6 em Autoconhecimento/ Viagem no dia 23.11.2016

A maravilhosa oportunidade de viajar só

Viajar é sempre uma enorme oportunidade de se conhecer! Todo mundo que embarca com destino a um lugar novo também embarca com destino a si mesmo. Em algum grau toda viagem nos dá a oportunidade de nos perceber como indivíduos em um ambiente diferente, numa cultura que não conhecemos. Quanto mais conscientes estamos desse processo de busca interior, mais podemos tirar proveito dessa oportunidade.

Acredito que o que disse acima vale como verdade para os mais variados tipos de viagens e viajantes, mas quando optamos por viajar sozinhos isso potencializa num grau inimaginável. Eu pessoalmente acredito que todo ser humano deveria viajar sozinho pelo menos uma vez na vida.

Meu processo criativo sempre ataca quando eu me vejo numa sala de embarque sozinha, parece curioso, mas sempre que estou esperando o tempo passar no deslocamento entre o local de partida e o de chegada eu coloco várias coisas em perspectiva. Escrevo crônicas, anoto coisas no meu diário, elaboro propostas de trabalho e faço planos de como a vida vai ser dali em diante.

Me sinto forte, poderosa e capaz de tudo quando me lanço numa aventura sozinha. Pode ser indo para Paris ou Belo Horizonte, não importa o destino. O que importa é a quantidade de oportunidades que me darei ao olhar em silêncio (as vezes ao som de uma música) para os lugares, os passeios, as ruas ou mesmo para o quarto de hotel.

viajar-so

Morar sozinho deve ser um processo parecido, mas depois que somos tomados pela rotina nos acostumamos com aquele processo de silêncio e tempo para pensar só. Quando estamos desbravando um destino novo o inimaginável pode acontecer. Você pode sentar para almoçar com um casal da Noruega que conheceu na fila do restaurante, pode ir para uma festa com uma galera que conheceu no ponto de ônibus, pode passar horas no museu sozinha escolhendo qual quadro vai demandar seu tempo e quais são as salas que você quer ver.

Almoçar pode ser um processo de prestar mais atenção no sabor da comida, sentar no sol pode ser uma oportunidade de olhar os detalhes dos jardins ou praças da sua cidade preferida. Sentar num café ou num bar pode ser uma boa oportunidade de bater papo com alguém completamente diferente de você.

Você não precisará provar nada pra ninguém, pode até compartilhar legendas gigantes numa foto no instagram ou buscar contar vantagem em um grupo de amigos, mas essa conexão com o mundo se dará pelo celular. Depois que esse estiver no bolso, você estará sozinho ali novamente.

A primeira vez que viajei sozinha foi muito curioso. Na época não se viajava com telefone celular, então eu ia com minhas moedas de 1 euro ligando para minha mãe a cada duas horas e contando o quanto eu estava encantada com os jardins de Madri, com o museu que me fez chorar ou com o restaurante onde eu comi presunto ibérico pela primeira vez.

Na Bélgica fiz quase tudo sozinha, visitei a Antuérpia e me lembro de prestar atenção em tudo, nos mínimos detalhes. Adorei a experiência, foi engrandecedor, mesmo tendo casa para voltar no fim do dia e muita gente para conversar.

Desde que descobri valor em viajar sozinha eu costumo tirar um tempo de toda viagem com alguém para fazer algo sozinha. Dar uma volta, ir a algum lugar ou qualquer coisa que deixei eu me conectar comigo e com o lugar.

Em Capri fui à praia sozinha, em Bodrum sai para ver as estrelas, em Paris fui comprar café e dar uma volta no meu bairro preferido. Em Nova Iorque fui ao MoMA, eu sempre preciso fazer algo sozinha. Se tornou parte de quem eu sou, de me descobrir.

Semana passada me peguei sozinha no meu quarto de hotel em Belo Horizonte e todo o silêncio interior que pratiquei ali voltou pra mim, silenciou as dores do meu coração, me fez pensar e confiar que fiz as escolhas mais corretas para o meu coração.

Ao silenciar a mente, a alma e o coração eu consigo criar um processo de conexão com a energia do lugar e isso me transforma de alguma forma, não sei explicar fisicamente o que acontece, mas eu mergulho com mais profundidade pra dentro e assim entendo melhor as coisas que acontecem fora do meu mundinho particular.

Viajar sozinha é uma das maneiras mais especiais que eu tenho de vivenciar processos de cura. Ter momentos de isolamento me permitem transformar, cicatrizar, me conhecer e isso não tem dinheiro no mundo que pague.

Eu acredito sim que todo mundo deveria viajar sozinho uma vez na vida, até para dizer que não gostou. Alguém já viajou sozinha? E o que achou da experiência?

Beijos

banner-snap

Gostou? Você pode gostar também desses!

6 Comentários

  • RESPONDER
    Camila Guerra
    24.11.2016 às 11:33

    É um favor gigantesco pra nós mulheres essa troca de experiências. Tô indo pro sudeste asiático sozinha (pela primeira vez) em janeiro. Agora que tá aproximando confesso que o medinho tá batendo. 90% dos comentários que eu escuto a respeito giram em torno de: “mas por que?” “não tem ninguém pra ir junto com você?” “mas você acha boa ideia? Não tem medo?”. São muito poucos os incentivos, tô precisando de mais disso hahaha.

    Beijo, Jô.

    • RESPONDER
      Carla
      24.11.2016 às 12:24

      Nossa, Camila, parabéns! Te acho mt corajosa, eu fui pra lá em 2013 e não sei se teria coragem de fazer isso (mas até hoje eu não tive coragem de ir pra lugar nenhum sozinha!). Mas tenho certeza q vc vai amar, melhor lugar do mundo!

  • RESPONDER
    Samira
    24.11.2016 às 15:25

    Eu viajei sozinha primeira vez sozinha quando tinha 22 anos, e em janeiro de 2017 faz dez anos que fiz essa viagem, lá fiz vários amigos e um em especial se tornou meu namorado e marido e já faz 6 anos e meio que somos casados. Foi a melhor coisa que eu fiz por mim, mesmo se não tivesse conhecido o meu futuro marido. Tanto é que fiz a cabeça de várias amigas para viajarem sozinhas.

  • RESPONDER
    Fabiana Pessoa
    24.11.2016 às 17:10

    Joana, que lindo tudo que você escreveu, fiquei arrepiada com essa possibilidade de encontro consigo mesma. Eu viajo em maio sozinha para Cusco, e cada leitura como esta me fazem estar com um pé lá. Até lá, vou tentando fazer pequenos encontros comigo mesma aqui em Recife/PE kkkkk mas acho que o diferente fará o encontro ser fascinante.

  • RESPONDER
    Lívia Nunes
    28.11.2016 às 11:47

    Fui pra 4 países na Europa em 2015 e foi a melhor experiência da vida! Amei ter ido sozinha num grau que nem sei explicar! conheci tanta gente! saudades dessa viagem!

  • RESPONDER
    Mariana
    14.12.2016 às 11:08

    Viajar sozinha é um encontro !! Eu fiz e faria de novo !!
    Viajei durante 20 dias sozinha e digo que foi uma experiência marcante.

    Fui estudar sozinha e vejo o quanto isso ajuda na minha personalidade

  • Deixe uma resposta