0 em Autoestima/ Destaque/ entretenimento/ séries no dia 06.02.2019

Andi Mack, um seriado adolescente para discutir sobre autoestima

Andi Mack é uma série familiar e de comédia do Disney Channel, que eu nunca tinha ouvido falar até pouco tempo atrás. A primeira temporada entrou no Netflix aqui no Brasil, eu resolvi assistir. Mesmo sendo uma série para famílias eu confesso que quis assistir. Cada dia mais estou interessada em séries e filmes que reforcem a autoestima das adolescentes e pré adolescentes. E esse é exatamente o caso, então agora vou indicar!

Nas minhas férias devorei os 13 episódios da primeira temporada que subiram no Netflix. O seriado conta a história de Andi, que ao fazer 13 anos lida com a revelação do maior segredo de sua vida. A partir daí, ela precisa encarar uma transformação que muda sua vida de forma prática. Principalmente no que diz respeito à sua percepção de si mesma, com muitas transformações emocionais.

Se você tem uma pré- adolescente em casa com problemas de autoestima, eu realmente recomendo assistir Andi Mack. De preferência, juntas!

Fica claro que o peso que colocamos na beleza (principalmente dentro do padrão) é exagerado. Além disso, ela conta alguns dramas bacanas quanto ao papel do jovem na turma do colégio. Também redesenha valores de forma bem clara, que dão abertura para conversas e ensinamentos.

Agora começa o Spoiler suave!

A série mostra preconceitos nascendo e barreiras emocionais atrapalhando relações familiares, como na vida real. No entanto, tem um ponto na primeira temporada que eu achei bem fraco: o papel da mãe. Não digo da mãe que criou Andi – e que, na minha opinião, exagerou na rigidez. Falo no papel da mãe biológica, que ao reassumir esse papel na vida da menina não se coloca como mãe.

Pra mim, a falta de responsabilidade da mãe biológica acaba sendo romantizada em alguns momentos. Só não dá muitos problemas por dois motivos: Primeiro é uma série, então o efeito lúdico dá uma licença poética. Certamente os desfechos seriam outros se não fosse uma história de ficção.
Segundo, Andi Mack é super atenta, boa pessoa e responsável.

Na terapia acabo entendendo a importância da mãe se colocar no lugar de mãe e do filho se colocar no lugar de filho. A dinâmica de preservar os papéis originais me parece de extrema importância pra saúde mental das pessoas. Assim sendo, essa seria a minha única crítica a essa série que aborda tantos temas legais.

Diálogo, cabelo cacheado, quebra de estereótipo de beleza. Namoro, beijo, amizade e tantos outros assuntos tão importantes de tratar com adolescentes.

Vejo que a busca por se entender como individuo e perceber seu novo lugar na sua família dá a Andi Mack muitas oportunidades de nos ensinar.

Enquanto ela aprende sobre sua beleza, nós aprendemos sobre as inseguranças de uma adolescente. Ela descobre ao longo da série que muitas das crenças que carrega são padrões repetidos, que nem sempre são verdadeiros. Quando ela começa a desconstruir verdades socialmente ensinadas, ela começa a ver seu valor. De quebra, mostra pra gente como mudar de postura pode transformar a adolescência em algo muito melhor.

Queria eu ter entendido o real sentido da autoestima quando tinha 13 anos. Queria eu ter notado que existiam belezas além do padrão. Queria eu ter notado que todos os corpos podiam usar todas as roupas, dançar ou mesmo andar de mãos dadas com o menino mais legal da sala.

Acho que as crenças limitantes que fui aprendendo quando adolescente se perpetuaram por muito tempo, me paralisando. Enquanto eu podia estar curtindo, estava rezando pra ser diferente, me conformando que eu nunca teria oportunidades. Eu estava me odiando quando podia estar aprendendo a me amar. Por isso toda série ou livro que acharmos que reforça a autoestima e a segurança de adolescentes, será post aqui. Andy Mack é mais um desses.

O #paposobreautoestima a é sobre reversão de danos para mulheres de 30 anos, mas pode ser sobre prevenção de baixa autoestima para adolescentes.

Então, sejamos mães melhores, e vamos estudar e refletir como ajudar no processo de empoderamento das meninas do futuro. Para que a gente consiga ensinar sobre a verdadeira autoestima e toda a força que ela nos dá.

Acho que se eu tivesse uma filha de 10 anos agora, certamente estaria assistindo essa série com ela. Explicando todos os meus valores no meio do caminho. Aproveitaria esse tipo de conteúdo pra deixar um legado de amor próprio.

Você tem mais alguma série, livro ou filme pra me recomendar? Quero assistir tudo que eu puder para entender como o entretenimento produzido hoje pode quebrar paradigmas amanhã!

Gostou? Você pode gostar também desses!

Sem Comentários

Deixe uma resposta