10 em Comportamento/ Convidadas/ feminismo/ Juliana Ali no dia 20.06.2016

Quem tem medo de ser feminista?

medo-do-feminismo

Vejo que muita mulher não quer ser rotulada de “feminista”. Quer direitos iguais, não admite ser insultada por ser mulher, quer ganhar tanto quanto os homens para fazer o mesmo trabalho, quer sua liberdade respeitada. Isso, todas as mulheres querem. Mas, ser chamada de feminista… Não, feminista, melhor não.

E, como uma feminista convicta e orgulhosa observando esse mundão, acho que sei porque isso acontece.

Amigas minhas dizem: “Ah, Ju, não sou feminista, porque para ser feminista eu tenho que votar no PT”. Ou então: “Não me identifico com o feminismo porque gosto de me arrumar, de usar maquiagem, de alisar o cabelo”. Ou até: “Eu, feminista? Imagina! Eu gosto de homem!”.

Entendo toda essa confusão. Muito se fala sobre feminismo e muito se liga o feminismo a política, a auto imagem, a um repúdio geral ao sexo masculino. E também muita bobagem é dita por aí.

Veja. O feminismo é sobre direitos iguais. Na sua base, é apenas isso.  Você pode se aprofundar e descobrir muito mais, pode descobrir muitas coisas lindas, mas nunca vai descobrir que precisa escolher um partido político, que precisa ter uma certa aparência ou que precisa odiar homem para ganhar um “passe de entrada” para essa tal balada feminista.

O feminismo é mundial e não tem passe de entrada nenhum. Não se reduz a um partido político ou a uma visão política – ou não deveria se reduzir. Se alguém te disser que sim, que você precisa votar em fulano, que você precisa escolher esse ou aquele lado, esta pessoa está ERRADA.

O feminismo é INCLUSIVO. A única coisa que você PRECISA, para ser feminista, é acreditar que mulheres e homens merecem os mesmos direitos e o mesmo tratamento pela sociedade.

Quanto à aparência e sua relação com o sexo masculino, novamente, o feminismo é inclusivo. Você tem a liberdade de ser como bem entender. Pode alisar o cabelo ou não, pode usar maquiagem ou não, pode usar minissaia ou moletom. Pode ser lésbica, pode ser hétero, pode ser solteira ou casada, pode ter filhos ou não, e tem o direito de se sentir como quiser em relação ao sexo oposto.

Você que sabe. Esta é a frase número 1 do feminismo.

VO-CÊ-QUE-SA-BE.

E isso vale pra tudo. Liberdade. O feminismo é sobre liberdade e opção. Quem te disser que não é… Não entendeu nada.

juliana-aliAcesse aqui o site da Ju!

Gostou? Você pode gostar também desses!

10 Comentários

  • RESPONDER
    Daiane
    20.06.2016 às 16:12

    Acho q não tem q rotular, fulano tem q ser aquilo, e o outro aquilo! Tem q ser natural..acho q a partir do momento q rotula, vira essa divisão na sociedade q não pode existir…enfim! Um assunto q tem muito o q falar..
    http://senhoritadoslacos.blogspot.com.br/
    Bjos

  • RESPONDER
    Larissa
    20.06.2016 às 16:50

    Artigo incrível! Quando digo que sou feminista as pessoas ficam assustadas e até ofendidas. Alô, mulheres, todas nós devíamos ser feministas.

  • RESPONDER
    Juliani de Paula
    20.06.2016 às 18:56

    Oi Ju!
    Também sou feminista, e confesso que as vezes eu tenho uma certa preguiça de me apresentar assim. O feminismo por grande parte das pessoas é visto como quem não se depila, homem que odeia homem, e bla bla bla.
    Tenho uma preguiça! Acredito que seja pq as movimentações feministas que se apresentam pra grande mídia são as radicais. Que reforma ainda mais o o estereotipo do feminismo.
    Cheguei a conclusão que ao invés de tentar fazer as pessoas entenderem, eu mude minhas atitudes, ainda muito pautadas na minha criação machista! Acredito que a mudança vem de nos né!
    Beijos

  • RESPONDER
    Mary
    21.06.2016 às 9:14

    Olha, mais claro que isso aí… só se desenhar viu!
    òtimo texto! Mulher ser feminista deveria ser algo básico hoje, precisamos urgente desmistificar essa demonização que muitas fazem do movimento!

