30 em maternidade no dia 23.11.2016

Frases que eu evito falar para mulheres sem filhos

Acho que quase todas as mulheres que engravidaram e viraram mãe ouviram muitas frases por aí que são meio um clichê nesse mundo da maternidade. As principais são aquelas: “durma muito agora, porque depois…” ou então “agora pode comer por dois, hein!”.

Essas eu diria que se enquadram na categoria de irritantes porém inofensivas, e é questão de dar um sorrisinho (quase sempre amarelo de minha parte) e deixar pra lá, mas tem várias outras que eu acho verdadeiras armadilhas para outras mulheres, principalmente as que não são mães. Eu nunca fui de usá-las muito, mas passei a evitar depois que eu comecei a enxergá-las com olhos mais…digamos…problematizadores. E quais são elas? Então:

frase1-cliche-maternidade

Olha, eu até descobri um outro tipo de amor totalmente diferente de tudo que eu já senti na vida realmente, mas não acho esse amor mais verdadeiro do que os outros. Sem contar que eu não sei se estou falando isso para alguém que está tentando engravidar e não consegue ou se estou falando para uma pessoa que decidiu não ter filhos, mas sempre achei esse clichê um pouco cruel, como se a mulher que não é mãe não pudesse conhecer o amor verdadeiro, seja lá ele qual for. Sem contar que acho essa frase uma das piores no quesito romantização da maternidade pois esquece de contar que nem sempre o coração da mãe se inunda de amor no primeiro contato, afinal esse é um sentimento em eterna construção e expansão. Já ouvi muitas histórias de mães que levaram um susto quando não sentiram o tal amor no primeiro contato com o filho e se culparam muito com isso, por esse motivo eu acho esse tipo de frase perigosa. Eu só sei que posso afirmar tranquilamente que amo muito mais o Arthur agora do que no dia que ele nasceu. E tenho certeza que daqui a um ano vou dizer que amo muito mais ele do que no dia de hoje.

frase-cliche-maternidade-2

Isso eu nunca falei em voz alta, mas volta e meia me pego pensando ou concordando com outras mães quando elas reclamam de terem sido mal entendidas em alguma situação. É claro que terão muitas experiências que quem não tem filho provavelmente não vai ter a vivência para entender, mas toda vez que ouço essa frase direcionada à uma mulher que não é mãe eu sinto uma arrogância que não curto. Sei lá, eu sou muito adepta de sempre procurar uma opinião de quem está de fora quando estou com alguma questão justamente porque recebo um olhar mais fresco e menos “viciado” em cima do meu problema e na maior parte das vezes acho que isso dá muito certo. Por que não daria com a maternidade? Claro que vai ter um caso ou outro que a solução proposta por quem não tem filhos não vai se encaixar e sei que é difícil segurar o pensamento (ou a boca, ou os dedos) quando a gente se vê perto de gente sem filhos mas cheia de opinião sem empatia. Mas muitas vezes pode surgir algo novo e inspirador, por que não? É questão de dar chance. :)

frases-cliche-maternidade-3

Essa é polêmica, eu sei. Apesar de eu ter plena consciência que o Jack me preparou muito para o Arthur, depois que eu fui mãe eu entendi a tal diferença que tanta gente falava, já que cachorros ou gatos precisam ser bem cuidados mas são muito mais independentes e não precisam ser educados em tantas questões diferentes como um ser humano em construção. Ser mãe de uma pessoa é um trabalho constante, 24 horas por dia. Ser mãe de pet é trabalhoso, mas você consegue ter suas folgas. Mesmo assim não consigo dizer que quem é dona de pet não é mãe, tampouco acho que a palavra “mãe” é desvalorizada porque o filho em questão não é humano. Mãe é uma palavra tão associada à acolhimento, amor e doação que não consigo achar um pecado mortal achar que quem está oferecendo isso tudo para outro ser vivo (por mais que não seja humano) queira usar esse título.

frases-cliche-maternidade-4

Esse começo de frase é quase inofensivo e as vezes sai sem nem perceber, foi preciso eu ser chamada a atenção para perceber a armadilha dessas palavrinhas. Uma das poucas vezes que eu falei isso, recebi de volta “mas eu não quer ser mãe justamente porque não quero ter essas experiências” (não foi grosso como está parecendo, mas passou a mensagem perfeitamente). Nunca pensei que falar isso pudesse incomodar alguém, mas acabei ouvindo o argumento de que essa frase alimenta a ideia de que maternidade é algo obrigatório, quando na verdade sabemos que ninguém é obrigada a nada, né? Refleti e parei de usar.

