62 em Comportamento/ desafio de peso/ Reflexões no dia 18.12.2014

Me desculpe, mas não sou o que vc vê!

Esse ano foi daqueles super loucos, montanha russa, novos desafios, investimentos, clientes, amigos e muitas conquistas, principalmente em termos de blog, que apesar de todos os desafios, dobrou de audiência e recebeu elogios sinceros de clientes enormes! Eu talvez nunca tenha me sentido tão competente antes desse ano, nunca tenha visto o quanto sou boa em algumas coisas e tampouco tenha estado tão confiante das minhas características positivas, mas é claro que se estou colocando as coisas desta maneira, teremos um porém ao longo do post.

Comecei o ano cumprindo minhas metas. Tirei minhas varizes, cuidei firme da minha pele e, no meio do caminho, também resolvi cuidar da minha espiritualidade com mais afinco. Fiz meus cursos incríveis na Trilha dos Lobos e ouvi cuidadosamente o que a Cláudia (minha tão amada professora) estava trazendo para minha vida. Larguei a pílula, dividi intimidades aqui e aos poucos fui me sentindo mais forte. Sem dúvidas, 2014 foi um ano que aprendi muito.

Como tudo na vida não são flores, 2014 também foi difícil e foi esse fato que me inspirou a escrever sobre o tema que vou falar agora. Em meio a tantos ganhos vieram meus velhos amigos – ou melhor inimigos – quilos a mais. Minha reeducação alimentar e saúde tão felizmente conquistadas no passado deram lugar às não desejadas gordurinhas. Minha briga com a balança já foi protagonista de inúmeros posts, mas talvez nunca de uma forma tão clara.

adc0d57def816316aea882f96da59ab0

O sobrepeso começou a chegar em maio e deu uma boa piorada com o passar dos meses. De outubro em diante, esse ganho de peso me quebrou. Comecei a não caber nos meus looks, e quando me vi obrigada a montar produções que não seriam a minha primeira opção, a peteca começou a cair.

Eu, que já tive depressão, senti que algo estava errado. Parte de mim estava se sentindo fracassada por ter deixando essas “5 Coca Colas de 2 litros” se espalharem por esse corpo e se apertarem nas minhas peças de roupa. Porém, a vida é tão maravilhosa que mesmo no meio dessa confusão interna, eu não me senti feia. Posso ter ficado desanimada em alguns momentos, mas minha auto estima estava em dia com minhas novas habilidades de fazer cabelo, minha maior desenvoltura para me maquiar (e me contornar) e, por fim, mesmo ganhando peso no primeiro semestre eu gostei de muitos dos meus looks, o que para mim também é um processo de estilo pessoal bem importante.

Um dia estava conversando com uma grande amiga e me lamentei pelos quilos adquiridos. Mesmo tendo sido um pouco antes da coisa piorar de vez, ela me disse assim: Amiga, você já esteve mais magra mas nunca esteve tão bonita. Aquilo fez tanto sentido, já que boa parte do meu ano eu me senti assim, brigando com a balança mas vendo a beleza que existe em mim. Nessa hora, eu me lembrei que eu não sou feita de magreza ou de gordura. Eu sou feita de mim, do meu cuidado comigo, e isso tem sua beleza.

89da703d4d3919a34b15062d30845dabNessa hora eu me lembrei da minha mãe, uma das mulheres com a auto estima mais inabalável que eu conheço e que consegue realçar seus pontos fortes de uma forma que seu corpo plus size nunca fez seu borogodó diminuir. Vocês não têm ideia como eu invejei esse conforto que ela tem com seu corpo. Eu desejei imensamente, por várias vezes, sentir o mesmo que ela, mas a verdade é que a minha história é diferente e desde criança eu luto contra a compulsão alimentar e a distorção de imagem. A minha história e a minha luta são outras, eu não preciso ser magra para ser aceita, eu preciso perder peso para ficar em paz com meu corpo, alma e saúde.

Isso quer dizer que eu acho que o mundo todo precisa ser magro? Claro que não, muito pelo contrario, eu desejo que a gente viva num mundo onde todo mundo se aceite, tenha saúde e menos preconceito. Porque podem falar o que quiser, mas o preconceito com o IMC elevado existe, é chato e por muitas vezes cruel.

2240fb4765f1fba0398be5f05389040d

Como eu disse antes, eu não preciso ser aceita. Por mais que eu me depare com a cara feia de alguns, com o veto de alguns possíveis clientes e o desdém de terceiros, não, eu não preciso ser aceita por eles. Eu tenho é pena de quem acha que “aquela pessoa deve ser infeliz porque está acima do peso”, mal sabem os outros é que ela pode ser bem mais feliz por dentro, afinal, tem tanta gente magra infeliz no casamento, tanta menina maravilhosa com crise de pânico, tem tanta coisa absurdamente triste na vida daquelas que parecem perfeitas que eu volto à velha máxima: não julgue um livro pela capa.

As revistas podem não te querer por causa do seu peso, as marcas podem te evitar, os rapazes podem nem ouvir o que você tem a dizer, mas são eles é que estão doentes. Gordura não é doença contagiosa e depois desses últimos meses é isso que eu tenho vontade de dizer para o mundo.

FATSou uma jovem com problemas com a balança, quero perder uns quilinhos por mim, porque eu quero me sentir bem comigo e com as minhas roupas. Eu vestindo 42, 44 ou 46 vou chegar onde tenho que chegar, vou arrasar e vou continuar sendo muito feliz, não serão as pessoas preconceituosas que me farão pensar diferente.

Eu sempre fui improvável em tudo que fiz e sempre me saí vitoriosa, por isso eu quis escrever esse texto. Se amanhã eu estiver de volta ao 40 ou 42, pesando meus estimados 70kg, eu quero ser a mesma pessoa que sentiu pena de quem me julgou inferior por esses 10kg a mais. Graças às leitoras incríveis, o que importa por aqui é quem eu sou, o que eu tenho a dizer e o que eu quero mostrar e nada além disso.

Se você pesa 60Kg ou 120Kg, não importa, o que importa é sermos todos contra uma ditadura da beleza que ataca aqueles que não fazem parte de um padrão imposto por todos os lugares. Uma gordinha não é inferior à uma menina sarada, é apenas uma pessoa com um corpo diferente, nada mais e nada menos do que isso. Então vamos deixar a “gordofobia” de lado e entender que inferioridade é papo para movimentos radicais e aqui ninguém quer fazer parte deles.

