0 em casamento/ Comportamento/ Convidadas/ Moda no dia 25.01.2016

Vestido de noiva: olhou, provou e escolheu!

Vamos falar de mais um vestido de noiva? Em novembro de 2014 fui madrinha de casamento da minha amiga Alessandra, hoje é ela quem vai contar como foi o processo de decisão do seu vestido de noiva! <via Jô>

casamento-lele-2

Ninguém acredita, mas eu coloquei um único vestido e sabia que era aquele, não precisava experimentar mais nenhum. Cheguei no Atelier da Marie Lafayette e depois de falar como queria que fosse o vestido ela pegou um que era exatamente o que eu havia descrito. Foi mágico colocá-lo e ver que ficou como eu imaginava. O único ajuste a fazer era no comprimento da manga, eu queria que fosse até o pulso – o que eu experimentei era manga ¾. Tirando isso, todos os outros quesitos estavam preenchidos, ele era único e exatamente o que eu queria.

Claro que ninguém deixou que eu comprasse o primeiro sem ver outras opções, minha mãe e minhas amigas insistiram muito para que eu olhasse em outras lojas/ateliês. Aceitei o conselho, afinal até aquele momento eu nunca tinha colocado um vestido de noiva e a sensação era boa, seria legal vestir outros para ver como ficava, mas no fundo para mim já estava decidido, o primeiro vestido era exatamente o que eu imaginava. Fui embora sem fechar o vestido mas com um aperto no coração.

camamento-lele-1 casamento-lele-6

Meu casamento inteiro foi programado com bastante objetividade, com o vestido não seria diferente, sabia exatamente como queria! Ao longo do tempo fui juntando referências e todas tinham a mesma linha, acho que por causa disso, foi uma tarefa relativamente fácil encontrar o meu vestido perfeito. Saber o estilo e as características facilita muito na hora de começar a procurar. São tantas as opções que dá para ficar completamente perdida.

casamento-lele-4 casamento-lele-5 casamento-lele-3

Comecei a marcar as visitas nas lojas e ateliês já com uma listinha de especificações, teria renda, ombros de fora, manga comprida, sempre achei lindo a renda no pulso, não queria cauda – já tinha visto muita noiva sofrendo com a cauda do vestido na festa e não queria isso para mim.  O botãozinho que prende a cauda solta o tempo todo, os convidados pisam no vestido, sempre achei isso muito incômodo de ver, mas é inegável que fica lindo na igreja. Para substituir o efeito da cauda escolhi compor com uma mantilha e funcionou super bem.

Sempre soube que mandar fazer não ia ser uma opção para mim. Fico muito nervosa em não ter certeza do resultado final e sempre tive um pé atrás com costureiras. Acho que acabam interpretando diferente ou que acham que sabem o que fica melhor. Para minha ansiedade teria que ser um vestido pronto ou com poucos ajustes a fazer.

Inicialmente queria alugar o vestido, não só por uma questão financeira, mas de desapego mesmo. Se desfazer do vestido não seria tarefa fácil, mas sendo alugado eu não teria opção e para mim isso era um ponto a favor, afinal, o que fazer com o vestido depois do casamento? Claramente nem tudo sai 100% como planejado e o vestido “amor à primeira vista” era para venda apenas. Bom, paciência, fui ver outros lugares também na esperança de achar algum que desse para alugar.

Voltei no Atelier da Marie uma semana e muitos vestidos experimentados depois e ao colocar novamente o meu vestido tive mais do que certeza de que era aquele. Acertamos os detalhes a serem ajustados e tudo estava resolvido. O vestido não poderia ter sido mais perfeito para mim, clássico e romântico.

Falando tecnicamente a respeito do vestido, uma das coisas que me fez escolher não foi apenas o modelo ou a renda, mas também o suporte incrível. O corpete tem uma estrutura super firme que te deixa com a postura perfeita, e apesar de ser um vestido sem alça, dava muita segurança. Nenhum outro lugar que eu fui conseguiu oferecer nada parecido e isso foi com certeza um dos pontos determinantes na escolha.

Quanto ao sapato, para mim era tão importante quanto o vestido. Sou baixinha e vestido longo, branco, com saia de volume não ia ficar legal se não acompanhasse um super salto. Claro que eu tinha uma lista de quesitos para o sapato também e já encontrei dificuldade no primeiro quesito: não conseguia achar nada para comprar que fosse branco.

casamento-lele-9

Acho que comprar sapato de noiva é a tarefa mais difícil, as lojas não tem nada especifico – fiquei chocada com essa descoberta! – e foi aí que me indicaram um atelier que faz sob medida. Caiu como uma luva! Nesse dia levei o noivo, pois queria definir o salto de forma a ficar proporcional, mas não muito menor do que ele. Em duas visitas o sapato estava pronto e foi uma delícia poder montar exatamente como eu queria.

No final das contas foi uma experiência maravilhosa e hoje posso dizer que escolheria tudo exatamente igual. Acho que o melhor conselho que posso dar às noivas é ter calma, aproveitar o momento e tentar ser o mais objetiva possível. Todo o processo é muito gostoso e, no dia, ver o seu sonho pronto é magico.

Beijos

Lele

Gostou? Você pode gostar também desses!

Sem Comentários

Deixe uma resposta