2 em #paposobremulheres/ Autoconhecimento/ Autoestima/ Comportamento/ Saúde no dia 30.03.2018

Papo Sobre Mulheres: o padrão de beleza em uma mulher de 50 anos

Fui convidada mais uma vez para escrever algo para vocês, aqui no Futilidades. E fiquei muito honrada por isso, acreditem.

Eu pensei em dois temas para abordar: menopausa e padrões de beleza atuais. O primeiro eu ainda não domino bem, pois antecipei a menopausa com a quimioterapia e isso ainda está muito recente para mim. Não quis arriscar falar com vocês sobre algo que nem eu mesma sei como está. Hahahaha!

Então, me restou falar sobre os padrões de beleza em uma mulher de 50 anos. Caraca, meio tenso, não acham? Mas vamos lá.

50-anos

Sempre fui muito cuidadosa com o meu corpo, principalmente com a minha pele. Sempre tive pavor de sol e isso acabou sendo um facilitador para minha vida. Agora vocês imaginem uma carioca que não gosta de sol? Sofri muito bullying por isso. Mas nunca liguei, afinal doía mais em mim uma queimadura (sim, eu tive queimaduras por pegar sol – não se esqueçam que nos anos 70 não tinha protetor solar, muito pelo contrário. Tinha pasta d’água ou Hipoglós no máximo. E para tirar no banho era um sofrimento) do que um deboche de alguém.

E pensando no sol, lembrei do poema do Pedro Bial “Filtro Solar”. Ele está certíssimo galera. USEM FILTRO SOLAR.

Hoje muitas pessoas elogiam a minha pele. Mas todas elas já deduzem que ela é bem cuidada e soltam logo “mas você não pega sol, né?” Não, não pego de jeito nenhum. Mas, claro, e com toda razão, vocês vão me perguntar sobre a minha vitamina D. E eu respondo: reponho com medicação. Fim.

O cuidar da pele precocemente é muito importante para um bom envelhecimento da mesma. Aliás, todo cuidado que temos precocemente com nosso corpo – incluo aí a saúde física e mental – são grandes facilitadores de um bom envelhecer.

Sou adepta dos mil cremes para se usar. AMO! Mas o que me diferencia de muitas de nós é que eu os uso de verdade, diariamente, sem pular uma etapa. E uso também em qualquer viagem que eu faça (minha necessaire é quase maior que minha mala – hahahaha).

Um cuidado com a pele é um resultado que se vê a longo prazo. E todas nós vamos envelhecer, é fato.

Sou adepta dos procedimentos também mas com toda a precaução possível. Temos que ter cuidado com isso. Eu não quero que vocês me olhem e digam que eu pareço mais nova. Eu quero que vocês digam que eu estou bem para a minha idade. Acho que esse é o pulo do gato (pelo menos o meu pulo): saber que temos uma idade e sabermos vivê-la.

Sou uma mulher que ama moda. Sempre estou antenada com tudo que acontece no mundo fashion. Mas sempre tive o cuidado de adaptar o que está na moda à mim. Sempre soube estar atual sem ser escrava dos padrões. Ai vocês podem perguntar: mas como?

É isso que eu quero muito que vocês entendam: eu criei um estilo para mim e sigo esse estilo desde sempre. Faço uma releitura do que é in no momento para o meu estilo. Por exemplo: o lurex está na moda. Eu me vejo com um body decotado de lurex? Não. Mas me vejo com um conjunto de pantalona e blusa wrap de lurex. Deixei de usar o lurex? Não. Mas o adaptei ao meu estilo e gosto.

Adaptar é o melhor verbo para não se deixar levar pelos padrões impostos. Tudo pode ser adaptado, até porque ninguém é igual à ninguém. E essa autoconfiança é que devemos ter para seguirmos em frente, para entendermos que a idade chega mas não nos engessa, que podemos ser modernas e atuais sem termos que pensar como (ou tentar parecer com) uma menina de 20 anos, por exemplo. A maturidade é benéfica. Ela pode ser até precoce mas, com certeza, ela chega e devemos abraça-la, sabermos tirar proveito dela da melhor maneira possível.

E com essa maturidade vem um equilíbrio emocional, fundamental em qualquer idade, né? Quando temos esse equilíbrio tudo fica mais tranquilo. E com tranquilidade fazemos tudo certo. Ou quase tudo! Hahahaha!

Ah, e ler. Ler muito. Não deixar que seu cérebro funcione lentamente. Ative-o, alimente-o. Nos é permitido sermos antenadas.

A minha receitinha de bolo que eu divido com vocês, para chegar aos 50 com os mesmos 50 bem vividos?

Usar filtro solar;

Colocar o corpo para trabalhar;

Alimentar a mente diariamente;

Adaptar o que tentam nos impor para o nosso bem estar;

Acreditar em nós mesmas – termos a autoconfiança de não nos deixar influenciar por nada e ninguém;

E ser feliz, muito feliz. A felicidade é a cereja do bolo que vamos tentar fazer com essa receita.

Gostou? Você pode gostar também desses!

2 Comentários

  • RESPONDER
    Jéssica
    02.04.2018 às 13:26

    Que texto maravilhoso! Essa semana farei 29 anos e os 30 assombram a esquina como se fosse um grande divisor de águas, algum tipo de linha de chegada onde eu deveria romper a fita com alguns troféus que eu não tenho e, entre tantos questionamentos e reflexões, fiquei pensando sobre como eu fico imediatamente feliz quando alguém diz que eu pareço ser mais nova ou algo do tipo. Por que? Qual o problema de aparentar ser quem você é com a idade que você tem? Quero ter um corpo e uma mente saudáveis e fortes por tanto tempo quanto conseguir e tenho tentado cuidar de tudo desde já para que assim seja mas quero desconstruir (essa palavra tão desgastada mas tão necessária) pra mim essa ideia de que há algum mérito em parecer mais jovem do que se é, como se apenas na juventude houvesse beleza, saúde e felicidade. Obrigada por dividir conosco esse texto e nos lembrar que os 50 são uma idade de ser inteligente, bonita, equilibrada e com a pele bem cuidada, assim como os 30, os 18 ou os 83. Vamos juntas!

    • RESPONDER
      Ricardo
      21.04.2018 às 6:10

      Parabéns

    Deixe uma resposta