10 em Comportamento/ entretenimento no dia 10.05.2015

Filmes da Sil: Insurgente, mais um livro que é melhor que o filme

Sabem a Silvia, leitora que faz vários comentários, adora debater os assuntos que abordamos e já acrescentou muita coisa boa? A gente estava ensaiando dar um espaço para ela aqui no blog há um tempo, até que fizemos a pesquisa e ficamos sabendo que muita gente sugeriu que a gente fizesse isso mesmo! Tratamos de adiantar os planos e conversamos com ela para decidirmos o que ela gostaria de fazer aqui dentro do futi, e juntas chegamos em um assunto que quase não tem aqui no blog, mas estávamos doidas para implementar: filmes!  Ela amou a ideia e eis o primeiro post da Sil! 
PS: Ela disse que está super nervosa, a gente acha que é bobeira, e vocês?

Outro dia estava conversando com a Carla e ela me perguntou o que eu havia achado de Insurgente. Ao contrário dela, eu primeiro vi Divergente para depois ler os livros – inclusive, li o livro do Tobias também – e confesso que já no primeiro filme, senti que havia algo mais do que estava ali na telona. Foi por isso que resolvi ler a série, o que não foi complicado, pois sou apaixonada pelo estilo de mundo distópico em que o universo se passa. De uma certa forma, lembrou o meu livro preferido, “Admirável Mundo Novo” de Aldous Huxley, pois ambos mostram uma sociedade estruturada e com foco nas funções sociais de cada um, ao invés de seus papéis familiares, sem falar nas questões ligadas à parte científica.

Essa talvez seja uma das críticas mais complicadas que eu já escrevi até agora sobre um filme, pois enquanto as falhas do filme “Divergente” se explicam facilmente por uma provável falta de orçamento, “Insurgente” já foi para o cinema em grande estilo. Shailene Woodley (que faz Tris) já é reconhecida como atriz e até mesmo ícone da moda, Jai Courtney está despontando com um dos próximos atores de sucesso, sem falar, é claro, no aclamado Miles Teller, e nas vencedoras do Oscar, Octavia Spencer e Kate Winslet. Com um elenco desses, uma história boa por trás – quando dizem para ler o segundo livro com o terceiro já na mão, podem levar a sério – e um bom orçamento, Insurgente tinha tudo para ser um sucesso. Mas não, o filme é mais uma película de ação, e nesse ponto, pior que seu “concorrente” Jogos Vorazes: Em Chamas.

Para escrever qualquer texto sobre “Insurgente” precisei contar com o apoio do Erick, meu marido, que não leu os livros, pois o medo de me tornar ‘a chata’ que exige que cada filme seja uma cópia fiel do livro era muito grande, risos! Enquanto a história do livro explica cientificamente porque Tris é especial e como funciona um Divergente sem fugir da ciência real, o filme simplesmente esquece toda a ciência e alguns dos sacrifícios que a personagem faz. Para simplificar,inventaram uma caixa que só pode ser aberta por um Divergente e, com isso, destruíram toda a existência da personagem de Kate Winslet, tornando-a uma vilã que não irá parar até alcançar o seu objetivo, mesmo sem saber qual ele é. Acredito que os roteiristas queriam simplificar usando uma vilã desnecessariamente ambiciosa ao invés de trabalhar com o lado mais sutil do livro. Eu, particularmente, acho que essa simplificação toda só deixou a história pior.

filme

Confesso que foi divertido assistir a versão 4D do filme, e nesse ponto “Insurgente” foi perfeito para a minha primeira experiência. Entretanto, como adaptação do livro, o filme peca – e muito – ao deixar várias complicações para a continuação da saga. Aliás, as personagens de Naomi Watts e Ray Stevenson foram praticamente ignoradas, assim como a de Octavia Spencer, que tem um papel mais importante no livro. Diversos personagens interessantes não chegaram a ganhar nome na versão cinematográfica de “Insurgente”, e todo o bafafá de criarem um possível novo par romântico para Tris ficou apenas na imaginação de quem achou que a série “Divergente” iria copiar outros sucessos adolescentes.

Beatrice Prior é uma heroína relutante mas é muito mais bem resolvida que Bella de “Crepúsculo” ou até mesmo a Katniss de “Jogos Vorazes”. Ela não é dramática, não fica completamente confusa por causa de namorado e não perde tempo. No caso, o Tobias é importante mas fica claro que ela não considera ele uma prioridade, especialmente no filme. Para quem curte um romance, esse lado muito cerebral da Tris pode não ser tão atrativo, mas para mim é um ponto positivo.

Preciso confessar que não sei o que esperar dos próximos filmes, foram tantas alterações na história que realmente quero saber como vão resolver todos os buracos que deixaram. Mas bem, talvez isso seja uma coisa positiva, pois provavelmente estarei lá na pré-estréia de novo, para assistir a primeira parte de “Convergente“. Nesse ponto, o filme foi bem sucedido. =)

Beijos

Silvia

Gostou? Você pode gostar também desses!

