5 em Comportamento/ Convidadas/ feminismo/ Juliana Ali no dia 21.12.2016

Por que diminuir outra mulher? Vamos falar sobre sororidade!

Quando eu era mais jovem, lá pelos meus 18, 20 anos, a maioria dos meus amigos eram homens. Eu me sentia mais confortável sendo amiga de homens do que de mulheres. Hoje sei que isso acontecia por dois motivos – e nenhum deles era legal.

O primeiro era o fato de que, quando eu estava perto de homens héteros, e eu sou uma mulher hétero, existia uma sedução implícita e velada dentro da relação que levantava minha autoestima. Isso não significa que eu ia ter nada com esses caras, eles eram apenas meus amigos mesmo. Mas havia essa sedução. Um jeito erradíssimo de levantar a autoestima, já que ela não pode depender da aprovação de outrem, certo? Muito menos da aprovação dos boys. Enfim.  

sororidade2

O outro motivo era que eu sentia que entre as mulheres havia muita competição. Pra ver quem era mais bonita, quem era mais magra, quem era mais esperta, quem ficava com o boy mais bacana. E isso me incomodava. Eu achava que entre os homens isso não acontecia e invejava o tipo de amizade que homens construíam. Achava que dificilmente mulheres construíam o mesmo tipo de amizade, então eu tentava ser amiga de homens porque imaginava que, talvez, com eles, eu podia ter uma amizade mais sincera.

Bobagem de novo. Mas isso me leva ao tema do texto que escrevo hoje para vocês, meninas lindas leitoras do Futi.

(Mantenham em mente que faço 40 anos em fevereiro e tudo isso que estou contando acontecia há 20 anos, portanto. Mudei muito desde então. O MUNDO mudou muito desde então. Naquela época, não se falava de feminismo, de sororidade, de cultura do estupro. A gente não sabia de nada, mas sentia as mesmas coisas de que se fala tanto hoje. Sentia, mas não sabia direito o que estava sentindo. E nem tinha com quem falar a respeito.)

sororidade1

Agora vamos lá. Percebo que, ainda hoje, infelizmente, muitas mulheres ainda sentem, vivem e acreditam nessa competição entre elas mesmas. Gente, essa competição é uma ilusão, sabiam? Porque os homens não competem entre si e a gente compete? Porque o patriarcado impôs isso para nós. Sabiam? Nós estamos seguindo uma regra que meteram na nossa cuca.

Vejo mulheres fazendo fofoca para diminuir as outras, para detonar as outras, e isso as faz se sentir melhor. “Ah, mas todo mundo sabe que mulher é fofoqueira”. Quem falou??? Ninguém. Isso não precisa ser verdade. É algo INSTITUCIONALIZADO. Como o preconceito, como a objetificação da mulher, como a obrigação de ser magra. Não precisa ser assim. E não sei vocês, mas eu não quero ser objeto, eu não quero ter que ser magra, e eu não quero ser fofoqueira. E não sou. Nada disso.

Descobri a SORORIDADE junto com o feminismo. E sei que mesmo entre as feministas, nem sempre a sororidade é uma realidade. Muitas mulheres ainda não conseguem realmente apoiar umas às outras e deixar essa competição enraizada pra lá. Mas TEM MUITAS QUE CONSEGUEM SIM. Conseguem de verdade. Eu sou o tipo de pessoa que só de ver uma mina na rua já tenho vontade de falar “tamo junta”. Porque nós estamos, percebe? A gente passa pelos mesmo perrengues, pelas mesmas dificuldades, pelo mesmo preconceito. Enfrenta as mesmas piadinhas toscas, tem o mesmo medo de ser assediada no ponto de ônibus de noite. A gente se ferra junta, mulherada. A gente tá junta, quer vocês queiram ou não, esse barco é só nosso. Então porque não remar na mesma direção?

 

Quando eu vejo uma mulher que acho bonita, na farmácia, na padoca, no facebook, em qualquer canto, eu imediatamente digo isso pra ela. De verdade, digo mesmo. E gente, vocês precisam ver que legal que é a reação da maioria. Mulheres não estão acostumadas a serem elogiadas por mulheres. Só por homens, já notou? E, nesse caso, muitas vezes é uma cantada desagradável. Por outra mina, não. Precisa ver como eu faço amigas. E precisa ver como é gostoso.

sororidade3

 

Hoje em dia, 99% das minhas amizades são femininas. Eu tento compreender as mulheres. Não luto contra elas. Luto COM elas. Acolho as mulheres. E sabe o que acontece de volta? Você não acredita. Elas me acolhem de volta. Elas me ajudam na minha auto estima (quem vê pensa que preciso de boy pra isso). Elas dizem que sou linda. Elas dizem “vai mana, você consegue”. E eu digo o mesmo pra elas.

A sororidade não precisa ser uma utopia. Na minha vida, ela é real. Porque eu faço ela ser real. E é super fácil. Amiga, olhe para as mulheres com carinho. Elas merecem. Você merece. Nós merecemos.

Empatia. Sororidade. A revolução pode ser, deve ser e será feminina. Pense nisso.

Com amor, Ju.

ju-ali-banner

 

Gostou? Você pode gostar também desses!

5 Comentários

  • RESPONDER
    Priscila
    21.12.2016 às 14:15

    Texto incrível, de verdade! “Tamo junta” – de uma mana que também vai completar 40 anos em 2017!

  • RESPONDER
    Kamile Sousa
    21.12.2016 às 22:32

    Por mais textos assim ♥

  • RESPONDER
    Livia Kerr
    22.12.2016 às 11:48

    Que texto maravilhoso!
    Obrigada por isso Ju! <3

  • RESPONDER
    Rafa
    23.12.2016 às 9:54

    Que texto maravilhoso! Quero praticar cada vez mais a sororidade!

  • RESPONDER
    Aline Fernandes
    25.02.2017 às 9:32

    Que texto brilhante! obrigado por compartilhar

  • Deixe uma resposta