0 em Comportamento/ entretenimento no dia 06.05.2016

Filmes da Sil: Capitão América : Guerra Civil

Esse filme era para entrar na semana passada mas a verdade é que eu me questionei muito se deveria escrever esse post. Depois de terminado, precisei revisar algumas vezes para diminui-lo sem que perdesse o sentido. Peço desculpas, mas não ser sincera com vocês seria injusto e hoje em dia está complicado ter uma opinião diferente da maioria…

Capitão América: Guerra Civil

guerracivilVocês lembram quando eu contei um pouco aqui de que esse ano existiria uma enorme competição pela atenção, ou melhor, bilheteria entre as grandes distribuidoras de cinema? Então chegou o momento do segundo “grande” filme do ano. E quando falo grande, não só em orçamento, em nome, mas também em duração: Capitão América: Guerra Civil é apenas alguns minutos mais curto do que o seu rival Batman vs Superman.

Agora dessa vez a luta é entre o Steve Rogers, herói que dá nome ao filme e outro Vingador: Tony Stark ou Homem de Ferro. Personagens da Marvel, mais conhecidos como “filhos” de Stan Lee (o velhinho simpático que aparece em todos os filmes, embora nem todas as persongens sejam criações somente dele), hoje os Vingadores pertencem à Disney, que sempre preza por filmes mais familiares. Essa é uma vantagem que a Warner teve com Batman vs Superman já que puderam usar do peso dramático necessário em um filme sem se preocupar com a classificação etária. Em breve teremos um outro exemplo disso com Esquadrão Suicida, que terá um Coringa totalmente psicopata e sádico, diferente de todos os outros que já vimos.

vingadoresPorquê eu estou falando tudo isso? Bem, se alguém aqui leu alguma HQ ou é fã das histórias da Guerra Civil saberá que é impossível recriá-la no cinema, o que torna o filme bem diferente do material original. Eu, particularmente, amo a ideia da Guerra Civil, onde o governo Americano decide criar um Ato de Registro de Super Humanos onde todos heróis devem entregar suas reais identidades para o público. No mundo onde isso acontece, existem os X-men também (que será o próximo filme de herói da FOX), que são os mais prejudicados, afinal o preconceito contra eles sempre existiu no universo da Marvel. Mas não só eles, qualquer um que tenha um poder ou não seja um humano “normal” como é o Sr. Stark, que só vira super herói por causa de sua armadura tecnólogica, começa a ser discriminado. Nós podemos fazer aqui várias analogias com essa intolerância, a mais óbvia é o nazi/fascismo, que é a soma de todos os tipos de intolerância e preconceito com o próximo que nossa história já viu.

Como fã dos quadrinhos confesso que fiquei um pouco decepcionada com as mudanças. A gente entende que elas são necessárias mas e quando elas fazem o filme perder completamente o motivo da história original? Eu confesso que ainda tenho dificuldades de separar completamente minha opinião mais passional de espectadora da minha visão crítica, que deveria ser mais imparcial e técnica.

O filme é divertido? É claro que é! As cenas de luta são fantásticas, os atores estão bem em seus papéis, alguns personagens finalmente ganharam personalidade e mais estilo, e o Pantera Negra – personagem introduzido no filme – é disparado o melhor trunfo do filme. T’Challa é o primeiro super herói negro criado para revistinhas, portanto, seu debut no cinema era muito esperado. Felizmente, do traje à personalidade passando por detalhes como as garras retráteis de seu traje, T’Challa ficou perfeito e foi, para mim, o melhor do filme.

panteraComplicado explicar o que me incomodou em um mundo em que todos estão aplaudindo o filme, especialmente sem dar nenhum spoiler. Bem, a Marvel é cheia de personagens femininas fortes, inclusive duas delas estão muito bem representadas: Viúva Negra e Feiticeira Escarlate. Mas não é possível que nesse universo não pudéssemos ter mais personagens femininas. Um exemplo está no próprio filme. A Agente 13 – que aparece no 2o filme do Capitão América – interpretada por Emily VanCamp (protagonista da série Revenge), que é subutilizada.

feitieira3Outro fator é a mudança da personalidade de Tony Stark. O Homem de Ferro fez sucesso por causa daquela arrogância charmosa criada pelo ator Robert Downey Jr., um caso onde literalmente o ator fez a personagem. Se nas HQs o Homem de Ferro já tem alguns problemas de constância com sua personalidade, no filme achei que destruíram todo o charme que Robert havia dado a Stark. Os roteiristas perderam a oportunidade de explorar Tony e consertar os erros que os quadrinhos cometeram. E nem vou começar a falar sobre o desperdício de vilões, especialmente o Zemo interpretado pelo excelente Daniel Brühl.

dupla Existem outros problemas no filme que não chegaram a comprometer a diversão. Aliás, Guerra Civil vale o ingresso para quem curte filmes de super heróis. É um bom entretenimento e eu me diverti em diversos momentos. Agora, seria injusto dizer que não esperava mais. Na verdade, acho que mudar o verdadeiro motivo pelo qual dois grandes amigos começam literalmente uma Guerra, retirando algo que convivemos todos os dias que é o preconceito e a intolerância com o diferente, enfraqueceu a história. E é uma pena, pois nós podíamos aprender um pouco mais com os heróis sobre como enfrentar vilões reais…

Beijos enormes,

Sil

Gostou? Você pode gostar também desses!

Sem Comentários

Deixe uma resposta