2 em Autoconhecimento/ Autoestima/ Convidadas no dia 09.05.2017

O dia que entrei para tocar em um bloco de Carnaval

Há alguns anos a vida me deu uma puxada de tapete bem grande e descobri que quando estamos tentando levantar, temos que nos reinventar ou reconectar com o que a gente era lá atrás, beeeem antes desse fato ter acontecido. Eu ainda não sei responder se eu me reinventei ou se me reconectei a quem eu era, o fato é que dei uma guinada e após muito me cuidar, mudei. Muito. E faz muito sentido quem eu sou hoje de quem eu era nos meus 20 e poucos anos. Voltei pra terapia, conheci gente nova, procurei minha espiritualidade (sim, procurei, pois eu não tinha conexão com nada) e nesse processo acabei me deparando com coisas que jamais imaginaria fazer e agora a gente olho e penso: por que eu nunca fiz isso antes?

Bom, durante o processo de análise, por sugestão da minha terapeuta eu deveria procurar algo para fazer no meu tempo livre que fosse fora da caixa. Pensei em aulas de culinária mas não, era previsível demais e não ia me tirar da zona de conforto. Ela me sugeriu teatro, mas definitivamente não é a minha praia. Aí me lembrei do dia que fui ao ensaio pré carnaval de um bloco aqui no Rio à convite de uma amiga que toca lá. Eu lembro que quando fui, saí de lá encantada, pensando “preciso entrar nisso”. Mas como podia? A Camilla, que sempre detestou Carnaval, que reclamava de blocos (cheios, calorentos, muvucados), que achava que Carnaval só era mais um feriado longo…como podia a Camilla entrar para isso? Sabe qual foi o diferencial? A alegria e a energia daquilo. Quando eu estava assistindo o ensaio, dentro daquela bateria sensacional tocando músicas que eu sempre amei, tive um sentimento muito louco mas muito sensacional.

Bom, passado o Carnaval tentei me inscrever para a oficina de percussão do bloco em 2014 e não consegui, ela é muito concorrida e eu dei mole. Fiquei chateada demais mas não desisti. Continuei na terapia e na vontade de tocar lá, passado o Carnaval de 2015 estava eu lá, novamente, a postos, esperando o relógio virar às 18:00 para mandar o bendito email de tentativa da inscrição. Apertei o “send” (bem nervosa e tremendo kkkkk) às 18:02. Uma hora depois veio a confirmação de que eu estava pré selecionada. OMG!!!!!

Não, eu nunca toquei nada, eu não conhecia os instrumentos, nem os professores, nem a metodologia. Nada. Eu só conhecia as músicas e dentro de mim havia a certeza de que me traria uma alegria e uma conexão comigo mesma sem igual. E foi um das melhores decisões que tomei na minha vida. Eu estava totalmente fora do meu contexto, completamente fora da minha zona de conforto. Eu sou professora há anos e voltei a ser aluna, de algo que eu não tinha a menor ideia e que exige um esforço físico, cognitivo, sem contar o emocional.

Veio o primeiro show da temporada de verão pré Carnaval em dezembro de 2015 e eu só conseguia pensar “como podia eu estar ali?? Dentro da bateria! Desse lado da corda!” Foi na Lapa, ao lado dos arcos e quando olho para o lado vejo uma galera lá fora cantando e dançando com os braços pra cima, tipo, muito felizes!!!! Na hora pensei “cara, eu estou fazendo parte de algo que faz as pessoas felizes! As emociona!” Claro que chorei de novo.

Em seguida veio o carnaval de 2016 e uma nova experiência. Subir naquele palco e tocar no Aterro do Flamengo para milhares de pessoas, acho que nunca vivi energia igual. Nunca senti tanta alegria. Obviamente comecei a chorar em certo momento do show e não parei mais…..só parei de chorar quando cheguei em casa.

Obviamente continuei na oficina e esse ano vou entrar no meu 3º ano de bloco. Nesse tempo todo eu faltei no máximo 2 vezes (sim, os ensaios são semanais, desde Maio até o Carnaval) pois aquilo já faz parte de mim. Os amigos que fiz ali, os desafios para aprender um instrumento, as provas para passar de nível, a conexão com a música, a alegria, o empoderamento que me traz são indescritíveis. Conheci muita gente bacana, entrei pra tocar em outros dois blocos e agora passei a encorajar todo mundo a fazer atividades que lhes proporcionem isso que eu fiz comigo. Qualquer atividade que seja! Algo seu, que te traga alegria, te energize….pois a vida também precisa dessas coisas.

Gostou? Você pode gostar também desses!

2 Comentários

  • RESPONDER
    Maiara
    09.05.2017 às 14:42

    Mais um texto lindo! Imagino a emoção de ver a galera curtindo o bloco! É tão bom se encontrar né? Beijos

  • RESPONDER
    Amanda Flor
    10.05.2017 às 11:20

    Arrasou, Camilla!

  • Deixe uma resposta