4 em (f)uti indica/ Trip tips/ Viagem no dia 04.09.2015

Trip Tips (e #futiindica): Songkick, para descobrir shows onde quer que você vá

Toda vez que eu marco uma viagem e defino os dias que estarei em cada cidade, eu tenho uma mania de sair procurando pela internet se vai rolar show de algum artista que eu curto no mesmo período.

Show do Justin em Janeiro 2015 - Essa área em que ficamos não tinha grade, então dava para tirar fotos assim, sem nem precisar do zoom!

Show do Justin em Janeiro 2015 – Essa área em que ficamos não tinha grade, então dava para tirar fotos assim, sem nem precisar do zoom!

 

Sei que essa frase pode soar muito “nariz em pé”, mas apesar de eu ir em vários shows no Brasil, confesso que nem sempre tenho as melhores experiências por aqui. Odeio pagar uma fortuna pela pista VIP – que parece que fica cada vez maior e mais cara – e ainda assim ter que ficar lá atrás porque não gosto de ser empurrada, asfixiada ou ficar no meio da muvuca. Aliás, detesto a tal da taxa de conveniência, que é quase o preço do ingresso só porque você resolveu comprar pela internet. Sem contar que poucos são os lugares que têm metrô perto e ir de carro quase sempre é impossível. E na volta? Ter que negociar com taxista se você vai pagar R$70 ou R$50 para um percurso que na verdade custa R$20 é desanimador. Isso porque eu sempre saio no bis para ver se consigo achar um taxi antes da galera toda sair.

Show do Guns n Roses - Outubro de 2012 - Fiquei na grade, e precisei de um pouquinho de zoom! rs

Show do Guns n Roses – Outubro de 2012 – Fiquei na grade, e precisei de um pouquinho de zoom! rs

 

Sei lá, gente, acho que to ficando velha, porque realmente perco a paciência com essas coisas. Na verdade, foi só depois que eu comecei a incluir shows nas minhas programações turísticas que eu passei a comparar as experiências daqui com as de lá. Já vi Lady Gaga e Guns ‘n’ Roses na grade sem ter minhas costelas esmagadas e sem deixar um rim na bilheteria, já vi os poros do Justin Timberlake sem precisar desafiar as leis da física, e já perdi as contas de quantos shows eu fui e consegui ver a última música porque era fácil voltar para o hotel depois.

Show da Lady Gaga - Paris - Dezembro de 2010 (a foto de trás é a do Terry Richardson, que acompanhou essa turnê dela!)

Show da Lady Gaga – Paris – Dezembro de 2010 (a foto de trás é a do Terry Richardson, que acompanhou essa turnê dela!)

Desde então, tenho na minha lista Lady Gaga, Guns, Britney Spears, Maroon 5, Brandon Flowers, Justin Timberlake, sendo que o primeiro de todos foi um show chamado Justin Timberlake & Friends, em que ele chamou ao palco Snoop Dogg, Alicia Keys, Taylor Swift e Timbaland. E hoje em dia, não tem uma viagem que eu faça, que eu não fique de olho em quem vai se apresentar nos dias que eu estiver na cidade, e já aconteceu de mudar datas só para conseguir pegar algum show que aconteceria no dia seguinte da nossa partida (mas isso é coisa do meu marido, que é mais maluco que eu).

Quase sempre a gente procura esses shows pelo Ticketmaster ou nos sites dos artistas que queremos ver, até que eu descobri um aplicativo que provavelmente vai facilitar muito nossa vida: o Songkick.

songkick4

Você pode escolher a cidade e dar uma olhada nas opções que estarão disponíveis nas suas datas ou você pode selecionar os artistas que mais te interessam e ver a agenda de shows deles. Também dá para habilitar as notificações, de forma que você fica sabendo de novos eventos de imediato. E ele não funciona apenas no exterior, dá para adicionar qualquer cidade do Brasil e ver o que vai rolar em breve perto de você. Testei vendo o show do Maroon 5, que fará shows por aqui em Março do ano que vem:

songkick

Daí descobri que também dá para comprar diretamente pelo aplicativo. No caso do Maroon 5, como esgotou no site original, ele me deu as opções dos sites Via Gogo e TicketNetwork. Dei uma olhadinha no Via Gogo, que eu conheço, indiquei por aqui e sei que é confiável, e vi que fui imediatamente redirecionada à página que me oferece as opções de ingressos.

songkick3

R$740 para ficar na pista? Acho que não vou ver Maroon 5 no ano que vem rs 

Até agora eu só testei desse jeito e achei tudo super rápido, prático e intuitivo. O único porém é que ele é todo em inglês, mas não acredito que a linguagem se torne um empecilho, principalmente se você quiser garantir algum show por aqui. Na hora de comprar – que é o mais complicado – se o evento for no Brasil, ele vai redirecionar para a página que vende os ingressos e toda essa parte será feita em português. 

