0 em Book do dia/ Comportamento no dia 14.12.2018

#bookdodia: O Ano que Disse Sim, de Shonda Rhimes

Esse ano eu li muitos livros que não apareceram por aqui. Muitos deles foram leituras que eu ainda estou absorvendo. E por mais que eu tenha gostado, não soube fazer uma resenha.

Não foi o caso desse livro que eu ganhei de uma amiga – no melhor estilo “lê e se curtir passa para alguém que vai curtir esse livro também”:

resenha-livro-o-ano-que-disse-sim

Eu estava sem nenhuma expectativa quando comecei. Brinco que minha relação com a Shonda Rhimes é de amor e ódio, mas na verdade eu a admiro pra caramba. Eu acompanho praticamente todos os trabalhos dela. De Scandal a Private Practice.

Mas não sei por quê, não me empolguei para comprar o livro de cara. Achava que era algo mais voltado pra autoajuda e eu não sou muito fã desse tipo de leitura. Achei que ia apenas ler um livro que tava todo mundo falando e pronto.

Bem, só sei que não a admiro mais. Hoje eu praticamente a venero.

“O Ano que Disse Sim” é basicamente horas e horas de conversa com a própria Shonda Rhimes. 

Como dá para ver na imagem, eu li em inglês. E achei tão engraçado perceber com toda clareza que cada personagem marcante que Shonda Rhimes já criou veio diretamente de sua essência.

Para quem é fã do trabalho dela, esse livro é um prato cheio. Tinha trecho que eu tinha certeza que quem estava escrevendo era Olivia Pope. A parte que ela conta que Cristina Yang é basicamente uma outra versão sua que ela não viveu, me fez amar mais ainda Grey’s Anatomy.

Ela também fala muito de maternidade – já até falei de um trecho aqui no blog. E uma maternidade super desromantizada. Um momento que me marcou foi quando ela deixou claro que sempre estava em falta com alguma coisa na vida. Que a balança nunca se equilibrou. Se ela estava sendo muito bem sucedida no trabalho, com certeza a Shonda mãe estava em falta. É claro que buscar o equilíbrio é saudável, mas eu tendo a me desestabilizar quando não consigo. E vê-la ali, tão aberta quanto a isso me trouxe uma calma, uma sensação que vai dar tudo certo.

Ela também fala sobre oportunidades, sobre não ter sorte na vida. Sobre poder contar com toda uma equipe para fazer a sua vida girar. Eu já li muitas biografias de pessoas bem sucedidas. Mulheres e homens. E algo sempre me incomodava sem que eu soubesse o quê. Descobri nesse livro também.

Essas pessoas sempre contam sobre seus sucessos, mas dificilmente dedicam um espaço fora da dedicatória ou dos agradecimentos para falar sobre os bastidores.

Sobre quem permitiu que essas pessoas pudessem se dedicar à suas carreiras ou ideias sem a vida desandar. Bem, nem preciso dizer que Shonda Rhimes mais uma vez quebrou a regra desse tipo de livro. Existe um capítulo inteirinho dedicado para sua babá. E ele tira um peso muito grande das costas de todas as mães.

Além disso, ela também fala sobre ser a “primeira diferente” por ser uma mulher negra comandando o horário nobre do principal canal de televisão americana. Ela é a primeira a conseguir esse feito. E estar nessa posição faz com que você não possa errar, não possa cometer erros, não tenha segundas chances. É bacana ver como ela está consciente de tudo que está ao seu redor.

>>>>>> Ainda não tem? Compre aqui! <<<<<<

O único momento que me deixou incomodada foi quando ela falou do corpo. Acho que por ter lido Fome antes, eu problematizei demais a forma que ela se auto depreciou só para justificar o emagrecimento. Até achei estranho, justamente por ela ter tantos trabalhos preocupados com representatividade e empoderamento. Por isso mesmo, achei engraçado ver que ela mesma se questionou sobre suas motivações para emagrecer, e eu achei bacana ela falar sobre isso. Mais uma vez, Shonda Rhimes está completamente consciente de tudo que está ao seu redor.

Enfim, foram tantas coisas importantes que eu absorvi nesse livro que acredito que vou continuar falando sobre ele por muito tempo. E foi assim que uma leitura despretensiosa terminou como uma das mais importantes desse ano (e olha que eu li muitos livros bons e impactantes). Como minha amiga falou que era para eu passar pra frente se eu gostasse, aqui está minha indicação.

Gostou? Você pode gostar também desses!

Sem Comentários

Deixe uma resposta