0 em Autoestima/ Destaque no dia 06.04.2018

Lá no #paposobreautoestima

Mais uma semana de frases, fotos e textões inspiradores lá na nossa hashtag. Se você está no instagram, divida seu textão, seu textinho ou sua frase de incentivo com a gente ao botar a #paposobreautoestima no seu post. <3

mayara-cardoso

do @blogmayaracardoso: Conheci a maquiagem aos 10 mas só passei a me aventurar com os pincéis aos 14. De lá pra cá essa paixão só aumentou a ponto de se tornar minha profissão, fiz meu primeiro curso aos 18 e a partir daí comecei a ensinar. Mais de 4 anos dentro de sala de aula ensinando e formando profissionais da maquiagem. Sempre ouvi falar/falei dela como uma forte aliada na autoestima, no bem-estar da mulher e durante um tempo dei muito crédito pra ela. Porém passei a ver alguns casos em que essa relação é um pouco doentia, onde quem domina é a maquiagem. E quis aproveitar a minha força pra ser exemplo de que ela é nossa PARCEIRA mas que a gente é linda com ou sem ela! Depois que você tiver essa consciência, aí sim amiga, você vai saber usar a maquiagem para te ressaltar e não para se esconder!

via @nataxavierr: Enfim a tal da transição acabou, foram tempos difíceis. Não é fácil passar por tudo isso, pode parecer exagero mais essa mudança é mais interior do que exterior.
Querer essa mudança era me olhar todos os dias no espelho e não me sentir bem, foi me olhar e querer meu cabelo de volta sabendo que o processo para tê-lo seria desconfortável, sabendo que seria um processo onde minha autoestima estaria ameaçada todos os dias, mais mesmo assim aquela busca por liberdade, por ter meus fios naturais novamente era tão grande, que eu aguentei, eu lutei todos os dias para não desistir, para não voltar a chapinha e não foi fácil.
Eu alisei meu cabelo muito cedo, quando eu decidi que não queria ter um cabelo diferente, foi quando eu olhava para as minhas amigas e todas tinham o cabelo liso, foi quando eu via filmes, novelas e nem sequer via alguém com cabelos crespos/cacheados, foi quando eu não via mulheres iguais a mim, então eu decidi mudar, ser igual ao que eu via.
Durante muitos anos da minha vida fui escrava da chapinha e de procedimentos químicos para alisar o cabelo, foi quando em 2017 eu decidi que eu queria meus cachos de volta, eu sentia tanta saudade do meu cabelo, eu sentia que faltava algo, mais eu só percebi isso quando vi outras mulheres assumindo seus cachos, seus cabelos crespos, foi quando eu me senti representada, quando eu ganhei forças e tomei coragem de ir em busca daquilo que sempre fui. Confesso que foi uma mudança lenta e de muita paciência, não foi fácil esperar, eu só queria que acabasse logo, mais ao mesmo tempo esse ciclo me ajudou muito, foram tempos de muita transformação, não só fisicamente mais interiormente também.
Agora eu me sinto livre, eu me sinto verdadeiramente feliz, leve, como se um peso, aquele peso social por ter que ser aceita pela sociedade tivesse saído das minhas costas.
Eu só queria agradecer, primeiramente a mim, por ter aguentado e ter sido forte, agradecer a todas as mulheres incríveis que eu conheci durante essa jornada, a todas as páginas e perfis sobre a transição capilar.

via @euisabelaluna: Tem coisas que não dependem do outro, não dependem dos elogios, apoio e amor que você receba, depende de nós (igual naquela música rs), precisa vir do nosso interior. E eu fui tirada TOTALMENTE da minha zona de conforto e confrontada: “E aí, linda? Vai querer continuar assim ou vai mudar?”. E estou mudando, e não foi fácil, por não saber por onde e como começar. Mas dizem que só de procurarmos o caminho, já estamos no caminho. E dia após dias, vou me encontrando mais nesse caminho, me encontrando mais em mim. Uma Isabela que eu nem sabia que existia. Eu não sei descrever a sensação…
Percebi que a mudança tem que ser primeiro por mim, e a consequencia vai ser respingar em quem é da minha vida, ser mais feliz com as pessoas da minha vida porque estou feliz comigo primeiro, não preciso de ninguém como muleta, não sou dependente emocional e de nenhuma forma de ninguém.
Mas isso não significa que todos os dias na minha vida são um mar de rosas e me acho linda e maravilhosa sempre, definitivamente não! Mas a forma de lidar com isso mudou, a cabeça está mudando, o coração também.
Trabalhar a espiritualidade tem me ajudado muito também e não confunda espiritualidade com religiosidade.
Enfim, sem mais delongas, quero concluir dizendo que se você já pensou em desistir, te entendo. Se você já passou por algo que eu disse aqui ou mais, não desista não! E eu sei o quão fácil parece falar isso. Mostra pra vida que você é teimosx e não vai aceitar essa sua situação. A resposta não está em nada e ninguém além de você mesmo. Procure ajuda e se rodeie de pessoas do bem e que te amam. Se lembre que você é parte do Universo, e ele é lindo e cheio de possibilidades, assim como você.

via @marcimarciano: Esta menina aí da foto foi minha primeira cliente de Consultoria de estilo. Ela se sentia feia porque não tinha corpo, cabelo e rosto padrão. As sobrancelhas eram grossas, rolava um buço a mais e com 12 anos, usava calça 44 apertada. Se sentia horrível e inadequada, principalmente porque muita gente ria dela por ser diferente.

Esta menina sou eu, e foi aí que a a moda me salvou. Eu não era a mais magra, a mais linda, mas podia me vestir de forma que me sentisse bem. Então passei a descobrir truques de estilo como usar uma camiseta mais larguinha (pegava as do meu pai) e dobrava as mangas, também dobrava a barra da calça e sempre usava uma terceira peça. Passei a amar preto, porque me sentia mais forte com cores escuras. Então ao invés de usar legging, meia chantilly e camisetão como as todas as meninas da escola usavam, resolvi ser eu mesma. .
Moda pra mim nunca foi um limitador, e sim, uma ferramenta pra aceitar meu corpo fora do padrão.

Roupas podem te fazer sentir bem, sentir feliz e mais bonita. Jamais se sinta indigna de ter estilo e se vestir bem por alguma característica do seu corpo. .
Estilo nada tem a ver formato do corpo e sim com o que você é por dentro.

Quando me perguntam pra que ser serve a Consultoria, digo que é pra trazer seu melhor pra fora, fazer você se amar como é.

PS: Passei anos com vergonha desta fase, não gostava de ver estas fotos, mas hoje, sinto um imenso orgulho da menina que fui, porque ali foi o início de quem sou hoje, nadei contra a maré e aprendi a me amar.

via @j0ynunes: “Numa sociedade que lucra com a nossa insegurança, gostar de si mesma é um ato de rebeldia…” 🌊
Porque querem te convencer de que o que você é não é suficiente. E que se você fizesse isso ou aquilo, poderia ser muito melhor. O problema é que isso não tem fim, esta luta nunca estará ganha. Sempre haverá uma invenção a mais para se buscar. Não caia nessa!
Claro que não há nada errado em querer melhorar, contanto que o motivo seja genuinamente seu, não somente para agradar os outros. Pergunte-se: você realmente precisa disso? Faz sentido pra você?
E o mais importante: não deixe de se amar agora por causa de quem você almeja ser amanhã. Não se maltrate. Afinal, você acha que a “você do futuro” ficaria feliz em saber que não foi nada gentil com ela própria no passado?

Gostou? Você pode gostar também desses!

Sem Comentários

Deixe uma resposta