Acho que essas são as principais frases clichês que eu realmente evito falar para mulheres que não são mães. Vocês também têm frases que evitam? E quem não tem filhos, existe mais alguma coisa que vocês odeiam ouvir?

Beijos!

banner-SNAP-ca

 

Gostou? Você pode gostar também desses!

30 Comentários

  • RESPONDER
    Barbara
    23.11.2016 às 9:32

    Apenas uma palavra pra você; MUITO OBRIGADA!
    Tem também aquela máxima maravilhosa: “Mais tarde você vai se arrepender”. (já ouvi muitas vezes de pessoas diferentes).
    Beijos e obrigada!
    Barbara.

    • RESPONDER
      Carla
      23.11.2016 às 16:30

      Verdade, realmente existe e também não falo! Bem lembrado!

    • RESPONDER
      Juliana
      24.11.2016 às 21:24

      Essa é “batata”!

  • RESPONDER
    Natalia
    23.11.2016 às 9:53

    Olá! :-)
    Estou com 31 anos, casada e ainda não sei se quero ser mãe de humaninho (de animal já sou). Tá tudo bem quanto a isso, mas às vezes quando eu falo uma frase com um “se” no lugar do “quando” (se eu for mãe, se eu tiver filho…) SEMPRE gera assunto paralelo sobre maternidade e algumas vezes eu só escuto um “pára, né? – vai ser sim”.
    Para evitar a fadiga, muitas vezes eu só solto um ‘quando’ ou guardo para mim o que iria falar, mas acho bem chato eu ser obrigada a medir palavras numa conversa muitas vezes leve, só porque considero ter filho uma opção, não uma obrigatoriedade. Nem sempre quero falar sobre minhas opções (ou dúvidas) e o “se” quase me obriga a isso (se minha opção for manter o clima leve), tanto com quem já decidiu que não quer ser mãe (pelo apoio, talvez?), como com quem quer e aceita bem ou não isso como opção. Botar maternidade em dúvida gera assunto…
    Engraçado como pessoas que ao mesmo tempo são super modernas e problematizadoras (para usar a mesma palavra – no sentido positivo) podem ser também tão cabecinhas a ponto de se preocupar com a vida dos outros assim, a ponto de mandar “parar” com um pensamento!
    Nem vou entrar no mérito de discussão sobre “ter alguém para cuidar no futuro” como fator determinante para as pessoas indecisas. Muito menos sobre aquela opinião sobre as mulheres que já se decidiram para o não e são super vilãs da humanidade, rs.
    A dica que dou de cuidado com as palavras/ações é só tentar, por favor, não semi-obrigar as pessoas a se explicarem caso botem em dúvida se querem ser mãe em uma conversa em que falar sobre isso não seja o tópico. É um complemento ao último tópico da Carla no post.
    Só para exemplificar a situação: estou no shopping e vejo uma meia fofa, aí comento naturalmente “se eu tiver filho, vou colocar essa meia”. Era um comentário à toa achando fofa uma meia, mas gera no mínimo um olhar olhar, passando pela pergunta até o extremo da correção para “quando você tiver…”. Não pode só comentar da porcaria da meia??? Kkkkk
    Beijo meninas!

    • RESPONDER
      Carla
      23.11.2016 às 16:29

      Sim, sim! Acho um absurdo essa demonização de mulheres que optaram por não terem filhos, como se fosse um pecado!

