0 em Autoestima/ Comportamento/ Destaque/ maternidade no dia 09.07.2019

A barriga grande e o nascimento do juízo de valor

Arthur está em uma fase de comparações. É comparando que ele sabe o que está perto ou longe. O que é alto ou baixo. O que é grande ou pequeno. E isso acaba refletindo como ele se enxerga e enxerga as coisas ao seu redor.

É fofo demais de se ver, não nego. E por causa disso, deixo ele muito livre para falar sobre suas percepções. É nessas horas que ele fala coisas como: “mamãe, seu peito é grande” ou “meu pé é pequenininho”.

E é nessas horas também que ele diz: “que barriga grande a sua”.

É impressionante ver como isso incomoda os adultos. Não importa o peso na balança, o constrangimento fica explícito na cara das pessoas que ouvem essa frase de uma criança. As vezes nem foi a pessoa que recebeu a frase. Gente que tá perto, mas tem essa crença super construída dentro de si nem disfarça. E foi nessa situação que aconteceu uma conversa interessante, que me mostrou como acontece o início da associação de peso x beleza.

Vou transcrever o diálogo aqui sem tirar nem por, porque acho que é uma forma mais eficiente de fazer com que meu ponto seja entendido.

“Arthur acabou de dizer que a barriga de X é grande. Tá vendo como, mesmo sem nem ensinar, já tá na cabeça que é feio?”

“Mas que horas ele disse que é feio?”

“Ué, ele acabou de falar que X tinha a barriga grande. E isso é feio.”

“Mas isso é você que tá dizendo, não ele. Ele não acha nem feio nem bonito. Mas se você continuar repetindo isso perto dele, ele vai começar a achar que ter barriga grande é feio. E depois sou eu que vai ter que se virar para tirar isso da cabeça dele. Se é que eu vou conseguir. Então, por gentileza, bora prestar atenção nas mensagens que estamos passando perto dele.”

A conversa seguiu mais um pouco. Foi para lados preocupantes. Onde acabei me tocando que, por mais que eu tivesse tentando blindá-lo desse tipo de associação, a sociedade ainda poderia convencê-lo do contrário. Que em algum momento a mensagem de que pessoas gordas são feias poderia atingi-lo.

Mas eu estou fazendo minha parte. Quero muito que em algum momento, a gente volte para nossas impressões infantis e lembre que ser gordo é apenas uma constatação. Assim como ser magro, alto, baixo. Sem juízo de valor. Vamos continuar juntas.

Gostou? Você pode gostar também desses!

Sem Comentários

Deixe uma resposta