11 em Deu o Que Falar no dia 08.06.2015

Deu o que falar…

1 – Namorados, namoradas e o amor

A polêmica do video do Dia dos Namorados de O Boticário já tinha estourado na segunda feira passada, mas como o DQF já estava agendado, esse assunto acabou ficando de fora. Até ficamos com medo de perder o timing, mas a semana foi passando e o assunto continuou por aí, sendo muito debatido, questionado e polemizado. O motivo desse auê, a gente está tentando entender até agora.

Quando aconteceu o beijo da Fernanda Montenegro com Nathalia Timberg na novela Babilônia, por mais absurda que tenha sido a reação, ainda dava para tentar arrumar justificativas para explicar a revolta dos setores mais conservadores que prezam pela “tradicional família brasileira”. Só que dessa vez, nós tentamos procurar, achar algum pelo nesse ovo, e nada foi encontrado.

Ao contrário, achamos um comercial delicado, fofo, onde as pessoas estavam se abraçando apenas. SE ABRAÇANDO. Precisava de movimento para dar unlike no Youtube? Precisava do boicote à marca? De reclamações em conjunto no Reclame Aqui? E sinceramente, com argumentos tão horríveis e desrespeitosos que deu vergonha. Isso porque estamos em um país onde é “normal” passar comercial de cerveja com mulheres seminuas e casos de assassinatos e violência estão todos os dias nos noticiários. Será que a energia não deveria focar nisso?

O clássico “não sou homofóbico, mas” ganhou em disparada, seguido pelo “o que vou falar para o meu filho de 2 anos?” (resposta: é uma criança de 2 anos, não precisa elaborar muito, né…Aliás, não precisa nem responder se não se sentir à vontade. Certeza que em 5 minutos ela já esqueceu) e o “eles não precisam se expor desse jeito” ganharam o troféu de comentários que não merecem o nosso respeito, mas quem quer ver mais, o Não Salvo fez um compilado inacreditável.

Por favor, O Boticário, não se intimide com esse tipo de reação e continue fazendo um bom trabalho! A gente se orgulhou muito do posicionamento de vocês e esperamos que mais portas se abram e mais marcas sigam o exemplo.

2 – Beijo, Capricho ;(

capricho-capas-620x799Montagem que pegamos no Fashionismo. Aliás, vale ver o post da The, já viram?

Faz mais ou menos uns 12 anos que lemos nossa última Capricho, mesmo assim ficamos arrasadas quando soubemos que a revista física acabou e só vai existir no online a partir de agora. Parecia que uma amiga de infância, que a gente não falava há tempos mas lembrava sempre com carinho, tinha morrido. Foi um sentimento estranho.

E sentimento mais estranho ainda é ver que mais uma revista com histórico de décadas, com capas emblemáticas e que praticamente conseguiu lançar várias celebridades não conseguiu resistir ao mundo atual, cada vez mais rápido, mais virtual e até mesmo com um público alvo mais informado e questionador.

Será que a Capricho online continuará a ter a importância que a revista tinha na nossa geração? Será que ainda vai surgir algum veículo que traga tantas lembranças legais para os adolescentes de hoje? Ou será que é muita nostalgia de nossa parte?

3 – Botando os pés no chão

Depois de tantos anos no mercado e algumas (poucas) mudanças na aparência, a Mattel anunciou a nova linha da Barbie, que contará com bonecas de outras etnias, com outras cores de pele, cabelos e olhos.

Outra mudança bem legal que mostra que a Mattel está querendo botar os pés no chão em todos os sentidos é a articulação no tornozelo, que permitirá que as Fashionista Barbies desçam do salto e usem mais modelos de tênis, rasteiras e sapatilhas.

Apesar de ter demorado esses anos todos, esse movimento é mais do que bem vindo, não acham?

Gostou? Você pode gostar também desses!