  • RESPONDER
    Sandra Luz
    23.11.2016 às 9:57

    Que post fantástico!!!!
    Preciso dizer que todos os posts são bons, mas esse com certeza se superou! Você colocou de forma inteligentíssima os argumentos, e concordo com tudo que você falou (principalmente a parte de ser mãe de pets, já que me encaixei na situação).
    Parabéns!!!

    • RESPONDER
      Carla
      23.11.2016 às 16:28

      Que bom que curtiu, Sandra! Fico mtmt feliz!

  • RESPONDER
    Marielly Andrade
    23.11.2016 às 9:58

    MARAVILHOSA! Não quero ser mãe é confesso que me senti muito representada por todas essas situações. Inclusive, já fui a pessoa que disse: não quero ser mãe justamente porque não estou disposta a passar por isso.
    Carla, que percepção e sensibilidade de pensar completamente fora da sua caixa ainda mais agora vivendo a maternidade em tempo integral. MUITO OBRIGADA!

    • RESPONDER
      Carla
      23.11.2016 às 16:27

      Obrigada mesmo, Marielly! <3

  • RESPONDER
    Priscila
    23.11.2016 às 10:30

    Carla, sua linda! Tenho 39 anos e não tenho filhos. Já ouvi diversas pérolas, entre elas a que considero pior: “Ah, uma mulher só se torna completa quando vira mãe”! Oi?

    • RESPONDER
      Carla
      23.11.2016 às 16:27

      Oi, Priscila! nossa, isso de se tornar completa é outro absurdo. Não consigo entender!

  • RESPONDER
    Ana
    23.11.2016 às 11:47

    Muito obrigada! Muito obrigada! Muito obrigada!

    Tenho 38 anos, decidi não ter filhos, e já ouvi coisas absurdas, agressivas.

    ” depois vc. se arrepende…. mas tudo bem, vc. ainda pode adotar”
    (Respeitar a escolha dos outros, nem pensar)

    ” vc. vai se tornar uma pessoa muuuuuuuuuuuito melhor quando virar mãe”
    (Claro, sou sociopata e depois de virar mãe ganho o Nobel da Paz)

    ” mas vc. não gosta de criança?? – acompanhada com um olhar de terror
    (Zzzzz…zzzzzzzz….zzzzzz…..zzzzz)

    • RESPONDER
      Joana
      23.11.2016 às 12:48

      uhauahauhauha
      me abraça aqui!

    • RESPONDER
      Sandra Luz
      23.11.2016 às 13:02

      hahahahahaha
      só rindo mesmo!

    • RESPONDER
      Michelle
      23.11.2016 às 16:15

      Essas pessoas acham que, por não querermos ter filhos, temos que detestar crianças.
      Eu não quero ter e sempre evito muito contato com crianças, pois gera aquela comoção: “nossa, ela vai mudar de ideia, está com o fulaninho no colo…” ou “achou tão bonitinho que vai querer um…” Affff…
      Quando ouço essa do amor verdadeiro, eu sempre falo que não dá para sentir falta do que não conheço.
      Já ouvi o absurdo de que não quero ter para ficar disponível aos homens, sem nenhum empecilho, caso me separe.

      Gente muito preocupada com nosso futuro “solitário” tem de monte.

      • RESPONDER
        Carla
        23.11.2016 às 16:21

        “não dá pra sentir falta do que eu não conheço”, é isso!! E ficar disponível aos homens é de um machismo que dá vontade de chorar!!

    • RESPONDER
      Carla
      23.11.2016 às 16:26

      Ana, o “vc vai se tornar uma pessoa melhor” é um absurdo sem fim!! vc vai se tornar outra pessoa, ok, mas melhor?? Fala sério, mais uma romantização desnecessária!