  • RESPONDER
    Giovana Silva
    21.06.2016 às 10:40

    Que surpresa boa ver você por aqui Ju! E, como sempre, lacrou!
    Beijo Linda!

  • RESPONDER
    Ana
    21.06.2016 às 15:32

    Ju,
    Percebi que vc é um ser iluminado quando li “Entendo toda essa confusão”, sério, EU não entendo, queria muito ter paciência de verbalizar tudo isso quando ouço essas atrocidades, mas MORROOO de preguiça de desconstruir as pessoas, sério… Temos TANTA informação, que acho inaceitável alguém sair falando essas coisas sem antes se informar. Fico extremamente feliz de ver tanta página e tantos textos bacanas como esses para orientar essas meninas.

  • RESPONDER
    MARIA
    22.06.2016 às 9:47

    Acho que tem gente ganhando uma grana com o “feminismo”, por isso essa confusão toda, com você disse mulheres e homens merecem os mesmos direitos e o mesmo tratamento pela sociedade, é isso, eu também acredito que é assim que deve ser, mas me da um nojo esse bando de retardada dizendo “somos melhores que os homens”, ‘mulheres não depilem as axilas”, vão se danar que falta do que fazer, somos todos iguais, porque a cara não pode abrir a da porta do carro pra mulher? ela vai se tornar menos mulher por isso? porque o cara não pode ser cabeleireiro sem ser rotulado? acho que não deveria se chamar feminismo, acho que deveria se chamar IGUALDADE, as pessoas no modo geral costumam se sentir melhores que as outras isso tem que acabar. Somos apenas um monte de carne, ossos, tendões, morreu acabou, apodrece, já era. bjs

  • RESPONDER
    ju
    27.06.2016 às 10:36

    Olá, estou no grupo do facebook do blog fashionismo. Lá tem algumas ideias bem bacanas sobre o feminismo e nesses últimos tempos, com essa reviravolta no país, vi várias meninas dizendo ser impossível ser feminista e ser de direita ao mesmo tempo! Uma moça até complementou dizendo que até deixa alguém tentar ser, mas que é IMPOSSÍVEL. O que você acha sobre isso? pois eu fiquei muito “acuada” de me declarar feminista e ser de direita.. obrigada, aguardo sua resposta. bjos

    • RESPONDER
      Joana
      27.06.2016 às 11:16

      Ju, eu participei do post no início e sou 100% contra associar o feminismo a movimentos de política! Posso pedir pra Ju falar sobre isso aqui, mas acho que ela concorda comigo nessa. Uma coisa é uma coisa, outra coisa é outra coisa.

      Posso ser direita ou esquerda, mas feminista!

  • RESPONDER
    Mary
    29.06.2016 às 9:37

    Acho que você acertou quando disse que não DEVERIA ser reduzido, mas a imagem que está sendo passada é que é reduzido sim. O que eu mais vejo sendo propagado, principalmente em redes sociais, é o feminismo radical, exclusivo, que tem vários requisitos e não apenas a crença nos direitos igualitários. Sob o título de feministas, criam-se páginas no facebook falando em 99% dos posts de política e se você não concorda com esse pensamento político é porque você não é feminista. Oi? Como assim? Infelizmente essa confusão está sendo cada vez mais estimulada e não é fácil mostrar o real significado do feminismo. Infelizmente o que vejo ser propagado não é o “Você que sabe”, mas sim o “Eu sou feminista então eu que sei, aceite o que estou dizendo e ponto final”.

  • Deixe uma resposta