6 em Europa/ Viagem no dia 07.08.2015

Trip Tips: Um dia em Amsterdã

Há um tempo atrás falei do hotel incrível que fiquei em Amsterdã, mas acabei não falando muito da minha programação nessa cidade que fiquei tão pouco e gostei tanto.

Como eu já disse, a ideia inicial era ficar dois dias, mas demos uma bobeira enorme, marcamos errado nossa data de chegada (a passagem só tinha a hora de chegada e não nos ligamos que essa hora seria do dia seguinte do voo, idiotice mesmo!) e tivemos que arcar com as consequências do nosso erro e nos contentar com apenas um dia mesmo. Nem fiquei muito animada de escrever sobre Amsterdã porque como estávamos praticamente com o horário cronometrado, não deu para explorarmos muito a cidade e tivemos que nos contentar com o roteiro básico turistão.

amsterda1amsterda2Mas aí mudei de ideia, afinal, vai que alguém aqui esteja na mesma situação que eu, né? Por isso, nada de dicas (quem quiser incrementar esse post com mais coisas legais para fazer, por favor, vou amar!) e sim um diariozinho de como foi esse meu dia lá.

Acordamos umas 8 da manhã para podermos chegar cedo na Casa de Anne Frank, o esconderijo que ela e sua família moraram por 2 anos durante o período nazista e que posteriormente virou um museu. Alugamos as bicicletas no próprio hotel e chegamos lá por volta das 9:20 – o museu abria às 9h no período que fomos. A forma mais legal de andar por lá realmente é de bicicleta, se você puder ou souber andar, nem pense duas vezes em alugar. Sem contar que todo lugar tem espaço para prendê-las, é fácil, barato e delicioso!

amsterda3A gente já sabia que as filas para comprar os ingressos eram enormes, mas como só ficamos sabendo tarde demais que dava para comprar online e agendar um horário de visitação (precisa fazer isso com certa antecedência, agora, por exemplo, só tem como comprar tickets para começo de outubro!), tivemos que enfrentar a fila, que mesmo cedo já estava enorme.

Mais perto do museu começa a pegar o wifi. A viciada aqui foi pega no flagra, claro! rs

Mais perto do museu começa a pegar o wifi. A viciada aqui foi pega no flagra, claro! rs

Acho que ficamos uns 40 minutos esperando para entrar, mas valeu a pena, o museu é imperdível de verdade! Ver com os próprios olhos o tal anexo secreto que por tanto tempo estava apenas na minha imaginação foi uma experiência bem forte. Acho que só consegui ter a real dimensão de como deve ter sido difícil conviver com 8 pessoas, sem poder ver a luz do sol e sem poder fazer muito barulho, depois que eu pisei no esconderijo. E quem está com passagem comprada para Amsterdã e nunca leu O diário de Anne Frank, sugiro começar agora, com certeza vai enriquecer demais a experiência.

amsterda5

 

Saímos de lá por volta das 11:40 e fomos direto para a área do Museumplein, a praça que tem o famoso Iamsterdam e, como o nome já diz, onde ficam os museus. Infelizmente não deu para irmos no Rijksmuseum – que é conhecido por ter obras dos artistas holandeses mais famosos como Rembrandt e Vermeer – nem no Stedelijk Museum, de arte moderna. Mas não nos arrependemos da nossa escolha de passar a tarde no Museu Van Gogh, Aliás, essa decisão foi super fácil, já que não existia a possibilidade de não irmos nesse museu.

No meio do Museumplein estava rolando uma exposição de coelhos toy art pintados por vários artistas holandeses

No meio do Museumplein estava rolando uma exposição de coelhos toy art pintados por vários artistas holandeses

O único erro que cometemos foi almoçar por lá. Como chegamos mais ou menos na hora do almoço, já estávamos com tanta fome que preferimos ser práticos e optamos por comer dentro do Museu Van Gogh. O dia estava lindo e o que mais tinha era opção de comidas ao ar livre, me arrependi de ter me enfurnado dentro do museu para isso. E para piorar, a comida era cara e muito mais ou menos. Não valeu a pena mesmo. :(

O museu é ENORME e não dá para ser feito de forma rápida. Passamos a tarde lá e, se não me engano, saímos por volta das 17h – mesmo nos policiando com os horários. Fomos direto para o Heineken Experience.

