0 em Autoconhecimento/ Autoestima/ Destaque no dia 17.04.2019

Chances existem para que a gente também use com nós mesmas

Todo mundo conhece alguém que é assim. Se não conhece, você é essa pessoa. Uma pessoa que acredita nos outros e acaba dando muitos votos de confiança. Alguém que acredita em segundas chances. Mas quando se trata de si mesma, é implacável e totalmente intolerante com os próprios erros e tropeços. Pensou em alguém? Se identificou?

Eu acredito em segundas chances para muitas coisas na vida.

Em várias, inclusive, acredito que não exista nem mesmo um limite para essas chances. Justamente porque errar, recomeçar e tentar novamente é absolutamente humano, normal e necessário.

Temos que ser tolerantes com as pessoas, na medida em que isso não nos machuque ou não nos faça mal. É importante darmos essas novas oportunidades. Até mesmo para que tenhamos a tranquilidade de que fizemos todo o possível para que ela pudesse reestabelecer a confiança que foi depositada nela.

Mas como podemos dar tantas chances para os outros, se não fazemos por nós mesmas?

ilustra: @ilustragabs

Porque somos sempre nossas primeiras e maiores carrascas? A gente fala o tempo todo aqui no papo sobre ter um olhar amoroso sobre si, e isso não se restringe apenas à nossa aparência e nossos aspectos físicos. Isso se aplica às nossas atitudes também.

Em muitos momentos da vida não conseguimos colocar as coisas como gostaríamos, algo sempre fica de lado. Não porque não somos capazes, mas porque a vida de qualquer pessoa é assim. Nenhuma pessoa normal consegue dar conta de tudo ao mesmo tempo, e a gente já conversou sobre isso.

Então porque você, que dá novas chances para os outros, continua se punindo? Se culpando e se criticando da pior forma possível?

Criou-se uma glamourização do perfeccionismo. Se dizer perfeccionista virou algo bom. Dizer “eu sou minha maior crítica” também. Eu já vi muitas mulheres famosas, em especial atrizes, falarem isso. O que talvez tenha gerado um pouco essa glamourização dessa frase. Pois saibam: você não tem que ser sua maior crítica.

Como já falamos aqui, você precisa ser a sua maior incentivadora. O perfeccionismo trava, paralisa as pessoas. Que, na busca de tamanha perfeição, de algo inatingível, não fazem absolutamente nada por si mesmas e acabam se culpando. Percebem a roubada que é agir assim consigo mesma?

Se dê novas chances e oportunidades.

Se permita recomeçar diante de um erro. Aceite que é humano e normal não dar conta de tudo. Tá tudo bem. Olhe para você com mais amor. Aceite suas limitações. E saiba que não se julgando tanto, e não sendo tão crítica consigo mesma, você está um passo adiante de vencer o que te limita.

Gostou? Você pode gostar também desses!

Sem Comentários

Deixe uma resposta