O importante é termos corpo, mente e alma felizes e em equilíbrio, o peso ideal para isso vai variar de pessoa para pessoa. Em 2015 eu espero encontrar o meu.

Beijos!

PS: Não cabia muito bem isso no texto, mas não poderia deixar de agradecer à minha nutricionista, que mesmo nos momentos mais difíceis da minha bagunça com a alimentação, se importou comigo. Alguns me perguntam o quanto a Patricia é radical e eu só tenho a dizer que comigo ela é maravilhosa. Eu posso não ter vivido meus aprendizados da vida com ela durante 2014, mas só tenho a dizer que independente do meu peso atual, ela mudou minha vida para melhor. Eu sei qual caminho pegar para reverter esse quadro e isso é graças a ela. De quebra, também quero agradecer a TODOS os patrocinadores do futi. Em 2014, com todos esses meus altos e baixos com a balança, eu não tive um cliente que me evitou – muito pelo contrário, tem uma turma nova de moda vindo conosco em 2015 e por essas pessoas eu agradeço.

Gostou? Você pode gostar também desses!

62 Comentários

  • RESPONDER
    Tati Melega
    18.12.2014 às 2:01

    Jo minha linda! Simplesmente ameyyyy o post! O mundo anda completamente louco com essa loucura de q se precisa ser magra, ter um six pack ou uma perna linda p ser feliz!! Vc sabe, me acompanhou no meu processo de emagrecimento, e o q eu mais aprendi foi em ter equilibrio e estar feliz comigo mesma. Tamo juntas. Desejando tudo de leve e feliz p 2015! Bjao Tati

    • RESPONDER
      Joana
      18.12.2014 às 8:27

      Tati,
      Eu acompanhei e admiro muito suas conquistas você está cada dia mais linda!
      Obrigada por quase 5 anos depois continuar sendo leitora deste blog, faz muita diferença pra gente ver que as pessoas especiais continuam por aqui!

  • RESPONDER
    Gabriela Ganem
    18.12.2014 às 2:38

    Joana Cannabrava me representa. ❤️

  • RESPONDER
    Alanna Caldas-Parnaíba -Pi
    18.12.2014 às 2:50

    Olá, nunca comentei por aqui, e já são quase 3 da matina, mas seu texto sinncero, leve e feliz me convidou a deixar essa mensagem: parabeéns, pela sinceridade, pela coragem, e tranquilidade q senti no seu post. Eu tbm tenho essa auto estima da sua mãe e acredite: meus 3 dígitos atuais na balança não tiram meu sono nem sorriso. Me acho linda por completo, sou mto mais que meus quilinhos a mais. Feliz natal e feliz 15 pra vc e todos que fazem parte da família do Futi.; D Deus te abençoe mais.

    • RESPONDER
      Joana
      18.12.2014 às 8:30

      Nossa eu admiro TANTO esse socego!
      Que você continue feliz e com tudo em cima, principalmente essa sua autoestima! Obrigada por dividir sua história!

  • RESPONDER
    Erica
    18.12.2014 às 3:17

    A Joana me represents (2)!

    Você vale muuuuito Jo! ❤️

    • RESPONDER
      Joana
      18.12.2014 às 8:30

      Você também minha amiga!
      Você me ensina muito.

  • RESPONDER
    Mariana
    18.12.2014 às 6:27

    Lindo texto e sim… Vc eh o que eu vejo! Uma pessoa liiiinda Jo!
    Bjssss

  • RESPONDER
    Carolina Prata
    18.12.2014 às 6:29

    Jô, eu fiquei extremamente feliz de pela primeira vez na vida, um post que fala com muita sinceridade sobre esse preconceito babaca que existe com pessoas que trabalham com o moda e são gordinhas. Eu sempre tive o mesmo problema e te digo: nada é mais libertador do que estar bem consigo mesma, feliz de verdade com as gordurinhas. Candice Huffine tá ai pra provar que a moda está mudando, e que não só de mulheres tamanho 36 se faz um casting. Estou também na melhor fase da minha vida, prestes a me casar pela segunda vez, gerenciando uma operação de ecommerce de uma marca incrível, e tudo isso vestindo tamanho 42/44!!!! Eu também sou pesada, porque sou alta e se eu entrar numa de emagrecer talvez não tenha tanta energia pra fazer tudo o que faço em 24 horas. VOCÊ também me representa! Parabéns pelo amadurecimento dos textos e espero continuar lendo esse seu “pulo” aqui no Futi! Bjs

    • RESPONDER
      Joana
      18.12.2014 às 8:55

      Carol você brilha muito! :)
      Obrigada por dividir conosco a sua história! <3
      Eu vou amar que você continue passando por aqui.

  • RESPONDER
    Fernanda
    18.12.2014 às 7:00

    A Joana me representa (3). Adorei!

  • RESPONDER
    INGRID
    18.12.2014 às 8:01

    BOM DIA!!!
    JOANA ESTAVA REFLETINDO SOBRE O TEXTO E QUANDO VIM LER OS COMENTÁRIOS LI 02 DIZENDO:_VC ME REPRESENTA E COMO ISSO É VERDADEIRO!
    USO OS PRODUTOS QUE VCS INDICAM,LEIO LIVROS QUE RECOMENDAM,FREQUENTO A ACADEMIA QUE VC COMENTOU,MAS TUDO ISSO SÃO PRODUTOS.O QUE FAZ A DIFERENÇA É QUEM VCS SÃO E É ATRÁS DISSO QUE EU ABRO TODO SANTO DIA O BLOG,ATRÁS DE VERDADES.SEJA ELA SOBRE UM PONTO DE VISTA,UMA OPINIÃO,UM ASSUNTO.ME SINTO PRIVILEGIADA POR ESTAR AQUI!

    • RESPONDER
      Joana
      18.12.2014 às 8:23

      Nossa você não sabe como é mágico ler isso!
      É EXATAMENTE o que a gente sonha para o blog, que tenham Boas dicas, que tenham bons produtos mas que a gente leve mais do que isso pra vida das pessoas.

      Obrigada Ingrid, acabei de falar pra uma amiga que estava insegura de vocês não gostarem (nunca fico quando falo dessas coisas mas dessa vez fiquei) e você me deixou mais feliz.
      Espero que o futi continue sendo assim pra você!

