15 em Comportamento/ Reflexões/ Relacionamento no dia 04.12.2015

Relacionamento: a velha mania de buscar explicação para tudo…

Desde que o mundo é mundo alguns seres humanos têm a necessidade de entender as coisas. Uns mais, outros menos. Para quem não sabe eu faço parte da pior categoriza de “racionalizadores”. Sou aquela que busca razão, sentido ou lógica em tudo, até mesmo nas questões da vida espiritual. Se faço isso com algo que não posso ver, imaginem com o resto.

Busco respostas, padrões de comportamento e faço análises em quase todos os âmbitos da minha vida, desde nas relações profissionais e familiares até nas questões do coração. No meu caso, isso me parece ser oriundo de uma mente muito intensa, que tem mania de querer decodificar todas as informações e calcular as possibilidades, que podem ser desde as chances de ganhar na loteria até teorizar o que a outra pessoa sente, acha ou pensa. 

overthinking-gif

Profissionalmente, essa vontade de querer compreender o comportamento humano pode ser uma ferramenta legal de trabalho. No entanto acredito plenamente que essa velha mania de querer entender tudo é apenas um vício, um defeito, que muitas vezes nos impede de deixar as coisas fluírem naturalmente. 

Ultimamente, para poupar minha cabeça, tenho tentado praticar a aceitação de que algumas histórias e situações estranhas não precisam ter explicação. Elas simplesmente são como são, sem nenhuma razão aparente. Para essa prática é necessário tirar a mente do controle de vez em quando. 

Claro que volta e meia eu escorrego na casca de banana que eu mesma derrubei. Nessa hora começo a buscar respostas para aquilo que minhas emoções não conseguem compreender e aos poucos me dou conta que, como já dizia Renato, não existe razão para as coisas feitas pelo coração.

Por mais que meu coração seja PHD em buscar uma tecla sap para traduzir o comportamento dos outros, nem sempre existe uma resposta. As vezes a gente precisa fazer uma escolha de Sofia. Deixar a angústia pra lá ou se dar ao trabalho de ir direto ao ponto e perguntar de vez o que se pretende saber.

tumblr_mx54n3KbWr1sup0vho1_500

 

Se a gente gastar muito tempo criando teorias fictícias acabamos cultivando um sentimento de angústia e sofrendo por antecedência. Provavelmente esse desgaste será inútil, caberá ao tempo trazer as respostas. As vezes o melhor está por vir, as vezes são etapas que surgem e que você precisa viver para aprender e se transformar naquilo que você deve ser. Toda história te deixa um legado, ainda que à sua maneira. 

Desde que comecei essa minha busca pelo autoconhecimento, eu tenho tentado abrir mão dessa minha mente dominante cheia de cálculos, teorias e análises. É bem difícil para mim, mas todo dia eu tento e sem dúvidas esse é um dos meus maiores desafios. Por isso vocês podem imaginar que vivo passando umas provações complicadas nesse sentido. Uma pior que a outra, em todas atmosferas da minha vida!

Ainda que fraquejando às vezes, vou tentando pensar menos, relaxar mais e aproveitar a vida, ainda que curiosa ou com um pezinho atrás. Com o tempo, as coisas ficarão claras, as vezes não adianta buscar respostas antes da hora. A verdade sempre aparece.

Mais alguém aqui tem mania de buscar explicação pra tudo? Se sim, aceito dicas de como lidar com isso! Por aqui a única solução parece ser mesmo a meditação. rs

Beijos

Gostou? Você pode gostar também desses!

15 Comentários

  • RESPONDER
    Camilla Gonçalves
    04.12.2015 às 16:39

    Jo, tenho me identificado cada vez mais com seus posts pessoais. Você me descreveu. Sou muito assim também e isso traz um sofrimento muito grande. Imaginamos coisas que podem nem ser verdade, fazemos perguntas que muitas vezes não serão respondidas… é um saco. Temos que tentar abstrair de vez em quando. Ainda não descobri nenhuma fórmula mágica. Ainda apelo para as perguntas mesmo se elas não trouxerem respostas.

    Beijos!

