0 em Autoestima/ Comportamento/ Destaque no dia 12.12.2018

Lugar de mulher é onde ela quiser, inclusive fazendo churrasco

Não me importo com o cheiro de fumaça no cabelo nem em todas as minhas roupas. Um bom banho, bons produtos de beleza, higiene e uma sacolinha plástica para separar as roupas na mala já resolvem isso rapidinho.

Unhas feitas é um luxo, então faço logo no começo da semana. Sei que no sábado tem evento e o calor, a umidade e as luvas vão estragar tudo. Mas e daí?

Sabe o que eu mais amo no carvão? Além do calor e sabor que ele dá na carne quando está em brasa, é que sai tão facinho das mãos. E a carne, ahhh, essa é o maior amor da minha vida. Não vivo muitos dias sem senti-la nas minhas mãos. Muito menos sem extrair o máximo de suculência dela para explodir de sabor na minha boca no meio de qualquer tarde de terça-feira.

mulher-churrasco-2

Eu estudei (muito) na vida. Conquistei todos os certificados e títulos que eu quis, no entanto foi no fogo que eu encontrei sentido para meus dias. Sou apaixonada por moda. Tenho MBA em Marketing pela FGV. Sou especialista em startups e uma empreendedora nata. Mas é no fogo que eu encontrei uma paixão para continuar estudando todos os dias. E é assim que eu tenho a impressão que não preciso mais trabalhar na vida.

Porém, culturalmente, todo homem é um excelente churrasqueiro. E lidar com esse ego é algo extremamente delicado.

Não existe churrasco certo ou errado. Existem técnicas e estilos diferentes e eu comecei a lidar com isso dentro da minha casa. Minha maior referência de churrasco sempre foi o meu pai, antes de Francis Mallmann e Jeferson Finger. Tradicionalmente nos domingos, eu só saía da cama quando o clima de churrasco vinha me buscar.

Quando fui no Bárbaros BBQ (um festival de churrasco que acontece em Americana/SP) pela primeira vez, eu conheci um universo de sabor e maciez que nunca imaginei que pudesse existir em uma carne. E a única coisa que passava pela minha cabeça na hora era: meu pai precisa provar isso!

Comecei a estudar e aprender a fazer essas técnicas sempre em dias de semana, para não afrontar meu pai, o churrasqueiro oficial. Aos poucos notei que ele observava e as usava no nosso churrasco de domingo. O bife foi virando steak, o sal grosso nunca mais saiu do armário, o braseiro é mais forte e ele agora me acorda mais cedo pra perguntar o que vamos fazer com tal carne hoje. Assim, voltamos a ser melhores amigos de novo, unidos pelo fogo.

Escolher encarar o churrasco profissionalmente foi escolher viver em uma atmosfera que em grande parte do tempo é de alegria, amizade, celebração. Hoje eu trabalho com grandes amigos. Amigos que me apresentaram o churrasco e me tornaram churrasqueira, sem me olhar como “café com leite”.

Eu sempre amei desafios, encarei um BBQ Brasil (reality show de churrasco do SBT) e mostrei que eu não só posso fazer churrasco como faço isso sem deixar de ser a Helô, toda vaidosa por essência.

Só que nem tudo são flores quando você é uma mulher nesse mundo de churrasco.

Já estive em evento em que um homem se indignou porque eu, “uma menininha” – como ele dizia – estava assando entre os grandes nomes e ele não. O cara invadiu minha estação, pegou minhas facas e me ameaçou. Já tive situações onde um grande e querido patrocinador meu não me deixou chegar perto da churrasqueira na casa dele.

Ué, eu sirvo para divulgar mas não para fazer churrasco?

churrasco-mulher

Já fui muito discriminada por fazer churrasco de shorts, bota, maquiagem. E calei a boca de cada pessoa que viu o meu profissionalismo trabalhando duro, do começo ao fim. Como já se diz há muito tempo, lugar de mulher é onde ela quiser. Eu nunca me preocupei se o que eu ia fazer era pra homem ou pra mulher, como nunca olhei etiqueta de roupa pra ver tamanho. Se me servir e eu amar, eu vou vestir e vou fazer.

E se a maquiagem sair toda por conta do calor, não tem problema. O churrasco deu sentido a tudo o que eu sonhei e estudei na vida, e fica mais rico ainda quando eu recebo o respeito e o carinho das pessoas que vêm falar comigo.

Hoje eu recebo sugestões e perguntas técnicas. Discuto sobre qualidade de carne, raças bovinas, tipos de cortes e técnicas de cocção nos directs de Instagram, que antigamente eram tão vazios. Hoje eu aprendo com todo mundo e ensino um pouquinho também.

Hoje a maior alegria da minha vida é assistir de perto as pessoas conhecerem e se encantarem com um novo mundo do churrasco pelas minhas mãos. E eu passo a maioria das horas do meu dia estudando receitas novas para servi-los melhor a cada dia. Sem deixar de lado minha feminilidade, mesmo estando em um ambiente tão masculino.

Gostou? Você pode gostar também desses!

Sem Comentários

Deixe uma resposta