  • RESPONDER
    Gabriela
    23.11.2016 às 12:11

    Adorei o post. Essa última frase é a que mais ouço. http://www.alemdolookdodia.com

  • RESPONDER
    Natalie
    23.11.2016 às 13:58

    Oi meninas,
    estou com 36 semanas e já me peguei pensando na frase “quem não é mãe não pode opinar” pq essa fase da gestação é cheia de palpites de todos os lados. Alguns muito úteis e outros nem tanto, mas sempre escuto e guardo o que acho importante porque sei que no final, eu e meu marido que vamos decidir o que é melhor dentro da nossa realidade.
    Sobre não ter filhos, tenho duas tias, tanto do lado materno quanto paterno, que não tem filhos e como cresci com isso, nunca vi problema em alguma mulher (ou homem!) não ter filhos. Acho que cada um faz suas escolhas e convive com elas e isso nunca, nunca atrapalhou a relação delas com sobrinhos, aliás, são as melhores tias que tenho.
    E sobre ser mãe de pet, realmente esse assunto é polêmico pq muita gente compara as coisas quando na verdade são amores e situações diferentes. Amar o filho humano não exclui amar o filho pet e vice-versa. Acho que o amor é um sentimento muito grande pra direcionar somente pra uma pessoa ou situação. Tenho dois shih tzus que são nossos grandes companheiros e minha filha tá vindo pra acrescentar na nossa vida, não pra excluir os dois! Mas é difícil fazer as pessoas entenderem!

    Ótimo post, Carla! Como já comentei algumas vezes aqui, gosto muito da maneira como vocês pensam e como passam isso pras leitoras! Parabéns!!
    Bjo

    • RESPONDER
      Carla
      23.11.2016 às 16:22

      É exatamente isso, Natalie! Obrigada pelo comentário (e pelo elogio! rs)

  • RESPONDER
    Martha
    23.11.2016 às 16:13

    Maravilhoso seu texto, parabéns pela sua serenidade e sensatez (e sensibilidade) ao tratar do tema!

    • RESPONDER
      Carla
      23.11.2016 às 16:21

      Obrigada, Martha!

  • RESPONDER
    Mah
    24.11.2016 às 16:27

    Tenho 34 anos, tento engravidar ha quase dois, passei por uma fiv que não deu certo e tem sido um processo muito triste e solitário. E ler seu texto, vindo de uma mãe, foi lindo! Isso porque acabei me afastando de todas as amigas, que já com filhos usam essas frases e não sabem falar de outra coisa que não seja o amor mais maravilhoso e sublime que elas já sentiram!! Obrigada pela sua sensibilidade! Um beijao!

  • RESPONDER
    Não aguento mais
    24.11.2016 às 21:33

    Eu mudei meu nome pq vai que alguma amiga leia aqui e se chateie..
    Carla, primeiro queria te agredecer por tamanha sensibilidade.
    Segundo, sou casada, 33 anos e eu e meu marido não sabemos se teremos filhos e tb não estamos desesperados por isso. Acho que não teremos.
    Mas o que fez me distanciar de algumas amizades foi essa romantização chata que existe e até um certo pudor que surge, como se o filho viesse da cegonha e não de uma boa noite de sexo.
    Enfim, ando meio de saco cheio.
    Adoro vocês duas de paixão!
    Bjs

  • RESPONDER
    Não aguento mais
    24.11.2016 às 21:41

    Aí escrevi bastante e acabou não subindo o comentário…hehe
    Carla, primeiramente obrigada pela tua sensibilidade!
    Eu tenho 33 anos, sou casada e eu e meu marido não sabemos se teremos filhos e também não temos pressa caso isso venha a acontecer.
    Me distanciei de algumas amizades esse ano justamente por essa romantização da maternidade, algo que beira o pudor. Como se o filho viesse da cegonha e não de uma boa noite de sexo.
    Realmente as mulheres se tornam outra pessoa, algumas se tornam extremamente pedantes.
    Amo crianças, mas elas crescem né? Hehehehehehe
    Às vezes me sinto marginalizada pois parece que sou insensível por ainda não querer ter filhos. Afinal estou “velha” para a maternidade como já ouvi.
    P.S.: mudei de nome porque não sei se alguma amiga visita o blog…heheh
    Adoro vocês duas de paixão!!

