0 em Destaque/ Relacionamento no dia 28.02.2017

Eu quero mesmo é amigas irmãs

Quando eu estava no colégio eu tinha uma amiga que era unha e carne. Inseparáveis, nós tínhamos praticamente a mesma altura e o mesmo tipo de corpo, sabíamos tudo uma da outra, tínhamos o mesmo gosto musical e para roupas, praticamente completávamos os pensamentos uma da outra.

Lembro como se fosse hoje que algumas pessoas vinham nos elogiar e dizer que nós tínhamos a amizade perfeita e que nós éramos um exemplo de relacionamento. Tinha gente que dizia com todas as letras que queriam ter uma amizade igual a nossa. E eu amava ouvir isso, meu ego ia nas alturas. Amava fazer parte de um relacionamento invejado e desejado, achava que tinha vencido na vida um milhão de vezes. Alma gêmea pra quê quando você tem 13, 14 anos? O legal mesmo é ter uma amiga gêmea, principalmente naquela fase da vida chamada adolescência, em que quase todas nós somos inseguras e queremos pertencer a alguma turma.

Até que veio a vida me mostrar que nenhum relacionamento é tão perfeito assim e me deu uma rasteira. A amizade acabou, eu decidi me afastar e por mais que eu tivesse outras amigas queridas (que eu tinha deixado meio de lado nesse tempo que eu estava deslumbrada), nenhuma me parecia suficiente para preencher o rótulo de amizade perfeita que eu tanto me orgulhava. Me senti completamente perdida – e vazia.

Passou o tempo e eu fui aprendendo a viver sem aquela relação. Nem demorou muito para eu perceber que estava infinitamente melhor sem ela. A arrogância de alguém que tinha orgulho de ser invejada por algo foi embora, a minha personalidade voltou, aprendi a valorizar quem sempre esteve do meu lado, fiz muitas outras amigas.

Recentemente algumas pessoas vieram elogiar minha amizade com a Joana, e apesar de eu me orgulhar muito do que nós temos, eu procuro fugir do rótulo da perfeição – aliás, ela também. Confiamos uma na outra, nos amamos, nos respeitamos, nos ajudamos, nos protegemos, nos damos broncas, nos perdoamos. Mas ela não é minha “amiga gêmea”, tampouco temos a amizade perfeita. E que bom, porque é tudo que eu não quero.

Não quero amizade perfeita que precisa pisar em ovos para dar certo, quero amizade que te convida a abrir a caixa de ovos e jogar tudo para o alto, independente da sujeira. Não quero amizade perfeita que divide os mesmos gostos e opiniões, quero amizade que também concorde em discordar e todo mundo cresça com os debates. Não quero amizade perfeita que me prenda em um squad aparentemente perfeito, quero amizade que agrega e junta a turma do bar com a galera do clube do livro – e todo mundo se sente bem. Não quero amizade perfeita que complete minhas frases, quero amizade que me dê espaço para falar também. Não quero amizade perfeita que seja invejada, quero amizades que inspirem. E me considero uma felizarda em reconhecer que tenho muitas amigas assim.

Pra quê uma amiga gêmea se podemos ter muitas amigas irmãs? <3 Um brinde às amizades imperfeitamente maravilhosas!

 

 

Gostou? Você pode gostar também desses!

Sem Comentários

Deixe uma resposta