Eu curti bastante e achei que valia compartilhar essa dica! Vocês já conheciam? Têm outro aplicativo legal para indicar?

Beijos!

Gostou? Você pode gostar também desses!

4 Comentários

  • RESPONDER
    wallzinha
    07.09.2015 às 22:26

    Nooosssa! Super util isso! vou baixar agora!!

  • RESPONDER
    Lyanna
    08.09.2015 às 7:31

    Cá eu adorei a dica, mas sofri horrores com a primeira pesquisa que fiz. Vou perder um showzaço na próxima viagem.
    Mas das experiências que tenho com show internacional, lá fora é tudo muito mais tranquilo. É bem mais fácil encontrar um lugar bom, se deslocar para ir ao banheiro ou comprar alguma coisa. Esse é um lado bem positivo da tranquilidade, o lado negativo é que de tão tranquilo acho a galera meio morgada.
    Show aqui é uma batalha. Uma saga para encontrar ingressos, a tal taxa de conveniência, a luta pra chegar ao show, o martírio para voltar pra casa, mas acredito que o calor humano (e que calor!) é bem maior. Nada paga a euforia de ver seus cantores e bandas favoritos fazendo cena especial para o seu país. No show do U2, por exemplo, o esquenta foi com Trem das 11 com o Morumbi cantando e ao final eles fizeram uma homenagem às crianças assassinadas em Realengo, foi surreal. Mas o que eu queria mesmo é que os ingressos fossem mais baratos!!!! No mais vale show em qualquer lugar!

    • RESPONDER
      Carla
      08.09.2015 às 10:49

      Ly, concordo com o fato de ser impagável ver seus artistas preferidos tentando arranhar palavras em português ou qualquer outra coisa que eles façam para agradar ao público brasileiro. Quanto a calor humano não sei se foi azar meu, mas minhas últimas experiências foram tão bizarras que eu passei a ter certo pavor, mas ultimamente já aconteceu de ficar do lado de pessoa que ficou completamente bêbada e não conseguia parar em pé, atrapalhou todo mundo que estava ao redor, em outro show uma briga aconteceu do meu lado e quase sobrou pra mim (e tudo porque alguém tentou ir lá para frente e a pessoa perto de mim supôs que estavam tentando ser espertos, deu um super empurrão mas o empurrado resolveu empurrar de volta, então imagina) , Bernardo já teve o celular roubado na pista vip, etc… Eu acabo ficando tão stressada com essas situações e tenho sempre que ficar tão ligada com o que está acontecendo ao meu redor que acabo curtindo muito menos o show.

      Ainda acho que em termos de festival (tipo Rock in Rio/Lolapalooza, etc) o BRasil é imbatível, mas shows isolados eu tenho ficado cada vez mais sem paciência. O problema dos shows lá fora é justamente o fato de ter vários com assento marcado, o que dá uma brochada no pessoal (eu assisti o do Maroon 5 na cadeira, e eu e minha amiga nos recusamos a ficar sentadas como algumas pessoas que estavam em volta! rs), mas sempre que eu posso eu escolho ficar na pista. Foi assim no Brandon Flowers, Guns, na Lady Gaga, no do Justin e foi maravilhoso! O clima era bem mais animado, as pessoas estavam mais na mesma vibe e ainda assim dava para eu sair para ir ao banheiro, comprar bebida ou qualquer outra coisa sem que as pessoas me olhassem feio ou bloqueassem meu caminho na volta porque não queriam que eu passasse ou “roubasse o lugar delas”.

      Ainda vejo muito show aqui, mas sabendo que vou ter que me contentar em pagar muito mais por uma experiência de menos. :/

    • RESPONDER
      Lyanna
      10.09.2015 às 13:04

      Cá vc tem toda razão que o “excesso de calor humano” atrapalha demais os shows no Brasil.
      Eu acredito que o show acontece na pista, mas na pista só tem empurra-empurra, confusão, furtos, muita gente mal educada. Acabo me conformando com a arquibancada apesar de ficar longe demais.
      Na gringa é bem diferente. Lembro que fiquei “tentando” contar as celulites da Fergie de tão perto que estava… e olha… ela não tem!
      Tô tentando convencer o marido de fazer uma lourinha para assistir o show do u2 em Londres, mas ele não tá topando, nem o valor da libra tá ajudando! Aff!!!

    Deixe uma resposta