11 Comentários

  • RESPONDER
    gil
    08.06.2015 às 18:45

    oi cá, amei o comercial do boticario, surpreendente e super inteligente, quero ver marcas ousadas assim q apoiam sem medo, jogam o preconceito de lado mesmo que muitas pessoas do seu publico sejam contra, o amor é o mais importante independente do sexo s2 fim da capricho, muito triste cá :( amei as barbies q nao tem cabelo liso #realidade
    cá, me visite também:
    http://www.gilvaniaevans.com

  • RESPONDER
    Silvia
    08.06.2015 às 22:34

    Para mim a melhor definição do comercial da Boticário foi de uma amiga “Pô, comercial de Dia dos Namorados sem UM beijo na boca?!” E é isso, o comercial poderia ser do dia dos amigos, natal, qq coisa, quase um “valentine’s day” onde qdo se é pequeno se dá presente para pessoas que não são seus namorados. Então acho isso tudo muito ridículo, boicotar por isso?! Me poupa!

    Aliás isso me lembrou que no meu primeiro ano de faculdade, em 2000, tinha uma amiga, muito amiga, que tinha acabado com o namorado no ano anterior e estava chateada pq nunca tinha ganhado rosas no dia dos namorados. Eu fui lá e comprei uma rosa amarela para ela, disse que podia não ser a pessoa que ela esperava mas que amarelo significa amizade e apostava que ela seria a primeira pessoa a ganhar uma rosa amarela no dia dos namorados de uma amiga. Ela chorou e tudo, ficou toda emocionada. Teve gente que fez piada, mas eu liguei o F-se e ela tb, o que importava ali era o gesto. Eu digo “Te amo” para as minhas melhores amigas – e amigos – e por consequência, acho uma babaquice toda reclamarem do comercial do Boticário que simplesmente mostra o amor entre duas pessoas. A “maldade” está nos olhos do observador, pq é lógico que eu entendo que são casais diversos, mas uma criança não necessariamente veria como uma coisa ruim e apenas como duas pessoas que se amam! Enfim, o mundo tá cada vez mais cabeça pequena… É triste!

    Beijos!

    • RESPONDER
      Carla
      09.06.2015 às 10:57

      Penso assim também. Até parece que uma criança vai ver duas pessoas se abraçando e achar que isso não é normal. Aí eu fico pensando, será que a família dessa criança não abraça pessoas do mesmo sexo para não “passar a impressão”? Mundo muito estranho esse que a gente está vivendo! rs

    • RESPONDER
      Silvia
      09.06.2015 às 17:04

      Meu pai costumar dizer que todo mundo é biafetivo, pois todo mundo – ou a maior parte das pessoas normais – sente afeto, amor e carinho por pessoas dos dois sexos! A sexualidade é que é diferente! Aliás eu cresci com meu pai e meu irmão dizendo te amo, abraçando e dando beijo na bochecha como em mim. Tem uma foto até meio recente, que é meu pai, comigo e meu irmão no colo em um restaurante. As vezes as pessoas olham torto mas a gente não liga, é meu pai, se eu não puder sentar no colo dele de quem eu posso?! E meu pai nesse ponto sempre tratou os filhos de forma igual! Nunca deixou de tratar meu irmão com carinho pq ele é homem! Aliás meu pai é engraçado, quem o conhece pela primeira vez vai conhecer o Doutor, depois com a intimidade vai ter um homem que é carinhoso com TODO mundo! Ele não deixa de dar dois beijinhos no rosto de amigos, no meu casamento dançou com todo mundo, acho que só não dançou com o Erick pq não conseguiu vaga! Mas eu dancei com a minha prima – uma que é minha irmã caçula – “cheek To cheek” e tenho a foto no meu álbum!

      Não deveria ser tão complicado, a gente ama as pessoas, é simples! Paixão, tesao, é outra coisa diferente! Amo o meu marido mas acima de tudo amo o Erick! Simples! E esse amor não vai deixar de existir se ele deixasse de ser meu marido, assim tão fácil. E eu sempre fui beijoqueira, abraçadeira, e já ouvi que dizia “te amo” demais para as pessoas. Quando não, digo “te amo” para as pessoas que eu amo e digo com frequência pq eu quero que elas saibam disso. Agora dizer “Te amo” para um parceiro, só disse para o Erick! E continuo dizendo te amo até para os meus cunhados pq vi eles cresceram, são meus irmãos mais novos e para a avó deles tb! E digo mais, só não digo te amo para a minha sogra pq tenho vergonha mas eu amo a minha sogra!

