3 em Book do dia/ Comportamento/ Destaque no dia 06.11.2019

Book do dia: Te devo uma, de Sophie Kinsella

Depois da duologia de Octavia Butler, eu fiquei com uma lista de livros pra ler. Muitos são histórias reais, de realidades que não conheço. Outros são um aprofundamento de estudos que venho fazendo. Tudo leitura meio densa, pesada, mas todas dentro do que estou procurando.

Quando vi que Sophie Kinsella tinha lançado um livro novo, apertei o botão do comprar sem nem pensar muito, confesso. Achei que seria uma boa ideia dar uma pausa de tanta coisa para uma leitura despretensiosa. Coisa que Sophie é muito boa, convenhamos.

Na verdade, eu passei um período meio de bode da autora por causa de sua personagem principal, Becky Bloom. Mas Sophie ainda tem a mão de comédias românticas, e é isso que Te Devo Uma significa.

Fixie Farr é a filha mais nova de uma família que comanda uma loja tradicional de bairro em Londres. Uma mulher que se acha fracassada e inferior aos outros 2 irmãos, mas que vê sua vida mudando ao fazer um grande favor para um desconhecido.

A autoestima profissional de Fixie é um caos. E acho que por isso mesmo essa foi a personagem que eu mais me identifiquei em todos os livros de Sophie Kinsella. A dificuldade dela de expressar ideias porque já presume que não são legais o suficiente. A paralisia quando ela precisa enfrentar alguém que ela considera ser melhor que ela. O medo de se impor (que ela chama de corvos rodeando sua cabeça, uma analogia que eu achei muito apropriada, inclusive). Eu tenho muito disso, e consegui simpatizar com Fixie imediatamente.

Outra coisa que me surpreendeu é que percebi um cuidado maior de Sophie em dar às suas personagens atitudes mais feministas. Algo que não me incomodava lá no início, com Becky Bloom, mas que foi chamando atenção com o tempo.

E por último, um dos elementos que mais gostei é algo que ela já tinha abordado em seu livro anterior, Minha vida (não tão) perfeita: aparências. Sobre como muitas pessoas vestem uma capa de perfeição que, na verdade, é bem provável que seja uma mentira.

Enfim, se você está procurando uma leitura leve, rápida e que te deixe com um sentimento gostosinho, vai fundo em Te Devo Uma. E depois me conta. :)

Gostou? Você pode gostar também desses!

3 Comentários

  • RESPONDER
    Clara
    07.11.2019 às 16:23

    Joana e Carla,
    Não precisam aprovar esse post. Só queria um espaço neutro para escrever algumas coisinhas para vocês. Adoro os rumos que o F-utilidades tomou, focado mais nas questões de autoestima e empoderamento feminino. Participava do grupo há até alguns dias atrás, quando resolvi sair, pois, de alguma forma, senti que não era mais um lugar “seguro”e empático. Pode ser apenas uma percepção equivocada, mas senti em algumas discussões que os rumos tomados eram totalmente contrários à própria ideia do grupo; um certo linchamento no post de uma influencer de finanças, por exemplo. A grosseria de algumas participantes mais famosas na forma de darem as suas opiniões (aliás, sentia que não eram opiniões e sim mandamentos); a diminuição de alguns tipos de problemas por não se encaixarem em certos padrões (todo mundo sofre algum tipo de pressão, mesmo os que têm mais privilégios). Ressalto que nada disso aconteceu comigo, foram coisas que percebi sendo uma participante quase fantasminha.
    Talvez sejam questões pontuais, mas, como disse acima, me causaram um certa tristeza e inibição em participar das discussões do grupo. A empatia é algo que muitos cobram, mas poucos realmente praticam. Isso poderia gerar um bom debate, inclusive.
    Isso não é uma crítica a vocês, longe disso. Vocês são super sensatas e acolhedoras, por isso criei coragem de escrever. Só me senti desconfortável com algumas situações no grupo e quis compartilhar, até pq outras pessoas podem se sentir assim.

  • RESPONDER
    Heloisa Altenburg
    12.11.2019 às 9:58

    Oi meninas,eu sou mega fã da Sophie! e ela tem livros ótimos tirando a Becky! Um dos que recomendo além desse(que estou lendo), é “quem vai dormir com quem” e “minha vida não tão perfeita” e “Mas tem que ser mesmo para sempre?”. São muito bons,de verdade.

    • RESPONDER
      Carla Paredes
      13.11.2019 às 11:17

      A minha vida não tão perfeita tem resenha aqui. Esses dois outros eu não vi, vou procurar! Brigada pela dica!

    Deixe uma resposta