0 em Autoestima/ Destaque/ Relacionamento no dia 27.09.2018

Autoestima e casamento, ou “nós precisamos ser inteiras quando nos dividimos”

A gente fala muito sobre autoestima nos relacionamentos, sobre se amar antes de amar outra pessoa, mas ainda não levantamos a bola da autoestima dentro de um casamento! Uma circunstância como qualquer outra, em que ela é tão importante quanto em outros relacionamentos. O ser humano acostuma, e isso inclui o fato da gente acostumar a ter alguém ali que sabemos que nos admira de alguma forma e vê valor na gente – afinal, a outra pessoa “nos escolheu” (e nós à ela).

Por mais gostosos que possam ser os pontos positivos de ter alguém que você ama consigo, o costume pode levar à acomodação e isso pode não ajudar muito. Como nos manter com um olhar interessante sobre nós mesmas em meio a rotina? Pra começar, é preciso deixar muito claro que esse post não é sobre estratégias pra fazer seu parceiro ou parceira te notar. É como continuar vendo valor em si mesma e se aceitar como você é, independente da opinião do outro.

Quando começamos a pensar que tudo o que fazemos é, antes de mais nada, pra nós mesmos, estamos falando de uma reação de dentro pra fora. Que faz com que a gente se sinta bem com quem nós somos. Por isso é importante achar, em meio a todas as nossas tarefas da vida, momentos onde você se conecta com você mesma. Pode ser uma atividade física, uma atividade que você curta fazer ou até mesmo fazer algo sozinha, como ir ao cinema, ter um dia na semana para estar com as amigas e se divertir…algo que te lembre da sua identidade além do casal, além do básico de todo dia. Isso te lembra quem você é, onde está indo em direção aos seus objetivos (ou onde gostaria de ir) e te mantém nos trilhos do rumo da sua própria vida, mesmo que agora, ela esteja dividida com outra pessoa.

UfDV

Também acho que é importante, sim, que você cuide de si. Que busque aceitar seu corpo como ele é, ou lidar com ele da forma mais pacífica que você conseguir. Que use as roupas que gosta, que faça com seu cabelo o que bem entender, desde que, no fim, você se sinta bem consigo mesma. Não em busca da aprovação do outro, mas de si mesma, de externar a sua identidade. Talvez seja esse um dos maiores problemas que vemos por aí, quando reclamamos que nosso parceiro ou parceira não nos elogia, não repara, não nos nota…quando quem tem que fazer tudo isso somos nós mesmas, nos dar também a atenção que queremos do outro! Autoconfiança é fundamental e isso que faz com que os outros nos percebam como realmente queremos. Inclusive – e especialmente – quem escolhemos dividir a vida.

Só pra não dizer que o olhar do nosso parceiro ou parceira não conta nessa equação, você pode, sim, usar isso a eu favor: lembre-se, todos os dias, de coisas que a outra pessoa gosta em você, partes do corpo que elogia, qualidades que ressalta, e lembre-se de valores que você tem em dias mais difíceis. 

Toda ferramenta que te faz se sentir bem consigo mesma, forte, empoderado e dona de si é importante para sua autoestima em geral e especialmente em uma relação. Para haver amor, precisa, antes de tudo, ter admiração e isso é MUITO além da aparência física, apesar de passar por ela. Para que essa admiração se mantenha, é importante que a gente lembre a todo instante quem somos e o que queremos, porque isso nos fortalece e essa confiança pode, enfim, aparecer. E gente autoconfiante muda tudo.

O amor pelo outro é maravilhoso, mas o melhor de todos é o amor próprio, não deixe a rotina de uma relação longa te desconectar de você. ;)

Gostou? Você pode gostar também desses!

Sem Comentários

Deixe uma resposta