16 em Comportamento/ Reflexões no dia 06.08.2015

Crise: as primeiras mudanças no comportamento de consumo!

Aqui sempre falamos de consumo – normal, um blog de moda e beleza não tem como escapar desse tema. Com o decorrer dos anos, nosso blog deixou de ser uma lista de produtos de “tem que ter” e passou a ser mais um espaço para falarmos de um conteúdo mais denso, ainda que as vezes focado nas amenidades e futilidades da vida.

Continuamos falando de compras e produtos, mas demos espaço a grandes reflexões, dividimos experiências e compartilhamos um pouco de tudo que cerca nosso universo com vocês. Esse movimento aconteceu mais forte nos últimos dois anos e agora parece que ele faz mais sentido do que nunca. A mudança de conteúdo acontece de forma tão instintiva que a gente nem para para analisar as questões do inconsciente coletivo, sem falar que nem paramos para pensar na influência que sofremos com a situação sócio-econômica do país, que altera totalmente o comportamento de consumo.

Hoje a gente parou para pensar sobre isso. Muita gente já parou de comprar supérfluos, outras pessoas ainda não pararam mas vêm reduzindo o ritmo e mantendo uma postura mais cautelosa por medo do que está por vir. Em ambos os casos, o consumo inteligente e consciente é de suma importância. 

Exercitar o ato de repetir roupas é uma ótima forma de evitar fazer compras desnecessárias. Roupas não são descartáveis e não é nenhuma vergonha usá-las até o fim de suas vidas úteis.

Exercitar o ato de repetir roupas é uma ótima forma de evitar fazer compras desnecessárias. Roupas não são descartáveis e não é nenhuma vergonha usá-las até o fim de suas vidas úteis.

Apenas uma minoria muito específica do país vai continuar vivendo sem se preocupar com o quanto compra. Até quem tem uma condição legal já está deixando para consumir apenas o que é estritamente necessário. A sensação que dá é que agora vamos ter que bolar um conteúdo ainda mais voltado para quem curte um consumo consciente. Isso nos parece um desafio maravilhoso.

O foco dos posts de consumo vai ter que ser ainda mais cuidadoso do que antes, quando já adorávamos falar de achados de fast fashion ou itens de luxo mais caros mas que duram tanto que valem a pena. Trabalhar mais nesse conceito onde “custo por uso” faça todo sentido.

Essa mudança não parece muito radical para o nosso blog, verdade seja dita, a gente nunca pregou o consumo compulsivo por aqui. No entanto, quando você vê todo um mercado mudando seu comportamento, você para para pensar e refletir sobre como você pode ajudar as mulheres, que seguirão igualmente vaidosas, a se sentirem lindas gastando menos.

Não precisa ser apenas amiga, não. Pode ser mãe, tia, prima, companheira de quarto, etc...Tente propor uma troca por tempo determinado para elas e veja um mundo de possibilidades se abrir!

Não precisa ser apenas amiga, não. Pode ser mãe, tia, prima, companheira de quarto, etc…Tente propor uma troca por tempo determinado para elas e veja um mundo de possibilidades se abrir!

Obviamente que cada ser humano tem suas prioridades, e nem por isso vamos virar um blog só de achados ou de tratamentos estéticos baratinhos, jamais. Quando mexe com saúde a gente vai continuar tão exigente quanto antes, mas talvez a gente vá consumir um pouco menos e melhor. 

Talvez, agora escolher o modelo de sapato certo seja mais importante, ou quem sabe o look daquela festa vai ter que se transformar através de análise combinatória de peças em outros tantos looks mais. Podemos estar soando conservadoras, mas achamos que as boas dicas de consumo, de uso consciente do cartão de crédito e de não desperdício nunca foram tão necessárias.

Tente achar acessórios que mudem completamente a cara de determinadas peças. As possibilidades se tornam quase infinitas!

Tente achar acessórios que mudem completamente a cara de determinadas peças. As possibilidades se tornam quase infinitas!

Se antes a gente já focava em looks com peças repetidas, agora isso se torna ainda mais importante. Precisamos mostrar que uma peça só deve entrar no seu armário quando ela puder dar vida a várias produções.

Nessa fase, aproveitar ao máximo tudo que a gente tem pode ajudar a mantermos uma boa qualidade de vida em meio aos dias mais difíceis que podem estar por vir – mas que a gente gostaria do fundo do nosso coração que não viessem. Talvez seja a hora de guardar dinheiro para o que realmente importa e aproveitar mais o que a gente tem no armário.

Claro que vamos fazer compras nesse tempo, provavelmente você também, mas podemos nos esforçar para comprar melhor! Coisas que vão fazer muita diferença nos nossos looks, que vão ter qualidade e durabilidade, ou senão, que tenham um preço muito amigo.

Tomara que a crise ajude as marcas que fazem bem feito e leve embora aquelas que nada tem mais a nos acrescentar. Se o mercado da moda carioca já estava em crise nos tempos de bonança, imaginem agora. Esperamos que o que for mais legal e/ou criativo fique e vingue, traga bons preços, qualidade e algo diferente para nós. Somos sonhadoras? Talvez, mas a hora pra sonhar em um futuro mais coerente é essa, né?