  • RESPONDER
    Fernanda
    18.12.2014 às 8:44

    Jo,

    Gostaria de te dizer uma coisa: obrigada.

    Beijos

    • RESPONDER
      Joana
      18.12.2014 às 8:55

      Eu que agradeço por você ter parado para comentar por aqui.

  • RESPONDER
    Vida
    18.12.2014 às 8:52

    Olá,
    Faço parte de um time de leitoras que lê,mas não
    Comenta os post! Rs No entanto, esse post merece comentários e elogios! Vc tb me representa e esse ano tb passei por um série de transformações que me fizeram Recuperar os quilos perdidos com tanto
    Suor la na clínica da davidson! Da uma sensação de fracasso mt grande, de incompetência por não
    Saber lidar com a comida como
    Outras pessoas! Enfim, parabéns pela coragem, pelo trabalho, e ler um post dessa natureza me faz sentir compreendida!
    Além disso, sinto que sigo no ig é um blog que tem pessoas “normais” do outro lado, com
    Corpo e mente pensantes! Um blog de utilidade, de verdade, com opiniões
    Que acrescentam e informação pertinente
    Sucesso!

    • RESPONDER
      Joana
      18.12.2014 às 8:59

      Obrigada pelos elogios!

      Nossa, você definiu muito, se deixar a sensação de fracasso e incompetência toma conta, sem falar que você olha para o lado e parece tão simples para os outros…
      É complicado mesmo.

  • RESPONDER
    Juliana Sala
    18.12.2014 às 9:00

    Joana,
    Aqui vai meu primeiro comentário em seu blog….
    PARABÉNS!!!
    Eu também passo pela mesma situação, mas eu não consigo me sentir bem com os olhares e comentários alheios sabe?
    Uma vez, um amigo meu me chamou de Persefone (lembra o personagem da Fabiana Carla em alguma novela das 9?) e isso me magoou tanto mas tanto, que saí chorando do churrasco que estávamos, meu esposo fala que eu escuto essas coisas porque eu mesma me zoou sabe? eu já chego falando que estou gordinha, então do momento que eu mesmo falo os outros se sentem no direito de zoar também, e isso me afeta.
    Detalhe de tudo isso, é que eu tenho 1,70 m e peso 75,0 kg (cheguei aos 82 kg já) então não sou obesa, certo? Só estou acima do peso…..
    Uma das minhas metas para 2015, e a principal delas, é emagrecer, é aprender a comer salada sem fazer careta, simplesmente para eu me sentir bem comigo mesma, para eu ficar feliz em colocar um vestido, uma blusa mais decotada e até mesmo um biquíni, e assim não ficar ouvindo piadinhas sem graça de pessoas sem noção.
    Obrigada por me mostrar que outras pessoas passam por isso….
    Beijos e um ótimo 2015 para todas nós.

  • RESPONDER
    Isabella
    18.12.2014 às 9:06

    Oi Jô,
    Adorei seu texto, achei muito sincero e realmente muito verdadeiro.
    Concordo demais que existe sim o preconceito contra quem está ‘acima do peso’ e acho isso tão cruel, tão feio, tão vergonhoso…
    Nossa sociedade prega uma perfeição que não existe! E aqui, não estou falando só em ‘estar sarada’, mas em tudo, afinal vc tem que ser sarada, ter uma família de margarina e um emprego perfeito! Vc tem que ter filhos lindos, estar sempre feliz e estar sempre linda com os cabelos escovados. E como isso não existe, essa perfeição absurda, as pessoas estão cada vez mais perdidas,cada vez mais frustradas e cada vez mais envoltas em seus anti-depressivos…
    Sabe, todos os dias peço a Deus discernimento, pra não me deixar entrar nesse ciclo.
    Pra mim o que mais vale é a paz! A paz que vc tem consigo mesma e com tudo a sua volta. Aceitar que nem tudo é perfeito, ver o lado bom de tudo e viver em paz.
    Esse é meu eterno desafio de vida, não me perder nessas bobagens impostas e ser feliz a minha maneira e a meu jeito.
    Você é mesmo lindinha assim desse jeito! Uma menina que a gente olha e tem vontade logo de ser amiga sabe?
    E te desejo muito mais sucesso em tudo na sua vida!
    Beijo, Bella

  • RESPONDER
    Luana
    18.12.2014 às 9:11

    Sou grande (sim, 1.80m e 100Kg) e caíram lágrimas desse texto lindo! Tenho muita amiga magrela que me pede pra acertat o visual delas….que me pedem dicas, pq me acham estilosa! E gente, eu sou normal….eu me considero normal – eu uso roupa da Renner e Aliexpress! Mas tenho algo dentro de mim, que me faz sentir normal (mesmo quando me olho no espelho, vejo dobras e celulites). Tenho um namorado magrelo que fala que eu sou a mulher mais gostosa que ele já teve na vida. E é por essas e outras que eu me sinto simplesmente bem, estando acima do peso ou não. Por isso, quando eu leio textos como esse, me identifico e choro (pq sim, sou chorona), mas acima de tudo, pq vc se torna mais mulher quando simplesmente encontra outras coisas mais legais em você, do que um simples número na balança ou no seu manequim/ É importante dizer quer, acima de tudo, devemos estar saudáveis. E estou. E é só

  • RESPONDER
    Giovanna
    18.12.2014 às 9:12

    Eu só tenho uma coisa a dizer sobre o post Jo: Que orgulho de você!!!
    Sabe deixei de seguir muitos blogs por causa da vida irreal que eles mostram, mas aqui no F-uti a verdade transborda por todos os lados, que delícia saber que aí do outro lado da tela existe alguém com os mesmo dilemas, medos, neuras e alegrias que eu. Uma pessoa com o corpo real, com lutas reais… É por essas e outras que o Blog não para de crescer…
    Obrigada por me fazer acreditar que esse mundo tem jeito sim!
    Abração

  • RESPONDER
    Letícia
    18.12.2014 às 9:18

    Oi Jô!
    Nem notei que você havia ganhado uns quilinhos…
    Aliás tenho achado suas produções caprichadas, você está sempre muito bonita.
    O Futi tem sido o único blog que eu acompanho diariamente e eu gosto cada dia mais do que eu leio.
    Não cheguei a comentar, mas adorei ver aquele texto sobre sexo por aqui, e também sobre os problemas com a pílula.

    Obrigada por compartilhar esses assuntos com a gente. É muito bom poder chegar aqui e ler sobre tudo, sem preconceito e sem encanação.

