0 em Autoestima/ Relacionamento no dia 03.10.2019

Será que é mais fácil mudar de país acompanhada?

Eu e meu marido nos mudamos para o Canadá há um ano. E desde que eu me mudei, uma das coisas que eu mais ouço é que “mudar de país acompanhada é mais fácil”. Eu não sei bem se é assim.

Óbvio que ter colo e companhia diante de uma experiência tão impactante como mudar de país pode, sim, ser fundamental.

Ter alguém para ajudar nas conta é bom. Ter alguém com quem dividir a solidão e a experiência, de fato ajuda. E essa pessoa ser também aquela com quem você escolheu dividir a vida pode mesmo ser importante. Pode estreitar o relacionamento, torná-lo mais forte e cúmplice, aumentar a parceria.

Porém, o que vejo com muito mais frequência, é o oposto acontecer. O desafio de uma outra cultura pode criar atritos entre um casal. A divisão de tarefas domésticas pode não ser tão justa, principalmente se um dos lados da relação não colabora. A carga mental se torna muito mais pesada, principalmente para mulheres. O idioma pode ser uma barreira para uma das pessoas – ou ambas. Isso impacta diretamente nas atividades sociais e também no trabalho, já que quando não se domina um idioma em certo nível, os tipos de trabalho que aparecerão poderão ser bem diferentes dos que se tinha no Brasil. As tarefas e carga horária podem ser mais pesadas, e o salário, curto.

“Quer que eu fique?”

Em meio a tanta pressão, sobrecarga de tarefas e uma certa decepção em relação ao que se imagina sobre a qualidade de vida de quem mora fora, as vezes é difícil manter o equílibrio. E desse jeito, muitas relações podem ficar seriamente abaladas e até mesmo não resistirem.

Mudar de país já é algo que te muda muito e que exige muito de você. Por isso, ter que lidar com as expectativas e frustrações do outro pode acabar sendo, sim, muito mais pesado do que carregar apenas a sua própria bagagem.

“Sim”. – ilustra: Agathe Sorlet

É importante acabar com esse estigma de que coisas que se faz com outra pessoa são mais fáceis. Não me entenda mal. Como eu disse ali em cima, quando você escolhe uma pessoa realmente legal e tudo é combinado antes ou durante a jornada, vocês vão conseguindo se ajustar. Isso é mesmo muito bom. Eu vivo isso e posso afirmar. Mas, ainda assim, é importante acabarmos com essa ideia de dependência emocional de um parceiro para se tomar grandes atitudes na vida. Porque pessoas erram, falham, e pode ser que essa pessoa seja você ou o seu parceiro.

Mantenha sempre a sua autoestima num ponto em que você seja capaz de fazer tudo sozinha. Até mesmo o que não deveria ser feito apenas por uma pessoa. Quando estamos seguras à nosso respeito, das nossas capacidades e vontades, fica muito mais fácil encarar qualquer desafio.

Gostou? Você pode gostar também desses!

Sem Comentários

Deixe uma resposta