A gente sofre vendo a quantidade de lojas fechando, só que tem tanta coisa mais do mesmo que parecia não fazer muito sentido e talvez por isso a crise no setor já não vinha de hoje. Já teve post por aqui falando um pouco dessa preguiça que a moda vem dando e só conseguimos concluir uma coisa: quem não se reinventar vai morrer tentando nadar até a praia. Então, talvez o lado bom da crise seja uma mudança forçada para produtos e marcas que realmente valham o que custam ou que custam o que valem.

O consumo de moda não mudou só no Brasil, ele vem mudando de forma radical com a força da internet e das redes sociais, mas sobre isso a Thereza Chammas falou muito melhor do que a gente lá no Fashionismo.

Nós mulheres amamos consumir, mas talvez a gente ame consumir por amar se sentir bonita, e isso é algo que pode ser feito consumindo menos. Provavelmente nos tornaremos consumidoras mais exigentes do que nunca e esperamos que essa mudança traga um novo respiro para a moda, as marcas e para os produtos.

Se quiser apostar em peças mais caras -  como uma bolsa de marca, por exemplo - escolha com cuidado, veja se seu armário combina com a peça e reflita se o "investimento" vai valer a pena!

Se quiser apostar em peças mais caras – como uma bolsa de marca, por exemplo – escolha com cuidado, veja se seu armário combina com a peça e reflita se o “investimento” vai valer a pena!

Acreditamos que isso vai ser possível e esperamos que blogs como o nosso possam ajudar nesse momento, nesse desafio. Como vocês viram ao longo desse post, a gente já quis dividir as dicas que mais usamos para evitar gastos que julgamos desnecessários!

Claro que vamos continuar sonhando com uma bolsa aqui ou um óculos ali, mas já temos a consciência que a conta vai mudar e a organização para isso também.

Vocês já também se pegaram comprando ou gastando menos com supérfluos? Tem dicas para aproveitar melhor o que já temos em casa?

Gostou? Você pode gostar também desses!

16 Comentários

  • RESPONDER
    Renata
    06.08.2015 às 9:31

    Meninas, sou super a favor do consumo consciente, seja ela comprando roupa e afins como na parte de servico.
    Me viro bem fazendo minha unha, uma escova, babyliss, mas vou no salao fazer minhas luzes, sobrancelha e outras coisitas a mais. Acho q de uma forma.
    Roupas pra mim é um tanto facil pq fico sempre nas cores neutras entao facilita na hora de fazer as combinacoes!
    Beijos Re

  • RESPONDER
    Grazy
    06.08.2015 às 9:33

    Amei o post!! Vivo com essas ideias em mente por ter reduzido drasticamente meu poder de aquisição em troca de um novo estilo de vida já há algum tempo, portanto pensar dessa forma já faz parte do modo que levo a vida em casa. Agora ver o país passar por um recesso econômico e mais pessoas tendo de aprender na marra a lidar com um orçamento reduzido e fazer compras por necessidade x custo benefício faz refletir no que realmente é importante e reavaliar nossa relação com os bens de consumo. Acredito que vocês estarão trazendo ainda mais informações de utilidade pública que acredito que irão se implantar mesmo depois que as coisas voltarem ao normal (será?) e se tornarão parte do cotidiano de muitos. Amo o blog meninas, a cada dia que passa vocês se superam com o conteúdo. Desculpa não ter falado antes, acompanho vocês há anos e não deixo de ler um post. Continuem com o ótimo trabalho que vocês tem feito! Um grande abraço :)

  • RESPONDER
    Paola Alves
    06.08.2015 às 9:52

    Eu já venho consumindo menos a um boooom tempo! Antes via algo bonito e comprava, sabe? Mas dai na hora de montar o look sempre faltavam as peças básicas chaves.. Ou eu comprava sempre o mais “baratinho” e depois tinha que ficar repondo a peça, comprando outra vez e outra e outra! A gente cresce e vai amadurecendo né? To presando muito mais pela qualidade hoje, do que pelo preço ♥ Custo benefício é tudo nessa vida! http://simsemfrescura.blogspot.com.br/

  • RESPONDER
    Nany Benini
    06.08.2015 às 10:17

    Bom dia Meninas, só passei para dizer que adorei a iniciativa do post e que com certeza é para esse caminho que devemos caminhar, o consumo consciente. É precisa aprender a “reaproveitar” as peças do guarda-roupas, e contamos com a ajuda de vocês para isso.

    Parabéns pelo blog, e pela grande iniciativa.
    Sucesso!

