1 em Autoestima/ Brasil/ Destaque/ Viagem no dia 26.05.2017

O que teve de tão bom em Curitiba? Papo sobre autoestima!

Há alguns dias embarquei com destino à Curitiba’ para resenhar o Rio Hotel que fica no bairro do Batel. Assim que vi a localização privilegiada organizei a viagem para ficar 2 dias inteiros na cidade. Queria conhecer pontos turísticos, ver minhas amigas, comer bem, trabalhar e ainda arrumei um encontro do #paposobreautoestima. Dois dias pra tudo isso? Sim, eu fiz dar tempo.

E por que esse post? Porque eu acredito que tudo que conheci e vivi em Curitiba precisava ser registrado aqui. Apesar do pouco tempo, diria que tenho algumas boas dicas pra quem vai embarcar com destino à cidade e ainda posso dividir tudo que me falaram que não consegui ver por falta de tempo.

Do aeroporto para o hotel não demorei muito tempo, troquei de roupa e já peguei carona com a amiga Thais do Coisas de Diva para o Jardim Botânico. Entendi o motivo pelo qual todo mundo acha o lugar tão lindo, ele é lindo mesmo e bem me deu vontade de fazer um piquenique do #paposobreautoestima por lá.

Thais foi a melhor guia possível, me mostrou o jardim, tirou fotos, me levou para ver o por do sol no Museu Oscar Niemeyer e eu fiquei encantada. O olho é mesmo uma estrutura icônica na cidade, verdadeiramente impressionante como tudo que o arquiteto faz.

Depois do museu fomos na loja Mary Ann Apple Factory. Tá, agora você abre seu caderno de anotações e escreve logo abaixo de “Jardim Botânico”: comer a maçã tradicional desse lugar! Sério, foi a segunda vez que eu comi (a primeira vez foi quando O Boticário mandou uma pra minha casa no meu aniversário) e eu quase morri de amores. Sério, isso está na lista DE COISAS MAIS INCRÍVEIS que eu já comi NA MINHA VIDA INTEIRA. Depois você coloca o MON, porque ele é do lado e é mesmo muito lindo.

Depois demos uma volta de carro e paramos num lugar de drinks e comida deliciosos, com uma decor muito moderna e bonita, mas com a comida e a bebida ainda melhores que o ambiente. O Officina Resto Bar é um programa imperdível para a noite. Comi pinhão de entrada, tomei um drink incrível e jantei um prato muito saboroso, escolhi oporco num ato de ousadia e foi MARAVILHOSO.

No entanto são nos parques, na cidade limpa e na simpatia do paranaense que morou minha maior identificação. Posso ser honesta e dizer que fiquei ENCANTADA com o tanto que todo mundo foi solícito e quis me ajudar lá.

No dia seguinte eu trabalhei de manhã e fui almoçar no Patio Batel, que fica muito perto do hotel. O shopping de luxo contém muitas lojas fantásticas, mas o que me levou até lá foi o MARAVILHOSO hambúrguer do Madero. Nunca havia comido na rede, nada mais justo do que comer no seu lugar original. Eu achei tudo isso que falavam, sim, pão, sabor da carne, molho e batata maravilhosos.

Pena que só parei pra fazer foto quando eu já tinha mordido o sanduíche!

Depois voltei pro hotel pra tomar banho e me arrumar pro encontro do PAPO SOBRE AUTOESTIMA na The Cakery, uma bakery nova na cidade, pertinho do hotel também. A dona, a Cassiana, é famosa pelos seus bolos feitos sob encomenda mas agora ela tem um espaço pra todos os seus doces.

Como ela me foi muito bem recomendada pelo pessoal d’O Boticário, fizemos nosso encontro lá com muitos brigadeiros, brownie, bolo de cenoura com calda de chocolate e um pirulito de chocolate MARAVILHOSO.

Passando por lá eu recomendo: um café com bolo de cenoura + brigadeiro de churros. Foi o melhor brigadeiro da vida! Os brigadeiros e bolos são maravilhosos, to impressionada com os dotes gastronômicos de Curitiba. Eu voltarei na The Cakery, sem dúvida. Alias, no encontro devíamos ter chamado a Cassiana pra contar como foi abrir mão de um trabalho numa empresa enorme e bacana pra tocar seu sonho, mas nosso bate papo foi tão intenso que não deu pra todas as mulheres presentes contarem sua história.

Não sei NEM POR ONDE AGRADECER a essas mulheres que foram, me contaram suas impressões sobre o #paposobreautoestima ou mesmo só ouviram as histórias umas das outras. Cada cidade e cada grupo traz temas diferentes o que torna cada encontro único e muito especial pra mim. Falamos sobre padrão de beleza, relacionamento abusivo, questões da maternidade e até mesmo das dificuldades de um empreendedorismo feminino (beijo Vanessa!).

São tantos padrões, tantas imposições e questões complicadas que envolvem as discussões do #paposobreautoestima que não sei como expressar a gratidão que sinto por cada mulher que contou sua história. É magico como quando cada uma desabafa as outras compartilham seus aprendizados, generosamente quebrando paradigmas e somando com suas próprias experiências. Fazendo com que a história de uma ajude a outra e assim sucessivamente, empurrando as mulheres pra cima e corroborando a importância desse olhar amoroso e acolhedor pra si. Foi de novo emocionante, fiquei triste que não consegui ouvir todas as histórias, mas teve abraço forte, mãos dadas, lágrimas e palavras lindas de gratidão por posts, pelo grupo e pelo projeto.

Eu nunca vou esquecer de uma noite como essa, que tinha tudo pra ser fria, mas foi quente. Em dias assim a gente enxerga que o que estamos fazendo é bem maior do que podemos imaginar. E nessa hora quando falo no plural não falo só em meu nome e em nome da Ca, falo em nome de cada uma que participa nesse coletivo conosco. O encontro do grupo “um papo sobre autoestima” em Curitiba me mostrou que tem mais gente que nos acompanha com muito amor fora do eixo Rio e São Paulo.

Que venha o piquenique do Rio, que venha o de Belo Horizonte, e se tudo der certo lá por Nova York, que venha o internacional também! <3 <3 <3

 

Beijos

 

Gostou? Você pode gostar também desses!

1 Comentário

  • RESPONDER
    Marcela de Vasconcellos
    30.05.2017 às 12:44

    E pensar que ainda tem tanto de Curitiba pra você.

    Queria ter um dia pra te levar na Unilivre, pra andar pelo Largo da Ordem no meio da tarde, pra feirinha em Santa…tanta coisa legal. Curitiba foi minha primeira viagem sozinha, eu fiquei na casa de uns amigos mas passei por minha conta todos os dias e foi mágico.

    Eu voltei de lá outra, com o coração cheio de amor e uma sensação de que pertenço ao mundo e não a um só lugar.

  • Deixe uma resposta