilustra: uma brocolis

E é exatamente assim que me sinto. Às vezes me incomodo e logo percebo que meu incômodo vem dos outros. Vem dos olhares maldosos. Vem do julgamento de “fulana está linda, emagreceu que é uma beleza”, sem se importarem com o motivo real do emagrecimento.

Será que não cogitam perguntar para uma pessoa se ela está realmente bem diante de um emagrecimento repentino? Pode estar triste, pode estar doente, passado por um trauma. Nem todo emagrecimento é proveniente de uma conquista feliz ou saudável. Isso só estigmatiza. Por que gorda é que está sempre com a saúde em risco?

Preocupação seletiva nada mais é que disfarce para preconceito.

Na família, a contagem é aproximadamente a seguinte: duas bariátricas, depressão e alguns transtornos alimentares. O resultado dessa soma? Uma tristeza profunda de poucos enxergarem a sua verdadeira beleza. Aquela que ilumina todo e qualquer ambiente, beleza que sobra e transborda por aqui. A que vem de dentro.

Estive hospitalizada logo depois do parto do meu quarto filho. Uma bactéria forte contraída no bloco cirúrgico quase me levou à morte. Foi mais de um mês entre idas e vindas ao hospital, outras três cirurgias. Emagreci muito e o curioso foi o efeito que isso causou nas pessoas. Até familiares acharam bom o fato de eu ter emagrecido, mesmo nesse contexto. Mesmo sendo resultado de um grave problema de saúde. O emagrecer a todo custo vale até neste quesito.

Sabe o que dói? Por mim mesma, me sinto ótima, me acho linda e sexy. Só que os dedos continuam apontados, percebo o olhar atravessado, a alfinetada nos almoços de domingo. Fico me perguntando quando as mulheres irão perceber o quanto são realmente lindas? Quantas meninas da família ainda ouvirão que precisam emagrecer para agradar alguém? Que a beleza dos quadris e sorrisos largos não é o suficiente, que é preciso emagrecer mais pra ser feliz?

Hoje me preocupo com elas, com as outras mulheres da minha e de tantas outras famílias. Porque quanto a mim, diante de um espelho, visto meu vestido retrô que amo, calço uma sapatilha para correr atrás da cria, capricho no delineador, passo batom vermelho e sinto-me linda. Exatamente como toda mulher deveria se sentir. Exatamente como desejo que elas se sintam.

Você pode ler outros textos do blog também:

Você se submeteria a qualquer coisa pra emagrecer?

A gordofobia da sua mãe é sobre ela, não sobre você!

Preocupação com a saúde vs. Gordofobia