0 em Autoestima/ Destaque/ maternidade no dia 19.09.2019

Para você que está se sentindo uma mãe bosta

Dizem que a culpa nasce no mesmo momento que nasce um filho. Eu a conheço bem, assim como provavelmente todas as mães. E alguns pais. Há 2 anos esse é um assunto que volta e meia aparece na minha terapia e eu vou aprendendo a lidar – e bloqueá-la sempre que possível. Mas hoje me senti uma mãe bosta. O que me pegou de surpresa, porque geralmente essa sensação vem acompanhada de muita culpa. E culpa é algo que eu trabalho muito. Então decidi contar.

Mas antes, queria só deixar claro qual o conceito de mãe bosta.

Para começo de conversa, ele é bem diferente da ideia de “mãe de merda”. Essa é a mãe que ignora qualquer cartilha de perfeccionismo ouvindo seu instinto e respeitando as possibilidades e a individualidade de seus filhos. Ela sabe que não está seguindo todas as dicas do que é bom fazer, mas também sabe que está fazendo tudo que está ao seu alcance. E está tranquila com suas escolhas. A “mãe de merda” eu diria que é uma etiqueta de rebeldia com orgulho.

Já a mãe bosta é aquela que acha que está acertando, mas se vê em algum momento questionando sua maternidade. E se enche de culpa, e preocupação. Parece que grudaram um papel na testa com letras garrafais escrito “MÃE BOSTA” e tá todo mundo julgando. Ela dimensiona o motivo que a fez achar que merece tal título de tal forma que mal enxerga que, se corrigisse as proporções do “problema”, acharia soluções possíveis rapidamente.

Se você já se sentiu assim, ou está se sentindo, bem vinda ao clube.

Mas não vim aqui contar os meus motivos, vim aqui dar umas notícias aliviadoras. Para começar, o selo de mãe bosta mais é um estado de espírito (bem ruim, diga-se de passagem) do que um título permanente. Geralmente ele é imperceptível ao olhar alheio, mas caso você resolva dividir com outras mães (o que eu aconselho), vai descobrir muita gente para compartilhar experiências parecidas.

Tá tudo bem achar que está errando em algo. Aliás, pelo o que eu pude ver nesses quase 4 anos sendo mãe, se você não acha que tá fazendo algo errado, é aí que a coisa tá errada. rs Mas não tá tudo bem transformar isso em um rótulo. E permanecer com a culpa por tempo indeterminado.

Bote a sua cabeça de volta no lugar. Reajuste as dimensões dos seus sentimentos. E depois vem me contar se você continua se achando uma mãe bosta. Confesso que depois desse desabafo, eu já voltei a me sentir apenas uma mãe que estava fazendo o possível. ;)

Gostou? Você pode gostar também desses!

Sem Comentários

Deixe uma resposta