    • RESPONDER
      Carla
      25.11.2016 às 12:05

      Obrigada pelo seu comentário!! E não, vc não está “velha” para a maternidade! Relaxa e espera, ter filho sem ter certeza se é isso que quer é uma armadilha maior do que romantizar a maternidade!

  • RESPONDER
    Léli
    24.11.2016 às 21:50

    Oiiii Cá, olha eu não sei se tem a ver especificadamente com o teu texto, mas uma cosia me chateia muito é o fato de algumas mulheres, depois de serem mães afastarem as amigas que não são. No meu caso eu tenho três grupos de amigas e em dois desses grupos eu sou a única que não sou mãe. Então, toda vez que eu me encontro com elas é sempre o mesmo, tu não é mãe tu não sabe, tu não entende, eu ficava tão perdida no assunto que elas acabaram me afastando e eu também.

    A gota d’gua pra mim foi quando eu falei que era a favor do aborto (por motivos que não cabe aqui) e todas me rebateram falando que eu somente pensava assim agora e que quando tivesse filho iria mudar de ideia, que isso era coisa de mulher que não era mãe e que eu não sabia nada, blá blá blá… Enfim, acho legal as mães fazerem essa reflexão que tu fez sabe, sobre o que falar ou não, ou sobre julgar quem é mãe de pet ou não…se não é como se quem não faz parte desse mundo, sei lá, não esta completa ou não sabe mesmo o que é amor, etc.

    Foi só um desabafo mesmo, estou amando muito os textos do blog, de autoestima e tal… vocês estão me ajudando muitoooo! Beijos gurias.

    • RESPONDER
      Carla
      25.11.2016 às 12:07

      Obrigada pelo seu comentário, Léli! Pior que isso acontece, outro dia uma amiga estava reclamando justamente dessa situação, que ela foi isolada de um grupo só porque ela era a única sem filhos. Eu entendo que em um grupo de whatsapp por exemplo, é normal que a pessoa “de fora” acabe se sentindo excluída, mas acho absurdo afastar amizades por isso. Eu amo minhas amigas sem filho porque corro justamente pra elas quando chega uma hora do dia que eu não aguento mais ficar na função! hahaha

  • RESPONDER
    Sheila
    26.11.2016 às 18:25

    Normalmente depois de uma dessas perguntas que você colocou e do meu contra argumento – porque sou boadrasta que criou e educa até hoje, mesmo ele com 25 anos e eu com 37 – e não quero ser mãe, obrigada, serei avó…rs… Aí vem a outra frase/pergunta:
    Mas você precisa ter O SEU! E quando você estiver velha?
    Minha paciência no limite responde: pago um asilo ou cuidadora…
    Silêncio……. Rs
    Ótimo Post que compartilharei! Filho é para quem quer muito, não porque TEM que ter…

  • RESPONDER
    Roberta
    13.08.2018 às 14:00

    Nossa, eu acho que as pessoas são muito deselegantes, no geral, com quem não tem filhos. Eu e meu esposo tentamos e não conseguimos, mas, parece que as pessoas estão sempre dispostas a jogar na nossa cara o fato de não termos filhos, invadem nossa intimidade. Os maiores absurdos que já ouvi, são os seguintes: “Tudo bem, se você é feliz assim, não tendo filhos…(oi???)”; “Talvez você não seria uma boa mãe, melhor assim (ou seja, fui punida por Deus, e assim, não pude ter filhos? Oi ??? de novo…”) e pra não dizer a pior, mas, com certeza, uma das mais deselegantes: “Fulana não conseguiu ter filhos por x anos, daí, adotou um cachorro, para substituir. Coitada”. Na boa, vamos parar de julgar as pessoas, vamos respeitar a intimidade do outro. Eu, como pessoa educada e de boa índole, jamais falaria isso para uma pessoa sem filhos, mesmo que eu tivesse filhos. Magoa muito. Pior que a última frase ouvi da prima do meu marido, nossa madrinha de casamento. Pode?

  • Deixe uma resposta