    Beijos!

    • RESPONDER
      Joana
      18.12.2014 às 9:26

      Letícia eu escolho fotos com poses melhores para postar, mas dá para ver notoriamente ao me encontrar ao vivo.
      Até os 5kg acho que estava passando batido, nos 10kg ficou complicado…
      Quanto as produções, obrigada pelo elogio <3 <3 Eu to me esforçando muito mesmo com o guarda roupa reduzido.
      O texto sobre sexo foi um desafio muito especial, espero conseguir fazer outros. Adorei o feedback das pessoas :)

      Obrigada por comentar no nosso blog e estar sempre conosco, já vi que você está super atenta nos posts!

  • RESPONDER
    Natalie
    18.12.2014 às 9:21

    Aiaiai que Post LINDO!!!
    É tão lindo ver em um blog de moda falar coisas tão sinceras e não ditar regras…..me emocionei de verdade. Eu sempre fui muito magra, desde criança, tanto que tinha que tomar estimulante para ter vontade de comer, não sou e nunca fui anorexia, é o biotipo da minha família. E só quando adolescente mesmo é que essa “falta” de peso me incomodou mto, pelo apelidos que recebia, pela falta de corpo mais de curvas, e só nós últimos anos é que aprendi a aceitar meus ossinhos aparentes, a comer melhor e não comidas erradas. Somos mulheres reais e cada uma tem a sua especialidade. Apoio essa “revolta” ao padrões de belezas que somos obrigadas a engolir. Esse post seu só me fez amar ainda mais o blog e me fazer comentar, já que sou do time que entro todo dia a uns quatro anos mas raramente comento.
    Sucesso para vcs em 2015…e continuem assim!! Beijos

  • RESPONDER
    Mylena
    18.12.2014 às 9:25

    Me identifiquei muito c o texto, ganhei mais de 10kgs nos últimos anos e tenho sofrido c eles e a falta de garra p eliminá-los, passei de uma moça q semana se sentiu linda p uma mulher q vive questionando sua beleza. Minha vida continua claro, trabalho, namoro, empreendo, sou feliz, mas os 10kgs estão sempre ali me lembrando q eu posso mais.

  • RESPONDER
    Mari
    18.12.2014 às 9:40

    Sou leitora fantasminha e confesso que pensei se deveria ou não me manifestar. Mas, diante desse texto, resolvi que precisava agradecer.
    Desde criança, sofro com compulsão alimentar, ansiedade e principalmente distorção de imagem
    Também procuro ter minha intimidade com Deus, faço terapia, mas às vezes me sinto sozinha pq vejo que, por mais que tentem, meus pais e minhas amigas não me entendem. Talvez por nunca terem passado o mesmo que eu.
    Portanto, obrigada por colocar meus sentimentos em palavras.

  • RESPONDER
    Beatriz santinj
    18.12.2014 às 10:40

    Jo, que lindo post! A gordofobia é um grande mal da nossa sociedAde e que com essa obsessão fitness mascarada de “geraçao saúde”, tá piorando ainda mais.
    Eu passei por algo bem semelhante esse ano. Sempre fui bem magrinha, amei meu corpo e sempre comi normal. Nao comia que nem uma louca, mas comia tudo que tinha vontade, nao encanava com isso. Até que do começo do ano até agora eu vi o ponteiro da balança subir 9 quilos, assim, aparentemente do nada. Perdi praticamente tooodas as minhas roupas, e quanto mais eu tentava lutar contra o peso, mais compulsiva minha relaçao com a comida ficava.
    Por ser magra antes, esses 10 quilos nao me tornaram uma pessoa vista como “gorda” pela sociedade, mas sinceramente, eu não consigo aceitar. Me recusei meses há comprar um shorts novo que passasse pela minha bunda, pq dentro de mim eu nao podia aceitar essa “derrota”.
    E isso me fez perceber o paradoxo que eu vivo hoje, que aliás tento lutar mas ainda estou longe de conseguir resolver: pra mim é muito fácil aceitAr o outro com quilos a mais, mas muito dificil ME aceitar. Ao contrário de voce, eu nao estou me achando bonita. Estou me achando horrível.
    É muito complicado lidar com isso, e imagino que esse ainda é um dilema pra maioria.
    Fico intrigada quando ali no texto você diz que se sente bonita mas quer emagrecer pra se sentir bem com a sua alma. Se vc esta bem, pq ainda quer entao? Pode ser que voce esteja mais perto do que eu de se aceitar assim mesmo, será que nAo valeria a pena insistir?
    Estou filosofando demais ja! Hahahaha! Mas adoro o blog, adorei te conhecer melhor no #melhorgrupo, e to desabafando algo que foi a minha maior tristeza e preocupaçao o ano todo!

  • RESPONDER
    Nome (obrigatório) :Flávia Gonçalves
    18.12.2014 às 10:46

    Oi Jô,

    Eu acompanho muito blogs, leio diversas matérias mas nunca comento.
    Mas seu texto me chamou atenção não sei se por conta de também estar acima do peso e lutando com a balança. Mas talvez por pensar que o muno e a felicidade é tão maior que os quilos que pesamos e muitas vezes para muitas pessoas, lojas, marcas isso se torna essencial.
    Queria só dizer que amei o seu texto, que o importante é estarmos bem com a gente mesmo, o que vale para mim, é ter a família linda que tenho e que me ama, um marido que me adora e me deseja, amigos que estão ao meu lado a anos independente se estou acima ou abaixo do peso, muito mais vale minha presença na vida dele, meu carinho, meu abraço do que o que visto ou quanto peso.
    Além de estar acima do peso sou negra então o preconceito acaba sendo duplo, mas graças a Deus minha auto estima esta sempre em alta sou uma pessoa feliz, tive uma educação boa, me formei, me casei fiz diversos amigos por onde passei e para o preconceito dou uma banana. Visto o que quero, vou onde quiser, não me limito a nada por conta de preconceito o que eu quero, e já sou é muito feliz! Pois o bom da vida é sorrir com os amigos, encontrar pessoas queridas, almoçar com a família, namorar, viajar e para tudo isso o peso não interfere em nada.

