0 em Autoconhecimento/ Comportamento no dia 20.07.2017

Porque eu sou rica

Serei um pouco clichê e direi que sou rica de amigos, muito rica. Vivo uma vida abastada de pessoas incríveis e não sabia ao certo se seria uma espécie de ostentação falar sobre isso com vocês, mas ao mesmo tempo, a gente vive de discutir minhas epifanias, pensamentos e aprendizados, então deixarei o medo do julgamento de lado e direi: sim, eu sou muito rica de boas amizades.

Aliás, sou tão abençoada nesse quesito que até aquelas amizades tóxicas, que sugam, diminuem ou aprisionam acabam não ficando muito tempo na minha vida. Quanto mais eu mergulhei no meu processo de mudança e autoconhecimento, mais como num passe de mágica as amizades nocivas foram saindo da minha vida. Na hora não entendi, na hora doeu, mas como bem disse uma das minhas melhores amigas, “vai ser melhor assim” e foi.

Nesse contexto posso seguir dizendo que nem só de dias fáceis vivem as amizades. Nem só de comportamentos corretos vivem essas relações tão especiais, mas a cada aprendizado que tenho aprendo mais sobre a importância de ser leal, fiel e sincera com as minhas amizades, porque elas são o que tenho de mais especial nessa vida.

Hoje é o dia do amigo, esse dia não é exatamente um dia muito importante no comércio, mas nem por isso se torna menos importante na vida real. Mais do que memes a serem compartilhados, o dia do amigo serve para lembrarmos de quem está do nosso lado. Eu brinco que não há amizade e lealdade maior do que a de uma amizade de alma. Que te dá aquela sensação de que você mata e morre pela pessoa, que você embarca num voo de quantas horas forem necessárias para resolver um problema grave, que você acorda no meio da noite e entra num uber pra chegar junto numa emergência, te faz presenciar a partida de um ente querido da pessoa que você ama para que ela não esteja sozinha ou que faz você parar suas férias paradisíacas para dar um conselho no telefone.

Eu já fiz coisas dessa natureza, eu já recebi de volta coisas desse tipo.

Muita gente acha que sou privilegiada por ter uma família que me proporcionou bons estudos e oportunidades bacanas. Muita gente acha que sou sortuda por ser blogueira e ter oportunidades incríveis com o trabalho, seja em eventos especiais como estar num trio do carnaval, num camarote da vida ou em viajar de graça pra lugares como Paris, Londres ou Nova Iorque. Não vou diminuir as oportunidades que a vida me deu, sou grata a cada uma delas, batalhei e batalho muito pra isso, mas minha maior riqueza não está no meu currículo, nos convites do blog, não está só na minha família de sangue (que eu amo, mas me foi dada) e muito menos no que tenho de material.

 

Quanto mais eu vivo plenamente quem eu sou, quanto mais eu vibro com confiança a minha essência, mais eu tenho certeza de que o plano espiritual e a minha conexão com o divino guiam os meus caminhos e me apresentam pessoas mágicas. E a minha verdadeira riqueza é essa junção, que me permite estar junto de gente fina, elegante e sincera com quem compartilho todo meu afeto e que dividem comigo o que elas têm de mais especial.

O verdadeiro motivo de eu ser uma pessoa afortunada são as relações felizes que eu cultivo e levo comigo. Não consigo ver presente maior do que ter aquelas pessoas que sem ganhar nada em troca vão pra toda frente de batalha comigo, me dão a mão e dividem tudo que têm com a minha pessoa. Eu sou uma privilegiada por ter amigas e amigos tão bons.

Tenho casa em alguns cantos no Brasil, tenho famílias de outros estados que adotei pra vida, tenho abraços em lugares que jamais pensei, tenho sofá-cama em cidades do planeta que jamais imaginei, tenho abraços por Skype, conversas profundas por Facetime, tenho gente que embarca comigo pra realizar sonhos que levo comigo (seja pro Atacama ou pra Amazônia). Tenho quem precisa de conselho na mesma proporção que tenho quem vive me dando uns também.

Um dos motivos de maior gratidão que tenho são as pessoas que levo comigo. Que me ajudam nos desafios do trabalho, que são entusiastas torcedoras da minha carreira, que me dão a mão na busca da espiritualidade, que me ouvem falar de cada boy que passa na minha vida 200 vezes, que torcem para eu ser feliz. Eu tenho amigas e amigos que me fizeram ter a certeza que eu não devo ficar em nenhum relacionamento que me ofereça pouco, porque eu nunca vou estar sozinha.

Eu me sinto firme e forte pra abrir mão de cada história que não me faz bem porque eu tenho afeto e acolhimento de sobra na minha vida. Posso me dar ao luxo de querer algo pleno, de me entregar muito, porque eu vou ter esse tanto de gente perto de mim, na torcida mais linda ou genuína, seja anônima ou famosa, grande ou pequena, loira ou morena,  homem ou mulher, mas sempre grandes de alma por perto.

Ver gente que eu admiro comemorar minha torcida é amizade. Ver gente que tem pouco tempo, me dando aquele espacinho na agenda, é amor. Ver gente que tem seus conceitos bem rígidos quebrar suas crenças pra me ver feliz é muito especial. Ver gente me dando bronca, não concordando e se mantendo firme por achar que vou me dar mal também é parceria. Ainda que no fim a pessoa torça pra estar errada, pois quer me ver bem.

Ser amigo não é querer estar certo sobre a vida do outro, é dizer o que pensa, trocar experiência e esperar que independente dos caminhos traçados a pessoa encontre aquela tal felicidade que busca. Seja concordando ou discordando, melhor do que estar certo é estar feliz.

Amizades não são perfeitas ou idealizadas, mas eu tenho o privilégio de ter algumas melhores amigas sensacionais espalhadas pelo globo. Tenho algumas irmãs de alma que não partilham do mesmo material genético comigo, mas todo o resto sim.

Eu sou rica de amigos e feliz pela família que levo por opção. Só posso esperar que cada uma de vocês tenha um amigo irmão, porque só quem vive isso sabe o que é viver em comunhão. Todos os meus segredos estão guardados com as irmãs que tenho de coração.

Feliz dia do amigo!

 

Gostou? Você pode gostar também desses!

Sem Comentários

Deixe uma resposta