1 em Comportamento/ Reflexões no dia 04.03.2015

Precisamos falar sobre vazamentos…

Por aqui está evidente que assuntos relacionados aos direitos das mulheres vem ganhando mais e mais espaço. Eles vêm deixando de ser assunto no DQF e se tornando pautas isoladas nas nossas reflexões. Na verdade, nós achamos que é uma coisa geral. Parece que agora, muitos blogs estão se unindo para falar além de moda e beleza, e introduzindo assuntos que precisam ser abordados sobre o universo feminino, ainda que eles não sejam fáceis.

Depois de toda repercussão de ontem com a Sabrina Sato, ficamos felizes em saber da iniciativa #JuntasContraVazamentos, para combater o vazamento de fotos, vídeos e qualquer conteúdo particular na internet. 

É importante que todos nós criemos consciência do que podemos ou não redistribuir pela web. Se você recebeu uma foto de uma pessoa na sua intimidade não distribua sem o consentimento da mesma, esse pode ser o primeiro passo para mudarmos a atual situação.

Para dar voz ao tema, trouxemos um vídeo para dividir com vocês: 

Quem já leu o post em que falamos do dia que conhecemos a Sabrina, sabe que a gente adora essa japa e hoje, mais uma vez, ela ganhou ainda mais o nosso respeito. Adoramos ver tudo isso que a Always fez junto com a Safernet, uma ONG que é a maior instituição do país sobre segurança de informação na internet.

Vocês sabiam, que das 224 vítimas que eles tiveram só em 2014, 81% eram mulheres e todas tiveram que lutar para manter a auto-estima no lugar? E não vamos esquecer que muitas acabam se sentindo culpadas por terem confiado no cara errado para dividir sua intimidade, quando na verdade, a pessoa que vazou a informação que deveria não conseguir dormir à noite, né?

Cada dia que passa mais fichas caem a respeito dessa temática. Por mais que o primeiro impulso seja criar um julgamento (inclusive nós já julgamos, e aprendemos muito com isso), acreditamos plenamente que precisamos não dar crédito a vazamentos feitos sem o consentimento do protagonista daquela mídia. Precisamos fazer com que esse ciclo seja interrompido e para mudar esse cenário, nada mais normal que falar sobre isso em casa, com os amigos ou em qualquer outro lugar.

Ninguém merece ter a intimidade vazada por maldade, vingança ou pura ingenuidade.  Por aqui acreditamos que é preciso aderir a essa causa e dividir essa ideia com os namorados, maridos e amigos, afinal, se a gente para de passar para a frente esse conteúdo, ele perde a forçaTodas nós e todos eles podemos ajudar nessa empreitada.

Se todo mundo se recusar a ver e compartilhar a privacidade dos outros, podemos começar a mudar a situação. Todo adolescente  já viu um caso como esse (podem testar nas famílias de vocês), assim como vários namorados têm grupos de amigos no whatsapp que adoram trocar imagens desse nível. Por isso, acreditamos muito que precisamos melhorar essas questões de cidadania virtual, se é que esse termo existe.

Não podemos mudar o mundo inteiro de uma vez, mas podemos fazer a nossa parte e nos mostrarmos contra esse tipo de vazamento na web.

Amanhã pode ser você, uma amiga, ou até nós mesmas passando por isso. E a gente sempre foi ensinada que a regra de ouro de viver bem em uma sociedade é não fazer com os outros o que não queremos que façam com a gente. E isso se aplica, né?

Gostou? Você pode gostar também desses!

1 Comentário

  • RESPONDER
    carolina
    05.03.2015 às 16:12

    meninas,

    Acho esse debate super valido mas não consigo entender como que uma campanha que é para falar de algo tão serio, compara um vazamento de fotos intimas a um vazamento de menstruação, o constrangimento é incomparável. Na verdade fazer esse tipo de comparação é até ofensivo. Além do mais a sugestão que ong coloca é simplesmente não tirar mais fotos sem roupas? Para mim isso é mais uma maneira de colocar a culpa na vitima. Uma campanha de conscientização acaba falando que nós, mulheres, não somos inteligentes o suficiente para tomar as nossas próprias decisões?

    É tanta contradição que ainda não entendi como que autorizaram a veiculação dessa campanha. O assunto é muito mais serio do que a venda de absorventes, a campanha tinha tudo para dar certo mas desceu ladeira abaixo com o desenvolvimento da historia.

    beijo

  • Deixe uma resposta