    Bjs, fique com Deus!
    Flávia D. Gonçalves

    PS: Gostaria de divulgar esse seus post no meu instagram e face tudo bem para você?
    Instagram: fladaia
    Face: Flavia Goncalves

    • RESPONDER
      Joana
      18.12.2014 às 10:52

      Adoro pessoas pra cima! <3
      Pode divulgar a vontade, é ótimo pro futi! :)

  • RESPONDER
    Bru
    18.12.2014 às 10:57

    Ponto1. Como alguma outra leitora comentou aí por cima, nem tinha reparado que você tinha engordado, quanto mais 10kg!
    Ponto2. Você respondeu essa leitora dizendo que escolheu as melhores fotos, com melhores poses, e que ao vivo dá pra reparar… Acho que talvez não seja isso – ok, isso pode ter contribuido para a nossa impressão – mas é que o seu sorriso está tão sincero em todas as fotos, seu olhar tem um brilho de “ei, to feliz” que distrai do resto todo.

    com 10kg a menos ou a mais, tanto faz, a única coisa que você não pode mudar é a sua – transparente – felicidade.

  • RESPONDER
    Amanda Costa
    18.12.2014 às 11:03

    Muito amor pelo seu texto! (L)

  • RESPONDER
    Marina
    18.12.2014 às 11:11

    Oi Jô!

    Gostei muito do post! De verdade.
    Já fui gordinha, passei por uma reeducação alimentar e durante os meus 26 anos, vivo brigando com a balança. Faço dieta desde que me entendo por gente. Sei das minhas qualidades, sou uma mulher inteligente, independente, tenho foco e força de vontade. Mas infelizmente, o fantasma do sobrepeso ainda ronda o meu ser… rs. Tenho 1,52m, então 1kg faz diferença em mim. Quando a calça jeans começa a apertar, a coisa já tá feia. Sei que sou uma pessoa bonita, mas é incrível como uns quilinhos a mais me incomodam. Acho que nunca fui ao clube com meus amigos. Sou mineira, e as férias perfeitas para muitos mineiros – ir a praia – é um suplício pra mim. Sou uma mulher segura – de roupa, não de biquíni. Sei também que grande parte das minhas neuras são minhas, mas… são minhas. É bom saber que o mundo não é feito só de batata doce, que mulheres de verdade sabotam a dieta e que ser magra não é sinônimo de beleza. Sou uma pessoa saudável, feliz, mas acho que vou sempre estar precisando perder uns 2kgs… É a vida!
    Que 2015 seja repleto de coisas boas pra você, pra Carla e pro blog!
    Grande beijo,
    Marina.

  • RESPONDER
    Amanda Kock
    18.12.2014 às 11:57

    É a primeira vez que comento no seu blog, não sou uma leitora, mas acabei de me tornar. Você é uma pessoa que tem muito a nos ensinar!

  • RESPONDER
    Rosana Rocco
    18.12.2014 às 13:04

    Nossa que texto incrível Jô, parabéns! Mesmo não te conhecendo pessoalmente (Carla disse q somos parecidas..rsrs), super te admiro pela verdade que você passa no blog. Alguém comentou que é por isso q o blog não para de crescer..concordo plenamente! Verdade + Competência + Talento = Futi.
    O nosso corpo é o reflexo das nossas emoções. Cada doença que temos, está atrelada a alguma emoção mal resolvida. Talvez seja esse o causador do seu problema. Assim q vc descobrir o que desencadeou o processo, certamente aos poucos, sem muito esforço, vc voltará ao peso de antes naturalmente.
    Não se cobre, não se julgue, não se puna por nada disso. São fases da nossa vida, todas nós já passamos por isso em algum momento..o importante é saber que temos o poder de mudarmos e melhorarmos tudo o que a gente quiser!
    Seja muito feliz! Desejo que em 2015 vc eleve ainda mais seu auto conhecimento e continue nos abrilhantando com posts incríveis e inspiradores!
    Beijos enormes!

  • RESPONDER
    Beatriz
    18.12.2014 às 13:59

    Jo, vc é linda de verdade…sua “lindeza” vem do fundo do seu olhar. Se te sente mais confortável um pouco mais magrinha, vai em frente!! Mas saiba q vc não perde nem 0,000001% do seu brilho por estar pesando 50kg ou 150kg. Ameeeeyy o post, achei super pertinente p o momento q vivemos. Tem muita gente dando a felicidade em troca da magreza, vivendo a base de whey c aveia e esquecendo que a vida está passando!!! E o pior, sendo visto como heróis!! Affff! Tá tudo errado, gente!!! EQUILÍBRIO…é o q desejo p o mundo em 2015!!! Bjosss

  • RESPONDER
    Layla Fernades
    18.12.2014 às 14:03

    Oi Jo!
    Eu não sei se já comentei aqui, mas leio o blog de vocês TODOS os dias, e gosto muito! O ano passado fui diagnosticada com transtorno bipolar, e o médico super bem indicado ( e caro) não analisou meu histórico familiar, nem minha tendência a engordar e me receitou remédios que o principal efeito colateral é engordar. Engordei 20 quilos em uns 4 meses, e o médico ainda teve a cara de pau de me falar em uma das consultas “Nossa você engordou né? É culpa do remédio” Imagina para um pessoa com tendência à depressão, o que isso causou. Eu sempre briguei com a balança mas sempre entre o 42 e o 38. Agora, mesmo com médico e remédios novos estou no 44/46, porque qualquer remédio pra bipolaridade atrasa o metabolismo. Eu não estou feliz com o meu corpo, pq todas as minhas roupas estão pequenas e eu me recuso a trocar todo meu guarda roupas por peças 46! Eu nunca cheguei a esse ponto. Lendo os posts seu e da Cony, resolvi parar com o anticoncepcional, pq ele também é vilão nessa história né? Além de ter caso de trombose na família, fiquei morrendo de medo, pq mais uma vez o médico ( ginecologista) que receitou o anti, não pesquisou o meu histórico e nem me alertou para os problemas que ele podia causar. Agora tô numa luta pra conseguir emagrecer, mas o seu post me deu um “desencargo” pq eu não estou sozinha nessa, e enquanto eu estiver nessa luta, não tenho motivos pra baixar a minha auto estima! Foi muito bom saber que estamos no mesmo barco, e uma mulher linda e radiante como você enfrenta os mesmos problemas que nós! Obrigada, de verdade! Um beijo!

  • RESPONDER
    Joanna
    18.12.2014 às 14:07

    Sinceramente não vejo você como uma gordinha…
    Você está linda.
    E eu também sou a favor de independente do seu peso, você ser feliz e claro com saúde.
    O que tem demais em um tamanho 44?
    Eu amo!!!