    • RESPONDER
      Joana
      07.12.2015 às 11:39

      Que legal Camilla, Obrigada pelos comentários, adoro quando você deixa sua percepção por aqui.
      As vezes é isso, precisamos acalmar o coração e entregar para o universo (tenho feito muito isso em 2015), as vezes a gente pode simplesmente perguntar para os envolvidos o que está acontecendo, temos é que ter o discernimento para entender o que fazer em cada situação.

      Eu tenho tentado muito abstrair milhões de coisas nos últimos meses, isso tem me feito bem. As orações e meditações me ajudam mutio, me renovam. Se você me perguntasse a minha fórmula mágica eu diria o seguinte: acreditar no universo, em Deus e em um plano maior me faz seguir confiante que todos os piores momentos me levam ao melhor momento. Então eu peço paz pra alma, medito, oro e penso. Depois que tudo fica muito claro internamente opto por deixar rolar ou perguntar algo que eu julgue que seria legal eu saber.

      É interessante ver que existem muitos racionalizadores no mundo :)

  • RESPONDER
    marina
    04.12.2015 às 16:41

    Jô, vc anda escrevendo posts tão maravilhosos.. Engraçado que segundo antes de entrar no blog que pensei em como eu estava precisando ler esse tipo de post (e o tanto que dá vontade de ser sua amiga… Penso que seus conselhos de amiga devem ser fantásticos)

    • RESPONDER
      Joana
      07.12.2015 às 11:35

      Marina,
      Estamos sempre aqui. Quando tiver sugestões de pautas desse tipo me manda que a gente transforma um conselho de amiga em um texto que pode ser legal, ou até mesmo ajudar outras pessoas. :)
      Todo mundo que passa por aqui, lê, comenta, agrega e participa é sem dúvida uma amiga do futi e isso não tem preço pra mim.
      Obrigada pelo elogio ao texto e pela participação, fico muito feliz.

  • RESPONDER
    Fernanda
    04.12.2015 às 16:51

    Nossa nunca me identifiquei tanto com um post..também racionalizo todos os fatos, sentimentos, ideias, pessoas, tudo o que cruza o meu cérebro. Sofro por isso. Venho com uma percepção de alguns anos já para diminuir essa característica ou vício. E realmente, a meditação e o egoísmo necessário são as melhores saídas que encontrei. Focar no eu interior, racionalizar apenas os meus sentimentos e ações, e pensar que o resto é o que é.

    • RESPONDER
      Joana
      07.12.2015 às 11:33

      Eu amei “egoísmo necessário”! hahahah
      Meditação, espiritualidade e entrega são coisas fantásticas para acalmar a alma e não nos permitir fazer besteira, enfiar o pé pelas mãos e afins.
      O que tiver que ser, vai ser, com ou sem trapalhadas, culpas ou afins.

  • RESPONDER
    Nis
    04.12.2015 às 21:23

    Tamb’em sou desse jeito e sofro muito, sou cientista, todo cientista sempre et’a buscando resposta pra tudo, e nem sempre aceita as respostas que parecem obvias, parece sempre que tem algo escondido. Por tr’as de todo composrtamnto h’a sempre um por que, uma justificativa, uma causa… e isso eu quero saber, o “por que” de tudo.

    • RESPONDER
      Joana
      07.12.2015 às 11:31

      Eu acho que temos que tentar ficar com a parte boa disso, que nos leva a ter uma percepção interessante de tudo, mas no que nos faz sofrer acho que precisamos usar a mente para tentar acalmar a angústia do coração. Tentar dizer pra gente mesmo que aquela resposta não vai mudar nada, ou que tudo vai se revelar no seu tempo. Eu trabalho bastante essa minha característica na terapia e gosto do resultado! :)

  • RESPONDER
    Camila
    06.12.2015 às 10:55

    Oi Jô! Concordo com o pessoal acima, você está escrevendo posts maravilhosos!! Ótimo texto!

