2 em Comportamento/ entretenimento no dia 09.07.2015

Filmes da Sil: Exterminador do Futuro

Semana passada foi corrida! Provas, aulas, aniversário de namoro – fiz 12 anos – mas o que
‘pegou’ mesmo foram as provas! Não estava preparada para essa maratona de novo, risos!
Mas é uma semana de estréia e uma que eu não podia perder: o Exterminador do Futuro: Gênesis.

exterminador1Sabem aquelas paixonites de infância que nós temos por atores? Então, uma das minhas foi pelo ator Edward Furlong em “O Exterminador do Futuro 2: Dia do Julgamento”, risos! O ator era o protótipo de bad boy: andava de moto, hackeava computadores e, além de tudo, era uma gracinha. E bem, eu preciso confessar que desde criança sou apaixonada por nomes com a letra E – não é a toa que me casei com um Erick, que é não é um bad boy, mas é de T.I. =)

A verdade é que eu era novinha mas me lembro vividamente do filme e, é claro, da famosa música “You Could Be Mine” dos Guns ‘n’Roses – pausa para dedicar um momento ao marido da Carla, Bernardo, que briga com a Thereza do Fashionismo, pelo posto de fã número 1 do Axl Rose! Mas vamos combinar que sem aquele trailer e aquela música o filme não seria nada.

E foi assim que eu me tornei uma ‘viciada’ no universo de Exterminador do Futuro. Assisti aos 4 filmes originais, à série, e até confesso que não achei o quarto filme tão ruim assim. Ele tem boas ideias, só é mal executado. Então, quando soube que iriam fazer um reboot da franquia meu coração gelou – o que será que viria por aí?

terminator-2Quando eu soube que tinham escolhido a atriz Emilia Clarke para ser a inspiradora Sarah Connor, eu só faltei mandar uma carta reclamando. Não acho Emilia, que faz a Khalessi em Game of Thrones, uma excelente atriz, mas, pior que isso, ela não me passa metade da força que Lena Headey (Cersey de Game of Thrones e a Sarah no seriado) e Linda Hamilton (a Sarah dos dois primeiros filmes), tinham. Sarah Connor está, para mim, em uma categoria de personagens de cinema que só Charlize Theron, como Furiosa e Sigourney Weaver como Ripley, estão: a de mulheres duronas que vão além das heroínas e mocinhas convencionais. Por outro lado, escalaram Jai Courtney – que faz Insurgente e Promessas de Guerra – para ser o Kyle Reese, personagem que eu sempre adorei.

Após ver os trailers eu já fui para o cinema achando que o filme ia ser uma grande porcaria, e não é pelo fato de simpatizar ou não com a mocinha. Se vocês verem o trailer, saberão que eles entregam uma parte da história que deveria ser surpresa! Ou seja, já começaram errando aí. O filme começa no futuro – com uma referência à série – onde vemos John Connor, interpretado por Jason Clarke, e Kyle Reese lutando contra a Skynet – inteligência artificial que domina a humanidade e mantem campos de prisioneiros para extermínio de humanos (achei muito interessante como eles fizeram uma referência aos números que eram tatuados nos presos durante a Segunda Guerra Mundial).

O diretor Alan Taylor bebeu de todas as versões existentes de Exterminador, mas isso se paga quando ainda no começo ele atualiza a primeira cena do primeiro filme de maneira fiel. São os detalhes que estão lá, o cuidado, o trabalho meticuloso, e assim o filme me surpreendeu até. Mas, em um dado momento eles viajam novamente no tempo para 2017 e é aí que a HISTÓRIA do filme se perde.

Não vou entrar nos detalhes das grandes discussões de física sobre viagens no tempo ou linhas temporais alternativas, deixa isso para o Schwarznegger. =) Aliás, a melhor coisa do filme inteiro é o T800 grisalho, interpretado por ele. Arnold sempre foi ótimo comediante, e está impagável fazendo piada de si mesmo! Para mim é ele quem leva o filme nas costas!

Agora se eu gostei do filme? É… É um filme de ação ok… Me divertiu, mas acabou por aí. Honestamente, fiquei mais intrigada com um possível spoiler nos créditos do filme mas
não vi mais ninguém discutindo, do que com o resto do filme, ou a futura trilogia.

Dessa nova mania de novos filmes velhos (Mad Max, Jurassic Park, etc), foi o mais fraco, na minha opinião. Acho que dessa vez não vou fazer ninguém acabar de ler e querer ir para o cinema, né? risos

Beijos

Sil

Gostou? Você pode gostar também desses!

2 Comentários

  • RESPONDER
    gil
    09.07.2015 às 18:06

    oi jô, cá e sil, mesmo lendo tudo q vc falou e ainda nao gostando tanto de filmes de açao e aventura, eu sei q eu vou kk porque meu noivo adora o arnold, mas eu tambem adoro o ator, pena q nao foi melhor, sentindo falta de ver ele brilhante nas telonas, pensei q seria dessa vez
    jô, cá, sil, me visitem também:
    http://www.gilvaniaevans.com

  • RESPONDER
    Cristiano
    10.07.2015 às 11:56

    Bom dia gurias.

    Bom, sou um que também adora este clássico, o ponto do comentário da Sílvia que me chamou mais atenção foi… “em um dado momento eles viajam novamente no tempo para 2017 e é aí que a HISTÓRIA do filme se perde.”

    Pior que se pensarmos numa linha lógica, nem o primeiro filme têm sentido e se perde, sabe porque?

    O primeiro começa com Kyle Reese voltando no tempo para salvar Sarah, e acaba tendo uma relação com ela que origina John Connor, mas o que estamos assistindo na verdade é o passado da linha presente original que dá início a tudo. Então, quem é na verdade o verdadeiro pai de John Connor? Já que no futuro da mesma forma ele é líder da resistência, quem de fato teve a primeira relação com Sarah para origina lo antes da escolha de Kyle Reese para voltar ao passado? É o tipo de coisa que fica matutando e depois tu pensa: “Foda se, vamos curtir o filme”, hauhsua.

    Abraço! =D

  • Deixe uma resposta