0 em Moda/ Patrocinador no dia 30.04.2019

Homewear e o conceito da roupa que vai do sofá para a rua

Chega Dia das Mães e muitas vezes fico um pouco irritada. O primeiro motivo costuma ser a quantidade de cartão com mensagens que romantizam a maternidade de uma forma bem exagerada. Quase uma mulher maravilha – e gente é complicado demais manter essa imagem! E isso não foi algo que passou a me incomodar depois que fui mãe. Não é à toa que todos os cartões de Dia das Mães que eu fiz foram escritos do zero, de acordo com o que eu estava sentindo na época.

O segundo motivo é que eu detesto os produtos que costumam aparecer nos comerciais como sugestão. Aspirador de pó, livro de culinária, balança, panela….Eu só não vou reclamar tanto dessa parte porque realmente tenho visto uma melhora enorme dessas sugestões de um tempo pra cá. Vamos ser justas. rs

Só que não vim aqui para falar sobre isso. Vim aqui para contar sobre o Dia das Mães Marcyn. E, sendo muito sincera, não poderia ser mais a minha cara.

E o que é? HOMEWEAR!

Na verdade, nem sempre foi a minha cara. Eu só passei a valorizar de verdade uma boa roupa pra ficar em casa depois que eu tive filho. Não, isso não é uma regra. Inclusive, amaria ter visto o verdadeiro valor do homewear antes. Antes de ser mãe, ou eu era aquela que estava em casa com a roupa que tinha saído ou a que estava de pijama. Como eu sempre trabalhei de home office, eu até fiz algumas tentativas de me arrumar para trabalhar em casa. Mas na maior parte do tempo eu não tinha um meio termo. 

Depois do ano que eu passei todinho com o Arthur ainda bebê (2016/2017), eu comecei a sentir necessidade desse meio termo. Ficar de pijama o dia inteiro me deixava meio deprimida, com uma sensação que o dia não tava passando. E eu só me arrumava mesmo quando ia sair, o que no inverno ficou um pouco mais difícil. Foi nessa circunstância que eu passei a procurar peças confortáveis, que me permitiriam sair na rua ou ficar em casa.

Quando eu fiquei sabendo da campanha, a primeira coisa que eu fiz foi perguntar que tipo de roupa seria. Porque vejo muita marca confundido homewear com sleepwear. E aí vemos roupas com modelagens bacanas, confortáveis e boas para ficar em casa (ou dar um pulinho na rua, ou na portaria, sei lá), mas com estampas que lembram camisolas e pijamas. Ou seja, basicamente trocando o 6 por meia dúzia.

Por isso, quando fiquei sabendo qual era a proposta do Dia das Mães Marcyn, eu amei.

Vou deixar aqui algumas das opções que eu acho que mais funcionam para essa proposta “de casa para um pulinho na rua” que tanto me agradam no conceito de home wear:

Short e regata estampa Romã | Vestido preto
Blusa e short mescla | Camiseta e calça Romã | Camiseta e calça lisos

Sim, a calça e o short de algumas peças que eu escolhi aqui se encaixam mais na categoria pijama. Mas isso não impede de só trocar a parte de baixo e continuar com a parte de cima caso precise sair rapidinho. :D

Não só porque é o tipo de coisa que eu amo ganhar, mas também porque eu acho que é o tipo de presente que consegue expressar a preocupação com o bem estar de quem a gente ama. De querer dar conforto e carinho em um só presente.

Além disso, estou amando acompanhar a ação que a marca está fazendo nas redes sociais. Mulheres estão homenageando suas mães e fazendo fotos bem lindas juntas. <3 É muito amor.

Vai dizer que não é bacana?

Para quem já quiser garantir o presente (seja para a mãe, seja para você mesma), só hoje o frete é grátis para todo o Brasil!

Gostou? Você pode gostar também desses!

Sem Comentários

Deixe uma resposta