4 em Comportamento/ Reflexões no dia 24.07.2015

Coisa de menina com todo orgulho!

Não é de hoje que estamos falando de campanhas que nos lembram a importância de lutar contra os mais diferentes tipos de sexismos. Precisamos parar de achar que azul é coisa de homem e rosa é coisa de mulher, isso não faz NENHUM sentido em pleno 2015. Poucas são as coisas que realmente são atribuídas a apenas um gênero e precisamos seguir quebrando paradigmas.

Vocês lembram da campanha da Chevrolet que dizia que carros podem ser coisas de menina? Então, ainda nesse caminho, hoje a gente quis compartilhar com vocês dois vídeos de Always que gostamos muito!

always_like_a_girl1

Eles falam de uma campanha da marca que começou ano passado e fez o maior sucesso e provavelmente vocês já conhecem: a Like a Girl.

Correr como menina, lutar como menina ou falar como menina não podem ser associações claras à coisas negativas.  Mulheres e homens podem ser fortes e frágeis em diferentes aspectos, isso é uma questão inerente do ser humano e não de gênero.

Existem diferenças fisiológicas e hormonais, claro, mas precisamos parar de rotular tudo. Não existe sexo frágil, não mesmo! Nós temos que nos entregar nas relações como seres humanos, não como mulheres ou homens cheios de estereótipos. Temos que ser nós mesmos e não o que a sociedade espera de uma garota ou de um garoto, a autenticidade está muito em falta no mercado de jovens do nosso mundo.

Depois do sucesso da campanha de 2014, a Always seguiu nessa linha e fez outro vídeo que foi lançado agora, no começo de julho, o #TipoMenina:

Todas as mulheres podem ser corajosas, fortes e guerreiras, na realidade, elas podem ser o que quiserem ser e esse é o ponto. Podemos escolher ser uma profissional viciada em trabalho, ser dona de casa ou astronauta, não importa qual seja o “cargo” em questão, o que importa é escolher com a SUA vontade e não com os pré conceitos determinados pela sociedade.

Precisamos ajudar o mundo a criar meninas e meninos seguros já que todos esses rótulos e regras sexistas só atrapalham essas crianças quando elas crescem.

Quando vemos esses vídeos, lembramos que por mais que nossos pais tenham nos criado da melhor maneira possível, quando éramos pequenas ainda existiam muitas premissas de que meninas não deveriam fazer algumas coisas. Hoje em dia tudo isso caiu por terra, claro, mas foram anos e anos até entendermos que não precisamos seguir à risca tudo o que a sociedade nos impõe.

Podemos beber até cair, podemos falar o que pensamos, podemos dormir com o cara no primeiro encontro e podemos ter qualquer tipo de vontade, até mesmo de sexo. Também podemos não fazer nada disso, mas fato é que fazer ou não fazer essas coisas não podem definir que tipo de mulheres somos. Agir conforme a nossa vontade e nossa essência não pode ser algo negativo, ninguém pode exigir que a gente viva com máscaras de boa moça para agradar os outros.

Tolir uma adolescente dizendo que “menina não faz essas coisas” é um tiro de rifle na autoestima dela, na sua autoconfiança e no seu futuro como mulher bem resolvida. E a essa altura do campeonato, sabemos que ser uma mulher segura de si é como ter um visto no passaporte para a felicidade, e ninguém deveria – ou poderia – tirar isso de nenhuma criança, pré adolescente ou jovem adulta.

Carros, carreira, barcos, sexo e libido também são coisas de mulher. E só uma mulher segura pode lutar pelos seus sonhos e saber com franqueza do que gosta ou não, então, temos que começar a pensar que ao invés de criarmos meninas inseguras, precisamos criar meninas bem seguras de si, para que elas não tenham medo de se descobrir como pessoas, como mulheres.

Nunca é tarde para mudar e inverter o jogo.

Gostou? Você pode gostar também desses!

4 Comentários

  • RESPONDER
    Paola Alves
    24.07.2015 às 10:16

    Essa coisa de fragilidade é muita relativa mesmo! Em umas coisas nós mulheres somos mais, em outras são os homens.. foi como você disse: não dá pra generalizar! Sigo firme acreditando que esses conceitos um dia vão mudar pra melhor <3 http://simsemfrescura.blogspot.com.br/

  • RESPONDER
    Caroline
    24.07.2015 às 10:33

    Nossa, uma das melhores propagandas que já vi!!

  • RESPONDER
    Roberta
    24.07.2015 às 21:24

    Post incrível e vídeo foda e lindo! Amei! Vcs arrasam, meninas!

  • RESPONDER
    Juliana Carvalho de Paula
    25.07.2015 às 10:57

    Excelente texto! Em casa somos em 3 filhas e devo a minha mãe a parcela no que diz diz respeito a igualdade entre homem e mulher em relação ao que queremos fazer.
    Bjs

  • Deixe uma resposta