    • RESPONDER
      Joana
      07.12.2015 às 11:27

      Que legal Camila! :)
      Fico muito feliz

  • RESPONDER
    jo
    07.12.2015 às 10:42

    jo, o ser humano é assim… questiona tudo, uns mais outros menos. já que vc está nessa fase de conhecimento pessoal acredito que vc esteja passando por um momento de mudança, algo que vc esteja descontente ou algo que aconteceu e vc nao gostou e quer achar a explicaçao para isso… talvez vc nunca ache.. ainda mais quando se refere a outra pessoa…
    o legal é isso, vc ve que todos passam por isso…. ninguem é 100% feliz.
    bj

    • RESPONDER
      Joana
      07.12.2015 às 11:27

      Jo,
      Eu sou do tipo que questiona mais desde pequena, então nessa fase de autoconhecimento isso é uma super ferramenta. :)

      Claro que ninguém é 100% feliz, não existe perenidade em nenhum tipo de sensação. Todo mundo se sente melhor num dia, mais inseguro no outro e por ai vai, mas nem por isso signifique uma fase descontente. Esse texto nem é muito autobiográfico não, a última vez que comecei a criar uma teoria dessas (sem explicação) fiz algo que falei no texto, me dei ao trabalho de perguntar o que estava acontecendo para a outra pessoa e sou muito grata por ter tido essa coragem. No fim não era nada demais e eu pude ficar tranquila, sem sofrer por antecedência e continuar curtindo esse momento tão especial da minha vida.

      Claro que nem sempre é possível né? Mas cada vez mais pretendo perguntar para as outras pessoas o que está havendo e buscar ter discernimento para “ler as situações”, entender o que é uma percepção aguçada e o que é apenas medo, insegurança ou algo que pode significar um auto-boicote.

  • RESPONDER
    Carol
    11.12.2015 às 16:11

    Oi Jô!
    Sou leitora fantasma, me encontrei tanto nesse post que tive que comentar!
    Você me descreveu totalmente nesse post…eu gosto de ter explicação pra tudo que acontece, principalmente nos relacionamentos, e fico procurando, imaginando, e isso só me trouxe sofrimento, já que remoendo tudo.
    Como você disse no post, fiz a Escolha de Sofia, resolvi deixar a angustia pra lá e entregar pro Universo responder da melhor maneira.

    Torcendo pra que em 2016 encontremos mais explicações, ou respostas, ou qualquer coisa! hahaha

    Beijos!

  • RESPONDER
    Mariane
    20.12.2015 às 14:26

    Oi Jo!

    Também Sou de querer achar respostas pra tudo e penso tanto, mas tanto, que chego a ficar exausta, perco muita, mas muita energia com isso, tentando achar respostas e tentando fazer links com situações, acontecimentos, e meu Deus! Nunca chego a lugar algum, é como se isso me envenenasse, uma angústia monstra e no final me sinto derrotada, pois não consigo chegar a lugar algum.
    E sabe quando nessas buscas por respostas a gente também procura alguém que passa pela mesma experiencia, ou ler algo que nos acalme e nos conforte.. Foi isso que seu texto me passou… me identifiquei tanto, a empatia foi imediata. No momento passo por um momento muito difícil e como de costume, tento achar respostas, e respostas, e fico correndo atras do rabo, em circulos e gostei muito de ler o que vc escreveu, muito mesmo.. cabe direitinho com o que estou vivendo e com meu jeito de ser. O melhor mesmo é aceitar e o tempo dirá..

    beijo grande com carinho, Mariane

  • RESPONDER
    Maria Lúcia Fernandes
    19.02.2016 às 21:17

    Somente hoje, depois de anos procurando respostas e complementos sobre todo conteúdo ou comportamento que caia em minhas mãos, é que me dei conta se para mim é um prazer ir em busca de respostas para tudo, para as pessoas que dou as respostas para aquilo que elas estão vivenciando é uma amolação.

    Além de entregar as razões, vivia cobrando se já haviam lido.

    Quando via que havia pouco caso por parte dessas pessoas, me melindrava com a falta de
    atenção e consideração para comigo!

    Hoje após muitos anos entendi, que o melhor conselho é quando nos limitamos a responder no ato com atenção e carinho.

    O resto são informações que se achar que vale a pena guardo comigo, como esta matéria muito esclarecedora

    Um abraço
    Lúcia

  • Deixe uma resposta