Dentro do Heineken Experience, na sala de brassagem da antiga fábrica.

Dentro do Heineken Experience, na sala de brassagem da antiga fábrica.

Cerveja é a bebida alcoólica que eu menos curto – e grávida, então…rsrs – mas eu estava botando uma fé nesse museu/experiência. Branding é um assunto que sempre me interessou e estava curiosa para saber como seria essa imersão na marca, mas sinceramente, não me empolguei. Tem várias ideias boas durante o passeio, mas acho que estava esperando mais nesse sentido. No fim das contas achei tudo meio bobo e fanfarrão, mas quando dei minha opinião lá no instagram ninguém concordou comigo! hahaha Então, quem curte cerveja, vai sem erro! Ah, e uma dica que eu fiquei sabendo só depois: baixe o aplicativo da Heineken Experience antes de ir. Tem para Android ou Iphone e dizem que ele dá informações extras no seu tour. Talvez eu tivesse outra opinião se eu tivesse usado.

No RED

No RED

Saímos de lá já era quase 19:40 e a fome bateu de novo. Fomos para o hotel e deixamos as bicicleta por lá e fomos procurar algum lugar para jantar. Rodamos um pouco e acabamos dando de cara com um restaurante que entrava muita gente, mas tinha cara que só entrava quem tinha reserva. Tentamos mesmo assim e conseguimos uma mesa – do lado da janela e com vista pro canal, uma sorte! O nome desse lugar é RED e ele só tem dois tipos de prato: lagosta ou carne. Pedimos a carne e ela veio com batatas e uma saladinha, tudo maravilhoso! Não lembro quanto foi, mas não foi muito barato, mesmo assim foi ótimo para fechar a cidade com chave de ouro.

o céu de 20:30!

o céu de 20:30!

Saímos de lá umas 20:30 e fomos direto para o famoso Red Light District, que deve ser uns 10 minutos à pé de onde estávamos. Ainda estava cedo quando chegamos nessa rua, o agito só começou a ficar mais intenso quando já estávamos quase indo embora. Acho que é impossível ir para Amsterdã e não dar uma passada no bairro da Luz Vermelha.

Confesso que fiquei chocada com o contraste. Até o momento a gente só tinha visto uma cidade fofa, linda, cheia de cultura e história e com um jeitinho todo inocente. De repente, você chega em uma rua onde a prostituição e as drogas estão ali, para quem quiser aproveitar. Parecia que alguém apertou um botão e a cidade toda virou do avesso.

amsterda10Ver as mulheres nas cabines me fez sentir como se eu estivesse em um zoológico, senti um misto de incômodo com curiosidade, achei uma experiência bem antropológica. rs E quanto aos famosos bolinhos, obviamente eu nem cheguei perto, mas a dica que eu recebi é a seguinte: coma metade e espera que a onda demora. Acho que nunca ouvi tantos relatos de gente que comeu a metade, achou que ia sentir algum efeito logo de cara, não sentiu, comeu a outra metade e quando a onda chegou, chegou com tudo.

Saímos de lá por volta de umas 10:30 e voltamos para o hotel, exaustos, felizes e com um pouco de pena por termos que ir embora de Amsterdã tão cedo! Poucas cidades do mundo me fazem ter a sensação que eu posso conhecer tudo com a palma da minha mão, e eu me senti assim lá. Fui embora tendo certeza que quero voltar e descobrir cada pedacinho que não tive a oportunidade, alguém mais se sentiu assim?

Beijos!

Última dica: Baixem o aplicativo do Trip Advisor e caso vocês não estiverem com 3G, é só baixar o mapa da cidade quando estiver em algum lugar com o wifi. Desse modo, você consegue ver offline onde você está, quais restaurantes estão perto e como chegar nos lugares. Como estávamos sem internet e não era todo lugar que tinha wifi dando sopa, isso nos ajudou em vários momentos!

Gostou? Você pode gostar também desses!