    Beijos

  • RESPONDER
    Patricia
    18.12.2014 às 14:09

    Jô, sigo o futi há anos e amo de paixão, mas nunca comentei nada, até agora. Sofro exatamente dos mesmos problemas que vc (compulsão alimentar, distorção de imagem, luta contra a balança…). Admiro demais o seu trabalho e sinceramente nem reparei que vc voltou a engordar esse ano, continua linda. Vc tem muita coragem por expor sua intimidade e ir além do glamour do mundo fashion. Parabéns por ser vc! (cada dia mais fã do seu trabalho e dos seus posts).
    Se um dia descobrir como driblar tudo isso, por favor me conta. Eu to tentando ignorar e ser feliz mas não são todos os dias que dá certo.

  • RESPONDER
    Hellen
    18.12.2014 às 16:06

    Jô, (pq tem horas que vc se sente amiga super intima da blogueira).

    Faz alguns anos que vivo essa briga com a balança, essa briga com a aceitação, essa briga com a autoestima, mas a pior briga desse contexto é a briga com o mundo.

    Não vamos generalizar as coisas, muito menos as pessoas e que isso fique bem claro desde o início.
    Mas quilos a mais na balança são sim motivo de muito preconceito, muitas pessoas usam disso para te ofender, te “agredir” e te menosprezar.
    No momento, em que vc se destaca por alguma outra coisa, como a sua capacidade, inteligência (pq sim vc tem muito dentro de vc além do seu corpo) alguém faz questão de lembrar, “mas nossa ela é gorda” mas ela tem espinhas.

    Ou enquanto vc está no seu momento, diante do seu prato, após um dia de trabalho, vem alguém para te dizer vc já experimentou tal dieta, tal exercício, já viu a academia nova que abriu no seu bairro,

    Ou adoram proferir frases como eu acordo as 5h30 da manhã para malhar, bem no momento em que vc está colocando um doce na boca.

    Não vamos generalizar, mas algumas pessoas cultuam tanto o corpo e a magreza, a ponto de se sentir melhores do que os outros por isso, no entanto, vc precisa ter dentro de vc algo mais a oferecer.

    Não somos feitos apenas de carne e osso e músculos, vc não fala com músculos.

    Pessoas bem resolvidas não agem assim.

    Nâo humilhe, não menospreze, respeite.

    tenha algo mais a oferecer.

    Parabéns Jô, sou sua fã vc é linda e tem mto a oferecer a esse mundo!!!!

  • RESPONDER
    Bárbara Miranda
    18.12.2014 às 16:20

    Posso falar? Nunca comentei aqui (mentira, foi só uma vez), mas hoje não podia deixar passar. Nem parece que você engordou e olha que acompanho o blog há um tempinho bom já… você é linda e fico doida pra copiar seus looks, aliás o look das duas. Admiro muito vocês. Sucesso sempre!

  • RESPONDER
    Larissa Guimarães
    18.12.2014 às 18:12

    Nunca tinha vindo comentar aqui, mas de uns tempos pra cá o futi vem sendo meu blog favorito! Conteúdo de verdade, dá pra sentir que a gente ta conversando com uma amiga quando lê o texto e é uma amiga que a gente não fala só baboseiras, os textos daqui são extremamente maduros e isso é dificil de se encontrar na blogosfera!
    Me identifico com o texto pois apesar de todos me dizerem que estou num corpo ótimo, sofro com a ditadura da magreza por causa do ballet que fiz mais de 10 anos! Era um tipo de massacre para quem tinha um pneuzinho minimo a mais pra fora (tenho 1,60 57kg e pra meus professores de ballet estava muito longe do corpo ideal!)
    Como indicação sugiro vc ler o livro “life in motion” ou só seguir no instagram a bailarina Misty Copeland, uma negra e de corpaço (estranho para o ballet onde só se veem palitos) que é primeira bailarina no american ballet e ela fala muito sobre nossa relação com o corpo, muito legal mesmo!

    Beijos lari

  • RESPONDER
    Fazendoaphina
    18.12.2014 às 18:45

    Joana, amei seu post! Entendo perfeitamente suas angustias pois tive o mesmo problema de distorção de imagem e só nós sabemos o quanto isso é dificil né. E é admirável vc se abrir e se expor dessa maneira. Dá pra trocar ideia e ajudar muitas meninas que passam pela mesma situação mas se sentem completamente perdidas com essa midia que cultua o corpo perfeito. Confesso que minha vida mudou mesmo depois que me especializei em Consultoria de Imagem e Estilo e – mais especificamente! – depois do curso das meninas da Oficina de Estilo, que tem um método autoral lindo de autoconhecimento e autoestima. Foi com elas, aprendendo a passar essa verdade para as minha clientes, que finalmente comecei a me olhar com mais amor e compaixão, me aceitar descobri que mesmo não tendo a silhueta dos sonhos, posso ser bonita e passar toda essa beleza, atitude e segurança através do que a gente veste e é a partir dai que o grade magia acontece: a gente começa a se amar e se aceitar mesmo. Talvez possa parecer bobo, mas a grande sacada é essa: a de se descobrir, se aceitar e se amar, se empoderando de vc mesma.
    Que 2015 traga ainda mais sucesso pra vc e pro blog.
    Beijo enorme!  

    Vânia Benvenuto
    <3

  • RESPONDER
    Margarida Neri
    18.12.2014 às 20:19

    Joana, este post vai ajudar muita gente.
    Obrigada, fiquei muito feliz com a parte que me toca..
    Essa loucura de ser magra deixam muitas pessoas loucas e egoístas. A única coisa a qual temos de estar atentas diz respeito ao sobrepeso não estar trazendo nenhum mal a saúde.
    Eu me viro bem, por exemplo, se emagrecer muito fico com meu rosto muito magro sou uma pessoa de biotipo grande, sou larga e alta, de quebra tenho cintura, então me viro bem assim.

