0 em Autoestima no dia 22.11.2018

Você não precisa passar por cima de si mesma só para agradar os outros

Em algum momento da vida todas nós vamos ter aquele momento onde queremos agradar os outros. Mais até do que a nós mesmas. Umas mais, outras menos, porém ninguém sai ileso disso. Talvez você seja uma pessoa excepcionalmente gentil, talvez goste realmente de se esforçar, e isso é ótimo! Mas é preciso reconhecer momentos onde estamos passando por cima de nós mesmas em nome de agradarmos os outros.

Um estudo de 2016 revelou que pessoas agradáveis – ou aquelas propensas a concordar excessivamente com os outros – o fizeram como um mecanismo de defesa para evitar o estresse mental. O interessante disso, porém, é que as repercussões desse comportamento podem levar justamente ao estresse mental. O perigo de se comportar dessa forma é que você sempre ignora seus próprios sentimentos e necessidades. Depois de um período longo fazendo isso, você vai se ressentir com você mesma e com as pessoas. Percebe a roubada?

Daí pensei em alguns comportamentos que são talvez os principais quando falamos em querer agradar os outros. Vamos olhar?

ilustra: Caitlyn Murphy

ilustra: Caitlyn Murphy

Procurar a validação do outro

Se você está constantemente buscando a aprovação de outras pessoas como um indicador de sua própria autoestima, é bem provável que você esteja caindo nessa cilada também. Os sinais são mais sutis do que parecem, e as vezes demora até nos darmos conta. Você pede desculpas excessivamente? Você precisa perguntar se o que você acabou de falar faz algum sentido? Eu falei, são sutis. Muitas vezes fazemos sem nem pensar.

A verdade é que, embora seja gratificante receber feedback positivo, os elogios e reconhecimentos não devem servir como forma de validação. Ninguém além de você é responsável por isso.

Dizer sim quando você quer dizer não

Essa eu acho que todo mundo tem pelo menos um caso para recordar. Eu tenho alguns. Por muito tempo dizer não era uma dificuldade enorme, e me dar conta disso foi determinante no meu posicionamento diante das pessoas e situações.

Aquela festa que você não queria ir, mas acabou indo pelas suas amigas. Aquele trabalho extra que você não soube recusar pro seu chefe. Ir naquele show do artista que você detesta só para agradar o crush que você nem sabe se vai dar em algo. As possibilidades são muitas.

O problema de fazer coisas que não são da sua vontade é que depois de um tempo, você vai criando uma tristeza que você não sabe de onde vem o motivo. Além de anular sua vontade, que também merece ser respeitada e levada em consideração. Não existe problema em dizer não para as pessoas, é bem provável que elas te amem e te respeitem mais por isso, inclusive.

Comportamento Passivo

Já vimos que para sermos pessoas agradáveis não precisamos dizer repetidamente sim. Mas também ficar quieta ou apenas concordar com o outro a fim de evitar o conflito ou apenas de se impor, só faz mal a você mesma. Agir de maneira passiva é algo que vem desde muito tempo, especialmente para as mulheres. E é um desafio conseguir mudar esse paradigma.

A boa notícia é que a melhor forma de resolver essas questões é reconhecendo que elas existem e fazem parte de você. Sabendo o que te faz mal, é possível buscar meios de contornar esses comportamentos e se respeitar acima de tudo. Tenta, tenho certeza que vai funcionar!

Gostou? Você pode gostar também desses!

Sem Comentários

Deixe uma resposta