4 em Comportamento/ entretenimento no dia 24.03.2016

Filmes da Sil: Batman vs Superman: A Origem da Justiça

Primeiro eu peço desculpas por estar em falta com vocês. Logo antes do meu aniversário, eu recebi uma notícia bem chata que me “derrubou” e me deixou sem chão por um tempo. Aí juntou essa confusão que o país vem passando e confesso que me deixei abalar, fiquei realmente mal, deprimida, mas isso é assunto para outro post. Hoje vamos falar de assuntos mais animadores?

Batman vs Superman: A Origem da Justiça

trio

Esse ano é talvez um marco para os fãs dos filmes baseados em histórias em quadrinhos. Três grandes estúdios – Warner, Disney e Fox – irão se enfrentar em uma batalha épica pela nossa audiência. Ano passado expliquei um pouco aqui sobre o assunto, mas hoje vamos falar da D.C. e, nesse caso, todas as suas personagens pertencem aos estúdios Warner. É por isso que aqueles desenhos mais velhos, com aqueles heróis antigos da chamada Liga da Justiça começaram a reaparecer em formato de seriados recentemente na TV. Arrow, Flash e Gotham são alguns exemplos dessas séries da D.C. que estão sendo bem sucedidas. Mas com tanto sucesso, por que ficar só na telinha?

Ok, eu imagino que algumas pessoas estão pensando “Mas eu detesto HQ, detesto Superherói, lá vem essa ‘criatura’ falar sobre mais um desses filmes iguais a todos os outros”. E aí que eu vou pedir um minutinho – talvez um pouco mais – para explicar a importância desse momento e de porquê talvez você devesse dar uma segunda chance para pelo menos alguns filmes de heróis – e na minha opinião para “Batman v Superman: A Origem da Justiça”.

Vamos falar o óbvio, o motivo pelo qual foram criados: Superman foi criado em 1933, mas só foi publicado de verdade pela primeira vez em 1938, Batman em 1939, e em 1940 já tinha sua própria revista. Para não sermos injustas, nossa heroína Mulher Maravilha foi criada em 1941. Todos foram criados no que chamamos de “Era de Ouro” das HQs. Mas o que todas essas datas têm em comum? A Segunda Guerra Mundial (1939-1945), onde nossos valentes Superheróis serviam como inspiração e até apoio para as crianças e os soldados que se sentiam mais seguros com um Soldado de Krypton valente e que não morre, um Homem Morcego que investigava crimes e protegia a cidade abandonada aos bandidos e a Mulher, que é uma Deusa Mitológica e não teme nazistas.

super

Durante muitos anos poucos foram os filmes que fizeram algum impacto, mesmo que eles tenham começado em 1943 – é, o primeiro filme do Batman não é o de 1989 com o Michael Keaton. Acho que o mais importante até os anos 2000 foi o famoso filme Superman de 1979 com o Christopher Reeve, que chegou a concorrer ao Oscar de Melhor Filme e deixou uma concorrência difícil para qualquer ator que tente vestir novamente a “Capa Vermelha”. A mesma coisa podemos dizer da trilogia Cavaleiro das Trevas com Christian Bale, que muitos julgam ser o melhor Batman até hoje.

E já que vamos falar dos queridinhos da mídia, não podemos esquecer da atriz Lynda Carter que interpretou a Mulher Maravilha por 4 anos em uma série de TV. E aí é óbvio que as comparações com o novo elenco foram as primeiras as críticas a surgirem. Henry Cavill, aquele pedaço de mau caminho com fama de azarado já foi o primeiro. Ben Affleck, que aparentemente é odiado nos EUA, e mais odiado depois do suposto caso com a babá, “nunca vai ser um Batman tão bom quanto Bale” e até a “novata” Gal Gadot – atriz israelense que serviu nas Forças Especiais de Israel, foi Miss Israel em 2004, sabe umas 5 artes marciais, é motoqueira, mas também mãe de família e entrou na lista das 100 mulheres mais bonitas do mundo da revista Maxim em 2014 – também foi alvo de ataques da própria Lynda, como da imprensa que lhe perguntou como ela faria para ter seios do mesmo tamanho dos da Mulher Maravilha – ao que Gal parece ter respondido à altura.

Mas se alguém está se importando com os seios de Gal, eu posso garantir que não foi a platéia de críticos da cabine de Batman v Superman. Foi só a Mulher Maravilha fazer sua primeira aparição como a heroína que o cinema veio abaixo em palmas. Afinal, o que é mais importante: uma deusa imortal que é imponente e eficiente em combate ou enchimento e deixá-la artificial? Nós aqui no Futi sempre falamos da importância de nos aceitarmos, certo? ;)

benegal

E por falar em aceitar, vi muita gente “pagando com a língua” e aceitando o que eu sempre soube: Ben Affleck nasceu para ser o Batman (por favor, olhem aquele queixo, risos!) e também sua versão à paisana Bruce Wayne, um homem elegante que dirige carros de alto luxo e usa ternos Gucci feitos sob medida. Confesso, o quarentão que ficou com 6% de gordura corporal para viver o personagem está com tudo em dia, aliás uma sequência com o Ben Affleck deixou muita gente se perguntando se o ar condicionado estava ligado… ;). Seu Batman é o que mais inovou até hoje usando diversas armaduras e claro que ele tem o melhor Alfred de todos os tempos, o ator Jeremy Irons. 