  • RESPONDER
    Babi
    19.12.2014 às 0:46

    Jô, te entendo tanto! Tb engordei esse ano e estou em busca tb dos meus 70kg de volta. O mais louco disso tudo é que eu tive 70kg por muito tempo e tinha até vergonha de falar o meu peso pq todo mundo dizia que 70 nao é peso de mulher. Eu vivia infeliz achando que tinha que emagrecer e agora, que estou com 78, olho minhas fotos antigas e vejo como eu estava ótima. É incrível as coisas que a socidade coloca na nossa cabeça. Espero voltar para meu antigo peso, mas fazendo as pazes com a balança e o espelho. PS: tb to te achando mais bonita do que nunca esse ano! bjoo

  • RESPONDER
    Thayane Paris
    19.12.2014 às 2:28

    O seu texto me tocou muito, como disse no insta sou uma menina, gorda e que apesar da obesidade, sempre lidou muito bem com auto estima, sociedade, namorados e tudo mais, até o dia que minha calça manequim 52 não cabia mais em mim… Eu me perdi e me esqueci de mim msm, de ne cuidar, de me mimar e deu no que deu, agora vivo alerta, mas sem paranóias, pois elas só atrapalham, comi eu disse no insta meu processo de emagrecimento ta bem no inicio e to fazendo questão de espalhar por ai, não que eu queira ser cobrada, mas preciso ter com que dividir, dias difíceis e os dias faceis tb, e contei minha longa historia de forma resumida nesse link: http://www.anovantonieta.com.br/corpo-sarado/quando-emagrecer-vira-prazeroso/ Espero que goste Jo, e que meu post te de animo como o seu me deu. Beijos Thay

  • RESPONDER
    Ana Carolina
    19.12.2014 às 9:43

    Cada dia gosto ainda mais do blog de vocês. Desde os textos de moda até às reflexões mais profundas, vocês têm arrasado. Parabéns, de coração!!

  • RESPONDER
    Marina
    19.12.2014 às 9:53

    Amiga querida.
    Arrasou!! Conversamos isso essa semana e eu não podia nem imaginar que seria seu post!! Parabens Jo! Tocou lindamente numa ferida aberta em mim e em muitas outras. Obrigada por isso. Parabens pelo post, pela coragem e pela auto estima. Com certeza me inspirou <3
    Com carinho,
    Marina

  • RESPONDER
    Josielma Ramos
    19.12.2014 às 11:26

    Sofri muito com isso, pois até os 22 anos eu pesava 49 quilos e em menos de dois anos cheguei a pesar 84 quilos, o preconceito que senti começo dentro de casa com minha mãe me chamando de gorda, foi um longo processo até eu aprender a me aceitar, negra de cabelos crespo e ainda gorda, hoje me amo do jeito que sou, esse ano perdi 16 quilos, mas não quero voltar a ser magra, só quero minha saúde de volta e um corpo legal, e que se dane o que os outros vão pensar de mim, cansei de ouvir comentários preconceituosos e risinhos pelas minhas costas, ante eu abaixava a cabeça envergonhada, hoje eu já me viro e pergunto qual é o problema, cansei de ficar constrangida, hoje eu que deixo as pessoas constrangidas com o seu preconceito, e dependendo da situação eu mando logo um foda-se você não paga minhas contas, não vive a minha vida então porque quer cuidar do meu peso?, parabéns pela atitude <3

  • RESPONDER
    Laura
    19.12.2014 às 11:52

    Amei, amei, amei!!

  • RESPONDER
    Mariana Santiago
    19.12.2014 às 14:01

    Jô,
    Eu super me identifiquei com o texto.
    Mas sabe o q eu acho engraçado nisso tudo?!
    Eu sou super assídua aqui no blog e tenho q te dizer que a cada dia tenho te achado mais magra!!
    Juro mesmo! Talve isso tenha a ver com a sua felicidade exalando ou com o o que sua amiga te disse “que vc nunca esteve tao bonita”. E eu assino embaixo! E com toda a sinceridade que me é peculiar, eu te digo que esses quilos a mais, pelo menos ao meu ver, não estão aparecendo em suas fotos.
    Mas só a gente sabe o que nos incomoda e te dou toda força pra continuar em busca do que acha ideal pra vc!
    Super beijo,
    Mari

  • RESPONDER
    tha
    25.12.2014 às 23:34

    Jô, ameeeeeeeeeeeeei o texto!!! extremamente sincero, e muito real..
    eu gosto mto do futi! tenho curtido demais esse tipo de post relacionado a comportamento. Deixei de entrar em blogs “clássicos” pq só bolsas da hermes, chanel e etc cansam…. e sinceramente já estava me fazendo mal. ao ponto de, mesmo achando ridiculo, me sentia inferior por nao poder ter uma bolsa de 5mil reais. todo mundo tem, menos eu né????? é, estava nesse ponto.. acho que seria até legal um post sobre isso..
    mas enfim, esse assunto de emagrecer é algo extremamenteeeeeee dificil para mim. sempre fui gordinha, lutei mtooooooooooooo contra a balança, e ja tive depressao indiretamente por causa disso. nao sei dizer se eu nao me aceitava, ou precisava ser aceita pelos outros, ou os 2… quando penso nesse assunto fico horrorizada com como idéias que eu não concordo estão tão enraizadas em mim mesma.. dá até medo..
    não sei se posso culpar a sociedade por me ter feito esse mal, ou se a culpa é minha por me pressionar tanto a ser “perfeita”… é mto complicado, nem sei se expressar direito…
    mas gostei muito do que vc escreveu, me ajudou a refletir com mais clareza sobre .. keep going jô!! beijao

  • RESPONDER
    Cristiano
    26.12.2014 às 8:52

    Bom dia Gurias.

    Baita post Jô, já está nos favoritos!

    Abraço! =D

  • RESPONDER
    Josiane
    26.12.2014 às 12:01

    Ah, Jo, como te entendo!!!
    Eu não tinha problema de peso até precisar tratar uma depressão séria… com o uso dos medicamentos ganhei 18kg. Depois do tratamento emaegreci 14kg com reeducação alimentar, com o tempo ganhei mais 3kg e quando fiquei grávida engordei 14 kg. Hoje estou novamente lutando para emagrecer… minha pequena tem 3 meses e já se foram 10 kg, mas mesmo assim percebo olhares de reprovação, mesmo estando amamentando (o que significa que não posso fazer dieta rígida e nem me matar na academia pra não reduzir a produção do leite).
    Mas sabe o que mais me incomoda? A minha não aceitação do meu corpo… claro que acho que o mundo exagera e isso acaba se refletindo em nós, mas será que precisamos ser tão duras com nós mesmas? No meu caso estou trabalhando a cabeça para aceitar que tres meses é pouco tempo para retornar ao corpo de antes da gravidez… tudo o que quero, mais do que um manequim 38-40, é ficar em paz!