6 Comentários

  • RESPONDER
    Mariana
    07.08.2015 às 13:13

    aaai, que saudades de Amsterdam!!!!
    Fiquei três dias na cidade, mas na verdade, tive 1 dia apenas pra turistar, como vocês. Não sou muito de museus e estava viajando em estilo low cost haha, então dispensei tanto o do Van Gogh quanto o da Anne Frank. Durante o dia, fui caminhar pela cidade, eu e um amigo brasileiro que conheci por lá. Fomos no Amsterdam Sign e ‘nos perdemos’ no meio dos canais lindinhos da cidade.
    Visitamos o mercado das flores e uma feirinha de rua na Albert Cuyp, onde comi o melhor stroopwafel da vida!!!!! Sério, o negócio é bom demais, eu já tinha comido alguns que vende no mercado em pacotinho, mas aquele era enorme e feito na hora, quentinho e com o caramelo derretendo, coisa mais boa. Também tem souvenirs lá por um preço mais em conta do que nas lojas tradicionais.
    Depois de lá, heineken experience, que foi uma das coisas mais legais que fiz por lá! Talvez por eu só ter comido um muffin do Starbucks e o wafle durante o dia todo, mas saí da antiga fábrica da Heineken bem animadinha, acertei algumas perguntas dos quiz que eles faziam e ganhei várias cervejas extras rs. Se alguém participar e o host perguntar como diz “saúde/tim tim” em holandês, respondam “Proost!” ahaha #dicadeamiga
    De noite fomos numa coffee shop.. eu não fumo, mas tinha curiosidade de entender como funcionava o esquema. achei esquisito rs. saindo de lá, fomos num restaurante próximo que servia ribs no estilo ‘all you can eat’, não lembro o nome, mas era na rua dos pubs e coffee shops e era muito bom. Depois, Red Light district e fim! Também senti um misto de incômodo/curiosidade vendo as mulheres lá, na vitrine, à venda. Achei que era particularidade de Amsterdam e desse bairro específico, mas depois, numa viagem à Bruxelas, vi que lá também existe e num estilo muito parecido, porém menos organizado e num bairro que aparentemente mistura casas familiares com casas noturnas.
    Enfim, depois de um mochilão por 11 países, Amsterdam foi um dos lugares que mais curti! Super voltaria pra lá, mas da próxima vez na primavera, quero ver tulipas que não sejam de cerveja ahaha

  • RESPONDER
    Fernanda Scafi
    07.08.2015 às 14:16

    Até que vc aproveitou super bem o seu tempo e fez bastante coisa em só 1 dia!! Mas realmente, Amsterdã merece mais tempo… fazer um passeio de barco pelos canais é lindo!!! Eu fiquei 5 dias lá, em um deles aproveitei para conhecer algumas cidades próximas, mas foram 4 dias em Amsterdã (e ainda ficaram alguns museus de fora!). Meu roteiro está aqui pra quem quiser: http://taindopraonde.blogspot.com.br/2013/09/post-indice-amsterda.html

  • RESPONDER
    Paola Alves
    07.08.2015 às 15:05

    Uma amiga minha já foi e gostou muuuuito! Morro de vontade de conhecer também, todo mundo fala bem =) http://simsemfrescura.blogspot.com.br/

  • RESPONDER
    Paloma
    08.08.2015 às 14:35

    Mulher que lugar lindo é esse? e você aproveitou muito bem esses 1 dia apenas, tenho bastante vontade de conhecer! Beijão, to adorando seu blog!
    oxevenhaca.blogspot.com.br

  • RESPONDER
    Monique
    09.08.2015 às 21:34

    Estava em Amsterdam em julho, no dia que a cidade foi assolada por vento e chuva tão fortes que pararam o tram e o metro, pela falta de energia! A sombrinha virou o tempo todo, até que quebrou e foi se juntar a tantas outras na lixeira! O passeio de barco tb foi interrompido e completamos o percurso no ônibus de dois andares! Foi uma pena, minha filha não pode ver as cores de uma cidade tão bonita!

  • RESPONDER
    Conceição gomes
    24.08.2015 às 13:09

    Amsterdaã é tudo de bom,,,,

  • Deixe uma resposta