Muitos estão falando sobre o quanto o filme seria longo e eu, que tenho a menor bexiga que conheço, nem senti passar o tempo. Ouvi reclamações dos cortes que o diretor usou, que particularmente achei interessante pois marca sua estética e também a narrativa. A trilha sonora e os efeitos sonoros são espetaculares e na minha opinião, a fotografia também. É lógico que esse é um filme de ação e superherói, então eu espero uma mistura para dar força e enfatizar certos momentos do filme, um exemplo é a cena inicial que é em câmera lenta num clima mais fantasia e com foco em detalhes. Para mim, é uma das cenas mais bonitas do filme.

Outros reclamaram que a narrativa não é linear. Ora, o filme é mostrado do ponto de vista de duas pessoas diferentes com problemas diferentes, sem falar nos outros envolvidos como o Lex Luthor – talvez a personagem, ou melhor, interpretação mais polêmica de Jesse Eisenberg– que fazem parte dessa história e que são fundamentais para a trama. Acho que linearidade não faria muito sentido ali.

Podem falar o que quiser – li alguns absurdos e muitos spoilers* por aí – mas o filme é feito cuidadosamente para tentar agradar tanto os fãs “de verdade” dos quadrinhos, como também para os leigos e leigas. Com um roteiro bem cuidado e pensado, atores que têm química entre si, um visual deslumbrante e um som excelente, Batman v Superman foge à regra dos filmes de superheróis. Sem palavrões, excesso de mortes, egos de atores, e o mais importante, sem aquela pressa desnecessária e tão característica de filmes de ação que muitas vezes nos deixa perdidos no meio da trama. E, infelizmente, depois de um atentado como o dessa semana na Bélgica, como negar que ainda precisamos da esperança que os Super Heróis trazem?

Beijos,

Sil

PS: Um segredo, teve gente chorando e eu fui uma dessas pessoas. Em mais de um momento me peguei precisando enxugar meus óculos…
*Nos foi solicitado em uma simpática gravação do Zack Snyder que escrevêssemos os nossos textos com cuidado para não estragarmos o filme para quem não viu. Quem me acompanha sabe que eu costumo ter esse cuidado, mas acho legal em uma grande produção ter um zelo extra. Não custa nada né?! Portanto se o texto está marcado sem spoiler e você acha que ele tem um spoiler, reclame! Até aqui, é só conversar comigo sobre o que não gostou do que eu escrevi que pode estragar a sua ida ao cinema, ok? =)

Gostou? Você pode gostar também desses!

4 Comentários

  • RESPONDER
    Camilla Horvath
    28.03.2016 às 9:07

    Vi tantas críticas sobre o filme e a sua foi uma das poucas com a qual eu concordei. Eu amei o filme!! Achei ótimo. Acho que o grande problema é que as pessoas se acostumaram com um mesmo modelo de filmes de super herois, e o que é diferente assusta.

    Beijos

    • RESPONDER
      Sil
      29.03.2016 às 1:42

      Oi Camilla, tudo bem? Uau, adorei o elogio – pelo menos interpretei como elogio, viu? =) Fico feliz que você concordou com a minha visão e mais ainda com o seu recado, obrigada!
      Pois é, alguns amigos críticos foram rever o filme e na segunda vez conseguiram perceber que o filme é diferente e que eles não estavam preparados para isso. Que vários dos “problemas” que eles estavam reclamando na verdade eram uma mudança que a DC e a Warner estão propondo para se diferenciar, e que isso não é necessariamente algo ruim, mas como você colocou muito bem simplesmente diferente!
      É lógico que nem todo mundo vai amar o filme, mas isso vai acontecer com qualquer filme e não porque ele não segue uma fórmula básica como os outros filmes de heróis.

      Beijos!

  • RESPONDER
    Susana Yamaguchi
    04.04.2016 às 18:03

    Ah não…. O Bale é o melhor Batman de todos! Não tem nem comparação. Eu sempre curti o Ben Affleck, mas ele realmente não nasceu pra ser o Batman. Achei ele tão frágil no papel. O Bale era mil vezes mais durão e mais sombrio.
    No mais, gostei do filme sim! A mulher maravilha tá um espetáculo. Hehehehe
    Beijos!

    • RESPONDER
      Sil
      06.04.2016 às 18:31

      Oi Suzana! Bem, eu acho que os dois são bons Batmans e nós estaremos bem servidas com qualquer um deles. Mas que o Affleck tem o queixo do Bruce Wayne, é incontestável, risos!!!
      Agora interessante você falar dessa fragilidade, eu acho que você toca em um ponto certo, sabia? Ele seria uns 10 anos mais velho que o Batman do Bale, o Robin provavelmente foi assassinado pelo Coringa – aquela roupa pichada lembra? – entre outros absurdos que esse Coringa deve fazer (existe uma versão onde ele estupra a Bárbara Gordan, Batgirl, e eu acho que talvez seja esse a versão do Leto). Sua mansão, um último elo com seus pais, foi destruída. Então sim, talvez ele esteja mais velho e sem inspiração, consequentemente mais frágil.
      Acho que é esperar para ver o que os próximos filmes vão trazer e que mudanças esse Batman vai sofrer.
      Agora a Mulher Maravilha é um espetáculo dentro e fora das telas! E já estou ansiosa pelo filme solo dela. Que aliás está com um super elenco feminino, a atriz do House of Cards, a Xena, uma outra atriz que fazia The Following que acho lindíssima, mas são três atrizes fortes, dignas do Olimpo! ;) Agora é esperar 2017…
      Beijos!

    Deixe uma resposta