    Só pra constar, também não tinha percebido que tinha ganhado esses quilos… sim, talvez (porque não te conheço a vida toda) você esteja mais linda do que nunca!

    Bjs

  • RESPONDER
    léli
    26.12.2014 às 17:59

    Jô, amei o texto!
    Incrível como sinto a mesma coisa! Tenho praticamente o mesmo sentimento, mas por situação diversa: emagreci 10kg este ano e sem querer!
    Sempre fui magrinha, mas agora pesando 45kg me sinto péssima!

    Passo comendo pra ver se ganho peso, porem sofrendo de muita ansiedade e baixa autoestima, passo agitada, pra lá e pra cá e isso contribui pra não ganhar peso!

    As pessoas olham torto: muitas acham que estou doente (já me falaram que eu devia estar com AIDS ou câncer!!), tenho apelidos (magreli, etc) e as pessoas que conheço que tem sobrepeso dizem ter raiva de mim porque não engordo e porque reclamo por isso, não consigo comprar nada pra mim (tudo o que eu gosto fica grande) e me recurso a usar 34 compro tudo 36 e fica enorme, deixo de sair, etc etc etc.

    O que quero dizer com isso é o que importa é como tu se sente! É se aceitar e ser feliz pesando mais ou menos! O que importa é o que ta dentro de ti!

    Tenho uma amiga um pouquinho acima do peso, nas ela trabalha, é super competente, namora (o namorado dela acha ela linda de quaquer jeito), se arruma muito e se ela linda e em consequência todos acham ela linda demais! Ela que é super confiante passa pros outros!

    Então se você se sente bem assim é o que importa! Pra mim tu é linda demais e a Carla tambem! Alem do futi só leio o futilish, pois outros blogs me fazem eu me sentir péssima e inadequada!

    parabéns por ser assim como nos e mostrar que não estamos sozinhas! Que 2015 continue sendo maravilhoso!

  • RESPONDER
    Natalia
    29.12.2014 às 13:04

    Jô,sei o que vc tá passando.Esse fim de ano fiquei doente e precisei (ainda preciso) tomar uma medicação cujos efeitos colaterais incluem aumento do apetite e ganho de peso,também pode ocorrer o contrário mas Lady Murphy (rsrs) achou legal me fazer engordar.Em um mês ganhei 5 kg,principalmente nos glúteos e barriga.
    O desânimo é desesperador…olho pra baixo,vejo aquela barriga que até uns meses atrás não era minha e dá vontade de chorar.MInhas roupas não servem e eu passo horas me arrumando pra sair.Assim como vc já percebi que agora no fim do ano não vou conseguir fazer nada,já era até pq as festas com toda essa comida e bebida dificulta muito.Mas 2015 vou resolver isso,não aguento mais olhar no espelho e não me ver nele,de não caber nas minhas roupas e o pior,de sentir dores constantes no meu joelho,que eu já operei três vezes e tá sofrendo pra carregar 5kg extras.
    Bom que em 2015 a gente e todas as meninas que escreveram aqui que desejam engordar ou emagrecer consigamos alcançar nossos objetivos e um ótimo 2015 em todos os aspectos pra todas nós!!

  • RESPONDER
    Rafael Marque
    04.01.2015 às 23:11

    Jô, sensacional o post! Meu nome é Rafael, sou nutricionista e divido contigo todas as preocupações que citastes! Eu e outros nutricionista do mundo e do Brasil lutamos contra o fato do peso, associado a aparência, ser mais valorizado que a saúde. Tanto que coordeno um curso de pós-graduação com este enfoque. E temos no Brasil duas referências importantes, a nutricionista Marle Alvarenga (Genta e nutrição comportamental) e a nutricionista Sophie Deran! Fico grato que existam mulheres com o teu pensamento!

  • RESPONDER
    Silvia
    02.04.2015 às 17:44

    Você sabe que eu andei brigando com a internet e que ainda estou – pelo menos agora acho q fase final – de uma mudança BEM inesperada. Mas isso não quer dizer que eu deixei de ler e participar mesmo que menos ativamente da “vida” de vocês. Mas relendo esse texto, não pude deixar de comentar pq eu sei o que você está passando.

    Essa fase de mudança, de procura de um trabalho/estágio, de arrumar um apartamento que é menor (e ter pânico q suas coisas não vão caber), desmontar a MINHA CASA, não ter internet direito, fogão que não funciona, infiltração no teto, aquecedor que vaza gás, isso tudo faz com que a minha já mega ansiedade aumente e por consequência que eu acabe comendo e claro, comendo bobagem. O pior é que as pessoas dizem q eu emagreci mas eu não consigo perceber isso, só me sinto culpada por não estar me exercitando ou comendo um pouco melhor. Aliás eu que amo beber água, sofri com o gosto da água aqui que é diferente e com a falta de gelo – a Elsa, minha geladeira, tinha gelo na porta – então o que aconteceu?! Litros e litros de coca zero, pq eu não posso abusar do açúcar, é uma enorme culpa de não estar tomando água. E não adianta chá, água aromatizada ou com gás, eu não curto nada disso, meu negócio é ÁGUA, de preferência com mto gelo (bebia fácil mais de 2l so de água por dia). E sim, eu sei q as pessoas te olham diferente pq a gente engordou, as vendedoras te olham estranho e no meu caso eu escuto dos meus pais o tempo inteiro que minha saúde está em risco, que eu vou ferrar meu joelho, perder a visão, morrer cedo e por aí vai… Vantagens de ser filha de dois médicos…

    Enfim, desabafei mas vim te dizer que você realmente nunca esteve tão bonita e tão dona de seu próprio estilo. Nas fotos do blog, mal dá para ver que você engordou – sabe que eu sou 100% sincera, né?! – e acho que tb nunca te vi ousar tanto nos looks, mesmo que eles não sejam sua primeira opção! Então, peso se perde e se ganha, o que importa é ter saúde e ser feliz! Você está se tratando e cuidando de algo mais sério que a SOP, depois que você se ajeitar com isso, ai você pensa no peso! Enquanto isso continue sendo essa inspiração para a gente!! :) E quando crescer quero conseguir me sentir bem tb e bem vestida, não importa o peso que estou! E como bem disse a Gabi: você me representa! Ou pelo menos representa o que eu tb quero atingir! Viu?! Não é só a sua mãe que é musa, você tb é! ;)

    Beijo enorme!

  • Deixe uma resposta