0 em Comportamento/ Destaque/ maternidade/ séries no dia 30.01.2019

As renúncias da maternidade – ou, como enxergar as coisas pelo lado certo

Nunca pensei que uma série na Netflix pudesse exprimir tão bem as questões das renúncias na maternidade. Mas assim é The Let Down. Uma série australiana que eu indico para toda mulher que é mãe, ou pensa ser um dia.

Ela aborda a vida de várias mulheres que participam de um grupo para puérpueras. Toda mãe vai se identificar com alguma coisa. Seja a vontade (e a dificuldade) de querer fazer as mesmas coisas que fazia antes de ser mãe. A necessidade de mostrar para o mundo que você domina o jogo da maternidade, quando na verdade você está tão perdida quanto todo mundo. A importância de ter rede de apoio.

Enfim, tudo aquilo que a maternidade desromantizada aborda, está nessa série.

Mas não teve frase que me pegou mais no fundo do que essa que está no título. Ainda mais na maternidade. Porque essa pessoa que teimava em olhar para trás fui eu, por muito tempo.

Eu estava sempre olhando para as situações e comparando com a vida pré filho. Aliás, eu queria dar um jeito de ser a mãe que não mudou por causa do filho. Queria acreditar piamente que “o filho tem que se ajustar à rotina dos pais, e não o contrário”. Não foi assim que banda tocou, pelo menos não aqui em casa.

Sim, é claro que existem renúncias na maternidade, assim como perda de liberdade e traços de melancolia.

Por mais que a gente leia, se informe, não tem como se preparar para o momento em que a nossa vida muda. Nem controlar a intensidade da mudança. Não tem como a gente minimizar nossas perdas, até porque para cada mulher é diferente. Cada uma sabe onde o calo aperta, sabe? É bem por aí…

Mas tal frase é uma verdade. Ao olhar para trás, a gente de fato foca no que foi embora. Principalmente quando somamos à isso a privação de sono, a falta de privacidade, situações que antes eram tão simples e agora exigem toda uma preparação (tipo ir no mercado), entre tantas outras coisas. É natural querer comparar e achar que a vida antes dos filhos era melhor. Mais leve. Mais simples.

Mas caramba, quanta coisa boa também veio? Se eu parar para pensar, vejo que passei a saber administrar muito mais o meu tempo. Vejo que eu aprendi a parar para respirar. A me encantar com coisas que eu tinha esquecido que eram de fato encantadoras. A ver felicidade em momentos tão simples. E venho amadurecendo desde então.

Eu queria muito ter visto essa frase há mais tempo. Porque tive que bater muito a cabeça para chegar nessa conclusão. Tive que viver todas as renúncias na maternidade para enxergar que tinha mais do que isso. Tive que ver a vida com olhos mais duros por meses a fio para perceber que estava indo pelo caminho errado.

E tá tudo bem, faz parte dos ensinamentos da maternidade. Mas, ah…quem me dera que eu pudesse ter absorvido isso de uma maneira mais simples. Como vendo The Let Down e levando um belo tapa na cara enquanto assistia uma série tão bacana.

Gostou? Você pode gostar também desses!

Sem Comentários

Deixe uma resposta