10 Comentários

  • RESPONDER
    Bia
    10.05.2015 às 11:40

    Sou dessas pessoas obcecadas por livros que constituem séries – e a série Divergente é muito boa, acho melhor até do que Jogos Vorazes. Agora… Deus, o que são os filmes? Apesar do baixo orçamento, não achei o primeiro tão ruim quanto o segundo. Vejam bem, após Harry Potter desapeguei disso do filme ser uma cópia fiel do livro, sempre rola um “licença poética”. Ainda assim, achei que a liberdade em insurgente foi demais. Além disso, o filme é chato e com efeitos ruins, muito fraco. Nem a boa atuação conseguiu salvar… O problema maior foi de roteiro.

    • RESPONDER
      Silvia
      11.05.2015 às 0:43

      Oi Bia!

      Pois é, fãs tem sempre que aprender a “desapegar” né?! Acho que minha primeira experiência de desapego foi com Senhor dos Anéis – que aliás é uma excelente adaptação – onde no primeiro filme mudaram o comportamento do Aragorn e eu não consigo aceitar até hoje!!! =D

      Aliás Hobbit é um que teve MUITA licença poética, afinal um livro de criança virou 3 filmes, mas era coeso. Já Insurgente… Eu não sei se fui influenciada pela experiência, mas nem me incomodei muito com os efeitos. Achei que eram na medida certa para a experiência 4D, mas é triste ver tanto talento desperdiçado, né?

      Pior que eu sei que vou estar na pré estréia do próximo mesmo assim, pq no fundo a gente gosta de “sofrer”, risos!!!

      Beijcas!

  • RESPONDER
    Irene
    10.05.2015 às 12:30

    Vi o filme mas não li o livro é acho que não vou ler. O comentário de Silvia esclareceu alguns ângulos importantes que tinham ficado no vácuo. Aguardo outras críticas.

  • RESPONDER
    Tati Bueno
    10.05.2015 às 19:49

    Também tive muita dificuldade em digerir e analisar o filme. Foi por muito pouco que não me levantei e fui embora antes da metade… A única coisa que acalmou meus ânimos de fã da saga estava nos créditos finais: uma pequena observação de que o filme era INSPIRADO no livro.
    A partir disso, consegui separar uma coisa da outra. Embora ainda não entenda como a Veronica pode aceitar esse roteiro, o filme é realmente espetacular, a tecnologia empregada nos efeitos especiais, achei a atuação geral muito boa e, por mais raso que seja, o roteiro até funciona.

    E sim, estou com medo do que vão fazer em Convergente. Não consigo imaginar como a história vai ser contada, já que tantos elementos que nos preparam em Insurgente foram excluídos do filme, como por exemplo todos os dilemas e os traumas de Tris e até alguns personagens.

    Adorei a participação da Sil, estou ansiosa por mais!
    Bjos!!

    • RESPONDER
      Silvia
      11.05.2015 às 0:37

      Oi Tati!

      Pois é, bota INSPIRADO mesmo! Pq em alguns momentos parece que só as personagens tem o mesmo nome! Tb não sei como a Veronica participou disso, mas… Tb estou muito curiosa sobre os próximos filmes, e confesso que quase paguei mico no cinema por me revoltar e falar alto “mas não é assim no livro” !!! Risos! A sorte é que o filme era 4D e aí a cadeira vibrou, me salvando!!!

      Vamos ver se a gente consegue uma coisa super especial e legal essa semana… ;) Mas se não der, já estou fazendo a minha listinha aqui!

      Beijocas!

  • RESPONDER
    Fany
    10.05.2015 às 23:08

    Mais um ponto positivo para as meninas do futi: a participação da Silvia no blog. Amei. Bjks , Fany

    • RESPONDER
      Silvia
      11.05.2015 às 0:31

      Fany!!!!! Eu estava falando com a Jo que você tem um noção de tempo que é incrível! Tenho até depois que te contar tudo, mas você além de super especial é um amuleto de boa sorte para mim! <3 Eu não tenho palavras para agradecer todo o seu carinho e atenção! Muito obrigada!!!

      Beijos enormes!

    • RESPONDER
      Fany
      11.05.2015 às 16:52

      Beijos para vc tb e tenho certeza que os seus post serão sucesso . As leitoras do futi vão amar. Fany

  • RESPONDER
    Paola Alves
    11.05.2015 às 11:35

    Creio que dificilmente qualquer filme será melhor que o livro né? No livro a imaginação é nossa, a gente é que dá o tom de cada cena lida da melhor forma possivel e do jeito que a gente quer que seja =) http://simsemfrescura.blogspot.com.br/

    • RESPONDER
      Silvia
      13.05.2015 às 19:43

      Isso é verdade Paola! As vezes a gente cisma que uma personagem é de tal jeito e quando mudam no filme ficamos injuriadas! Pelo menos eu fico, risos!

      Mas existem boas adaptações, adaptações OK e aquelas que a gente se pergunta “onde foi parar o livro que eu li?”! Insurgente está muito perto da última…

      Beijocas!

    Deixe uma resposta