  • RESPONDER
    Ana Luisa
    06.08.2015 às 10:52

    Mesmo antes da bolha da crise começar a estourar (digo começar pq acredito que ainda irá piorar), eu já fazia tudo de maneira consciente. Compras de roupas e calçados somente com lista das peças necessárias depois de olhar bem meu armário, acessórios somente em liquidação e maquiagem em Free Shop ou Black Friday. Único item que eu compro caro é bolsa, mas como tenho somente 5, ainda acho que é consciente. Óbvio que tenho vontades e desejos de adquirir aquela peça super na moda e que foi recém lançada, porém esse lado do “vamos pelo correto” sempre gritou mais alto e é por isso que a crise não me afeta tanto. Acredito que irá sofrer mais quem não pensa nas coisas que compra, que compra desenfreado. Esses sim sentirão um baque muito forte para mudar seus hábitos de consumo. Quem já veio se controlando desde sempre quase não notará diferenças.

  • RESPONDER
    helena
    06.08.2015 às 13:32

    oi meninas!!! concordo com vocês, consumo consciente é tudo!!! mas consumo consciente não é necessariamente comprar tudo o que se vê em fast fashion. ás vezes, a gente compra um boa camisa de seda em outlets ou promoções pelo preço ou um pouquinho mais caro de um blusinha de uma fast fashion. o importante é saber como e onde comprar. e até que hora comprar. abs. helena

  • RESPONDER
    Fany
    06.08.2015 às 13:41

    Concordo e assino embaixo deste post. Consumo consciente sempre foi importante e nessa hora de crise muito mais. Agora um conselho de vó: Cá, as futuras mamães têm tendência de comprar tudo que vêm e indicam para o futuro baby e muitas delas nem chegam a usar. As vezes muitas tralhas inúteis. Consumo consciente nesta hora é super importante.Bjks, Fany

  • RESPONDER
    Viviane
    06.08.2015 às 14:05

    Parabéns pelo post. Raramente se lê algo tão real e verdadeiro como isto. É como vcs disseram Um Blog de moda e beleza realmente trata de consumo não tem como escapar …, mas vivemos em um momento de contenção. Então temos de pensar e repensar. Eu mesma estou num dilema sobre um scarpim. Mas uma vez Parabéns pela postagem. Vou compartilhar com as amigas, por que compartilhar é super consciente !!!!

  • RESPONDER
    CINTHIA
    06.08.2015 às 14:19

    Adorei o post! Sempre acreditei em consumo consciente. Quando vou comprar algo me pergunto: é desejo ou necessidade? E na maioria das vezes dá certo, as vezes na TPM temos alguns deslizes… Rs! Mas acho válido que tenhamos essa pergunta em mente na hora de adquirir alguma coisa. Parabéns pelo post.

  • RESPONDER
    06.08.2015 às 15:27

    É isso! Falaram tudo meninas! Esse é o grande diferencial do blog de vocês. Vocês falam de futilidades (como o próprio nome diz) mas de um jeito mais sério e consciente! Arrasaram no post! As dicas foram ótimas… uma coisa que também tenho tentado fazer é consumir de produtores locais – nas feiras de pequenos produtores – do que das grandes redes. Costuma ser mais barato e ainda estimulamos aqueles que estão sendo criativos e movimentando a nossa economia.

  • RESPONDER
    May
    06.08.2015 às 17:13

    Aprendi mais ou menos na marra a deixar de ser consumista quando comecei a pagar todas as minhas contas. Dei mais valor ao custo das coisas e a real necessidade de tê-las. E independente disso, to boba com os preços das roupas aqui no Brasil. Nem a Zara, que eu considerava um preço mediano, conseguiu se manter. Estou achando tudo muuuito caro. Adorei o post e concordo com tudo!

  • RESPONDER
    Marcelly
    07.08.2015 às 12:19

    Poxa, meninas. Sempre amei os posts do blog. Mas estou decepcionada com esse. Repetir roupa é uma dica para economizar dinheiro? Qualquer pessoa normal faz isso no dia a dia. Esse post serviu para eu me sentir mais pobre ainda…

    • RESPONDER
      Joana
      07.08.2015 às 12:22

      Marcelly,
      A gente sempre repetiu, agora só achamos que vamos repetir mais e mais.
      A gente conhece muita gente que comprava um look por evento importante, acreditamos que isso vai mudar e até essas pessoas vão repetir mais roupas.

      Não é todo mundo que já vivia essas práticas que pra nós já são tão comuns.

    • RESPONDER
      Carla
      07.08.2015 às 19:41

      Não, Marcelly, não entenda a gente errado, por favor! :) A história da repetição das roupas não é para economizar dinheiro, é para consumir melhor. Entendendo mais o seu armário e repetindo suas roupas de outras formas, você estabelece uma relação diferente com ele e, na hora de comprar, fica mais fácil escolher peças que não servirão apenas para um propósito e depois ficarão encostadas. Beijos!

  • RESPONDER
    Elaine
    09.08.2015 às 1:07

    post perfeito para o momento em que vivemos. É exatamente isso, o momento pede uma reavaliação dos hábitos de consumo. É isso é bom, aprenderemos muito com este processo. Nossa geração não entende bem o que foi a vida em época de inflação e instabilidade política. Sairemos mais forte desta crise . Bjs

  • RESPONDER
    Luciana Pereira
    12.08.2015 às 16:17

    Esse tipo de postagem enche meu coração de alegria, quando falo que esse blog é diferenciado, tenho razão!!!!!

  • Deixe uma resposta