      Uma coisa muito bonita que ouvi de uma amiga foi que ela no início estranhou um pouco o meu jeito, mas ela queria me agradecer por ter ensinado a ela que dizer te amo não era vergonha. E que ela aprendeu a dizer te amo comigo! Eu chorei qdo li! <3

      Enfim, o mundo está esquecendo de amar mais e odiar menos! A gente não deveria ter vergonha de amar ninguém, de forma nenhuma! E acho que nesse ponto, o anúncio do Boticário foi perfeito! A gente vê relatos de amantes que passaram a vida separados pq as famílias não aceitavam e só na velhice se reencontram. Imagina que tristeza, você não poder ser livre para viver o seu amor que é correspondido?!!

      Agora amor é uma coisa, "pegação" é outra e eu não acho bonito em público casal nenhum, independente de orientação, em momentos de preliminares – "get a room!", risos! Uma coisa que eu tenho amado em Sampa é ver que casais do mesmo sexo, normalmente homens, se sentem à vontade para andar de mãos dadas! Nada além do simples gesto de estar de mão dada com a pessoa q ama, quer coisa mais bonita?!

      Beijos!!!

  • RESPONDER
    Silvia
    08.06.2015 às 22:37

    AH! E para qq menina que tenha brincado de Barbie, essa coisa de poder usar tênis sem ficar com aquele pé ridículo é a coisa mais brilhante que a Mattel já fez!

    As Barbies de diferentes aparências já não era sem tempo, né?!

    Bjs!

    • RESPONDER
      Carla
      09.06.2015 às 10:59

      Sil, você acredita que eu sempre curti ter Barbies de personagens de filmes (eu tinha a Megara, a Jasmine e a Esmeralda, por exemplo!) ou de coleções diferentes exatamente porque mudava a cor dos cabelos, do tom de pele, do olho? Eu achava meio esquizofrênico quando começava a brincar com Barbies muito parecidas e não queria que elas fossem irmãs nas minhas brincadeiras. rsrsrs

    • RESPONDER
      Silvia
      09.06.2015 às 17:08

      Eu amava a Jasmine! Queria ter aquele olhao, achava ela a mais bonita! E olha que nem é a minha princesa preferida! E era louca por uma Barbie Sereia Negra que ganhei, com cabelo rosa, era a mais bonita da minha coleção!

      Bjs!

  • RESPONDER
    Paula
    09.06.2015 às 14:54

    Pro comentário “o que eu vou falar pro meu filho?” pra mim só tem uma resposta: “eles se amam!”. O estranho, o diferente, está na cabeça de cada um, se desde sempre a criança aprender que toda forma de amor é válida, não tem trauma, não tem drama.

    • RESPONDER
      Carla
      09.06.2015 às 15:13

      Pois é, Paula! Que dificuldade, né?

  • RESPONDER
    Paola Alves
    11.06.2015 às 12:51

    É tanto chorume nessa história do O boticário que dá até preguiça né? As pessoas não evoluem e parecem nem querer ): Triste! Fiquei chocada quando soube da Capricho.. a força virtual transformando né? E quanto a Barbie, demorou.. mas até que enfim, adorei <3 http://simsemfrescura.blogspot.com.br/

  • RESPONDER
    Mariana
    11.06.2015 às 16:29

    Ah eu amei o comentário da Silvia : Comercial de Dia dos Namorados sem beijo na boca?

    Geeeente, eu desde de criança convivo com pessoas que se amam, sejam elas homo ou hetero, eu acho bem tranquilo, nem por isso tive curiosidade pelo mesmo sexo e se tivesse ?

    Amor é amor e eu tenho birra dessa história de sagrada família brasileira.

    Sempre amei Barbie, mas sempre senti falta dela negra e mais acessível (morava no interior, nunca chegava as especiais ), minha irmã é negra e queria alguém que representasse ela para brincar comigo, fico muito feliz que a mattel comece a mudar.

    Capricho: Cheguei em São Paulo em 2002 para fazer Moda e meu sonho era trabalhar na Capricho. Li durante 12 anos, acho que linha editorial podia ter melhorado bastante, mas espero que tenhamos revistas para meninas da próxima geração.

  • Deixe uma resposta